[EMPRESA] Conglomerados Dragão Azul

[center]Estátua de Sir Alexander Drake, em frente ao novo prédio[/align]

[justify][size=150][font=fantasy][tab=30]Com a herança recebida de Sir Alexander Drake, constituída de diversas empresas por praticamente toda Gesébia, o Duque Alexander Di Draconi decidiu que o melhor seria centralizar todas as operações, de forma a tornar o controle, tanto administrativo quanto financeiro, mais fácil de ser realizado.

[tab=30]Tendo permanecido na capital por anos, após o retorno em definitivo do Duque para a Dracônia, foi comprado um grande prédio no centro da cidade de Firgen, o centro econômico do Ducado. Encontrou um local perfeito: o prédio original do Banco da Dracônia. O mesmo foi comprado e reformado, processo que durou algumas semanas, até que tudo estivesse pronto para a abertura.[/font][/size][/align]

[center]Vista geral da sede[/align]

[justify][size=150][font=fantasy][tab=30]Os Conglomerados Dragão Azul, como ele batizou a empresa, é responsável por toda a burocracia, incluindo-se aí a contratação de empregados, cálculo e pagamento de impostos à coroa, das empresas pertencentes ao duque. Obviamente cada gerente/capataz possui autoridade total sobre a empresa em que trabalha, podendo negociar livremente sua produção sem necessidade de autorização do Conglomerado, mas as decisões do mesmo possuem prioridade pois, na maioria dos casos, envolvem mais de uma das empresas.

[tab=30]Os Conglomerados também possuem seu próprio sistema de mensageiros, formado por algumas dezenas de cavaleiros estacionados por toda Gesébia, de forma a tornar mais rápidos, na medida do possível, as decisões do mesmo.[/font][/size][/align]

[center]Sketch da fachada feita por um artista local[/align]

[justify][size=150]Dados Empresariais:
[spoil]Razão Social: Conglomerados Dragão-Azul
Conta-Corrente: J018-1
Tipo e Porte: Serviço Grande (8)
Matéria-Prima Necessária: Papel
Contratos de Compra: -
Importações: Papel
Serviços: Centralização Administrativa e Comercial das empresas do Duque Alexander Di Draconi
Funcionários: -
Proprietário: Duque Alexander Di Draconi[/spoil]

[offtopic]Acredito que esse cargo de Assessor Jurídico seja uma indireta[/offtopic]

Eis que adentra um mensageiro, um rapaz com apenas 12 anos

  • Senhora! - diz ele beirando a mesa da secretária - o Senador Julio Cesar me pediu para entregar esse bilhete para o Chanceller, a senhora podia entregar pra mim.

Entrando apressadamente na Sede dos Conglomerados, o Marquês dirige-se diretamente a seu escritório, que fora, na realidade, pouquíssimo utilizado desde a fundação da empresa, e começa a redigir algumas ordens e cartas para serem enviadas.

Depois de tratar dos assuntos da sua nova agência de advocacia, Flávius se dirige aos conglomerados para tratar de alguns assuntos relativos a mesma.
A chegada, é recebido pelos funcionários e um deles que lhe informou ser a sua secretaria indicou-lhe a sua sala de trabalho, chegado a sala, ele mais a sua secretaria começaram a tratar dos papeis da Empresa, não só financeiros mas também jurídicos!
A primeira coisa que faz é emitir um parecer:

[size=150][font=Century Gothic]

[/font][/size]

Em rápida visita aos Conglomerados, o Marquês adentra o escritório e solicita falar com o senhor Tigrisbellator, no que é prontamente atendido. Após ser recebido na sala do mesmo, ele se senta e começa a falar:

  • Meu caro Flavius, vejo que vosso período de estudo com os monges realmente deram resultado, cada vez mais vejo a hombridade e honestidade de vosso velho pai estampada em vosso jovem rosto. Mas serei breve… como infelizmente ninguém se candidatou à vaga de Diretor Comercial, decidi indicá-lo para a mesma. Se, porventura, quiseres delegá-la para alguém, esteja à vontade, mas por enquanto está no comando total dos Conglomerados e das empresas pertencentes ao mesmo, respondendo direta e somente a minha pessoa.

Uma mensagem e entregue a secretária do marquês hiryuu:

Flávius depois de ter tratado de umas papelada, recebe o marques e trata de uns negócios com ele.
-Claro meu caro Marques, terei muito gosto cuidar do cargo de Director-Comercial, será um prazer trabalhar para o sr. e ajuda-lo agora que o sr. é preciso mais que nunca como chanceller devido aos últimos acontecimentos, eu não sou muito de politica meu ramo é as industrias do império mas apesar de não ligar muito a politica fique a saber que irei estar sempre no seu lado visto que para alem de ser meu Marques direito e meu patrão é também meu velho amigo desde de a morte do meu pai e apesar de ter aprendido muito com os monges, aprendi muita coisa consigo!
Flávius despede-se do Marques que sai da sala e Flávius recebe logo nessa mesma tarde antes de se retirar dos conglomerados, uma carta do Senador Supah e logo a seguir trata dos negócios referentes a carta!

Uma carta é entregue nos escritórios do Conglomerado:

Mais uma carta chega:

[tab=30]Um mensageiro da Comphania de comércio deixa uma carta para a secretária de Hiryuu.

Uma ordem do marquês, juntamente com uma carta do mesmo, chegam para o Diretor-Comercial dos Conglomerados:

A carta resposta é entregue à Hiryuu.

[offtopic]Sim, não tenho gerentes, mas não posso postar como eu mesmo, porque teoricamente ainda tou no Palácio do Juramento esperando a reunião…[/offtopic]

Eu como Eyrikr Darkson of Sarkon, tive vida militar então armas é minha especialidade. Quero começa uma fabrica de armas porem não vou conseguir dinheiro para compra ‘‘baracão’’ e outros armazéns,fazer linha de montagem, pagar salários dos funcionários, importa matérias primas que vai ser temporário porque vou ter minas pólvora e pouco mais tarde de outros metais, Alem vo precisa de reserva algum dinheiro para imprevisto só que seguinte não sei quantos tudo vai custar.
As primeiras armas que vai ser produzida é VAEY M1889, olha imagem desta linda arma

Quero fazer pedido ao senhor Alexander Di Draconi, quer investir nesse grande projeto?

Conferindo os assuntos dos Conglomerados após votar, o Marquês lê com uma pequena indagação a carta recebida de Firgen. Sentando em sua escrivaninha e pensando por um momento, ele escreve uma resposta, e ao retornar para o Palácio dos Marqueses a envia pelo Telégrapho.