[ESD] A New Endless Empire


[BBvideo 640,400]http://www.youtube.com/watch?v=NZooivyYBC8[/BBvideo]

[BBvideo 640,400]http://www.youtube.com/watch?v=bLsY6JpavMg[/BBvideo]

[font=Segoe Print][center]Apresentação[/align]

[justify][size=150][tab=30]Jogo: Endless Space – Emperor Edition + expansão Disharmony 1.1.58
[tab=30]Objetivo: Sobreviver o máximo possível

[tab=30]O Jogo: [i]“Esta galáxia é antiga, e sua primeira vida inteligente é o que nós chamamos de Endless. Muito antes que nossos olhos sequer olhassem para as estrelas eles já voavam entre elas, embora tudo o que reste desse povo é o que nós chamamos de Dust. Uma substância encontrada espalhada ou em templos esquecidos, ela já deu poderes a almirantes e governadores galácticos. A galáxia pertencerá à facção que tomar controle do Dust e descobrir seus segredos…”

[tab=30]“A Harmonia tem se movido desde o nascimento do universo, passando através de galáxias, procurando O Núcleo. Sua migração foi deliberada, calma, inevitável. Dust foi sua queda. Na galáxia dos Endless eles foram enredados; esta estranha criação tecnológica que afetava partículas, campos e ondas quebrou o simples movimento dA Harmonia em uma cacofonia de indivíduos presos à gravidade. A Harmonia vê o Dust como uma ameaça ou praga, e decidiu livrar o universo de seus efeitos. Para o resto da galáxia, esta limpeza é um pequeno apocalipse. A Harmonia, criaturas minerais, não vê diferença entre planetas “habitados” e “inabitados” – eles são simplesmente “infectados” ou “limpos”. E aqueles infectados serão tratados impiedosamente… A Era da Desarmonia começou!”[/i]

[tab=30]Endless Space é um jogo de estratégia espacial 4x em turnos, onde você assume o comando de uma das facções – ou cria sua própria – e parte para o espaço colonizar outros planetas, eventualmente encontrando outras raças e, muito provavelmente, tendo que enfrentá-las (e na maioria das vezes sendo aniquilado…), enquanto descobre mais sobre os Endless, uma antiga raça há muito desaparecida que colonizou praticamente toda a galáxia, e sua “herança”, o Dust.[/size][/align]

[center]Endless Space
Disharmony
[/align]

[center]Índice:
Capítulo 000
Capítulo 000²
Capítulo 001
Capítulo 002
Capítulo 003
Adendo 01
Capítulo 004
Capítulo 005
Capítulo 006
Adendo 02
Capítulo 007
Capítulo 008
Capítulo 009
[/align]

[offtopic][justify][tab=30]Sim, meu objetivo é simplesmente sobreviver… apesar de amar o jogo, eu apanho demais nele… Irei me focar mais em “contar a história”, intercalando com detalhes “gameplayísticos” e algumas artes do jogo – que são belíssimas. Não vou, no entanto, entrar muito no background do jogo, porque se eu começar a falar do lore do jogo ele daria alguns livros… Quem se interessar pode acessar a wikia oficial,[/align]

[center]Wikia[/align][/font][/offtopic]

[font=Segoe Print][center][size=300][b]Capítulo 000

Configurações do Jogo[/b][/size][/align]


[justify][size=150][tab=30]Facção: United Empire
[tab=30]Planeta Natal Tipo: Terran
[tab=30]Alinhamento Diplomático: Maligno
[tab=30]Gameplay: Colonialista
[tab=30]Principal Tipo de Vitória: Econômica/Militar

[tab=30]O Império está, teoricamente, sob controle de uma monarquia central. Entretanto, a taxa de expansão significa que a sociedade não pode ser governada efetivamente desta forma. De fato, os sistemas da diáspora colonial são colonizados por Corporações designadas que trabalham de mãos dadas com o Ministério de Investimento e Desenvolvimento. O Ministério da Segurança está envolvido também, devido à necessidade de pacificação de nativos/aliens, forças de segurança, defesa e vigilância.[/align][/size]

[center]Traits[/align]


[justify][tab=30][size=150]Afinidade United Empire: Concede um set básico de traits e facção similar ao United Empire (caso seja uma facção custom, é claro).
[tab=30]0%-100% de Taxas dão 0%-60% de bônus na Produção.


