[EMPRESA] Grupo Madeireiro Dunnord

[size=150][font=Palatino Linotype]Numa visita à Dunnord pela primeira vez desde seu retorno à Gesébia, o Visconde finalmente chegou às gélidas terras do Norte. O intuito de sua visita, no entanto, não era contemplar apenas a bela paisagem natural da região, e sim promover os negócios em todo o Império.

Em virtude das necessidades dos futuros projetos telegráficos e ferroviários, René von Biller achou por bem fundar um grupo madeireiro de grande porte.

[center]Primeiras extrações na região[/align]

Assim nascia as grandes extrações e plantações de madeira, as Madeireiras Billercruz ,para construção, uso civil e do setor papeleiro. São a primeira linha do Grupo Madeireiro Billercruz Celulose.

Milhares de homens da região introduziriam uma exploração madeireira em massa.

[/font][/size]

[spoil]Dados Empresariais:
Conta Corrente sob administração da matriz - Complexo Madeireiro Hohenzollern[/spoil]

Contrata-se:
Diretor de Produção Madeireira - Salário de G$s 200.000 anuais
Diretor de Produção Papeleira - Salário de G$ 500.000 anuais

[font=Palatino Linotype][size=150]Indústria Billercruz Papeis

A empresa, inaugurada conjuntamente dentro da iniciativa do Grupo Madeireiro Billercruz Celulose, visa o fornecimento de diversos tipos de papeis e papelão para uso industrial, comercial e escritorial para os diversos cantos do Império.

Tal qual as Madeireiras Billercruz, esta instituição fabril está aberta por ávidos contratos com quaisquer iniciativas, do Estado ou do setor privado.

[center]Funcionamento dos primeiros rolos do maquinário[/align][/size][/font]

[b]Carta-Telegrama

Sds,

Segundo ultimo contato, tenham plena certeza que Kaiser vai investir em Dunord assim que concluirmos a linha Draco x Roma, se for preciso para isso formalizarmos um termo de compromisso estou de acordo. Outrossim encomendo a quantidade de 850.000 tabuas nas especificações mencionadas para entrega em Draco.

Fico no Aguardo

Att.

Julio Cesar Prudente de Morais[/b]

[font=Palatino Linotype][size=150]Após muitas deliberações, o Grupo Madeireiro Billercruz Celulose investiu ainda mais recursos na exploração e plantio de árvores na região desmatada.

As necessidades indústria em toda a Gesébia demandariam um comprometimento a longo prazo. Assim novos campos foram abertos e agregados às Madeireiras Billercruz.

[/size][/font]

[font=Palatino Linotype][size=150][justify]Após dias de trâmites burocráticos, René von Biller finalmente conseguiu negociar junto à Câmara da Indústria e Comércio a reativação do Grupo Madeireiro Billercruz Celulose.

Juntamente à reinauguração, um evento vital para o bom funcionamento da economia gesebiana, Von Bille declarou a expansão dos negócios.[/align][/size][/font]

[justify][font=Palatino Linotype][size=150]Após o primeiro ano de operação, a Billercruz Celulose iniciou enérgicas medidas para ampliar o plantio de árvores em largas extensões de Dunord. A grande demanda transformara milhares de hectares de vegetação em campinas e colinas.
Sob ordens do Conde René von Biller, a empresa empregara ainda mais trabalhadores em frentes de trabalho para este fim.

[/size][/font][/align]

[font=Palatino Linotype][size=150][justify]Numa visita de rotina, o Donatário do Grupo Madeireiro Billercruz Celulose, o Conde René von Biller acompanhou o ritmo do processo de corte, e começou a analisar a quantidade de áreas desmatadas frente às áreas de replantio. Tinha em mente que muitas madeireiras haviam iniciado atividade em Dunord e, pensava tanto como empresário quanto Governador preocupado com a situação ambiental da província.
Falou com funcionários e trabalhadores nos campos, aparecendo em fotos com eles para registro.[/align]

[center]Alguns homens do corte de árvores, empregados das Madeireiras Billercruz. O Conde René von Biller é o segundo na foto, da esquerda para a direita.[/align][/size][/font]

Após a fusão da empresa com seu mais novo proprietário, os antigos funcionários do Grupo Madeireiro Billercruz Celulose temem por seu emprego, embora os representantes da mesma asseguram que não haverá demissões.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Após a reabertura da empresa, a mesma passa por um processo de reforma administrativa, adequando-se aos padrões de excelência exigidos pelo Grupo Empresarial Hohenzollern.

Enquanto a empresa passa pelo processo de reforma administrativa, algumas reformas são feitas em alguns departamentos.

Após atingirem a cota mensal de corte de madeira, inicia-se a produção de estacas para uso em diversas construções, bem como é enviada, uma parte, para produção de papel e outros derivados.

Diretores do Grupo Madeireiro Dunnord iniciam conversas para expansão das atividades em outras áreas do Império, principalmente no interior.


[tab=30]Com o crescimento da atividade industrial em outras regiões, diretores do Grupo Madeireiro ordenam que seus funcionários cortem somente as melhores árvores, pois os clientes internacionais estão muito exigentes.

Alguns funcionários governamentais chegam a empresa buscando conversar com o responsável pela mesma.

Ainda na tarde de 02 de Março…

[tab=30]Ao ser informado da presença de funcionários governamentais, alguns diretores da empresa vão recepcioná-los.