Contos do Espaço Profundo

Dica: nem menciona eventos e pesquisas que não acontecem nada.

1 Curtida

Estou trabalhando nisso, é q esse já tava escrito faz tempo, mas e a preguiça de postar? :sweat_smile:
O próximo já vai ser mais… interessante… espero…

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XXI
A Nova Era das Explorações
2231-2235
I Parte

Extraído do holo-livro “A Nova Era das Explorações”, de Travis Gilbert

 A segunda metade do segundo mandato do Diretor-Geral Pietro Giordano começou de forma a continuar as explorações espaciais que a Tecnocracia Terrana vinha realizando nos últimos anos.

 Embora a promessa de se vingar das mortes ocorridas em o Ussaldon nunca fosse esquecida, o constante crescimento colonial demandava grandes quantidades de recursos, o que impedia um aumento substancial da frota terrana, já acima do limite considerado administrável. Assim, a Diretoria havia decidido que primeiro seria necessário expandir as colônias e melhorar a geração de energia, bem como a produção de minérios, para só então executar a incursão no sistema Ussaldon.

 Em Agosto de 2231, por exemplo, a colônia de Dimm Prime era concluída e começava a receber os primeiros imigrantes. Além disso, no mês seguinte falecia, de causas naturais, a capitã Yekaterina Ivanova, sendo necessária a promoção da cientista Benedetta Di Savoia para o posto de comando da ISS Wanderer.

 Neste mesmo mês era iniciada a construção de uma nova nave colonial, a ISS Isis, pois a colonização não poderia parar dada a constante necessidade de recursos para a Tecnocracia. Novamente contando com a colaboração dos Lavis, a colonização do planeta Esmyke Prime só viria a ser iniciada, entretanto, no mês de Abril de 2234.

 Outro gasto considerável da Tecnocracia nesse período foi a construção da sexta nave científica terrana. A construção da ISS Khonsu iniciou no mês de Dezembro de 2233 e, quando da sua conclusão, a cientista Alison McCormick foi promovida para sua capitã.

 E a Tecnocracia também teve alguns problemas internos, como quando, em Setembro de 2232, algumas questões políticas no planeta Durabbius Prime acabaram ocasionando a revolta de parte da população, que acabou se voltando, em certo nível, à defesa de uma posição mais Pacifista para a Tecnocracia, em contraponto à nossa histórica posição Militarista.

 Também o crescimento da população obrigava a Tecnocracia a constantemente realizar novas construções para melhorar a vida da população, como a construção da Rede de Energia na Terra em Outubro de 2232 ou os sistemas de Administração Planetária em Wendel Prime e Erdosca Prime, além de Distritos Urbanos em Dimm Prime, em Maio de 2234.

 O governador Vladislav Lazarev também foi o centro de um escândalo quando, em junho de 2233, descobriu-se que ele estava fazendo uso de substâncias psicoativas que aumentavam sua concentração. Embora a Diretoria tenha decidido mantê-lo no cargo apesar de seu vício confirmado, passou a fiscalizar mais de perto as ações do governador.

 Grande também foi a comoção causada pela descoberta de um asteróide em rota de colisão com Dimm Prime, em Agosto de 2234. Mesmo com o envio imediato da Strike Force Scylla para interceptar o asteróide, era desconhecido se ela o alcançaria antes do impacto com o planeta.

5 Curtidas

Enviar toda uma frota não faz ela mais lenta? Sei la, acho que confundo com cavalos e homens a pé heheheeh

2 Curtidas

Como só tenho corvetas por enquanto, e corvetas são as naves mais rápidas, tanto faz, rsrs… Se tivesse outras classes, aí sim, a frota se move pela velocidade da classe mais lenta

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XXII
A Nova Era das Explorações
2231-2235
II Parte

Extraído do holo-livro “A Nova Era das Explorações”, de Travis Gilbert

 Este também foi um período de aumento a expectativa terrana quando, em junho de 2232, no sistema Lehmsa, descobriu-se uma nova forma de vida alienígena.