[tab=30]Plantas de Fusão Tripla: Previamente acreditada ser uma impossibilidade prática, recentes avanços na tecnologia de proteção permitem que mais de dois corpos estejam envolvidos em uma reação de fusão. Isto abre as portas para enormes saltos na geração de energia.
[tab=30]Construção: Refinarias de Isótopo Pesado
[tab=30]Exploração de: Titanium-70


[tab=30]Negociantes: Gera Dust adicional por Sistema
[tab=30]+10% de Dust no Sistema


[tab=30]Empresários: Gera Dust adicional por População em cada planeta
[tab=30]+1 Dust por Pop nos Planetas


[tab=30]Ligas Fortes: Dá HP adicional às naves
[tab=30]+40% de HP nas naves


[tab=30]Guerreiros Sem Medo: Crença em sua causa dá à facção um zelo particular quando estiverem defendendo em solo.
[tab=30]+25 Defesa por Pop no Sistema


[tab=30]Deficiência em Dust: Aumenta o custo de Dust as habilidades que usam Dust.
[tab=30]+50% no custo de Dust das habilidades de Heróis.


[tab=30]Arquitetos de Casco: Engenheiros gastam mais tempo em projetos e protótipos de cascos, resultando em um maior nível e eficiência as naves já de fábrica.
[tab=30]+10 xp para as naves construídas no Império.


[tab=30]Galáxia: Espiral de 4 braços, Grande, com 8 Impérios e Idade Normal.
[tab=30]Dificuldade: Hard.
[tab=30]Velocidade: Normal.[/size][/align][/font]

[font=Segoe Print][center][size=300][b]Capítulo 000²

O Império Unido[/b][/size][/align]


[justify][size=150][tab=30]Embora não sem interesse científico e senso de aventura, os líderes do Império Unido são focados em lucro e ganho. Sabendo que há grande riqueza e conhecimento esperando por eles, o Imperador e suas legiões estão ansiosos por descobrir estes tesouros escondidos e aumentar seu domínio. Mas a galáxia é um lugar perigoso, e é terrivelmente dispendioso construir uma nave estelar. Por essa razão, o Império vê o desenvolvimento militar como companheiro natural da expansão econômica. Uma simbiose natural cresceu entre a indústria e os militares no Império, e ambos os grupos se beneficiam disso.

[tab=30]De fato, o Império mantém seu amplo império como uma série de contratos coloniais; grandes corporações ou poderosas famílias recebem o direito de explorar um sistema recém-descoberto em troca de uma fração dos ganhos.

[tab=30]Embora os duques e presidentes muitas vezes reinterpretem as regras, esperando que sua localização em uma constelação distante os irá proteger, a mão de ferro do Imperador e sua frota garantem que a obediência – e a rentabilidade – sejam mantidas.


[tab=30]Sociedade

[tab=30]Tecnicamente, o Império Unido é uma monarquia, atualmente governada pelo Imperador Maximilian Zelevas. No entanto, enquanto o imperador gerencia a direção geral do Império, a gestão do dia-a-dia dos sistemas estelares é delegada para várias corporações ou famílias poderosas. Designado pelo Império para gerir certos sistemas, essas empresas ou famílias aristocráticas trabalham de mãos dadas com a burocracia imperial, mas também têm permissão de perseguir seu próprio lucro. Em troca, espera-se que enviem uma parte de seus ganhos de volta ao império.

[tab=30]Com esta configuração de certa forma descentralizada, um certo nível de autonomia regional é inevitável, e os vários governadores dos sistema corporativos muitas vezes obtém vantagens para si mesmo, quando eles podem. Dito isso, o império central está longe de não possuir poder. Caso uma empresa deixe de pagar suas dívidas ou torne-se demasiado obstinada, as frotas imperiais estão prontas para lembrar a empresa rebelde de suas obrigações.

[tab=30]Em contraste com suas políticas econômicas pró-negócios, o Império Unido dá relativamente pouco valor sobre direitos humanos ou vidas individuais. O Imperador tem pouca tolerância para dissidências, reais ou percebidas. Quando uma gestora de Recursos Humanos publicou um ensaio que argumentava que o uso da escravidão no Império era tanto desumano quanto ineficaz, o Império e suas corporações viram isso como oposição e tentaram prendê-la.


[tab=30]Militares

[tab=30]Tal como acontece com a sociedade em geral, os militares são uma mistura de controle imperial direto através do Ministério da Segurança, e frotas corporativas. Apesar dessa mistura de controle, a frota espacial resultante é mais do que suficiente para garantir a obediência das corporações.

