[AJE] Vila Vorena

Localizada na parte alta de Roma é a residência oficial de Gaivs Antonivs Vorenvs. A mesma possui uma vinicula junto a um engenho de oliva e uma moagem de grãos, empreendimentos esses que geram alguns denarios ao Consul; lá o mesmo reside junto a sua família, distante do barulho e burburinho incessante da parte mais baixa da cidade, o som mais comum naquele região é o canto dos pássaros e o barulho das cabras e bois que pastam pelos campos e áreas rurais da região. Realmente um local onde a tranquilidade impera.

Um mensageiro adentra a vila em um galope apressado e de imediato indaga um empregado, - onde está o consul? o mesmo parece estar aflito e diz que tem uma mensagem importante para ele…

Ao descer ao centro da vila Vorenvs recebe das mãos do mensageiro a tão esperada carta…

  • Aqui esta senhor diretamente das terras gregas.

  • Obrigado meu caro, procure um de meus homens para receber seu pagamento.

  • Arauto! Pegue isso vá até o senado e leia para os presentes na curia, não posso deixar a vila em virtude de estar esperando a presença do segundo Cônsul Lucius

  • Esta certo, meu senhor!

Lucius chega a vila do consul a cavalo seguido por seus guardas pessoais cinco guardas romanos tambem a cavalo, chegando a vila me deparo com um anfitrião me esperando:

-Por favor Consul Lucius meu senhor o espera.

Lucius desce de seu cavalo e segue o pequeno homem curvado,o homem parecia ja ter uma idade avançada.

  • Muito bom tê-lo aqui meu nobre companheiro, que bom que aceitou meu convite! Agora venha vamos até o jardim para que posamos conversar.

  • Meu caro Lucius o motivo pelo qual o chamei para essa conversa e te aconselhar, nos últimos tempos enquanto estava em campanha e agora de volta roma vi o seu clamor por uma nova campanha, seja ela contra os bárbaros ao norte e ao sul contra cartago. Contudo temos de pensar as coisas com calma, um assunto de cada vez; é imprescindível que agora estruturemos nossa republica antes de partir rumo a um novo enfrentamento, até porque não temos conhecimento da força de tais povos, não podemos colocar de forma alguma roma e seus habitantes em perigo. Sei que você é jovem e talvez por isso tenha todo esse vigor e vontade exacerbada, mas peço que fique calmo, a hora para tais guerras irá chegar e de certo seu nome estará a guiar roma para novas conquistas e glórias.

  • Peço que aceite esse meu conselho, como uma pessoa mais experiente, e aguarde mais um pouco pois em breve teremos novidades quanto ao inicio de novas campanhas militares afim de expandirmos nosso território.

  • É isso meu amigo, convido-o agora para ficar para o jantar e pernoitar em nossa vila, já tenho uma instalação na casa Senhorial para você ficar.

  • Me sinto honrado por ser convidado para sua vila.

-Meu querido consul sei que pareço meio afoito ao meu apelo a novas guerras, mais nada que faço e sem motivo, a muito tempo os barbaros nos importuna no norte, e cartago continua a crescer ao sul inundando sua capital imunda com bens que poderiam vir para nossa grandiosa Roma, concordo que devemos ter uma restruturação no nosso arsenal militar pois temos ainda soldados rasos e um economia instavel, mais irei me conter, sei que sou jovem e gosto de um pouco de ação, mais so prezo por Roma, mais irei escutar seu conselho, mais meus apelos no senado foram ouvidos e espero que a guerra que foi aprovada contra os barbaros inicie, me segurarei ate o inicio mais espero que nao me censure no senado e entenda meus apelos.

-Ficarei ate o jantar e aproveitarei para ver sua plantação

Após rápida estadia Lucius parte de volta a área urbana de Roma, permanecendo na Vila Vorenvs continua despachando normalmente em sua qualidade de primeiro consul republicano. O mesmo redige algumas mensagens diplomáticas as quais pede que sejam enviadas até o porto de Arminium onde seguirão rumo as cidades estados gregas de Atenas e Esparta.