[EMPRESA] Olaria Nendo-Ryu

[spoil]

[justify][tab=30]Funcionários da Construtora Montanha de Ferro chegam a um terreno próximo à Avendia dos Mineiros e iniciam a terraplanagem do mesmo. Placas com a inscrição “Mais um empreendimento dos Conglomerados Dragão Azul” são fixadas ao redor do terreno.[/align][/spoil]

[justify][size=150][font=Garamond Bold][tab=30][tab=30]Vendo a necessidade de uma empresa de porte para fornecer materiais de construção para a contínua expansão do Império, os Conglomerados Dragão Azul fundam a Olaria Nendo-Ryu (Dragão de Argila), para suprir essa demanda.

[tab=30]A Nendo-Ryu possui os mais modernos equipamentos para a produção de tijolos, tijoletas e telhas de encaixe, além de contar com matérias-primas de qualidade e extremo preparo na produção, tudo para criar um produto durável e de qualidade. Seus fornos são projetados para consumo mínimo de carvão, possibilitando, assim, o barateamento do produto final.[/font][/size][/align]

[justify][size=150][font=Garamond Bold]Dados Empresariais:
[spoil]

[/font][/size][/align][/spoil]

[justify][tab=30]Com a terraplanagem concluída, os trabalhadores aguardam a chegada dos materiais para iniciar a construção.[/align]

[justify][tab=30]Já era tarde da noite quando os operários da Construtora Montanha de Ferro terminaram a finalização das construções da Olaria. Apesar de terem sido comunicados que poderiam finalizar tudo no dia seguinte, o fato de haverem mais obras por construir motivou-os a concluir logo mais uma grande obra da Construtora.[/align]

[justify][tab=30]Mal a Olaria foi concluída, um telegrama vindo dos Conglomerados já é entregue ao Gerente Interino Samuel Schultz:[/align]

[justify][tab=30]A tensão das últimas semanas e os rumores de uma nova guerra civil acabaram por afastar boa parte dos clientes, mas o trabalho segue de qualquer forma.[/align]

[justify][tab=30]Com os novos projetos da Montanha de Ferro, a Nendo-Ryu trabalha em três turnos para atender à demanda. Além disso, alguns auxiliares são contratados para auxiliar na produção.[/align]

[justify][tab=30]Com a produção atingindo quase o máximo da capacidade das fornalhas, começa-se a se cogitar uma ampliação na empresa, buscando assim atender satisfatoriamente - e com menos atrasos - todos os clientes.[/align]

[justify][tab=30]Após mais um mês aguardando se os pedidos iriam normalizar, conclui-se que o melhor é mesmo ampliar a empresa. Um projeto começa a ser estudado pela administração para considerar os custos em face ao mercado.[/align]

[justify][tab=30]A produção de tijolos segue sem percalços, com todos os pedidos sendo entregues dentro ou até mesmo antes do prazo. Ao mesmo tempo, um pequeno estoque começa a ser feito, para o caso de algum contrato emergencial surgir.[/align]

[justify][tab=30]Com a diminuição dos pedidos da Montanha de Ferro, os tijolos começam a se acumular. Volta-se parte da produção para outros materiais, como telhas, enquanto se começa a estudar a produção de produtos mais elaborados.[/align]

[justify][tab=30]UM grupo suneriano começa a estudar o modo de produção de tijolos. Apesar de semelhantes, sua técnica apresenta maiores perdas e menor capacidade de produção, de forma que um acordo começa a ser negociado.[/align]

Um novo carregamento de argila é entregue, enquanto dois de tijolos e um de telhas aguardam a retirada.

[justify][tab=30]A produção volta à normalidade com a ocorrência de novos construções através do Reino.[/align]

[justify][tab=30]Rumores de novas construções a serem realizadas chegam à Olaria, que começa a estocar materiais de construção para conseguir prover a demanda necessária.[/align]

[justify][tab=30]Um grande carregamento de materiais de construção é despachado para a Construtora Montanha de Ferro, quase todo o estoque. Logo os funcionários redobram o trabalho para dar conta da demanda.[/align]

[justify][tab=30]Novos lotes de tijolos e telhas são concluídos diariamente, e quase imediatamente transportados para as empresas compradoras.[/align]

[justify][tab=30]A produção é retomada após as folga de Natal.[/align]

[justify][tab=30]Trabalhadores da Montanha de Ferro chegam à Olaria e iniciam a ampliação da mesma, algo há muito esperado pelos funcionários. Dois anexos com vários fornos serão construídos, enquanto vários equipamentos novos começam a ser entregues para serem instalados após a conclusão das construções.[/align]

[spoil]Custo da ampliação: D$s400.000
Prazo para a conclusão: cerca de 7 dias[/spoil]

[justify][tab=30]Com a ampliação concluída, boa parte da produção acaba liberada para venda ao público em geral, enquanto se mantém o fornecimento da quantidade solicitada pela Construtora Montanha de Ferro.[/align]

[justify][tab=30]Relatórios sobre a produção atual são enviados para os Conglomerados, que iniciará a prospecção de novas oportunidades de venda.[/align]