[tab=30]Mesmo assim, a possibilidade de lealdades conflitantes ainda é uma ameaça, então, por grande parte da história do Império, o Imperador sempre viajou com sua força de guarda-costas de elite, os Sheredyn. Com autonomia crescente que este grupo tem recebdido, no entanto, é um pouco duvidoso que o atual imperador, Maximilian Zelevas, ainda dependa dos Sheredyn.

[tab=30]A Frota Espacial do Império Unido é menos avançada do que as de algumas das facções mais antigas, mas as naves ainda são resistentes e poderosas.


[tab=30]Imperador Maximilian Zelevas

[tab=30]Maximilian Zelevas é o atual Imperador do Império Unido (a partir do início do jogo). Tendo tomado o poder através de um Golpe de Estado, sua chegada ao poder anunciou uma mudança drástica no equilíbrio político imperial.

[tab=30]Em algum ponto no tempo, Zelevas se tornou o CEO do poderoso conglomerado XenoMine Corp. Bem-sucedido, ele se tornou conhecido como um líder nato e altamente inteligente.

[tab=30](Algum tempo antes do início do jogo,) Zelevas liderou um Coup d’Etat sem derramamento de sangue, depondo o então imperador Willema Szinda do trono. Uma vez um homem competente, Szinda tornou-se cada vez mais instável e errático, fazendo dele uma figura impopular.

[tab=30]Crucial para o sucesso de Zelevas foi o apoio tácito da força de Sheredyn. Embora tivesse jurado proteger o imperador reinante independentemente da situação, os Sheredyn permitiram que o golpe ocorresse e tivesse sucesso. Tudo isso veio como uma surpresa espantosa mas agradável para muitos da elite imperial.

[tab=30]O reinado de Zelevas até agora tem sido caracterizado pelo verdadeiro surgimento do Império Unido - e suas corporações - como um poder interestelar. A exploração e a colonização interestelar estão começando de forma séria.

[tab=30]Ou por gratidão, ou por medo, ou possivelmente uma combinação de ambos, os Sheredyn agora desfrutam de ainda mais poderes. Independentemente disso, esta organização é agora uma poderosa sub-facção dentro do Império.[/size][/align][/font]

[offtopic][tab=30]Sim, é somente um compilado da história do Império Unido, só pra não dizer que não falei nada do lore do universo.[/offtopic]

Começou bem! No aguardo do próximo cap.

Nossa… Não conhecia o jogo, mas gosto bastante desse gênero “espacial” com management. O enredo foi muito promissor!

Tenho certeza que você, Hiryuu, vai massacrar as demais facções e falou que seria massacrado só para ser humilde… Vou acompanhar com certeza :wink:

Thx people!
Eu tenho o (péssimo) costume de me focar mto nas mecânicas do jogo, mas vou tentar fazer algo mais romanceado, mto provavelmente intercalado com “relatórios” do gameplay em si. Como o próprio jogo vai “contando” do lore do “universo Endless” conforme a campanha segue, só isso já dá um belo background, embora eu ainda esteja “criando” personagens e tentando encaixá-los na estória pra ficar menos focado no gameplay.

Nem preciso dizer que adoro games com a temática espacial, aguardando ansiosamente o próximo capítulo.

[font=Segoe Print][center]Capítulo 001[/align]

[BBvideo 640,400]http://www.youtube.com/watch?v=teLwBAwxMYo[/BBvideo]
[justify][size=150][tab=30]“Eles não são tão unidos, os planetas deste “Império Unido”. São mais um bando de corporações imperiais indisciplinadas comandadas por duques insolentes. Mas seus exércitos são fortes, sua economia é eficiente, e suas naves são poderosas. Eu temo que eles possam ser aqueles que irão finalmente unir - ou dominar - a galáxia. Eles irão transformá-la em um templo aos deuses do comércio; uma igreja profana com o Imperador Maximilian Zelevas como seu sumo-sacerdote.”

[tab=30]A Ante-Câmara Imperial estava silenciosa. Um homem de barbas e cabelos grisalhos olhava pela janela, as mãos juntas às costas. Observava, quase sem expressão, os campos distantes. Próximo à ele, um jovem negro carregando um holodeck. Ao fundo, ao lado da grande porta dupla, um guarda armado os observava.

[tab=30]- Todos já chegaram?
[tab=30]- Confirmado, senhor, vieram todos.
[tab=30]- Todos, Domenic? – perguntou novamente, olhando para o jovem por cima do ombro.
[tab=30]- Sim. Até mesmo Gregson e Roberto.