 Após concentrar esforços na tradução da linguagem destes alienígenas, o contato com eles revelou tratar-se da Ordem dos Curadores, uma antiga ordem responsável por preservar o conhecimento de tempos antigos, uma época em que nossa galáxia era habitada por grandes impérios que depois acabaram sucumbindo e desapareceram.

 O contato com os Curadores revelou serem seres amigáveis e dispostos a dividir o conhecimento acumulado através das eras, tanto acerca das grandes criaturas que habitam o espaço quanto de forma a otimizar as pesquisas da Tecnocracia Terrana. Entretanto esse auxílio deveria ser bem recompensado, pois os procuradores parecem ser propensos acumular grandes quantidades de créditos energéticos para seu uso pessoal.

 Em Setembro de 2233 descobriu-se uma segunda base espacial da Ordem dos Curadores em órbita de um buraco negro no sistema Xulbak’s Maw, dando a entender que pode haver outras bases dos Curadores espalhadas pela galáxia.

 Também surpreendeu a descoberta, em Junho de 2234, de um grande grupo de drones de mineração no sistema Erasmadon, aparentando serem extremamente antigos, mas ainda possivelmente funcionais. A Diretoria decidiu estudar os drones para averiguar se podem ser uma ameaça à Tecnocracia ou não.

 A constante política de expansão levada a cabo pelo Diretor-Geral também promoveu uma mudança significativa nas nossas tradições, após anos nossa população passou a crer ser nosso destino buscar as estrelas e expandir cada vez mais nossa influência através da galáxia.

 No campo de pesquisas a grande descoberta dessa época foi a finalização do projeto da classe de nave Destróier, de tamanho superior às corvetas, mas ainda capaz de ser ágil e ainda mais efetiva em combate. Além disso, a descoberta de enormes propulsores em uma cratera do planeta Dossel, no ano de 2232, possibilitou a engenharia reversa e com isso a descoberta do uso de íons para gerar propulsão iônica para nossas naves.

4 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XXIII
A Nova Era das Explorações
2231-2235
III Parte

Extraído do holo-livro “A Nova Era das Explorações”, de Travis Gilbert

 O que também marcou esse período da história a Tecnocracia foi a constante exploração espacial. Nada menos que 16 sistemas estelares foram investigados pelas Naves Científicas terranas, algo impensável há poucas décadas. Além de muitas descobertas para possíveis postos de mineração bem como estações de energia e pesquisa, o grande destaque destes sistemas foi a descoberta de um mundo Cemitério no sistema Almach e, talvez mais surpreendente, um sistema duplo em Ashyke composto por uma lua Tropical orbitando um planeta Oceânico.

 E, além de todas essas descobertas, que incluíam desde sistemas compostos inteiramente por cinturões de asteróides até buracos negros e Portais desativados, o mais surpreendente foi o grande número de Anomalias encontradas.

 Um adendo: por Anomalias convencionou-se chamar toda e qualquer descoberta fora do que seria considerado normal, incluindo aí sítios arqueológicos e outros resquícios de civilizações antigas, além de formações naturais surpreendentes. O nome Anomalia foi dado às primeiras descobertas deste tipo por se considerar que seriam extremamente raras, o que não é de todo verdade.

 O asteróide 47-1138 no sistema Nodox é uma dessas Anomalias, tendo sido utilizado como um campo de tiro que ainda possui traços de energia residual de diversos tipos de armamento.

 No planeta Almach V descobriu-se um grande oceano abaixo da grossa camada de gelo da superfície. Investigando mais profundamente descobriu-se que esse oceano era rico em vida orgânica.

 No sistema Dossel, grandes dispositivos de propulsão foram encontrados em uma cratera do asteroide 4-044, certamente com o objetivo de, por alguma razão desconhecida, tirar o asteroide de sua órbita. Embora o motivo para tal não pudesse ser descoberto, o estudo desses dispositivos propiciou à Tecnocracia a engenharia reversa necessária para que pudéssemos construir nossos próprios Propulsores Iônicos.

