[Arquivo] Assunto polêmico

Estamos aqui hoje por um assunto muito polêmico.

[BBvideo 560,350]http://www.youtube.com/watch?v=wvJbhFYNfKU[/BBvideo]

NÃO!

De forma geral, como você se vê no espectro político? Sem papo de discussão ultrapassada, por favor. Faça uma análise das suas opiniões, e equilibrando-as, diga onde você pensa se situar.

Nomes aos bois!

Bom, me posicionei como social liberal, e para explicar isso tentarei dar os pontos fundamentais de por que penso assim, evitando me prolongar muito.
Hoje temos um mundo em que a aplicação do socialismo, puro, não foi bem sucedida, com certeza, não o atingimos pela falta de preparo cultural das sociedades em que se tentou implementá-lo, com isto me refiro a stalinismos e maoismos, quanto a socialismo puro, o fato do proletariado chegar ao poder por uma revolução, socialismo clássico.
E em contra partida, temos a disparatada desigualdade social do começo do capitalismo, a fins do século XIX e começo do XX, que culminou com a crise de 29 e suas especulações absurdas.
Assim como, eu não diria fracasso, mas grande deslize do neo-liberalismo, apresentado no ano passado.
Isso nos mostra que nem o controle total do governo sobre a economia e nem a total liberdade são boas.
A própria social-democracia que pregava que gradualmente deveria se avançar ao socialismo, hoje ela prega que a solução realmente é um controle da economia que permita ela fluir de forma mais justa, e os direitistas europeus gradualmente foram criando leis sociais, que diminuam a desigualdade social, assim afogando o neo liberalismo, que eu acredito que hoje, só exista em alguns países da Ásia alem dos EUA.
Eu acredito que hoje tudo caminha a um social liberalismo, ate porque mesmo a social democracia que ja me foi simpática, esta um pouco ultrapassada, o governo não precisa ter, por exemplo, a telefonía em mãos, basta ter uma legislação que obrigue a iniciativa privada a cumprir o que o estado quer, esta mentalidade de que todos os setores fundamentais da economia devem estar em mãos do estado, ja esta ficando ultrapassada, basta que o controle estatal, seja correto, nem um laissez faire & laissez passer e nem um estado total, pesado e lento.

Sou Tecnocracia mas não do modo da Comunidade Européia que tenta regular absurdamente tudo sem transparência.

Social-Democrata tendendo a neutralidade. Enfim, das correntes políticas, a social-democracia é a que me parece mais coerente e a que eu consigo ver países que a adotaram dando certo. Porém, o mundo está em uma fase de mudanças, e não sei se no futuro a social-democracia ainda será uma tendência política coerente.

Socialismo, baseado no Partido Socialista (Portugues) fundado por Mário Soares, esquerda ou centro esquerda (usado nas duas definições). Aprecio os valores (embora não aplicados, ou nem sempre) de uma sociedade sem classes, com alguma influencia do estado nos sectores vitais da economia, sempre com a alternativa do “privado” presente. Igualdade para todas as pessoas independentemente do sexo, orientação sexual, religião, raça, etc; criação de leis sociais justas e fiscalizadas que pretejam os mais fracos, entre outros.

Os facistas poderiam se identificar. Fiquei curioso para saber quem são os facistas do fórum.

Acredito que os fascistas não existam, se não, que simplesmente acharam ridículo o tópico.

Ex-Social Democrata, atual Anarco-Capitalista.

eu acho o topico bem fixe, assim poderiamos saber a quantas andamos de ideologias no forum

fiquei curioso tambem por saber quem sao os fascistas, nunca pensei que o jonathan fosse, mas andam aí 2 ou 3 marmanjos que desconfio lool

Direita Liberal.

Acredito na intervençao pontual do governo no mercado. Acredito que o governo deve regular a economia em termos limitados.
Acredito num sistema democrático multipartidário. Acredito que a democracia representativa é a melhor dentre as alternativas reais.
Não acredito na partidarização do governo.
Acredito na alternância sadia de poder entre partidos, exceto se o partido no poder não acreditar nisso.
Não gosto da supremacia do executivo sobre o legislativo e o judiciário.
Acredito que o governo deva ter em suas funções promover a igualdade de oportunidades.
Acredito que o governo deva focar em saude, educação e defesa.
Desprezo aqueles que propoe uma guerra civil como meio de reformar a sociedade.
e por aí vai.

Eu votei no fascismo, por falta de outra opção, e provavelmente deveria ter assinalado “outro”. Embora ainda não tenha estudado todos os volumes acerca do Integralismo Brasileiro, creio que me definiria como integralista. "Defenderia o princípio de que uma sociedade só pode funcionar com ordem e paz, no respeito das hierarquias sociais, fundamentando-se para isso nas aptidões e nos méritos pessoais demonstrados (em oposição às doutrinas igualitárias saídas da Revolução Francesa, como o socialismo, comunismo e anarquismo), e na harmonia e união social"¹

Sim, eu sei que nunca vivi num regime sem liberdade de expressão, sem direitos pessoais e sob a opressão de um Ditador e seu governo, e tantas coisas terríveis que atribuem e irão atribuir, mas sinceramente… Vejo como preferível viver numa concepção de extrema direita baseada no integralismo brasileiro, do que: viver reclamando do Governo, vendo os políticos roubarem e não pode fazer nada; trabalhar 1/3 do ano para pagar impostos, e não receber os benefícios na saúde, educação e segurança públicas; vendo seus compatriotas não terem o mínimo de patriotismo e civismo; e observar a decadência moral da sociedade, onde as pessoas estão se matando por causa de 5 reais ou menos.

******

Creio, que até o Dr. Enéas provavelmente encontrou certas verdades no Integralismo… De qualquer forma, ao menos ele defendeu um nacionalismo brasileiro.
ENÉAS WINS!

¹ - Princípios do Integralismo, na Wikipédia.
² - Negros e mulheres no integralismo, no artigo da Ação Integralista Brasileira da Wikipédia.

Mas carrega o princípio da xenofobia, que pode ser tão perigoso ou prejudicial quanto. E minha opinião: o facismo, assim como o comunismo, morreram no século XX.

Anarquista e socialista no sentido clássico do termo (antes de Karl Marx).