Base do II Exército Real Draconiano

[justify][size=150][tab=30]Criada quando da fundação da antiga Vila de Draco, a Patrulha Draconiana mantém vigilância sobre a fronteira oeste do Império desde então.

[tab=30]Myrce localiza-se no chamado “Passo de Myrce”, um caminho difícil e perigoso localizado ao norte das Montanhas Dracônia. Embora há muitos anos haja patrulhas entre a Vila de Myrce e Firgen, somente há pouco uma base oficial foi estabelecida na cidade. Antigamente a 3ª Companhia era o destino de patrulheiros considerados problemáticos e enviados para longe da civilização para “esfriarem a cabeça”, embora tal decisão não tenha mais sido necessária em muitos anos, de forma que grande parte dos patrulheiros que servem aqui são recrutas, sendo testados nas mais diversas adversidades, suportando patrulhas constantes no calor fustigante do Deserto da Perdição e nos gélidos, estreitos e perigosos caminhos das Montanhas Dracônia, para que sejam admitidos como verdadeiros Patrulheiros.

3ª Companhia da Patrulha Draconiana - Blæc Draca Werod (Companhia Dragão Negro)
[tab=30]Efetivo total: 400 patrulheiros
[tab=30]Efetivo fixo: 300 patrulheiros[/size][/align]

[center]Silverius chega com sua roupa social após alguns dias de cavalgada até o destino e algumas pausas, os soldados já estavam em posição para saudar seu novo comandante.[/align]

Após Silverius inspecionar as tropas ordena imediatamente : BATALHÃO, FORMAÇÃO CENTRAL… EM FILA… MARCHEM!

Os soldados que estavam assustados pois não era comum marchas em pleno ano como esse, discutem entre si… O capitão responsável reitera a ordem : NÃO OUVIRAM O COMANDANTE? SEM MOLEZA… MARCHEM!

[center]Todos que já estavam com suas armas em punho, marcham freneticamente em ordem pelo pátio do batalhão em direção a um longo campo ao lado[/align].

O populacho que acompanhava atentamente tal alarde sem comparação assustado, pensando que algo de errado estava para acontecer depois de alguns minutos batem Palmas em direção ao marcha orgulhosos da nação e sua militarização proferida nesse setor pelo novo comandante silverius.

Silverius já com seu uniforme militar assentado em seu cavalo manga larga marchador branco, olhando atentamente para as tropas marchando grita : BATALHÃO, MARCHEM… MARCHEM POR GESEBIA, MARCHEM PELO CHANCELER VALEYARD GRANDE PATRIOTA DA NAÇÃO, MARCHEM PELO KAISER! VIVA O REICH!

O batalhão já acostumado depois de alguns minutos marchando ao estilo imposto pelo comandante, e dizendo as palavras proferidas : VIDA LONGA AO REICH! , se posicionam frente ao portão da base.

O comandante silverius juntamente há alguns capitães montados em seus respectivos cavalos embanham suas espadas e em direção às tropas novamente gritam : POR GESEBIA!.

Quase automaticamente as tropas saudaram o grito.
O povo que acompanhava atentamente, batiam palmas sem igual.

Um mensageiro da Central de Telégrafos chega a Base, logo ele se dirige á um dos oficiais que o leva até o Comandante da base, então ele entrega ao comandante um telegrama.

Silverius que após o pequeno preparo militar estava em seu aposento escrevendo alguns versos para sua amada na França recebe um telegrama de seu oficial e o abre vendo que o emitente era o Chanceler Valeyard, após a leitura Silverius entrega o mesmo para que fosse queimado e se dirige até um de seus cavalariços: - Arrume meu cavalo, terei de ir a capital rapidamente para resolver alguns assuntos de extrema importância pessoal.

Após vestir sua roupa social, Silverius monta em seu cavalo e parte para firgen, para pegar seu vapor.

[mod=“Stephano”]OU VOCÊ MATA O NERO DENOVO, E INTERAGE SÓ COM O SILVERIUS, OU VOCÊ MATA O SILVERIUS E INTERAGE SÓ COM O NERO[/mod]

Uma mensagem chega a Base:

[size=125] Chegando na base, entrou no gabinete e vejo dois oficiais.