 O sistema Lehmsa, além de ser o lar da Ordem dos Curadores, também apresentou, no seu terceiro planeta, grandes tempestades extremamente violentas totalmente em desacordo com o modelo climático esperado para o planeta.

 Em Anachonus IV, restos esqueléticos gigantescos foram descobertos e, ao investigá-los mais detalhadamente, concluiu-se que pertenciam a um tipo inesperado de nave estelar orgânica. Como e por que essa nave acabou caindo no planeta é desconhecido, mas o estudo desses restos mortais pode alavancar substancialmente nossa própria pesquisa.

 No sistema Rimborth descobriu-se um antigo marcador de inspeção sinalizando grandes depósitos de metais preciosos no planeta, provavelmente deixados por alguma nave de exploração alienígena de uma civilização desconhecida.

 Surpreendente também foi a descoberta de uma cápsula de vida abandonada na órbita de Ashyke IV. Embora bastante danificada, ao abrir a cápsula encontrou-se restos de um alienígena reptiliano que carregava uma fotografia de outro indivíduo de sua mesma raça.

 Inesperada também foi descoberta de que o asteróide HL -3PO, no sistema Soyun, era na realidade um coprólito, ou seja, um pedaço de fezes fossilizadas. Certamente a criatura que produziu esse asteróide deveria ser imensa, talvez ainda maior que o dragão espacial encontrado em Ussaldon.

5 Curtidas

Que cocozão!
Cadê as batalhas?

1 Curtida

Então… Pro dragão eu não tenho condições de nem arranhar ele ainda… Mas… As coisas vão ficar mais interessantes agora… :face_with_hand_over_mouth:

1 Curtida

Cadê a simulação de Battlestar Galactica? Quero ver expansionismo!

3 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XXIV
Ponderações

Extraído dos diários do Diretor-Geral Pietro Giordano

 Nos últimos tempos tenho ponderado se todas as minhas decisões foram as mais acertadas. Por mais que tenha me dedicado a levar a Tecnocracia a patamares que há alguns anos nunca imaginaríamos, teria sido melhor eu ter cedido o cargo de Diretor-Geral para outro?

 Embora no geral todos os nossos planetas estejam se desenvolvendo bem, há alguns casos que talvez devêssemos ter agido de forma diferente. Talvez devêssemos ter aumentado mais nossa capacidade industrial ou expandido mais rapidamente para novos sistemas, talvez devêssemos ter alocado mais recursos na exploração. Mas acredito o que ter agido com um pouco de cautela ao explorar o desconhecido tenha sido o melhor para todos os terranos.

 Na verdade, o que me deixa tão preocupado é o ocorrido em Ussaldon. Não que alguém esperasse que algo assim foi fosse acontecer, mas ainda dói saber que não podemos fazer nada pelas vidas perdidas. Nenhuma projeção indica que tenhamos, agora, qualquer chance de enfrentar aquela criatura, pelos dados que recebemos antes da estação espacial ser destruída.

 Mesmo assim, foi com satisfação que recebi o projeto do novo Destróier Classe-Sabre, embora precisaremos expandir ainda mais nossa capacidade industrial para adicionar algumas dessas naves à nossa frota.

 Os novos Holo-Teatros em Wendel Prime e Erdosca Prime, além do Distrito Gerador em Dimm Prime, foram concluídos e devem permitir que nossas colônias continuem crescendo até que possamos expandir sua capacidade industrial.

 De Soyun chegaram notícias sobre um asteróide que, na realidade, é uma construção alienígena com um interior oco, que provavelmente foi habitado. Estranho, mas interessante.

 Descobriram um novo sítio arqueológico no sistema Riann, ambientes naturais subitamente tomados por triângulos, quadrados, em ângulos que certamente não são naturais. Mais um dos mistérios em nossa galáxia que espero que nossos cientistas possam desvendar.

