Casamata de Stanislau Dmitrievitch Abramov

Se erguia nas redondezas de Gardignon,uma nova estrutura,um tanto rara com uma capacidade de defesa considerável,que mais tarde seria a moradia de um novo cidadão de Gésebia.

Stanislau Dmitrievitch Abramov,descendente da cultura eslava,migrou para Gésebia enquanto ainda estava na barriga de sua mãe,o motivo desda viagem foi que o que sua mãe contou que a região em que viviam era seca com um regime totalitário e opressor,e buscando melhores condições de vida para mim minha mãe e meu pai migram para Gesébia,terra que era descrita como paraíso.
Nascendo em território Gesebiano e à poucos anos se forma cidadão por ter atingindo a maioridade ele já se prepara pra viver no Império.
Stanislau possui um temperamento muito calmo,mas que ao ser levado ao limite se torna uma besta enfurecida,ação que raramente acontece,se formou na Academia Militar em Dunord e pretende se juntar aos fuzileiros imperiais.

Stanislau sempre foi viciado em guerras e na situação militar de Gésebia,logo ele construí um bunker nas redondezas de Gardignon onde se reside,devido a seu vício a assuntos militares ele tem um grande estoque de equipamentos em sua sala principal no bunker,onde mantém vigia dos vizinhos a Gésebia e ao próprio bunker e está preparado para suprir uma pequena brigada de soldados por 5 meses em contenção.Ele possuí grandes abilidades de liderança assim como é um grande estrategista militar e um soldado acima da média,um homem que ao mesmo tempo pode ser côrtes e parecer passivo mas demonstrar o monstro violento que mantém dentro de si.

Após a "chuva"de conhecimento adquirido com a conversa com seu novo colega,Richard Caçador,Stanislau volta a sua casamata e faz a manutenção de seu canhão de artilharia,adquirido pelo seu pai em seu antigo país e trazido junto com sua corveta que antes era de seu pai,após certificar que não há problemas com seu armamento ele
se retira ao seu quarto para ler um livro antigo que descreve doutrinas navais e a melhor forma se comportar durante uma batalha naval.
Ao ler 100 das 947 paginas de seu livro ele deita em sua cama de pedra e dorme profundamente.

Ao acordar para checar a correspondência,Stanislau se depara com uma carta da Marinha Imperial Russa,animado Stanislau rapidamente abre e lê a carta:

Stanislau se alegra ao ver que o navio de seu pai chegou,o seu lhe contava histórias de como ele é aquele navio lutaram contra os mais terríveis perigos do alto mar e sobreviveram,mas ao se lembrar que ele não teria a renda necessária para a manutenção e cuidados do mesmo,decide doa-ló a grande Armada de Gesébia,vendo que ele teria melhor uso lá do que “mofando” no porto.Ao guardar a carta Stanislau encontra uma foto antiga da corveta,em seus tempos de ouro,junto com toda as caractéristicas da mesma.

naviosbrasileiros.com.br/ngb … 11-f02.jpg

C a r a c t e r í s t i c a s

Deslocamento: 726.5 ton.
Dimensões: 56.12 m de comprimento e 50.63 m de comprimento entre pp, 8.46 m de boca, 4.27 m de pontal e 3.55 m de calado.
Blindagem: construção mista, com casco de madeira e ferro.
Propulsão: mista; a vela armada em Galera, com superfície vélica de 778,03 m2; e maquina horizontal a vapor, gerando 200 hp, com iniciada de 750 hp.
Velocidade: 10 nós com velas ou motor.
Raio de ação: 360 milhas à 6 nós.
Combustível: 30 toneladas de carvão.
Armamento: 2 canhões Nordenfelt de 57 mm, 2 canhões Hotchkiss de 37 mm e 2 metralhadoras.(2)
Tripulação: 141 homens, entre oficiais e praças.

[offtopic]Foi mal pelo link,mas o photobucket não que dar upload da foto,mais tarde tento dinovo,senão pego outra foto.[/offtopic]

[size=150][font=Garamond][b]Um jovem que acabara de sair do cartório, passa pela casamata -Até então nunca vista por ele- e a olha de cima à baixo, espantado, só uma coisa consegue sair de sua boca nessa hora:

-A…liens[/b][/font][/size]

Stanislau,comendo seu cafe da manhã na janela da artilharia,observa um jovem olhando para sua casamata,ao vê-lo Stanislau acena para ele sorrindo,pois a expressão dele é justamente o que espera quando alguém olhasse sua casamata.