[tab=30]O homem grisalho olhou novamente para os campos distantes, pela janela, e sorriu levemente. Maximilian Zelevas, pois certamente não poderia ser outra pessoa, apesar do tom prateado que destacava seu semblante era um homem relativamente jovem. Há alguns séculos, seria considerado um idoso, mas hoje, em que a média mundial ultrapassa tranqüilamente os 150 anos, é apenas um homem de meia idade. Virou-se e questionou o jovem:

[tab=30]- Sabia que iria perguntar por eles, não?
[tab=30]- São os únicos que nunca vieram pessoalmente às reuniões governamentais. Mas o senhor foi bem incisivo de que não aceitaria representantes hoje.
[tab=30]- Há quantos anos és meu secretário, Domenic?
[tab=30]- Quase 10 anos no total, senhor.

[tab=30]Domenic Durand conhecera Zelevas ao deixar a Universidade Imperial e se candidatar à vaga de Secretário Particular do CEO da XenoMine Corp., a maior companhia mineradora do planeta. Com o tempo, tornara-se amigo pessoal de Zelevas. Fora um valoroso agente na longa preparação para o golpe perpetrado pelo atual Imperador, servindo de comunicação entre Zelevas e muitas das outras Corporações que apoiaram a tomada do poder há quase dois anos. Hoje, com pouco mais de 30 anos, é Secretário-Geral para Assuntos Imperiais, um nome pomposo mas cuja função é idêntica à que sempre executou.

[tab=30]- É um longo tempo, meu amigo. E foi um caminho tortuoso, tivemos que fazer muitos acordos por baixo dos panos até chegarmos onde estamos.
[tab=30]- Realmente. Mas sabes que ainda não apoio toda a “liberdade” que concedestes aos Sheredyn. E Masters também não concorda. – disse, olhando para o homem ao fundo da sala.

[tab=30]Flanagan Masters, o homem ao fundo da sala, era um ruivo corpulento. Com quase 50 anos, lutara na última Guerra das Algas. Após abrira uma empresa de segurança particular, e sempre fora tão bem-sucedido que acabou chamando a atenção do Imperador, que contratou seus serviços antes ainda dos Sheredyn deixarem o posto de “Protetores do Imperador”, após o que tornou-se Chefe da Guarda Imperial.

[tab=30]- Foi um preço que tive que pagar para que não interferissem quando Szinda foi retirado do poder. Talvez um dia venhamos a nos arrepender, mas com a ajuda deles não precisamos derramar uma gota de sangue. Fora o do próprio Szinda.
[tab=30]- Sei disso. Apenas não concordo, por mais que tenha sido necessário.
[tab=30]- Senhor… – aproximou-se Masters – Estamos prontos.
[tab=30]- Muito bem, meus caros. Vamos enfrentar os leões.

[tab=30]Masters foi ao fundo da sala e abriu a porta dupla. No longo corredor que levava ao Grande Salão, cerca de 20 Guardas Imperiais postavam-se e batiam continência conforme Zelevas passava, e começavam a seguí-lo. Chegando ao final do corredor, outra porta dupla foi aberta, e adentraram no Grande Salão.

[tab=30]O Grande Salão era o principal local de reuniões entre o Governo e as Corporações. Era uma grande sala de formato semi-circular, à moda dos antigos teatros gregos. Ao fundo, sobre um tablado, o trono do Imperador. Ao seu lado, as posições do Secretário-Geral e do Chefe da Guarda. À sua frente, os Ministros. E, na grande arquibancada, os representantes das 30 maiores Corporações e Famílias mundiais tomam lugar.

[tab=30]Zelevas seguiu silencioso até chegar ao trono. Sentou-se e observou os presentes: os Ministros Cristiano Santana, de Desenvolvimento; Natsume Hana, de Pesquisa; Piotr Volkov, de Segurança; Michael Smithson, de Propaganda; e Ade n’Shaka, de Finanças. Voltou, então, o olhar para a arquibancada: Presidentes das maiores Corporações e Líderes da Famílias Nobiliárquicas mais tradicionais dividiam o espaço. Avistou, ao canto, Gregson Hastings e Roberto Gomes Nascimento, seus maiores opositores, cochichando. Sorriu levemente e levantou-se:

[tab=30]- Senhores, vamos começar.[/size][/align][/font]

Belo começo, eu achei que o Imperador ia mandar os guardas matarem todo mundo mas tudo bem xD

Belo começo, achei que faltou um pouco de imagens, mas o texto ficou excelente e por isso nem dá para se notar a falta.

