[EMPRESA] Ferraria e Consertos do Smith

[justify][tab=30]Após muito estudar o projeto deixado pelo Barão, Robert e os demais trabalhadores chegam a um consenso sobre como proceder na produção de um protótipo. Começam, então, a preparar os moldes que serão utilizados para o fabrico das peças.[/align]

[justify][size=150][font=Garamond Bold][tab=30]Já era tarde da noite e todos os empregados haviam ido embora. Robert Smith preparava-se para fechar a Ferraria quando um homem a cavalo chegou e perguntou se poderia trocar a ferradura do cavalo, pois o mesmo havia começado a mancar. Apesar de já querer estar em casa com a família, Robert não deixa de bem atender o homem e aceita o serviço.
[tab=30]Enquanto preparava o cavalo para a troca, o homem observava a loja com interesse, enquanto puxava conversa acerca de clientes e serviços. Estranhando um pouco, Robert vê que há algo errado quando percebe, ao limpar o casco do animal, que a ferradura fora retirada, e não perdida. Tenta fazer transparecer que não notara nada, e continua o serviço, mas é interrompido com o engatilhar de um revólver.

[tab=30]- Sabemos que o Barão esteve aqui e deixou alguns planos. Queremos tudo.
[tab=30]- Somos uma Ferraria de renome e realizamos serviços para vários Barões, precisa ser mais específico, senhor…
[tab=30]- Não se faça de espertinho. Onde está?
[tab=30]- Trancado na sala do fundo.
[tab=30]- Abra, e sem gracinhas.

[tab=30]Aproveitando um descuido do ladrão, ao passar pela forja consegue pegar um dos ferros em brasa e golpear o braço do criminoso. Surpreendido e com a dor da queimadura, o bandido dispara para o alto antes de deixar cair a arma, e sai correndo antes que Robert consiga detê-lo.[/font][/size][/align]

[justify][tab=30]Preocupados com o incidente ocorrido, os funcionários da Ferraria passam o dia reforçando as portas e janelas do prédio para evitar qualquer arrombamento.[/align]

Um gendarme entrega um convite ao representante da empresa:

[justify][tab=30]- Será que descobriram alguma coisa sobre aquele assaltante? Tom, feche a Ferraria, vou agora mesmo à Gendarmeria.
[tab=30]- Tudo bem, senhor Robert.
[/align]

[justify][tab=30]A queda nas vendas de carruagens, talvez devido à recente inserção dos “automóveis” no Império, preocupa um pouco a empresa. Enquanto isso, os funcionários de maior confiança estão prestes a concluir o protótipo encomendado pelo Barão de Morais.[/align]

[justify][tab=30]A presença de tropas na cidade tem afastado os clientes, de forma que Robert já começa a calcular de quanto será o prejuízo do mês…[/align]

[justify][tab=30]Com o desaparecimento do Barão de Morais, Robert começa a pensar no que deveria fazer com o projeto que o mesmo encomendara… Enquanto isso, o trabalho de conserto de carroças e carruagens segue normalmente, após a baixa do mês anterior.[/align]

[justify][tab=30]Robert estava exultante. Sabe-se lá como, um nobre inglês lhe enviara uma proposta para importar suas carruagens para a Inglaterra e, posteriormente, toda a Grã-Bretanha. Relendo a carta duas vezes, ficou imaginando como faria para atender aos pedidos, chegando à conclusão de que a única forma seria ampliar a Ferraria, algo que ele havia exitado em fazer. Iria escrever ao Duque, quer dizer, ao Rei Alexander, tendo em vista que era seu protetor, e saber a opinião do mesmo.[/align]

[justify][tab=30]O trabalho seguia incessante enquanto a expansão da Ferraria não iniciava. Na verdade, o trabalho chegava a se acumular, muito embora os turnos seguissem diariamente até as 22h da noite.[/align]

[justify][tab=30]Um velho Barão, ao passar em frente à Ferraria, se encanta com uma das carruagens à venda. Encomenda duas, que deverão ser entregues na longínqua costa leste, já que o Barão mora nas proximidades de Valencey.[/align]

[justify][tab=30]Alguns pedidos são feitos, mas o mês tem sido de calma, com baixa movimentação.[/align]

[justify][tab=30]Novos pedidos têm sido recebidos, principalmente da Dracônia e da Sunéria, o que deve aumentar o faturamento da Ferraria.[/align]

Um dos homens que desembarcara na Estação conversa longamente com os funcionários da ferraria.

[justify][tab=30]Com os “pedidos especiais” realizados no mês anterior concluídos, Robert apenas aguarda que o solicitante venha retirá-los…[/align]

[justify][tab=30]Robert Smith recebe mais uma carta dos Conglomerados. Após lê-la, um enorme sorriso se abre em seu rosto. Rapidamente, lava-se, pega seu chapéu e deixa a Ferraria em direção ao centro da cidade.[/align]

[justify][tab=30]Após analisar, novamente, as observações anotadas em suas andanças pela cidade, Robert Smith toma uma decisão e prepara-se para sair novamente.[/align]

[justify][tab=30]Sem encontrar uma construtora de grande porte em toda Gardignon ou nas cidades vizinhas, Robert prepara-se para negociar com algumas construtores de pequeno porte para realizarem a expansão.[/align]

  • Boa tarde, senhor Smith!

  • Boa tarde Comissário Vaz! O que o senhor deseja?

  • Preciso de umas ferramentas…