[AoD]For the MothAARland!

For the MothAARland!
![](upload://bfLzmAWAaRxBl7u4vzL17VjkgEb.png)

Um vento frio soprava sobre as colinas, as árvores ao redor estavam tingidas de branco pela neve, o céu mostrava muitas nuvens carregadas, mas não era totalmente fechado. Um disparo resoou distante. Nikolai resmungou baixo enquanto tentava olhar através dos arbustos.

  • Não se preocupe, nós estamos no rastro certo. - disse Sasha calmamente. - Se eles acharam algo, não é o nosso. - concluiu calmamente enquanto aquecia as mãos numa pequena fogueira improvisada.

  • Como o senhor pode ter tanta certeza, coronel? - Nikolai já parecia inconsolável. - Vimos ele correr para o nordeste a poucas horas atraz.

  • Nós colocamos a armadilha, o vento está ao nosso favor, ele irá para o oeste, principalmente agora que ouviu os disparos, e estará ao nosso alcanse. - Sasha estava extremamente calmo enquanto pegava um cigarro e acendia com uma pequena brasa da fogueira. - Relaxe, Yuri não se sairá vitorioso dessa. - um pequeno sorriso surgiu em seu rosto sujo de terra.

  • Queria ter sua confiança, coronel. - alguns minutos se passaram. - Não aguento a espera! - disse Nikolai.

  • Sua sorte, meu homem, não precisará mais esperar. - Sasha apontou para o oeste com seu fuzil de caça. - Nosso convidado está chegando, vamos! - O coronel pulou de um pequeno desfiladeiro, caindo na neve, próximo a uma estrada, Nikolai o seguia de perto.

Seguiram a estrada por alguns metros e depois entraram num pequeno bosque de árvores secas, ao oeste, o grande lago Onezshkoye era visível, refletindo a pálida luz do dia.

Sasha fez um sinal para que Nikolai ficasse quieto. Se agachou atraz de um espinheiro e espiou por sobre o ombro direito. Lá estava, sua presa, um grande lobo branco devorava a carne de um cervo jovem abatido essa manhã pelos caçadores.

Sasha, calmamente levantou seu rifle, mirou no pescoço da criatura, e em uma fração de segundos, a caçada estava terminada.

  • Um dia inteiro seguindo essa fera e finalmente a matamos! - Nikolai não conseguia esconder seu entusiasmo. - Que grande caçador o senhor é, camarada coronel. - Nikolai deu um tapa nas costas de Sasha, que olhou contente para o companheiro, o cansasso parecia finalmente te-lo alcansado.

  • Bem, vamos reinvidicar nossos espólios e esfregar a vitória na cara de nossos camarados do outro lado do vale, se me lembro bem, ganhamos 1.500 rublos cada?

  • Não, não, o senhor deve ficar com 2000, fez todo o trabalho. - Nikolai soava sincero.

  • Rá, e você iria admitir isso para seus amigos? Que perdeu 500 rublos para parecer bonito pro Coronel? Não não, meu homem, irá receber o seu dinheiro como deve ser. - Sasha amarrava o lobo numa grande haste para o transporte do animal. - Voltemos a Medvezh, quero a minha recompensa antes do anoitecer.

No vilarejo as margens do lago, Sasha deixou o corpo do animal a frente de sua cabana enquanto foi ao bar próximo para comprar vodka. Não levou muito para o segundo grupo chegar a vila.

  • Yuri! Veja o que encontramos! - Sasha apontou para o grande animal impalado na haste. - Estava vagando gordo e ocioso quando o encontramos. - Yuri fez uma cara de escárnio enquanto olhava pro animal. - Parece que eu e meus camaradas fomos un tanto lento de mais, camarada coronel, mas, como prometido, pagarei a aposta. - Yuri era um Major “costas-quente” de um general, sua promoção era uma questão de tempo e já tinha um futuro garantido no exército vermelho.

  • Antes, queremos também uma rodada por sua conta no bar Vozhka, carregar este animal me deu cede! - disse Sasha com um sorriso, pois acabava de chegar do bar.

Yuri apenas assentiu com um sorriso e a noite passou com muitas risadas em Medvezh, onde o tempo e o mundo pouco sabiam.

========================================

No Kremlin, Joseph Stalin começava o seu segundo plano econômico de expansionismo industrial, o NAFKA, onde grandes complexos industriais seriam erguidos as margens do Volga e ao sul de Moscou.

Uma grande assembléia militar também fora convocada para a reorganização de recursos e otimização logística do exército vermelho que, apesar do tamanho, é precário e mal treinado perto das potências ocidentais.