 Ótimas notícias vindas de Dimm Prime: nossa frota conseguiu destruir o asteróide que ameaçava o planeta a tempo. Um grande feriado foi marcado para celebrar. Como bônus descobriu-se que os restos do asteróide são ricos em minerais e poderão ser coletados e utilizados.

 Uma nova forma de vida espacial foi descoberta no sistema Roolan. Após serem cuidadosamente analisados, descobrimos que esses Tiyanki são criaturas que se alimentam de gases de alguns gigantes gasosos e seu comportamento é considerado até mesmo dócil. Felizmente não são como a criatura descoberta em Ussaldon, mas mesmo assim vamos deixá-los em paz.

 Com a descoberta dos Tiyanki, recebemos uma requisição incomum do diretor do Museu de Exobiologia, solicitando exemplares de vida alienígena. Bom, seria interessante termos exemplares para estudo e exibição, mas não é algo que eu acredito que devamos nos preocupar agora.

 Tive uma reunião muito proveitosa com Qiao Hu, onde ela me informou das últimas descobertas no Departamento de Física sobre Lógica Auto-Evolutiva, e discutimos um novo rumo para o Departamento, decidindo por uma forma de explorar e utilizar os Materiais Voláteis descobertos há alguns anos.

 Hoje recebi notícias do sistema Hiann, onde uma antiga nave militar foi encontrada abandonada sobre na órbita de um asteróide. Investigando os sistemas da nave descobriram seu alvo era um laboratório Xvan localizado próximo. O mais estranho o que esse laboratório se encontra tem um asteróide no sistema Higashik-Ata, que já foi explorado por nossas naves. Mas, sem nenhuma nave de pesquisa próxima, essa verificação terá que ficar suspensa por algum tempo.

 Há séculos ouvimos falar de possíveis efeitos que a inversão magnética pode causar a um planeta, mas nunca conseguimos observar isso in loco. É surpreendente que tal fato tenha ocorrido em Crimdor IV justamente quando explorávamos o sistema. É uma oportunidade que não podemos perder.

 Roolan VII é curioso. Apesar de ser um gigante gasoso vários bolsões de radiação foram encontrados na atmosfera, causados provavelmente por um grande bombardeio orbital. Não fosse isso curioso o suficiente, um fraco final de transmissão foi detectado vindo do interior do planeta.

 Nossa investigação sobre os drones de mineração que encontramos revelaram um método extremamente eficiente de extrair minerais de rochas. Já estamos trabalhando para aplicar estes métodos em nossas próprias estações de mineração.

 Após semanas de discussão interna da Diretoria, consegui convencê-los de oficializar definitivamente meu projeto de expansão. Desde que assumi tenho trabalhado pela diminuição de custos na construção de Bases Estelares, e ninguém pode negar que foi graças a essa política que chegamos à marca de 16 sistemas estelares com presença terrana. Com essa política agora de forma oficial, poderemos continuar expandindo conforme nossa necessidade, sem que os custos se tornem proibitivos.

 Saldana veio conversar comigo, sobre o Departamento de Sociedade. Com os grandes avanços na Clonagem terrana que alcançaram, discutimos sobre seus próximos esforços. Analisando os prós e contras, por fim concordamos que uma propriedade deve ser podermos adaptar os mundos encontrados à vida terrana, invés do contrário. A Terraformação de planetas vêm sendo discutida desde os primeiros contos de ficção-científica do século XX, mas agora, com nossa tecnologia atual, pode ser possível. Apenas terão que desenvolver técnicas para esculpir os planetas da forma desejada.