Uma sugestão, se puder use imagens relacionadas a Star Wars, Star Trek e etc. Talvez enriqueça mais.

Um bom início com excelente narrativa! Acompanhando aqui! :wink:

[font=Segoe Print][center]Capítulo 002[/align]

[justify][size=150][tab=30]Zelevas levantou-se, caminhando até o centro do tablado. Encarou, silenciosamente, cada uma das pessoas à sua frente e, finalmente, começou a falar:

[tab=30]- Meus caros… entramos em uma nova era. O terceiro milênio se aproxima, e com ele uma nova página de nossa história começará a ser escrita. Domenic, o holodeck, por favor.

Domenic adiantou-se, colocando o holodeck no chão, à frente do trono, e então ativou-o. Uma imagem da galáxia surgiu acima do holodeck, e Zelevas recomeçou a falar:


[tab=30]- Nossa galáxia. Que mistérios ela contém? Que riquezas ela contém? Tantas estrelas, tantos planetas, esperando para serem explorados, colonizados. Somos apenas uma minúscula partícula deste enorme conglomerado de possibilidades. – Zelevas então aproximou-se do holodeck e, empurrando a imagem, trocou-a:


[tab=30]- Altair Primus. Nosso planeta. 3 bilhões de pessoas vivendo, trabalhando, pesquisando, dando sua contribuição para que prosperemos cada vez mais. Durante toda a nossa história, sempre foi nossa casa, nosso lar. Esteve muitas vezes à beira da destruição, devido à guerras, poluição, escassez de recursos naturais, até que o primeiro Império Unido foi fundado, há mais de 200 anos. Desde então, temos nos esforçado para unir nossa sobrevivência com nosso desejo de prosperar. – trocou, novamente, a imagem do holodeck.


[tab=30]- Altair, nossa estrela. Uma simples estrela azul como as dezenas que vemos no céu. Por mais que os cientistas digam que são estrelas demasiado quentes para forneceram as condições ideais para a vida, aqui estamos. Primus Secundus e Primus Tertius, nossos planetas irmãos, são desprovidos de vida, mas quem sabe um dia não pisaremos em seu solo e exploraremos suas riquezas?

[tab=30]Zelevas caminhou de um lado para outro, observando as reações dos presentes. Após um longo minuto em silêncio, continuou, estendendo a mão para o alto, como apontando para algo no céu, ao mesmo tempo que mudava a imagem no holodeck:



[tab=30]- Neste exato momento em que falamos, duas naves foram lançadas ao espaço. Duas novas naves como nenhuma que já tenhamos criado, com o objetivo de explorar o espaço e fundar nossa primeira colônia espacial!

[tab=30]Murmúrios se espalham entre os presentes, até que alguém pergunta:

[tab=30]- E os custos de tal empreitada? Quem arcará com eles?
[tab=30]- Tens medo de perder seu amado dinheiro, Rajeen? – após um princípio de risada geral, Zelevas levanta a mão, pedindo silêncio – Asseguro a você, e aos demais aqui presentes, que não irão perder nenhum centavo.
[tab=30]- Como pode garantir isso, Zelevas? – questiona Gregson.
[tab=30]- Em toda a nossa história, riscos sempre tiveram que ser encarados. Sabemos que uma política colonialista será custosa, que irá exigir mais do que recursos, irá exigir o esforço de cada pessoa nesse planeta. Mas pensem no futuro! Se não querem pensar nas descobertas que faremos, na evolução da ciência que presenciaremos, pensem nas possibilidades! Nos minérios que descobriremos, nos novos produtos que criaremos, produtos que todos irão desejar! E pensem na influência que vocês terão, por serem aqueles que participaram deste novo começo em nossa história!

[tab=30]Murmúrios e sinais de aprovação são vistos entre todos os presentes. Virando-se com um sorriso no rosto, Zelevas aproxima-se lentamente do holodeck, e troca a imagem uma última vez:


[tab=30]- Estas, senhores, são nossas estrelas vizinhas. Uma super-gigante vermelha, uma anã vermelha e uma estrela azul. Uma delas deverá ser o futuro lar de parte de nosso povo. Então, senhores, sugiro que iniciem os preparativos para participarem dos esforços de colonização, porque o apoio de todos será fundamental para o nosso sucesso. Obrigado pela presença, e tenham um bom dia.[/size][/align][/font]

Muito bom! Aguardando o próximo cap.!