Na Europa, os paises protestavam contra a militarização de uma nova alemanha belicosa sob Adolf Hitler e sua gangue de fascistas que pregavam abertamente contra o comunismo, seus mais fiéis filhos e a grande união soviética.

O ano é 1936, e um novo capítulo da história do mundo começa. Em Medvezh, um homem recebe o chamado para servir ao seu país e trazer-lhe vitória, ou morrer pela Mãe Russia.

vou acompanhar. tu ta com o patch 1.3?? mesmo?? to usando e testando o 1.4 nem sei o que ele muda só sei que senti o jogo bem melhor.

Acompanhando.

Se tiver Vodka no meio, eu leio!
Gostei das falas dos personagense do jeito de narrar.

For the motherland!

Vai construír Kirovs? =B

Acompanhando!

[b][size=150]De volta ao batente...[/size][/b]
O assobio agudo da locomotiva anunciou a chegada na ultima estação da longa viagem. Uma voz anunciou no alto falante.
  • Ultima parada, Estação Kharkov. - Sasha subiu a cortina para vislumbrar uma estação lotada de homens, carregando equipamentos e andando de um lado a outro.

Ao descer de seu vagão, uma voz se destacou do meio da multidão de soldados.

  • Coronel Sergeevich? - um soldado raso se aproximou pela esquerda com um envelope em mãos. - General Zhukov gostaria de convidá-lo à sua sala no QG do distrito 3. - estendeu a mão para entregar o envelope, prestou continencia e se foi. Sasha abriu o envelope enquanto se desviava da multidão de soldados para sair da estação.

“Seja bem vindo ao inferno, coronel.” Lia a primeira linha da carta num manuscrito com boas letras.

“Como já sabe, Moscou enviou um chamado a todos os reservistas e uma completa reestruturação do exército vermelho, venha a minha sala e receberás sua nova designação.
Ass: Georgy Zhukov, Tenente General do 3º exército de choque”

Uma recepção inesperada, Zhukov era um dos generais mais promissores do exército e diziam ter bons contatos no Kremlin. Mas a convocação direta de um general, raramente significava uma boa coisa.

  • Bem, ao menos não serei encarregado como oficial de suprimentos… espero… - Sasha olhou ao redor buscando placas, sua bolsa pesava sobre o ombro e amassava seu uniforme.

Um prédio simples de 3 andares mas bastante longo estava designado como o QG do 3º distrito, um caos de oficiais intendentes tentavam, em vão se organizar, dedos digitavam em máquinas velhas, folhas eram reviradas, telefones constantemente tocados.

No ultimo andar do edifício, uma sala com porta de madeira robusta guardada por dois homens armados se abriu para o coronel, que prestou continencia assim que entrou. Zhukov parecia ocupado com o telefone e, ao mesmo tempo, revirava vários papéis em sua mesa. Atraz de sua cadeira, um grande retrato de Stalin pendia da parede. O General acenou para que o coronel tomasse assento.

  • Não quero saber se você precisa ou não ir a Moscou pedir pessoalmente, apenas faça ou nem precisa mais relatar nada para mim. - bateu o telefone e olhou sério para o coronel.

  • Vou ser direto pois tempo é o que me falta, camarada coronel. - Zhukov puxou uma pequena garrafa de baixo da mesa e tomou um gole, depois ofereceu ao coronel, que rejeitou educadamente. - Preciso de um homem com suas habilidades para comandar uma das minhas principais colunas de blindados, se mostrar que eres competente, terá um glorioso futuro, caso contrário, eu mesmo o matarei, me entende? - Zhukov encarava com seriedade. - Acha que está pronto para a tarefa?

  • Sim, senhor. - Sasha estava um tanto nervoso na presença daquele homem.

  • Muito bem, tomarei conta da papelada necessária. Enquanto isso, meu assistente o mostrará sua mesa enquanto estivermos em Kharkov, mas não se acostume com o trabalho de escriba, coronel. Marchamos para o norte em breve.

Sasha prestou continencia mais uma vez antes de sair da sala do general, e agora, como a muito tempo atraz, sentiria o cheiro de querosene queimado dos blindados, lugar melhor no mundo não conseguia imaginar.

Sergeevich, Coronel comandante da 5ª coluna tática de batalha, 3º exército de choque, Distrito de Leningrado sob o comando de Zhukov. Kharkov ficava cada vez mais interessante.

=====================================

Em junho, a Espanha entrava numa guerra civil e Stalin mandava suprimentos para auxiliar os esquerdistas na penísula ibérica… nenhum retorno a curto prazo era esperado, mas um grande golpe publicitário elevou o moral do povo da URSS. Stalin tentava levar o comunismo ao mundo.