-Bom os senhores estejam aqui, não tenho muito tempo e serei, irei para Firgem. Tive conhecimento a Carabinieri estão quase na fronteira entre Draconia e Romania, então, quero todos patrulheiros prontos a irei para Wiccian Dun, todos os 150. Ambos concorda. -Ótimo. Em seguida, Hoken se retira do prédio da base, monta em seu cavalo e vai em disparada para FIrgem[/size]

[size=126] Godric e Charlie uns do oficial da terceira companhia que no momento estava caminhando na base, começa conversa.

-Sera que Hoken vai volta de Firgem?

-Não tão cedo, mas teremos que volta a patrulha, a possível invasão romaniana da aqueles civis armados eram falsa.

Um camponês de veste comuns que aparentava estar cansado chega a base, com auxilio de um patrulheiro começa fala.

-Norþ Særima foi … Foi atacada.

-[i]Que droga; Godric, retorna as patrulha, irei a vila e manda um patrulheiro a base de Firgem relatando o aconteceu e para evita novamente, envia 15 patrulheiros permanente a Særima e  Hinceal.[/i]

-Certo. disse Godric[/size]

[size=126] Chegando a Mryce, depois dormido em uma pousada de Wiccian Dun partida logo de manha vou para Mryce, ao chega meio dia na base da terceira companhia da Patrulha. Primeiramente vou ao gabinete para envia carta ao almirantado em seguida peço para todos oficias estejam na sala de reunião da base, que nunca foi utilizada ou poucas vezes, consequentemente suja, mas nada que resolva limpeza de 10 patrulheiros.
Ao adentra na sala, vejo oficias da Patrulha, que eram George Edward, um homem meio gordo e os seus 33 anos, Callum Gregory, tinham seu bigode e seus 27 anos de idade, Nicholas Matthews, tinham apenas 23 anos praticamente o mais novo entre oficias da terceira companhia, Freddie Dawson, seus 55 anos de idade que ainda era forte mais já mostravam sinais da idade avançada como barba e cabelo branco e ainda calvície, Frederick S. Schriver era conhecido pela sua formosa Costeleta e nos seus 35 anos, e Michael D Harrington tinham barba igual do Pedro II e apenas aos 40 anos de idade. Ao entrar todos levanta, realiza continência em seguida falou -Descansa - Os mesmo se senta à cadeira e todos retira o elmo colocando colo, Caminho lentamente ao centro da mesa, rapidamente dou uma lida em umas anotações e levanto da cadeira, começo fala.

-[i]Senhores aqui presente, o que irei dizer aqui será ultrassecreto e nenhuma informação poderá ser vazada, e se for, todo aqui estará na cela, mas antes para ter certeza, Frederick esvazie todo prédio, coloque todos os patrulheiros em guarda na porta da base, ah, ninguém poderá entra.[/i] Logo apos realiza o que foi requisitado. Voltou fala

-[i]Um momento de guerra se aproxima, nos da terceira companhia da patrulha temos responsabilidade em protege umas da paisagem para império, fato conhecido como sequestro do conde de Dunord, e pouco conhecido ataque de piratas aos pecadores da vila Norþ Særima e ainda... Estive conversa com duque, as coisas no deserto não andam muito bem, existe um khanato que é governado pelo Khan Tömöbaatar esta enfrentando uma revolta-[/i]  tomou pouco de agua e volto fala - [i]Esta revolta é apenas um quarto da população, porem o mesmo estão ganhando por causa do uso de arma fogo [/i]- logo dou uma respirada -[i] E ainda, os mesmos podem invadir o império.[/i]
-[i]Por isso, irei toma seguinte medida. Irei conversa com comandante geral dos caçadores gardenhos para iniciar operação para acaba com malditos piratas, e ultima coisa, cuidado[/i]. Todos se retiram para suas patrulhas.

[/size]

Depois ter chegado na base as 18h, descansou e vou no gabinete, sentou na cadeira, colocou meus pés na mesa, e começou a refletir e venha frase na cabeça, ‘Se quizer seja bem feito, faça voce mesmo’.

[size=125]Convoco a mesma reunião com mesmos oficias, George Edward, Callum Gregory, Nicholas Matthews, Freddie Dawson, Frederick S. Schriver e Michael D Harrington. Ao adentra na sala, todos levanta e prestar continência em seguinda falou.