Em relação ao jogo, eu fiquei em dúvida sobre a quantidade de planetas/sistemas planetários iniciais… Me perdi entre a descrição do jogo e sua partida.

Quanto a narração, ótima! Até que para alguém que deu um coup d’État, esse Zelevas parece um bom estadista… xD
Continua aí!

Hum… bem, se começa só com 1 planeta e com conhecimento do próprio sistema solar…
Zelevas só está apelando para a ganância das Corporações… foi assim q ele conseguiu o apoio deles pro golpe, afinal :hihi

Belo cap. só falta as naves de guerra.

[font=Segoe Print][center]Capítulo 003[/align]

[justify][size=150][tab=30]Após alguns minutos de conversas, murmúrios e cochichos entre si, todos deixam do Grande Salão, com exceção de Zelevas, Domenic, Masters e os Ministros.

[tab=30]- Então, meu caros, relatórios. Hana…?

[tab=30]Natsume Hana, com ainda menos de 30 anos, é uma jovem pesquisadora de cabelos negros e olhos amendoados. Sua genialidade levou-a direto da Universidade Imperial ao setor de Pesquisa e Desenvolvimento da XenoMine Corp., do qual chegou à chefia em menos de um ano graças a seus projetos e otimização da produção. Sua função como Ministra de Pesquisa é muito mais ampla e demanda a coordenação de centenas e, futuramente, milhares de pesquisadores.[/size][/align][/font]


[justify][tab=30]Usinas de Fusão Tripla: Previamente acreditada ser uma impossibilidade prática, recentes avanços na tecnologia de proteção permitem que mais de dois corpos estejam envolvidos em uma reação de fusão. Isto abre as portas para enormes saltos na geração de energia.”[/align]

[justify][tab=30]- Bem, senhor… – ela começou, enviando imagens para o holodeck – Concluímos satisfatoriamente dentro do prazo a pesquisa sobre Usinas de Fusão Tripla.[/align]


[justify][tab=30]Refinarias de Isótopo Pesado: O desenvolvimento da tecnologia de fusão tripla permite a criação e exploração de combustíveis mais estáveis e baratos, aumentando a capacidade industrial.”[/align]

[font=Segoe Print][justify][size=150][tab=30]- Juntamente com a pesquisa, desenvolvemos métodos de a explorarmos, com a construção de Refinarias mais avançadas. Os dados foram repassados ao Ministro Santana. Nossas equipes estão no aguardo de que direção as pesquisas futuras deverão tomar, senhor.
[tab=30]- Muito bem, Hana, obrigado. Santana…?

[tab=30]Cristiano Santana, Ministro de Desenvolvimento, um moreno de pele bronzeada, com por volta de 30 anos havia tornado sua empresa uma das maiores no ramo de administração de recursos, atraindo a atenção da XenoMine Corp que acabou fusionando a mesma. Hoje, 5 anos depois, é sua função coordenar todos os trabalhos de colonização e desenvolvimento das futuras colônias. Transferindo imagens de sua mesa para o holodeck, iniciou:
[/size][/align][/font]


[justify][tab=30]- Sobre Altair Primus, o melhor a fazer no momento é focarmos nossos recursos em uma área, sistema que chamamos de Exploração.[/align]



[justify][tab=30]Titanium-70: Este recentemente descoberto isótopo de titânio é a forma mais pesada conhecida do elemento. Suas propriedades o tornam extremamente valioso tanto na eletrônica quanto na aeronáutica.”[/align]

[justify][tab=30]- A recente descoberta - continua Santana -, por nossos pesquisadores, de meios de explorarmos o isótopo de Titanium-70 abre novas possibilidades, sendo a principal um aumento substancial em nossa produção. Dos planetas do Sistema Altair, somente o nosso parece possuir o mesmo naturalmente. Infelizmente, não temos capacidade atual para colonizarmos nem Altair Secundus nem Tertius.[/align]


[justify][tab=30]“Super-Gigante Vermelha: Uma estrela muito grande em termos de volume, entretanto não em massa, e relativamente fria. Dificilmente deve possuir planetas facilmente colonizáveis ou gigantes de gás.”
[tab=30]“Anã-Vermelha: Uma estrela relativamente pequena e fria, e antiga. Planetas facilmente colonizáveis são muito raros; planetas menos hospitaleiros são comuns. Há grande chance de gigantes de gás.”
[tab=30]“Sol Azul: Estão entre as estrelas mais quentes e brilhantes. Planetas quentes e secos são comuns; planetas facilmente colonizáveis são menos comuns.”
[/align]

