2ª Eleição do Presidente do Senado {ELEITO: Divilly}

[size=140][font=Times New Roman][justify][tab=30]Após o garboso discurso proferido pelo então ex-Presidente do Senado, eis que Wilhelm decide dar início a seção, porém antes, felicitando o amigo pela gestão finda a frente daquele Legislativo:

- Tenho certeza, caríssimo Sr. Wladislawski, que não haverão ditos suficientes que maculem os trabalhos comandados por vós à frente da Casa do Povo. Somente sua primeira gestão já lhe garantiria, com a maior suficiência, que resplandecesse junto ao Panteão dos Heróis da Romania. Em nome do Vossa Majestade, o Rei Humberto, lhe congratulo pelo período em que ocupaste a presidência deste Senado.

[tab=30]Após a salva de palmas ter sido puxada pelo próprio Regente, o plenário encontrou brados e aplausos eufóricos por pelo menos cinco minutos. Wilhelm retomou a fala, após um imediato silêncio estabelecido no recinto.

- Pelos poderes a mim investidos, como Cavaleiro da Ordem da Romania e Regente dos Romanianos, declaro aberta a seção da Segunda Eleição para a escolha do Presidente do Senado Romaniano. Obedecendo o Regimento Interno desta Casa, terão os aspirantes à ocupação da Cadeira da Presidência, o prazo de três dias a contar do dia de hoje, para registrarem suas candidaturas. Findo este prazo abre-se o período de votação, que durará, no máximo, quatro dias. Findado este prazo, terá posse aquele cujo nome recebeu mais votos. Declaro, assim, aberto o período de registro de candidatos. E que Deus nos Abençoe, que Deus Abençoe a Romania.[/align][/font][/size]

Wladislawski novamente vai às bordas da Mesa Diretora para se dirigir aos presentes.

-Em respeito à mais elevada confiança depositada em mim ao longo de meu mandato, em gratidão ao esteio que me é a massa trabalhadora e em honra às graças a mim delegadas pelo Sr. Regente, eu apresento a este plenário minha candidatura oficial para a Presidência do Senado Romaniano.

[size=140][font=Times New Roman][justify][tab=30]Já sentado, o Regente busca a entonação de vos apropriada, ao pigarrear levemente, começa a parlamentar:

[b][i]- Caros cidadãos romanianos, presido, no dia de hoje, esta seção, no intuito de dar prosseguimento ao processo eletivo do Presidente desta nobre Casa. Fui a pouco informado, pelo secretário desta mesa, que apenas tivemos o registro de um único candidato, cujo nome jaz, indelevelmente nas páginas da história desta nação. Tenho certeza, isto é nada mais, nada menos, que o simples reflexo do trabalho que este nobre homem construiu, enquanto comandante dos trabalhos senatoriais.

  • Igual certeza tenho, que isto é o puro reflexo do trabalho e da força que o Partido Conservador demonstra junto aos seus filiados. Não quero me fazer um mero proselitista, mas também não ei de negar meu passado nesta agremiação. Postulo apenas minha mais sincera congratulação ao Partido, sempre atuando na defesa do bem-estar da nação e em plena defesa desta terra.

  • Portanto, não ouso estender minha fala, pois é com aprazimento que declaro e conduzo a ocupar a Presidência do Senado Romaniano, por mais um mandato, Vossa Graça, Divilly Augustus Wladislawski, Barão de Venezia.[/i][/b]

[tab=30]Ao término da anunciação, palmas e mais palmas repicavam por todo plenário e galeria superiores, por certo parabenizando o Barão pela conquista da vitória unanime.[/align][/font][/size]

O Barão Wladislawski, que permanecera assentado numa carteira da primeira fila do plenário esperando o pronunciamento do Regente, se levanta com o
ar triunfante da juventude. Ele sorri para os assessores e amigos em volta, sob as palmas e meneios entusiasmados. Ao se postar do lado de Wilhelm, contém a farta alegria e faz uma vênia em direção à entrada principal, de modo que todos nas galerias veem sua face.

Divilly arranca algum ruído da garganta e os funcionários próximos sinalizam para os presentes pedindo silêncio. Enquanto os vários rostos não se abaixam, o Barão olha para o lado, fita a Mesa Diretora, a parede atrás de si, e em intervalos velosíssimos relanceia o Regente.

-Senhores amigos… Preciso dizer que tamanha cortesia e amabilidade não experimentei em toda minha vida senão quando, há mais de um ano, quando ainda morava em Gardignon, caí num infortúnio e vim parar aqui em terras romanianas, montado numa carroça de curtidores, recebido por um povo alegre e diferente. Foi um momento pitoresco quando depois de acomodado num hotel, fui para a sacada jantar e me vi observado por um piquete. Moços curiosos eram aqueles! Por certo lhes intrigavam meus trajes elegantes, a cartola, os rumores que circulavam sobre mim à época, o desaparecimento. Jantei com gosto, crente de que um dia também os pais daqueles moços me estimariam -não mais por causa de eventos fortuitos, mas sim por causa de uma condição imperecível de respeito e autoridade perante os homens. E eis aí, senhores! Tenho a honra de comandar pela segunda vez esta Casa, sob a benção de Sua Majestade, o apreço do Sr. Regente e a admiração de todos vocês.

-Quero assegurar desde já que a voz das avenidas, dos campos, das fábricas, dos baixos e altos prédios sempre terão nitidez em meu gabinete. Os senhores, eu garanto, não se decepcionarão confiando mais uma vez em mim.

O Barão troca um aperto de mãos com o Regente enquanto novas palmas surgem.

[size=140][font=Times New Roman][justify][tab=30]Apertando fortemente a mão de amigo, de pé, Wilhelm congratula o Presidente e, após a calmaria retornar ao plenário, o Regente decide então, encerrar aquela celebre seção, dispondo a cadeira da Presidência ao seu novo ocupante, o Barão de Venezia.

- Assim sendo, pela vontade do povo romaniano, declaro encerrada a eleição da Presidência do Senado. Que Deus Abençoe o Presidente Wladislawski; que Deu Abençoe todos nós; que Deus Abençoe a Romania.

[tab=30]E assim, sob muitas palmas eufóricas em função do resultado final das eleições, o Regente despediu-se do Presidente, congratulando-o mais uma vez e, sem muitas cerimônias, comunicou-lhe sobre a reunião do Conselho Real marcada para a próxima segunda-feira e, então, deixou o ambiente seguido pelo seu secretário. Escoltado, retornaria para o Palacete Belton, onde receberia alguns convivas da nobreza, para uma caçada de final de semana.[/align][/font][/size]