Carta aberta aos cidadãos, do Conde Luís Barbosa

[i]
[center]CARTA ABERTA AOS CIDADÃOS DO IMPÉRIO GESEBIANO[/align]

Vossa majestade, Imperador Stephano I, vossas altezas, vossas graças, vossas senhorias, vossas excelências, senhores e senhoras:

Venho por este meio, e na qualidade de Conde da Nação e Contra-Almirante aposentado, dar a conhecer, através desta carta aberta, a mistura de sentimentos que se me abatem nesta altura tão conturbada da história do Império.

Como é sabido de todos, eu não nasci nestas terras. Sou emigrante, do longínquo Reino da Lusitânia, terra dos aventureiros que descobriu estas paragens a que hoje chamais de Pátria. Quando aqui cheguei, no final do ano de 2009, encontrei uma pequena comunidade, muito unida e intelectual. Cedo criei laços com estas gentes, que me aceitaram como um deles. Fui um pioneiro, o primeiro do meu país em tudo no Império. Ganhei a minha cidadania através do esforço e suor do meu trabalho, e a minha reputação, como todos podem comprovar, é altíssima nos quatro cantos do Império.

Tive vários cargos importantes [/i](OFF: moderei a secção de HOI por duas vezes, e a de Vitoria por uma vez. Ajudei na construção da WIKIPEDIA GSB, participei em concursos e torneios, alguns organizadors por mim, ajudei em traduções e elaborei muitos guias.), o que muito me honra. Lutei com bravura ao lado dos meus irmãos valentes na tentativa de invasão do Império BF Central. Não sinto que deva algo a este Império, da mesma forma que ele nada me deve a mim.
Chegando nós hoje a este ponto, na iminência de uma guerra civil, não devo deixar escapar a oportunidade de comunicar a todos o seguinte: muito se tem dito, muita tinta tem corrido, sobre as lacunas do Império, mas todos se esquecem do problema principal, que já venho falando à muito tempo, é a mentalidade. A mentalidade “Luso-Gesebiana”
(OFF: leia-se Brasileiro-Portuguesa). A maior parte dos habitantes do Império preocupam-se em saber como beneficiar deste, e não com o que podem fazer em prol dele. Independentemente do Imperador, do Chanceler, ou de outra pessoa/cargo, isto não vai mudar. Este Império estará condenado a não conseguir manter a população fiel (OFF: leia-se manter os users).[i] Aqueles que outrora participavam activamente na vida Imperial estão, na sua maioria, aposentados, imigrados, exilados ou simplesmente desmotivados. A nata da nação partiu, e esta ficou desconfigurada. Então pensei: se o Império não tem remédio para os seus males, então que seja o que era antes, uma comunidade que, embora pequena, era unida, e todos trabalhavam em prol de um único objectivo. Talvez assim conseguíssemos recuperar a identidade perdida, e fazer renascer o Império, para desta vez prosperar.

Assim sendo estou aberto à ideia de revolução no império, mantendo a minha posição neutra na questão política, não apoiando qualquer partido. Até aparecer alguém que me inspire ainda mais confiança, vou manter o meu apoio em Sua Alteza Grão Duque Odin. Contudo gostaria de saber a posição de Sua Graça Conde Mandela nesta encruzilhada.

Antes de terminar gostaria de realçar que não se trata de um ataque pessoal à Sua Majestade Stephano I ou à Sua Alteza Chanceler e Grão Duque Philippus. Em momento algum faltaram para comigo, mostrando-se sempre cordiais e disponíveis para os meus pedidos. Mas esta carta não se trata de mim, mas sim do Império, e para aquilo que penso ser o melhor para ele.

Apelo ao bom senso de todos, para se evitar derramamento de sangue.

Um bem haja a todos,

Conde Luís Barbosa.
[/i]

[center]Em grande parte do que foi dito por Vossa Graça, eu concordo e também gostaria de saber qual a posição de Vossa Graça, o Conde Mandela nesta encruzilhada.[/align]

Caro compatriota Luís,

Eu realmente fiquei muito tocado por suas palavras e acredito que muitos ficaram. Como sempre disse, nosso reino marcou a vida de muitos. No momento estou retomanto ao Império e tentando entender as coisas. É muito bom saber que os amigos ainda estão por aqui. E Vida longa ao Imperador!!

Lucas LUE

As eloquentes palavras do Conde Luis comovem-me. Sinto tal qual sibilar das brumas nostálgicas de outrora. Como exposto em outra declaração recente, “de que vale um castelo novo, porém desguarnecido?”