Ao ver o aceno o jovem fica aliviado, acena de volta, pede desculpas pela expressão facial em que se encontra e segue seu caminho rumo a fazer sua casa

Um mensageiro chega:

[offtopic]se demorar um pouco a chegar dai muda pra segunda de manha blz, pq digamos q to na praia e n sei q horas chego[/offtopic]

Após o rotineiro café com torradas que Stanislau prepara ao acordar,ele se senta em sua velha poltrona de frente para seu antigo canhão russo,após terminar suas torradas ele se serve de mais um copo de café e começa a analisar mais atentamente o projeto do Chanceler…

[spoil]

[/spoil]

Após passar algumas horas analisando-o,ele acredita que já devia falar com o chanceler sobre o mesmo,então ele veste seu casaco,guarda o projeto no bolso esquerdo do mesmo e tranca a porta da casamata,que obviamente era blindada,partindo para o encontro do Chanceler.

[spoil][offtopic]Favor fingir que fiz essa ação lá pelas 9-10 horas,pois eu não havia tempo disponível para postar de manhã[/offtopic][/spoil]

Aproveitando que os construtores que estavam a trabalhar na ampliação da casamata agora estão em uma pausa,Stanislau aproveita para dar uma volta pela mesma vendo como o projeto estava.
O projeto inicial seria de diminuir o tamanho da janela por onde saía o cano da artilharia da casamata para um tamanho onde o cano poderia continuar no mesmo local,mas agora perde sua capacidade de locomover para cima ou para baixo,se tornando uma decoração.O projeto também tem intuito da criação de um piso no subsolo da casamata,onde ficaria o escritório e o quarto de Stanislau,essa mudança é motivada pelo fato de Stanislau agora ser um cidadão importante no Império o espaço anterior da casamata não ser suficiente para guardar todos os contratos/registros é para garantir uma maior segurança vendo que um ladrão poderia invadir facilmente pela janela da artilharia que tem 1 metro de altura.

Depois de uma semana de trabalho o projeto foi concluído e a casamata foi ampliada para um andar no sub-solo.Agora faltava apenas a transferência da mobília para o andar do sub-solo,mas isso ficará para quando Stanislau voltar para Gardignon.

Com a chegada de Stanislau na capital,ele arranja um tempo em sua lotada agenda para arrumar a mobília de sua casa.
Após algumas horas,ele finalmente se decide aonde cada objeto irá ficar e quais objetos serão comprados e avisa sua secretária para dar um jeito,pois ele tinha que se dirigir ao seu gabinete para organizar as papeladas recebidas enquanto ele esteve fora

Um jovem rapaz, trajando terno preto, chega até a Casamata de Stanislau Dmitrievitch Abramov e entrega à um serviçal um envelope contendo a seguinte mensagem…

Um gendarme entrega uma carta.

[tab=30]Como esperado pelo Stanislau,que não volta a sua casamata há meses,ela continua de pé como no dia em que ele partiu,parece que nem mesmo uma catástrofe somada com meses de negligência foram suficientes para no mínimo danificar um pouco o bunker,ou sequer desorganizar o seu interior,que estava tão arrumado como o dia em que a porta foi fechada,mas assim,Stanislau,após fazer uma “geral” na casa,vê que está tudo em ordem e assim ele toma um banho e se deita próxima a janela,vendo a bela vista da recém construída cidade de sua privilegiada visão de cima da colina.

[tab=30]Quando acordou de manhã,a última coisa que Stanislau pensava que podia acontecer era o caos que estava a Pequena Sicília,ele mal saiu de sua casamata para pegar o jornal matinal que,de sua colina ele percebeu a quantidade de gendarmes nas ruas da cidade,e curioso para ver mais,ele usa o seu binóculos da Armada e percebe que uma grande quantidade de crimes havia acontecido ontem a noite…curioso,ele pega seu sobretudo e parte para a cidade.