 A Drifting Leaf enviou o relatório das descobertas em Iruistilia Ia. O que se acreditava ser uma antiga nave de combate guardada em um bunker subterrâneo na realidade é um megacomputador ainda operacional. Depois de contratempos com o sistema de defesa, ao tentarem acessar os dados do computador, captaram um sinal sendo enviado para um local desconhecido. O mais intrigante é que parece que o computador trabalha, durante talvez milhares de anos, tentando resolver um único problema. Instruí que deixassem o computador continuar seus cálculos, talvez algo de bom venha daí…

 Grandes notícias vindas do sistema Zowod. Além de um pequeno mundo Oceânico, a ISS Khonsu encontrou uma nave alienígena de origem desconhecida! Nossos cientistas já estão trabalhando para decodificar as transmissões recebidas. Quem serão? De onde são? Mais importante, o que devemos esperar deles?

 Faz pouco mais de um mês que a Khonsu encontrou uma nave alienígena em Zowod, e agora a Astute, investigando um sinal que vinha de Roolan VII, também encontrou outra forma de vida. Atuando como representante da Tecnocracia, a oficial Charlesworth descobriu que essa forma de vida é “não-corpórea”, algo considerado impossível para a maior parte dos cientistas. Outros encontros anteriores com “sólidos” não foram tão amistosos, e como consequência seu planeta está morrendo. Sua única chance de sobreviverem é migrando para outro planeta, que coincidentemente fica no sistema Wendel. Como podemos nos negar a ajudar e permitir que uma espécie seja extinta? Com todas as nossas naves científicas a muitos anos-luz, começamos a construir uma nova. Após seu trabalho ela também poderá investigar o laboratório Xvan em Higashik-Ata, se tudo correr bem.

 Informações de outro Portal descoberto, desta vez ao redor de um buraco negro. Entretanto, ao ser investigado, há várias diferenças em relação aos outros Portais encontrados. A maior delas é que sua assinatura energética aponta para um único conjunto de estrelas ainda não-mapeado, conhecido como Aglomerado-L. Por que isso, quando os outros parecem todos interconectados? E por que, ao contrário dos outros, que apenas estão desativados, este está definitivamente lacrado, segundo nossos cientistas? O que há nesse Aglomerado-L para que isso fosse feito?

4 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XXV
Contatos Imediatos

Extraído dos diários do Diretor-Geral Pietro Giordano

 02 de Dezembro de 2236 ficará marcado para sempre na história terrana. Não somente por ser a data que travamos contato com outra espécie alienígena, afinal os Lavis já vivem entre nós há anos. Mas por ser a data em que encontramos outro império galáctico.

 Com a tradução dos sinais da nave espacial, ficamos sabendo que ela pertence à Comunalidade Unida Rak’Thalak’Naki, uma espécie que poderíamos descrever como semelhantes aos répteis terranos, espalhada por mais de 20 sistemas estelares.

 A notícia desse contato se espalhou rapidamente entre a população, dividida entre esta ser uma oportunidade única e uma situação que exige cautela. De minha parte, concordo com ambos.

 Contatei o Chanceler Vitarax. Foi uma conversa em que pude conhecer um pouco mais a índole da Comunalidade. Partilham nosso Materialismo, embora mantenham uma sociedade Igualitária e um tanto Xenófoba, governados em uma espécie de Democracia Direta. Ao fim da conversa, ofereci um acordo comercial, algumas toneladas de minerais em troca de quaisquer comunicações que possuíssem com outras civilizações. A resposta não poderia ser mais surpreendente.

 A Comunalidade aceitou a oferta, e logo recebemos as frequências para contatarmos a Autoridade Cevanti e o Regime Tumbator. Logo tratei de fazer contato com essas duas novas civilizações.

 Mas a administração da Tecnocracia não pode parar. Enquanto organizava as comunicações, fui informado que a ISS Pathfinder foi concluída. Conversei com o capitão Jian Kong e o informei das missões que verá realizar com a maior brevidade possível.

 A Autoridade Cevanti são humanóides Militaristas como nós, mas de tal forma que isso está presente em seu dia a dia, juntamente com sua tendência Espiritualista, formando um Regime Militar não equiparável aos da história terrana.

 Repeti a proposta realizada à Comunalidade ao Grande Marechal Darmulla, que prometeu considerar o pedido.

