Gabinete do Supremo Juiz Arquiducal

[center]Gabinete do Supremo Juiz Arquiducal[/align]



[size=140][font=Times New Roman][center]Supremo Juiz Arquiducal Alberto Saraiva

Neste Gabinete, o Supremo Juiz Arquiducal desempenha suas funções e realiza seus despachos.

Galeria de Juízes[/align][/font][/size]
[spoil]

[/spoil]

Adentro o gabinete e logo a secretária me recebe:

  • Dr. Julio soubemos da aprovação, quando será sua posse?

  • Logo, logo, mas tem muito trabalho a ser feito, vamos me ajude a separar e arquivar todos os documento emitidos pelo o ultimo juiz, quero reorganizar todo a gabinete para pensar em algumas decisões a tomar.

Os dois adentram e começam a organizar tudo.

Henry chega até a Suprema Corte, e dirige a palava ao Juiz Imperial:

Eu não acredito nisto! Meu restaurante foi atacado brutalmente por alguns criminosos carcamanos! O que a Gendarmeria estava fazendo nesta hora? A pesada espada da justiça deverá cair sobre estes que atacam cidadãos honestos, sua Excelência!

  • Caro Henry, por favor sente-se, o que quer beber? Um Scotth? - com o aceno da cabeça dele sirvo dois copos - Veja meu caro, ainda estou sem alguém para assumir o cargo de comissário, nomeei o Artnus mas ele não se apresenta, vou passar seu caso direto para o Inspetor Anibal, mas me conte como sabe que são italianos que assaltaram seu restaurante?

Henry pegou o copo, tomando um gole, e, ainda nervoso, falou para o Juiz Julio:

  • Olhe, Excelência, eu não estive na cena em si, aqueles carcamanos do diabo são rápidos demais. Contudo, alguns funcionários rendidos conseguiram ver um deles, o lenço que cobria o seu rosto caiu, e ele esqueceu-o no restaurante. Pelo retrato que me falaram, pelo tecido do lenço, e uma pequena conversa com alguns Gendarmes que conheço, era um homem alto, de cabelos castanhos, olhos azuis e sem nenhum tipo de barba. Disseram-me que poderia ser Giovanni Ungarelli, que mora no bairro da Pequena Itália, mas creio que ele seja apenas uma pequena parte de um esquema maior. Esses imigrantes irão acabar com nossa nação, escreva o que eu digo, Excelência! E tenho certeza que são italianos, pois não é todo Gesebiano que começa um assalto com “Fermare! Restate dove siete!”, não é mesmo?
  • Bom meu caro Henry, Vossa Senhoria pode ficar tranquilo, estarei escrevendo agora mesmo para o inspetor Anibal para tomar providencias, é bem provável que ele irá até o senhor para tomar conhecimento de tudo, e se me permite irei transcrever o seu depoimento aqui para o mesmo.

Pego uma caneta e começo a escrever, assim que termina chama o mensageiro oficial da SCI e encaminha a mensagem.

  • Mas por favor senhor Henry termine seu copo de Scotth, um 14 anos não pode ser desperdiçado, só por favor não repare a bagunça, estamos passando por uma reforma. Mas me conte como anda a politica em Gesebia após minha retirada do cenário?

Antes que Henry pudesse responder, a secretária do gabinete adentra trazendo uma mensagem com selo Imperial. Leio ela atentamente.

  • Por favor senhor Henry, mas vossa senhoria terá que me desculpar, tenho assuntos imperiais importantes a tratar, sinta-se a vontade.

Dizendo isso me retiro do gabinete.

Um dos Gendarmes chega ao prédio da Suprema Corte Imperial com o relatório oficial do Grupo de investigações.

Um Gendarme Senatorial, impecavelmente fardado em seu uniforme branco com dragonas vermelhas, deixa uma carta com a secretária do Juiz Julio.

Nero adentra-de aonde outrora fora seu gabinete de tantas horas passadas acordado pelo bem do império.
Ao adentrar, já logo à vista o atual Juiz em exercício e solta as palavras: "Recebi vossa intimação há alguns dias… Estava fazendo uma viagem a pedido do Imperador pelas províncias.
Eis me aqui por agora.

