Gabinete do Presidente do Partido

[center]Aqui o Presidente do partido receberá autoridades, membros do partido e de outros partidos, alem de emitir e receber despachos.[/align]

Presidente Nacional: Divilly Augustus Wladislawski.
Vice-Presidente Nacional:

Um oficial da Primeira Legião chega ao Gabinete do Presidente e deixa um telegrama para o mesmo.

Após algumas horas de trabalho no Palácio dos Marqueses, o Fuhrer vai para a sede do Partido, se dirige ao seu Gabinete mas no caminho recebe saudações seguidas da frase “Ave Fuhrer,” inicialmente ele estranha tudo aquilo mas rapidamente se acostuma, o gabinete era o mesmo de sempre, nada de luxuoso, a única diferença da era progressista, eram os quadros, a bandeira do partido e a presença de dois membros dos Punhos Nacionais.

Após ser informado que dois repórteres do Diário aguardavam por ele em seu gabinete, o Fuhrer foi até o mesmo saber o que eles desejavam.

O Fuhrer andava lentamente pelos corredores da sede do partido, a cada curva mais uma saudação era ouvida e retribuída, sob os olhares atentos dos bustos e quadros dos grandes heróis do Império, ele caminhou até o seu Gabinete, saudou os dois membros dos punhos nacionais que guardavam a entrada e adentou ao gabinete, sentou em sua cadeira e ascendeu um charuto espanhol.

[font=Garamond][size=150]
Trajando os seus uniformes impecáveis, os legionários acompanharam o Chanceler e o Coronel por todos os corredores, assim que chegaram no gabinete o Chanceler pediu que esperassem do lado de fora, ele e o Sr. Steindorff-Bayern adentraram ao gabinete.

Sente-se Coronel, creio que tens algo para me dizer - diz o Chanceler ao sentar em sua cadeira com certa dificuldade.
[/size][/font]

[size=150][font=Times New Roman]Ao ver a dificuldade que o Chanceler tem em se sentar, fico curioso e ao mesmo tempo preocupado, pois aquele homem outrora era tão vigoroso, porém me atenho a perguntar o motivo daquele fatigante gesto. Então, ao sentar-me, começo meu longo discurso:

[b][i]- Bem Sr. Chanceler, eu lhe devo explicações sobre minha partida repentina. A verdade é que quando eu parti, estava tão preocupado e receoso, que não houve nem tempo para despedidas formais. E o motivo de minha preocupação eu lhe digo o nome: Conde Gottlieb von Haeseler, o homem que me tornou o que fui quando aqui cheguei no início deste ano e mais ainda, o homem que sou neste presente momento.

  • O Generalfeldmarschall Conde von Haeseler, foi o militar que me colocou e me apoio dentro do exército do antigo Reino da Prússia, hoje Império Alemão. Tudo que eu aprendi, meus valores, as causas que defendo foi aquele velho homem quem me ensinou. No dia de minha partida, recebi um carta de sua esposa a Condessa von Haeseler, que dizia que o Conde estava definhando, com tuberculose e seu último desejo era me ver, pois precisava me pedir algo. Talvez por ele não ter tido nenhum filho varão, eu representava o filho homem que a vida não lhe proporcionara. E se o Sr. tem curiosidade em saber qual foi o pedido dele a mim eu lhe digo também. Ele queria que eu desposasse sua filha caçula, Anne Katherine, a qual trouxe comigo e é minha esposa.

  • Logo após sua morte, fui introduzido a Alta Sociedade Alemã, onde fiz amizade com militares diversos, cheguei até a comparecer num baile de Sua Alteza Imperial, o Kaiser Wilhelm II. Tornei um cavalheiro. Agora, que estou bem de vida graças a herança de Anne e com ela, pretendo constituir família, espero do Sr. um pedido de desculpas pela minha falta neste últimos meses.

  • Também quero perguntar se ainda há espaço para mim na Carabinieri e no projeto de crescimento e elevação da Romania w do Império?[/i][/b][/font][/size]

[font=Garamond][size=150]Fico feliz por vossa introdução aos altos círculos da sociedade alemã.

Você continua como Comandante-Geral da Carabinieri, tivemos algumas mudanças no contingente da Carabinieri, bem como a reconstrução do Forte dos Césares, ele fica na costa de Áquila.

A Romania está de portas abertas para todos aqueles que se comprometem com ela.[/size][/font]

[b][i][size=150][font=Times New Roman]-Bom, Vossa Graça, fico feliz em saber disso. Acho que grandes trabalhos poderão ser feitos, pois eu aprendi muito com os cavaleiros germânicos. Quero movimentar a Sociedade Romaniana, as antigas famílias da Corte, tenho certeza, são Senhores e Damas de grande respeito.