Descansar - Todos sentar nas suas receptivas cadeiras e começou fala - Bom senhores, convoquei essa reunião para definir qual será medida para acabar com ataques ‘piratas’ dos sunerianos. Por mais não seja nosso objetivo defender mar do império, não temos noticias que segunda frota irá zarpa e acho que todos tem conhecimento sobre incidente que ocorreu no começou do ano. Bem, esta pensando resolver nos mesmos.

-Esta dizendo que teremos usa alguma embarcação para ataca ‘piratas’ sunerianos? fala Dawson.

exatamente.

-Mas isso não ira trazer problemas para patrulha? fala novamente Dawson.

Isso não importa, o que importa é que temos acabar com esse problemas de uma vez.

-Se esses… piratas tiverem a posse canhões ou outro artefato explosivo? fala George.

Se tiver eles não vão usar contra algo que irão saqueia. Bom para essa operação teremos que usar boa embarcação, que tenha capacidade de tripulação, que aguente bom tempo no mar. Irei trazer meu irmão para ajuda na mesma… praticamente era isso. Nicholas, tem como ir na docas… na poucas que tem para conseguir algum navio pesqueiro para tal tarefa?

-Sem problema resonda Nicholas.

Dispensados
[/size]

[size=125]Na manha, no gabinete da base que no momento estava lendo algum jornal, ate que Nicholas Matthews adentra.

NIchollas, pode entra. - o mesmo senta na cadeira e retira o elmo que em seguida coloca no colo. -Como foi visita a vitimas dos ataques piratas?

-Foi boa, receberam bem, ate deram um jantar, humildes como meu pai, mas ao que interessa, descobri muitas coisas interessantes.

Ótimo, conte tudo, terei que envia essas informações ao almirantado.

-Ok.[/size]

[justify][tab=30]Uma patrulha avista ao longe um grupo de pouco mais de trinta pessoas (mais da metade de crianças) e somente seis camelos. Ao serem interceptados pelos patrulheiros, os sunerianos caem em prantos, felizes por chegarem a uma terra que pensam estar livre de guerras.

Como nenhum dos refugiados sabia falar draconiano foi difícil para os patrulheiros entender o que ocorria, e a tensão foi grande mas, ao final, foi decidido que, após darem água e comida aos sunerianos, os levariam até uma região próxima de Myrce onde comunicariam o Capitão da Patrulha.[/align]

[size=125] Pela manha, ao ver os refugiados, desmontou do cavalo e ordenou ao oficial que estava proximo.

-Matthews, quero todos patrulheiros ajudando os refugiados, rápido, chama todos patrulheiros que estão na base, é uma ordem. - Em poucos minutos todos refugiados estavam na base que estava sendo ajudados pelo patrulheiros como alimento e ajuda medica básica.

me encontrou novamente com Matthews -Irei para Hrimsceald, NIchollas encaminha os doentes para hospital de Wiccian Dun , espero que envie ainda hoje. - Em seguida me retiro, montou em cavalo e vou para Hrimceald[/size]

[justify][tab=30]Chegando à Base, os Patrulheiros ordenam que os caixotes sejam descarregados e deixados à mão.
[tab=30]- Devemos abrí-los? - questiona um dos recrutas.
[tab=30]- Não, as ordens são para aguardarmos os reforços antes de os colocarmos em uso.
[/align]

[size=125] Na manha, saindo do prédio base e vou ate Michael V. Harrington que no momento estava juntos com 40 patrulheiros.

-Todos estão prontos?

-Sim.

-Tem ordem para ir.

Na aquele momento Harrinton e os 40 Patrulheiros que estava em seu comanda parte para Hrimsceald [/size]

[size=120] indo aonde estava posicionadas a gatling gun, junto com NIchollas, chegando no local.

-Essa não esperava, parece ajuda extra na batalha, ei, NIchollas, foram posicionadas de definitivo?

-Não.

-Ótimo, irei ajuda que estou pensando mas se.[/size]

[justify][tab=30]- Bom dia. Sou representante da Construtora Montanha de Ferro e fui informado que poderia falar com o Administrador-Geral aqui. Ele se encontra?[/align]

[size=125] -Sim.- responde secretario mas surpreendido quando saiu do gabinete.

-Bom dia, você é represente da construtura?[/size]

Um homem que chegara na cidade no dia anterior aproxima-se da entrada da base e questiona sobre o Sr. Lokisson.