 O Regime Tumbator mostrou-se também serem Materialistas, mas percebe-se que também são extremamente Autoritários. Mesmo assim, as negociações com esses mamíferos, através do Primarca Sok J’Dallot, correram bem, melhor até que com as outras civilizações.

 Quando estabelecemos contato com a Consciência Norillga, foi uma surpresa. Não somente pelo fato de serem uma espécie moluscoide, como também por sua consciência coletiva. O mais próximo que podemos imaginar em um paralelo terrano talvez seja como se formassem uma colméia de abelhas ou uma colônia de formigas, é impressionante. Também impressionante foi sua abertura para o contato, sendo uma espécie tão diferente de nós. O representante da Mente Colméia Glorim foi muito receptivo e curioso.

 Embora a Consciência não pudesse fornecer nenhum outro contato, o que nos leva a pensar se somos apenas nós os habitantes da galáxia, descobrimos dois planetas que possuem outras espécies inteligentes. Em Ispyria IVa, os Keerim vivem no equivalente da Idade Média terrana, e em Oshimir II os Zik-Mak ainda se encontram na Idade do Bronze.

 Estive preocupado nos últimos tempos sobre minhas ações à frente da Tecnocracia. Hoje, só posso agradecer por ter tido a oportunidade de estar aqui, ao travarmos contato com quatro grandes civilizações galácticas. É fabuloso.

5 Curtidas

Talvez trabalhe por 5 milhoes de anos, e o resultado seja “42”.

4 Curtidas

@MBHM Muito provavelmente! Ou quando estiver em 99%, caia a conexão :face_with_hand_over_mouth:

3 Curtidas

Agora a coisa ficou realmente interessante!

1 Curtida

É agora teremos treta?

2 Curtidas

Em meio a militaristas e xenófobos… Diria q essa é uma boa possibilidade…

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XXVI
Expansão Planejada

 Portal Última Hora, 10 de Janeiro de 2237

 O governo terrano apresentou hoje o novo Projeto de Expansão de Fronteiras, em resposta aos recentes contatos com espécies alienígenas.

 O Diretor-Geral disse, na apresentação, que a razão para esse projeto é “a necessidade de garantir uma área de controle terrano que permita mantermos nosso constante crescimento”, mas fontes sugerem que a verdadeira razão é o fato de, apesar dos contatos terem sido amistosos, nossos novos “vizinhos” aparentam possuir tendências expansionistas e, portanto, é imperativo conter seu avanço o máximo possível.

 Dentro do mesmo ínterim, foram anunciadas a construção de uma nova Indústria Civil em Bregglar III, para normalizar a produção de Bens de Consumo, e o início do projeto de colonização de Higashik-Ata IIIa.

 Portal Última Hora, 06 de Fevereiro de 2237

 Membros da Diretoria ficaram perplexos quando, sem nenhuma razão aparente, o Regime Tumbator decidiu fechar as fronteiras para naves terranas.

 O governo ainda avalia possíveis impactos desse anúncio e se deve tomar alguma ação em resposta.

 Rede Terrana de Notícias, 17 de Março de 2237

 Atendendo a um pedido realizado pelo Museu de Exobiologia, a tripulação da LSS Seeking Leaf conseguiu capturar um espécime de tarblac.

 Após uma extensiva missão no oceano de Ashyke III a criatura, capaz de emitir fracas rajadas psiônicas como forma de defesa, foi transportada para a nave em um tanque especial com água de seu ambiente natural.

 Alguns tripulantes precisarão de terapia para superarem os efeitos psiônicos da criatura, mas sem maiores danos, de forma que a missão foi considerada um sucesso.

 Periódico Independente de Ciências, 14 de Abril de 2237

 A ISS Wanderer fez uma descoberta surpreendente no sistema Crimdor, ao inspecionar uma área do cinturão de asteróides.

