[EMPRESA] Corporações Valeyard - Filial (FECHADA)

[center]VALEYARD INDUSTRIES[/align]

Fundada na data de 29/10/1890, a Valeyard Industries nasceu da clara necessidade de modernizar a gestão e a administração das propriedades do Sr. Aidan Valeyard, sendo inicialmente composta pelas Minas de ferro, Mauá e Sovngarde, Minas de Chumbo Remus e a Davros Metais&Cia.
Além de contar com funcionários bem treinados e as mais modernas instalações, a Valeyard Industries também está em uma das melhores localizações da capital, próxima a Praça Hans e ao Palácio do Juramento, o edifício que abriga a sede da Valeyard Industries é o primeiro do seu tipo, inspirado na arquitetura das grandes metrópoles da América do Norte, o Edifício Arcadia foi o primeiro “arranha-céu” de Gesébia.
A Valeyard Industries além de administrar as empresas do Sr. Aidan e cuidar dos acordos das mesmas, a V.I também é responsável pela ampliação do “Império Econômico” através da compra de ações, todas as empresas onde a Valeyard Industries tenha mais de 50% das ações, deveram fazer suas contratações e acordos aqui, na sede da V.I.
Com a expansão do grupo na romania, fora criada uma filial para cuidar das operações na região. Em meados do ano de 1891 uma crise econômica atingia o Império, com a crescente crise a então Valeyard Industries implementou uma ampla reforma que culminou na fusão de várias empresas sob sua administração, bem como em uma ampla reforma na própria Valeyard Industries que passou a se denominar Corporações Valeyard, parte desta reforma foi a mudança da sede da corporação para a cidade de Áquila, tornando-a assim a base de operações das Corporações Valeyard. Hoje a sede das Corporações Valeyard se localiza próximo ao Palácio Real e a Praça Philippus I, o edifício sede da C.V. se destaca dos outros devido a sua recente ampliação que lhe concedeu um espaço muito maior bem como a instalação de novas comodidades para os seus funcionários como o elevador e a eletricidade.

[center]Edifício Arcadia, filial da Gardenha[/align]

Após uma longa viagem, finalmente o Sr. Aidan chega a Gardignon, assim que chega ele nota o grande progresso que os trabalhadores fizeram na construção em uma das ruas que levavam a praça hans.
Assim que chega ele dispensa a Sra. Hamsom pois ela era mais necessária na Pousada.

Boa tarde chefe, vejo que avançaram muito, já sabes quando ficará pronto?

  • Infelizmente eu na sua posso lhe dar um prazo, o tempo está muito imprevisível e isso está atrasando as obras.

Huum entendo, mas quero que isso fique pronto logo, tens um cronograma a cumprir.

  • Sim senhor.

Após um longo e exaustivo dia, o Sr. Aidan chega a sede de sua empresa, logo ele é cumprimentado por todos e recebe muitas declarações de apoio a sua campanha, ele pega o elevador e vai até o seu gabinete no último andar, um local magnífico.
Após cumprimentar a sua secretária ele se dirige para a sua sala.

[font=Century Gothic]Está na hora de terminar com está papelada, Sra. Missy me traga um café por favor - diz o Sr. Valeyard após se recostar em sua cadeira e ascender um charuto.
Tudo está acontecendo como eu planejei - diz o Sr. Valeyard ao se dirigir a janela de seu gabinete, em seguida ele retira o quadro que fica atrás de sua mesa e inseri uma combinação no cofre que lá se encontra, logo em seguida ele retira alguns documentos de sua maleta.

Aquele Sr. Salvatore é um bom homem, ele sabe como negociar mas não confio nele para deixar tais documentos desprotegidos, mas confio nele para garantir a aniquilação de meus inimigos - logo após dizer isso ele guarda os documentos, tranca o cofre e coloca o quadro em seu lugar.

Obrigado Missy, se não tiver mais nada para fazer podes ir embora, não precisarei de mais nada.

  • Estou indo então, até mais Sr. Valeyad.[/font]

Assim que chega na Valeyard Industries, Luciano deixa seus seguranças na porta do prédio aguardando, Mayers havia ido para a casa de apostas e Beny tratar de negócios no sobrado.

  • Bongiorno mi signora, vim para falar com senhor Valeyard, diga-lhe que é assunto de estrema importância para ele.

A secretaria pede que o mesmo aguarde enquanto ela verifica se o senhor Aindan pode atende-lo.

Após uma longa noite revisando alguns documentos e cuidando so seu plano de governo, o Sr. Aidan acabara pegando no sono, mas fora acordado por sua secretaria que lhe informou sobre o homem que o aguardava.

Deixe o entrar e traga café para nós.

Enquanto e aguardava o visitante, ele se arrumara e tomara um gole de scotch.