É com pesar que notamos estas paragens mortas, de fúnebres sínodos que abatem os espíritos fulgidos que anteriormente aqui habitavam. O mal? Um rasteiro nivelamento em busca de um suposta ascensão comercial, que busca detratoras parcerias, investimentos pecuniários, porém ausente de espírito.

Ao menos uma contribuição trouxe meu antigo inimigo Odin: o reviver dos debates. Escusando sua baixa capacidade de levar as coisas adiante, e seu cair às cabeças dos mortais como a espada de Dâmocles, as idéias puderam novamente romper às trevas e alçar o clarão da aurora. O que fazer?

À limpa, porém desestimulante gestão atual, não nos resta mais nada além dos lamentos. Estou velho e cansado, de tanto fincar estacas rotineiramente removidas pelo atual “Chanceler”.

Minha proposta é o algutinamento de toda a velha guarda para debater a questã atual. Quando digo velha guarda digo-lo categoricamente excluindo seres que se pensam assim, inomináveis devido à minha grande e sobejada benevolência.

Aceito até mesmo trocar miudas palavras com o fascista Odin, no intuito de reorganizarmos as coisas, à boa e velha maneira hierárquica de sempre: submetendo os mais novos ao nível imposto pelos que, pela virtude e tempo de atuação, honram a existência deste fórum.

Há uma solução, e ela esta nas mãos dos verdadeiros conservadores, que agora nomeio de “Regressistas”: SMI Stephano, Hans, Luis, Grom, Lue, Lost, Juh, Dudu, Uthred Artnus (In memoriam) Pilatus (in memoriam), além do aloprado Odin.

Um apelo especial à Sua Majestade Imperial e meu amigo pessoal Stephano Santuche Bonaparte: Remova este odioso estado de sítio para que a boa e velha ordem não sucumba às fainas sanguinárias da tirania. Reunamo-nos, na ausência do infame “chanceler” e rediscutamos sua atuação arbitrária e empobrecedora.

Tenho que admitir que os fabulas e devaneios de Mandela me irritam severamente. Eu tenho o pensamento mais logico e pratico. Isso sempre foi o grande entrave entre nós. Mas sempre o respeitei na área dele, no EU e no Vic. Mesmo que ele não tenho o mesmo respeito por mim, e pelas minhas obrigações quando era administrador. Não compactuo de muitas ideias dele. Mas enfim.
Não fosse a minha atitude, praticidade , o fórum ainda estaria estagnado, estaria definhando aos poucos. Consegui, eu e alguns membros da velha guarda, chacoalhar os pilares deste Império.

Caro Luís, sei que sou relativamente bastante novo neste grupo que por muito tempo exalou um nível de intelectualidade acima da media e que serviu de inspiração e inveja para muitas uniões neste universo nem tanto paralelo chamado Internet. Por muito tempo convive entre vocês como um simples anonimo, sem me dar a liberdade de me registrar por me considerar pequeno para tal, me resguardando a acompanhar os debates ou simplesmente para admirar astucias estratégicas em jogos nos quais me identifiquei como Victoria e Europa Universalis. Após me inscrever e me registrar aqui, por muitas vezes me observei empolgado com debates de alto nível cultural e sabedoria que apenas enriquecia a todos os envolvidos no “embate”. Hoje, continuo a acessar e vasculhar este Império vasto diariamente, entretanto me deparo diariamente com declarações de níveis vergonhosos, pouco agregadores. Vejo este império como algo que tenha o objetivo de ser uma comunidade unida e intelectual, e fora exatamente por este motivo que me envolvi no mesmo,infelizmente, atualmente, aqui está longe de ser um antro de discussões de alto nível intelectual.
Espero que ao termino desta Guerra Civil, independente de quem vença, possamos olhar para trás e chama-la de uma verdadeira REVOLUÇÃO,
Grato.

Faço das minhas palavras a do Lord Selton, sou relativamente novo aqui no fórum tempo de cadastro porém desde que comecei a jogar TW venho acompanhando o fórum como anonimo. Confesso que o member que por muito tempo admirei foi o proprio Phill com suas estrategias de TW mas muita coisa mudou, infelizmente não tive a oportunidade de debater ou viver aqui na época da velha guarda, porém meu desejo é que esse tempo retorne e que o fórum se erga novamente. Mas continuo apoiando o Odin meus caros.