  • Quanto a Carabinieri fico igualmente satisfeito que seu contingente tenha aumentado, que novas peças tenham sido adquiridos, pois aprendi novas táticas e andei estudando novos teóricos militares em minha estadia na Europa.

-Além disso, fiquei sabendo da catástrofe natural que se abateu sobre o Império. Quero dizer que estou a disposição para ajudar no que for preciso. No entanto, preciso perguntar-lhe Conde, esse mal que lhe aflige o corpo, pois percebi uma certa dificuldade quando o Sr. sentou-se, como está sua saúde?[/font][/size][/i][/b]

[font=Garamond][size=150]Foi terrível, nem nos meus piores momentos na Royal Navy eu vi algo assim, fico feliz por saber que estais a disposição do Império, mas já tomamos medidas para manter a ordem e ajudar os que foram atingidos por essa catástrofe.

Eu estava na Les Amis durante o terremoto, enquanto eu tentava ajudar algumas pessoas a sair do local fui atingido por um pedaço de madeira, a minha perna direita recebeu praticamente todo o impacto, os médicos prestaram os primeiros socorros, mas assim que tudo isso se acalmar eu voltarei ao hospital para ver como a perna está. [/size][/font]

[b][i][size=150][font=Times New Roman]- Entendo, deve realmente ter sido aterrorizante tal situação, afinal, quem poderia esperar tamanha destruição e caos. De qualquer forma vós deveis cuidar logo desta perna, pois é preciso que o Sr. esteja bem, para conduzir o governo e as demais frentes as quais necessitam de ti, então não protele muito a consulta com o médico.

  • Outra coisa, Vossa Graça, que devo lhe indagar é se, enquanto meu palacete rural estiver sendo construído se ainda posso ficar hospedado com minha esposa e criados no seu Hotel, em Áquila?

  • A propósito, tens algum local em específico para me indicar? - Pois lembro me que quando passei nas manobras militares, não tive tempo de observar muito bem.[/font][/size][/i][/b]

[font=Garamond][size=150]Fique o tempo que precisar em meu hotel.

Um lugar? huuum sugiro que construa nos campos próximos ao quartieri di Immigrati, aquela área abriga a maior parte das fazendas da região e é extremamente pacata. [/size][/font]

[b][i][font=Times New Roman][size=150]- Quartieri di Immigrati? - Boa sugestão, vou andar por lá para ver acho alguma propriedade que esteja a venda.

  • E quanto ao partido há algo novo. Lembro-me de vós ter feito algumas proposições na ordem interna do Partido, algo foi alterado?[/size][/font][/i][/b]

Fizemos algumas alterações como a renomeação de Fuhrer para Presidente do Partido, foram pequenas mudanças que não tiveram grande impacto no partido.

- Sim, compreendo. Enfim, é bom saber que o Partido continua firme em suas lutas. Por falar em lutas, o Sr. tem notícias do Sr. Hohenzollern? - Ainda não tive a oportunidade de vê-lo.

[font=Garamond][size=150]Hohen… Santo Deus, em meio a toda essa confusão eu acabei esquecendo dele.

Legionário - grita o Chanceler, em seguida um jovem entra apressado no recinto.

  • Excelência?

Vá ao Palácio Nacional e encontre o Ministro Hohenzollern, descubra onde ele está.

  • Sim Excelência - em seguida o soldado se retira para cumprir as ordens do Chanceler.

Algo mais Coronel?
[/size][/font]

[font=Times New Roman][size=150]- De minha parte, não. Espero que tudo tenha ficado esclarecido quanto a minha partida repentina e como disse, espero que tudo volte ao normal e que eu possa só acrescentar na vida da Romania e do Império. Da mesma forma, estimo melhoras em demasia para vós e caso precisares de algo não exite em me chamar. Após passar este turbilhão, em breve, quero realizar um pequeno evento para apresentar Anne Katherine a sociedade romaniana. Por sinal amanhã irei para Áquila, pois na segunda quero me apresentar no Quartel do Comando Central.

Levantando-me aperto a mão do Conde e depois em estado de sentido presto-lhe continência, dizendo-lhe por final:

- Eu vou até a casa de Hohenzollern para ver se acho ele. Se eu souber de algo, mando-lhe avisar. Até mais ver Conde Valeyard.

Então me retiro, vou até a chapelaria retiro meu sobretudo, minha cartola e minha bengala e junto de meu valet que houvera me aguardado todo este tempo no Salão Verde, tomo uma carruagem de aluguel e saio[/size][/font]

O Conde se despede do Coronel e juntamente do legionário estava na porta volta para a sua carruagem e parte do local.