 Investigando uma reflexão incomum do sistema de varredura no asteróide NCC-TS-8, a ISS Wanderer descobrir que o núcleo do asteróide é formado por Cristais Raros, extremamente valiosos para a produção de lasers e equipamentos eletrônicos.

 Rede Terrana de Notícias, 15 de Setembro de 2237

 Chegou ao fim a epopeia dos Dathnak. Após o contato inicial com essas criaturas incorpóreas, e o pedido de socorro feito à Tecnocracia, finalmente concluiu-se a realocação deles para Wendel VI.

 Apesar de uma certa confusão em relação aos seus benfeitores, visto que os Dathnak não vêem muita diferença entre nós, seres físicos, eles demonstraram estar extremamente agradecidos pelo nosso auxílio.

 Portal Última Hora, 13 de Outubro de 2237

 Seguindo o definido pelo Programa de Expansão de Fronteiras, uma nova Indústria Civil começou a ser construída em Durabbius Prime. O crescente crescimento da população da Tecnocracia e o aumento da demanda por bens de consumo foram os principais motivos da escolha desse investimento, segundo o governo.

 Também foi anunciada a construção de uma nova base estelar no sistema Ellor, a primeira com fins de expandir nossa fronteira com a Comunalidade Unidade Rak’Thalak Nak e a Autoridade Cevanti.

 Portal Última Hora, 04 de Março de 2238

 Após mais de um ano de indefinição, o Regime Tumbator decidiu reabrir as fronteiras com a Tecnocracia Terrana. Especialistas acreditam que o ato foi uma tentativa de avaliar a posição da Tecnocracia em relação aos conflitos internos do Regime.

 Portal Última Hora, 30 de Março de 2238

 A ISS Khonsu descobriu, ao investigar sinais vindos do planeta Etan Stela VII, um antigo abrigo de uma raça desconhecida de alienígenas.

 Apesar de tecnologicamente avançados, a Capitã Alison McCormick acredita que uma grande catástrofe planetária tenha aniquilado a espécie.

 Uma grande quantidade de dispositivos de armazenamento de dados foram encontrados, e aguardam decodificação para entendermos melhor o que ocorreu no planeta.

 Portal Última Hora, 23 de Abril de 2238

 A LSS Seeking Leaf descobriu, em Lambda Serpentis IIIa, uma grande área escrita na superfície da lua. Traduzindo, parece ser a crônica da vida de um mercenário alienígena. A razão para o feito, entretanto, é um mistério.

 Rede Terrana de Notícias, 25 de Abril de 2238

 Investigando os laboratórios Xvan no asteróide 425-AT, a ISS Pathfinder coletou diversas filmagens das câmeras de segurança da instalação. Nestas filmagens, rebeldes invadem as instalações e são atacados por algo não identificável, contido somente quando um dos cientistas aciona o sistema de emergência.

 Apesar de chocante, nossos cientistas conseguiram extrair dados sobre Materiais Supersólidos, que poderão ser extremamente úteis em projetos de engenharia no futuro.

 Portal Última Hora, 22 de Maio de 2238

 A ISS Drifting Leaf investigou o sinal descoberto próximo a restos de naves militares em Urakhannon’s Maw, descobrindo um sistema de interferência construído por um antigo império galáctico, provavelmente com o fim de reativar o Portão-L em órbita desse buraco negro.

 Embora sem pistas do que destruiu essa antiga frota alienígena, acredita-se que o sistema de interferência possa ser consertado, e assim possamos descobrir qual a finalidade do Portão-L.

 Portal Última Hora, 28 de Maio de 2238

 Em uma incrível coincidência do destino, a ISS Wanderer descobriu que uma das luas de Crimdor VI está prestes a se chocar com o gigante gasoso, após sua órbita decair lentamente ao longo de milhões de anos. A Nave Científica já está se preparando para gravar esse evento extremamente raro e avaliar seus efeitos.

4 Curtidas

Cadê a treta? Fui tapeado…

2 Curtidas

E eu achando que agora ia à guerra…

2 Curtidas