[font=Segoe Print][justify][size=150][tab=30]- Quanto a nossas estrelas vizinhas, receamos não serem muito hospitaleiras. As observações telescópicas realizadas no passado mostram que há poucas chances de possuírem planetas do tipo Terran, Selva ou Oceânico, que seriam mais favoráveis à colonização. Mas somente com uma avaliação in loco para conseguirmos um relatório mais detalhado.
[tab=30]- Certo. Volkov, o que tem a apresentar?

[tab=30]Piotr Volkov, um loiro alto de quase 60 anos, era um general de carreira até o golpe perpetrado por Zelevas. O apoio deste ao golpe, no entanto, garantiu-lhe o comando geral de todas as forças militares e policiais do Império.

[tab=30]- Senhor! Como o Imperador já citou, temos duas naves em posição para iniciarem viagem. – começou a apresentar imagens no holodeck:[/size][/align][/font]




[justify][tab=30]- Sendo mais detalhistas, a Colonizadora é somente uma Nave de Transporte, um casco com um motor e espaço para colonizadores. A Scout é uma nave Classe Corveta, além dela temos projetos para uma Defensora, cuja principal diferença é em relação ao armamento e casco, embora isso a torne mais lenta em relação à Scout.[/align]


[justify][tab=30]- A Classe Transporte, com uma tonelagem nível 80, foi planejada já em vistas dos esforços de colonização, com maior espaço interno que permite que mais Módulos de Colonização sejam instalados.[/align]




[justify][tab=30][/align]
[font=Segoe Print][justify][size=150][tab=30]- A Classe Corveta, com uma tonelagem nível 100, por sua vez é uma classe de uso múltiplo, adaptado para receber com mais facilidade Módulos de Suporte.
[tab=30]- Obrigado, Piotr. Smithson, qual a situação atual?

[tab=30]Michael Smithson foi a escolha de Zelevas mais criticada pelo Conselho para assumir como Ministro. Jovem de apenas 22 anos de longos cabelos púrpura-azulados, destoa do “conservadorismo” observado nos governos anteriores e na maioria da sociedade. É, no entanto, um gênio social. Sempre fora um opositor do governo anterior, tenho sio preso algumas vezes por organizar protestos e ações menos pacíficas. No entanto, foi responsável por boa parte do apoio do povo que Zelevas recebeu para perpetrar seu golpe.[/size][/align][/font]


[font=Segoe Print][justify][size=150][tab=30]- Não há muito o que falar. – ele diz, enviando um gráfico da última pesquisa e aprovação ao holodeck – Aproximadamente metade da população apóia integralmente as últimas políticas adotadas pelo governo. A outra metade parece preferir um governo mais conservador e menos militarista. E uma parte desses descontentes deve ser culpa minha, afinal. Muitos ainda não concordam com minha atual posição no governo. Não que eu realmente me importe com isso…
[tab=30]- Bem, espero que consigamos reverter tais opiniões, futuramente, não? N’Shaka, como está nossa economia?

[tab=30]Ade N’Shaka era o membro mais “experiente” do atual Ministério. Não somente por já beirar os 70 anos, de forma que seus cabelos grisalhos contrastam com sua pele negra e os óculos de ouro que sempre usa, mas por ter sido um dos poucos membros do governo de Szinda mantidos no cargo, dada sua competência nos assuntos financeiros.[/size][/align][/font]



[justify][tab=30]- Bem, senhor… estamos bem. Com a atual taxa de impostos em 40%, temos uma entrada de cerca de 17 Dust e um gasto, com nossas frotas, de 4 Dust, para um superávit de 12.8 Dust anuais. – Ade responde, passando imagens para o holodeck.[/align]


[justify][tab=30]- Sendo mais detalhistas, nossas receitas somam 16.8 Dust anuais. Perdemos um pouco da receita possível, cuja otimização se daria com os impostos a 50%, mas não é nada para nos preocuparmos. Ao menos por enquanto.[/align]


[justify][tab=30]- Nossa produção de Comida também é positiva, de um total de 17 bilhões de toneladas produzidas, consumimos cerca de 6.[/align]


[justify][tab=30]- Nosso potencial industrial é estimado em 17.4 unidades-padrão anuais, com cerca de 20% desse valor graças à nossa atual política fiscal.[/align]


[font=Segoe Print][justify][size=150][tab=30]- Na área de ciências, possuímos 8 unidades de pesquisa à disposição da Ministra Natsume. Seria isso, senhor.