Assim que adentra, Luciano cumprimenta o senhor Aidan.

  • Bom Dia senhor, pelo visto não foi só eu que passei a noite longe de uma boa cama? Bom senhor vim aqui para lhe dizer que já transferi metade da Bona Fortuna II para o o senhor e já arrumei a contabilidade da mesma, atualmente o senhor tem G$s 54.000 de lucro com ela. Mas o motivo principal de minha visita não é esse, um conhecido meu imigrante que reside em Áquila, ficou sabendo que 3 homens aparentemente armados adentraram em uma de suas empresas.

Luciano tira um papel do bolso para ler as informações passadas.

  • Café Libertà, esses 3 homens adentraram no Café Libertà e anunciaram um assalto, não roubaram nada mas perturbaram e ameaçaram clientes, existe até a suspeita que o candidato Supah sofreu uma tentativa de assassinato. Bom tudo ainda são boatos para mim, mas são boatos de inteira confiança até o momento, a única certeza é que 3 homens armados invadiram sua empresa. E então quer que resolvemos isso?

Um ataque há uma das minhas empresas? Inaceitável - diz o Sr. Valeyard enquanto se levanta e vai para a janela.

Sr. Salvatore eu quero que encontre esses criminosos e se livre deles, quanto ao Sr. Supah… fique de olho nele.

  • Certo, o senhor quer traga um dos responsáveis aqui para que o senhor mesmo o puna, ou quer que resolvemos? Já enviei homens até Áquila para averiguar tudo.

O Sr. Aidan abre a gaveta de sua mesa e pega um charuto e o acende.

Huum… creio que vossos associados podem resolver isso sem a minha presença. Se livre deles de uma forma que não haja qualquer ligação comigo.

O senhor é mais eficiente do que eu imaginava.

  • Ainda teremos muitos lucros desse nosso Sindicato senhor Aindan. Meus homens iram resolver esse problema em Áquila e deixaremos um recado para os próximos.

Concordo, se o senhor não tiver mais nada para falar então me deixe a sós tenho que repor o sono perdido hohohoho - diz o Sr Valeyard

Luciano comprimentando o senhor Aindan, se retira para seus a fazeres.

Sra. Missy estou indo embora, assim que sair tranque tudo, irei para a sede do Partido resolver algumas pendências antes de ir para casa, boa noite.

  • Boa Noite Sr. Valeyard - diz a Sra. Missy enquanto tranca a sala do Sr. Valeyard e se prepara para ir embora.

Após deixar a pousada, o Sr. Valeyard vai para a Valeyard Industries, novamente ele encontra alguns apoiadores de sua campanha no caminho e os cumprimenta, ao chegar no edifício arcadia, o Sr. Valeyard cumprimenta a recepcionista e pega o elevador, assim que chega no último andar ele cumprimenta a Sra. Missy e vai para o seu gabinete onde acende o seu charuto e fica admirando a agitada capital.

Missy me traga um pouco de Earl Gray e envie esses telegramas, também me traga aqueles arquivos sobre Firgen e sobre o Governo Imperial.

Após alguns minutos a Sra. Missy traz o chá e os arquivos, antes de sair ela pega os telegramas e tranca as portas deixando o Sr. Valeyard a sós.

Dois soldados fardados com o uniforme imperial adentram a recepção da Valeyard Industries e indagam o/a recepcionista: - Por favor poderia nos dizer aonde o Sr. Valeyard se encontra no momento? Temos assuntos urgentes a tratar com ele.
Após, ambos sentam nas poltronas e aguardam sua recepção.

A recepcionista chama a Sra. Missy que logo chega a recepção.

Boa Noite, sou a secretária do Sr. Valeyard, em posso ajuda los?

Um soldado levanta-se e aperta as mãos da Senhorita e diz: - Estamos aqui por ordem da Coroa Gesebiana, necessitamos de falar com o Sr.Valeyard seria possível? " Dizia o soldado ajeitando seu uniforme que por sinal havia diversas condecorações.

Missy olha para o seu relógio e após alguns instantes de silêncio ela se dirige ao elevador e diz.
Vamos creio que o Sr. Valeyard não se importará de vos receber.

O outro soldado que continuara sentado na poltrona rapidamente levanta-se e junto ao seu companheiro adentra ao elevador junto a senhorita para o encontro com o Sr. Valeyard .

Ao chegarem no último andar, a Sra. Missy pede que aguardem na ante sala enquanto ela vai falar com o Sr. Valeyard.
O Sr. Valeyard estava próximo a janela fumando um charuto enquanto o chá estava sob uma mesa próxima a janela, após Missy bater na porta, a mesma adentra a sala e informa o Sr. Valeyard sobre os visitantes.

Deixes o entrar Missy.