  • Senhor Nero, a quantas não te vejo, por favor entre vamos aceita um copo de um bom Scotch? - Julio indaga enchendo dois copos. - Pois veja, senhor Nero, lhe chamei aqui apenas para entender que confusão foi essa que aconteceu, afinal o senhor emitiu mandados após ter vencido seu mandato. Gostaria de entender o por que agiu dessa forma, pensava em forçar sua permanência no cargo?

Ora pois bem,
Os mandatos foram emitidos dentre a minha esfera… e o chanceler vigente não me retirou e indicou outro… o Judiciário não poderia ficar inactivo… agi dentro da lei… Caríssimo Julio.
Minha permanência? Não…Não!, O judiciário já caiu em desgraças há muito tempo…

  • Se seguirmos essa sua logica, então o senadores só saem se forem eleitos outros? E por que acredita que o judiciário caiu em desgraças?

[offtopic]Desculpe te corrigir Nero, mas como o senhor é magistrado na vida real, achei que não deveria escrever de forma errada:

A diferença entre um e outro é muito simples.

Mandato (com T) é uma procuração, uma autorização que alguém dá a outra pessoa para agir em seu nome.

Mandado (com D) é uma ordem, um comando. Por exemplo um mandado de prisão, é uma ordem para que alguém seja preso.

Portanto,

ERRADO: mandato de prisão, mandato de segurança, mandato de busca e apreensão etc.

CERTO: mandado de prisão, mandado de segurança, mandado de busca e apreensão etc.

Leia mais: http://oprocessopenal.blogspot.com/2008/04/diferena-entre-mandado-e-mandato.html#ixzz34iwrDTHQ[/offtopic]

[offtopic]Mandado ou mandato não faz diferença em linguagem jurídica… Ou em qualquer esfera…, mas vejo que como está na faculdade em seus períodos iniciais nada mais normal do que querer seguir o âmbito correto… Te entendo, te entendo… Mas lembre - se que nem tudo se aprende na faculdade… Muito menos educação… Sr Julio[/offtopic]

[offtopic]Se o senhor que é magistrado e diz que é normal escrever de forma incorreta referente ao português, quem sou eu em meu 2º ano a querer corrigir, mas e quanto minhas perguntas em IN GAME?[/offtopic]

[offtopic]Já foram respondidas ó MAGNÂNIMO JUIZ . leia novamente…
Sim , concentre-se em vossos estudos e deixe o linguajar magistral e a educação comigo.[/offtopic]

Respondendo as perguntas supra:

Sr. Julio me abstenho a responder a caso do senado… mas o Judiciário em tais mãos… já me enoja em até pisar em tal prédio, Se o sr me permite gostaria de me retirar.

  • Por favor esteja a vontade, afinal não cometeste crime algum, mas lembre-se que se o senhor disse que o judiciário a muito caiu em desgraças cabia também ao senhor em ter melhorado o mesmo na época de seu mandato, ou estou errado? Mas vamos deixar as desavenças de lado, o senhor não gostaria de compor a banca de acusação no julgamento de Sua Graça Visconde Biller?

O judiciário em meu mandato estava com osempre foi… Operante e Intacto em sua moral… mas vejo que por agora o seu destino seja a Sola dos sapatos dos políticos gesebianos infelizmente, mas por ventura a respeito do Visconde Biller quero que tenha o julgamento mais belo de todos com certeza, mas não participarei de tal.
Passar bem, Sr. Julio.
Logo ao dizer tais palavras Nero pega seu chapéu e se dirige a Entrada da Corte aonde uma pequena escolta o esperava para adentrar a sua carruagem.
Nero já dentro da Carruagem, olha para o prédio da corte e diz: " Pobre lugar em breve estará mais partidário que uma republica fervilhando. "

Guarda Imperial se aproxima e entrega à secretaria do Juiz,

Uma carta chega ao Juiz Imperial