Em Kharkov, o exército vermelho foi reorganizado por completo e suas novas unidades foram despachadas para as várias partes do país, divido em distritos semi-autonomos de operação. O distrito de Leningrado, encarregado do norte e da defesa de Moscou, ficou com 80% dos blindados em atividade no país.

[u]Georgy Konstantinovich Zhukov[/u]

Boa! Acompanhando! Gostei da narrativa.

Otimos capitulos bem legal como voce escreve Parabens!

Dhanun, muito legal sua narrativa, gostei bastante.

Acompanhando.

Tinha lido uma de Star Wars que você fez… Eu a acompanhar essa, boa narrativa.

Sasha ñ é a filha da Xuxa?

Obrigado a todos pelos comentários, devo postar outro capitulo pela noite…

Não é pior que a forma de nomeclatura que alguns pais usam. xD*

muito bom o capitulo. narraação quase que perfeita. e olha a coincidencia. to ouvindo musica folclorica russa.

Estrada para o Norte.

O cheiro de querosene, o barulho de engrenagens, aço contra aço, motores em moção. Fazia muito que Sasha não ouvia tal sinfonia que para muitos era caótica, mas para ele, era harmoniosa. A Garagem, como era chamado o setor em Kharkov que fora repropositado aos blindados, era uma coletânea de pavilhões e estacionamentos ao ar livre, todos repletos de blindados, todos velhos e com problemas e tripulados por homens pouco experientes.
  • Major Soyovsk, chefe do corpo de mecânicos e engenheiros, se apresentando, camarada Coronel! - um homem alto, com o rosto sujo de óleo e o uniforme amarrotado estava em posição de sentido a frente do coronel.

  • Major. - disse Sasha prestando continencia ao homem. - Planejamos partir amanhã, 0500hs e toda a minha coluna deverá estar em movimento junto ao 3º exército, pode confirmar a pontualidade?

  • Com todo respeito, camarada Coronel, mas nem em 1 milhão de anos esses tanques estariam em condições para viajar até Kandalaskja, mas farei o possível para que cheguem pelo menos os restos ao nosso destino.

  • Assim vejo… - comentou Sasha taciturno. - Mas tentemos evitar problemas técnicos no início da marcha, sim Major?

  • Sim, camarada Coronel? - o major prestou continencia mais uma vez e se afastou. A alguns metros dali, uma corneta anunciou a chegada de um veículo oficial.

  • Camarada General. - Sasha prestou continencia próximo ao veículo onde Zhukov descia. - Amanhã as 0500hs como previsto.

  • O que achou dos veículos, coronel? - perguntou Zhukov enquanto colocava suas luvas de couro.

  • Para ser sincero, senhor? - Sasha olhou às garagens. - Estão um lixo, T-27 não é mais um tanque a ser mantido em campo, camarada General.

  • Sim, mas há quem leve essas queixas para o Kremlin, nosso objetivo não é nos queixarmos dos blindados, e sim fazer o melhor uso deles.

  • Sim, camarada General.

  • Sua coluna marchará a frente do exército amanhã, Coronel, via 23, todos os blindados, caminhões e o que mais for necessários em protidão, motores ligados às 0430hs.

  • Sim, camarada General.

Zhukov voltou ao veículo depois de uma volta rápida pelo pátio e partiu.

O toque de recolher foi dado as 2100hs, e todas as luzes foram apagadas as 2130hs, nenhum grilo ousava despertar o exército vermelho aquela noite.

Pássaros voaram assustados de um bosque próximo ao roncar do motor de 200 blindados T-27 da 5ª coluna tática. Os veículos começavam a se organizar em fila para a partida. Caminhões de suprimentos, transporte de infantaria e pessoal logistico vinha atraz e a frente de toda a formação, o Kirov 112 era o blindado lider da formação, com Camarada Coronel Sergeevich comandando-o.

A marcha para o distrito Leningrado começava.

[u]T-27[/u]

============================================

4 de Novembro de 1936 - Eleito Franklin Roosevelt do partido democrático americano com promessas de trazer a maquinária capitalista de volta ao eixo correto no ocidente.

11 de Dezembro de 1936 - Edward VIII renuncia o trono na inglaterra em favor de seu filho, nomeado George VI.

1º de Janeiro de 1937 - Alemanha assina o pacto anti-commintern com Japão. Itália se abstem do acordo.

Wow! Aguardando o próximo capítulo. Está perfeito, com ou sem imagens. Hoje em dia os AARs estão cada vez melhor.

Boa narrativa.

O cara é Phoda!!! Muito legal!!! Acompanhando.

os capitulos tão muitos maneiros. parecem até reoteiro de filme ou novela