[tab=30]Silencioso, Zelevas caminha de um lado para outro por alguns minutos, analisando os dados fornecidos.

[tab=30]- Bem, meus caros… com tudo apresentado, já tenho um plano de ações para o futuro imediato, mas gostaria de ouvir vossas opiniões. Que rumo acham que devemos seguir?[/size][/align][/font]

[font=Segoe Print][center]Adendo 01[/align]

[justify][size=150][tab=30]Certo people, seguinte: o AAR vai sim ser mais “romanceado”, mas alguns capítulos terão que ser mais “técnicos”, pra apresentar algumas mecânicas pra vocês, senão vai acontecer alguma coisa e vocês vão ficar “Ué, por que tu fez isso e não isso?” ou “Por que tu não colonizou tal planeta?”

[tab=30]Inicialmente, a questão dos “Ministros" e do “Conselho”. Eles não existem no jogo. Eu criei pra poder interagir e criar um roleplay paralelo ao jogo.

[tab=30]E por que um “Ministro da Propaganda”? Os outros fazem sentido de cara: o de Desenvolvimento sobre o desenvolvimento dos planetas e sistemas, a de Pesquisa sobre as pesquisas, o de Segurança sobre a parte militar e o de Finanças sobre as arrecadações de Dust (o “dinheiro” do jogo) e a produção de Comida, Produção e Pesquisa. E “Propaganda”? Pra explicar isso, tenho que explicar como funciona a Aprovação no jogo.

[tab=30]Apesar de não parecer, a Aprovação é o principal “recurso” do jogo. Baixa Aprovação causa penalidades na produção dos recursos (até mesmo uma “greve-geral” em um planeta ou sistema), enquanto alta Aprovação dá bônus. Ok, normal. Mas tem outros aspectos onde a Aprovação é sentida: no crescimento e na colonização.

[tab=30]Qualquer planeta com mais de 3pop recebe penalidade na Aprovação, a -1.2 por cada pop excedente. Esse valor pode ser diminuído com construções (Improvements).

[tab=30]Colonizar um segundo planeta não gera penalidade, mas após cada planeta gera -5 de Aprovação. Além disso, colonizar planetas que não Tipo I (Terran, Selva, Oceânico) também gera penalidade, de -5 pra Tipo II (Árido e Tundra) a -20 (Gigante e Gás e Asteróides).

[tab=30]A Taxa de Impostos influencia na Aprovação, de +100 a 0% até -100 a 100% de Impostos. É o jeito mais fácil de “controlar” a Aprovação, mas logo não é mais suficiente (e a economia não ia agüentar muito tempo, anyway) e aí que as Anomalias existentes nos planetas, Produtos de Luxo e Construções mostram seu valor. Às vezes pode valer mais a pena colonizar um planeta Classe II com uma Proto-Orquídea (+20 Aprovação) do que o Classe I ali do lado…

[tab=30]Por isso, eu considero que o gerenciamento da Aprovação é essencial, porque expandir como louco sem ter construções pra contra-balancear a perda de aprovação… é problema, dos grandes.

[tab=30]Então, esse vai ser o papel do “jovem revolucionário gênio social” Michael Smithson, bater de frente com os outros Ministros quando alguma ação puder afetar a Aprovação do governo.

[tab=30]Segundo, os “capítulos técnicos”, bem, vou tentar mantê-los o mínimo possível, mas quando ocorrerem, serão mais ou menos assim, servindo de background pra um “roleplay” entre os personagens.

[tab=30]Aproveito pra agradecer aos que estão acompanhando, thank you! Qualquer coisa que não ficar muito clara, por favor, falem![/size][/align][/font]

Po, show de bola mano! Esse jogo me lembra algumas coisas do Civilization e o Civ: Beyond Earth…

Sobre esse crescimento populacional de um planeta… Demanda quanto tempo em turnos ou em “espaço de tempo por turno”?
Sei que é preguiça minha de procurar… :smiley:

Muito boa a narrativa… Arrumar um Goebbels sempre é a solução para problemas de aceitação popular xD

Valew! kkk
O crescimento depende do surplus de comida no sistema, a quantidade atual da população e da Aprovação. Em média, 3 a 7 turnos. Mas tem Heróis q aceleram isso.