[EMPRESA] S&H Confecções S.A. - Fábrica Têxtil

[center]S&H Confecções S.A. - Fábrica Têxtil[/align]


[size=140][center]Vista panorâmica da empresa.[/align]

[center]Vista do interior da fábrica.[/align][/size]

Histórico da Empresa
[spoil]

[/spoil]

[font=Times New Roman][size=140]Dados Empresariais
[spoil]

[/spoil][/size][/font]

[center]Logo após a fundação da mais nova fábrica do Império, Ivysson faz um pequeno discurso aos seus mais novos funcionários. Eles são orientados a estarem presentes para o serviço as 06:45 da manhã do dia 07 de Fevereiro de 1897, para iniciarem os trabalhos. Eles retiram-se e Ivysson permanece na empresa, para realizar os últimos despachos para regularização da mesma.[/align]

O Gerente Michael estava em seu escritório assinando alguns contratos e revendo alguns papéis, quando sua secretária Magda entra e diz:

[font=Times New Roman][size=150]- Senhor, com lincença, mas um cavaleiro deixou esta carta na recepção, é do patrão.

  • A sim, muito obrigado Magda.
    [/size][/font]
    Michael abre a carta e lê:

[/size][/font]


Michael para tudo o que estava fazendo e vai até o local combinado. Avisa Magda que só retornará a noite e sai da Fábrica.

[font=Times New Roman][size=150]O Gerente Geral Michael, vendo que necessitava de um auxiliar, coloca um anúncio na porta da empresa, com os seguintes dizeres:

[/size][/font]

Pela noite, alguns funcionários da Companhia Telephonica chegam ao estabelecimento, para instalação de linhas telephonicas, facilitando assim, a comunicação entre empresas, o Grupo Empresarial e a residência do Sr. Ivysson, Presidente do Grupo

Em uma das várias salas da fábrica têxtil, vários artesãos estudam uma maneira de aproveitar toda a matéria prima utilizada no processo produtivo. Recentemente, os diretores ficaram assustados com as enormes quantidades de material que são desperdiçados e por isso, ordenaram que os artesãos encontrassem maneiras que otimizassem o uso de todos os meios produtivos.

Com o fim dos trabalhos, funcionários reúnem-se e começam a desmontar todas as máquinas e equipamentos da FTH. Por determinações da diretoria executiva da empresa, a mesma será transferida para a Romania dentro de uma semana.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Um funcionário da EGCT entrega a correspondência à recepção da empresa.

Responsáveis pela Fábrica Têxtil reúnem-se com alguns representantes da Alfaiataria e Sapataria Hohenzollern, com o intuito de formarem mais um conglomerado no Império, só que desta vez, na área de fabricação de tecidos e roupas.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

As reuniões sobre uma possível fusão avançam e ambas as partes estão apenas, acertando os últimos detalhes da operação. Espera-se que tal negócio poderá ocorrer dentro de duas semanas, mas o prazo poderá ser estendido caso haja necessidade.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Após extenuantes reuniões, diretorias da Alfaiataria e Sapataria Hohenzollern, Fábrica Têxtil Hohenzollern e Fábrica de Curtimento de Couro Hohenzollern entram em um acordo e criam as Confecções Hohenzollern, o mais novo conglomerado da área têxtil do Império Gesebiano. Logo em seguida, iniciam-se os trabalhos para regulamentação e oficializam do negócio de acordo com os termos legais Imperiais.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Uma cópia do Ato Administrativo 01/1891 do Grupo Empresarial Hohenzollern é enviada até a empresa e colocada na entrada da mesma.

[font=Courier New]

[/font]
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Alguns dias após o terremoto que abalou o Império, membros de uma força-tarefa, criada pela Diretoria Executiva do Grupo Empresarial Hohenzollern, iniciam trabalhos de avaliação dos danos causados as empresas do Grupo.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Ao analisarem os danos causados pelo terremoto nas Confecções Hohenzollern, membros da Força-Tarefa do GEH constataram que muitas máquinas foram prejudicadas. Eles listaram todas as máquinas que precisam de reparos ou trocas e, enviaram um relatório para o Grupo Empresarial apontando todos os problemas.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

As Confecções Hohenzollern retornam com suas atividades a todo o vapor, produzindo tecidos e artigos do gênero a todo o momento, atendendo as demandas e necessidades do povo gesebiano.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Assim como a Fábrica de Móveis e outras empresas do Grupo Empresarial Hohenzollern, as Confecções Hohenzollern registram aumentos vertiginosos no que se refere a produção e venda. Entretanto, para atender a alta demanda, diretores cogitam a não seguir os mesmos exemplos tomados pelas demais empresas do GEH, que estão contratando inúmeros trabalhadores. Eles pretendem comprar novas máquinas, para substituir as antigas e aumentar em três vezes o número de maquinário existente na fábrica. Desta maneira, a demanda será atendida satisfatoriamente.
[hr]
[right]Ivysson Luz Von Hohenzollern[/align]

Ao saberem da fusão entre as Confecções Hohenzollern e a Steindorff-Bayern Alta Custura e Militaria, os funcionários de ambas as empresas temem pelo seus empregos, pois acreditam que com uma nova gestão, novas medidas serão tomadas e, possivelmente, haverá demissões para a contratação de novo pessoal, algo que já foi dito como improvável por parte dos gerentes de ambas as empresas.
Hoje, pela manhã, houve uma manifestação dos operários das Confecções Hohenzollern em frente a empresa. Eles reclamavam por uma resposta mais segura por parte de seus patrões, que novamente, confiram que não ocorrerá demissões e que não com o que se preocupar. Alguns instantes depois, a multidão voltou ao trabalho, um pouco receosa.

Após dias de solicitação da fusão, diretores das Confecções Hohenzollern começam a ficar preocupados, uma vez que a Câmara da Indústria e Comércio não manifestaram nenhuma posição acerca da fusão com a Steindoff-Bayern Alta Custura e Militaria. Por conta disto, decidem marcar uma reunião, onde escreverão uma carta em conjunto e encaminharão até a CIC, solicitando rapidez num processo que já extrapolou os prazos.

Uma carta chega da CIC:

Com o devido aval da Câmara da Indústria e Comércio para a concretização da fusão, diretores das Confecções Hohenzollern decidem realizar a operação somente a partir do dia 01 de Outubro de 1891.