IG versão 3.0

vou tenta criar um esboço de contexto para um novo IG 3.0 e para mim a qualidade vai estar melhor com a contribuição de todos, incluindo criticas e sugestões de como pode fica melhor nas visões de vocês.

apenas para lembrar, uns motivo do contexto desse esboço, é para manter o RP apenas em Firgem


(vai ser narração de jornalista)

No final da década de 80 e a de 90 no seculo 19, foi uma época de extremo crescimento para Gesebia, mesmo contado com a infelicidade do fim do Império e o nascer das nações gesebianas. O boom do crescimento econômico não foi parado, contudo certas mudanças ocorreram as quais abalaram as bases econômicas dos estados gesebianos. A hipótese do ponto de mudança mais aceita foi o inicio da venda do opio para povo do deserto e para os ingleses, ainda há uma tremenda discussão de quando começou e por quem deu inicio. O que mais acredita, a família sueca baseada em Mryce estava comandando a operação em conjunto com família da pequena Sicília em atividade com os produtores romanianos e dugardenhos

Nesse processo houve corrupção nas forças armadas dos três estados para permitir a atividade. Inicialmente os fazendeiros das áreas centrais compraram o pequeno oficialato juntamente com máquina pública de fiscalização e logo os grandes generais já estava envolvido, na primeira década o exército dugardenho e romaniano era mantido parcialmente pelos lucros dos senhores da papoula e poderes políticos já era suficientes para autonomia deles. Houve tentativas de minar o tráfico só que foram todas falhas, não foram poucas vezes em que draconianos foram contratados como mercenários em conjunto com milícias locais para estar em serviço dos grandes senhorios. Talvez única medida oficial que teve sucesso foi proibição de venda para população local, o que próprios exércitos regulares não aceitava.

Em Mryce, a atividade na década anterior já era conhecida e maior parte da cidade poderia estar envolvida mas era opinião impopular nos jornais do reino em razão da possibilidade do governador e sua organização estar envolvida na atividade. O que foi comprovado ao longo do tempo, foi a facilitação da vinda de italianos, manteve o exército draconiano e forças policiais fora da rota e criou uma organização paramilitar com intuito de auxiliar na guerra mas era para estar envolvida na operação e mantida pelo lucro.

Entretanto, no ano 1914, a grande guerra na Europa trouxe efeitos negativos na sociedade e principalmente na economia em diversos setores mas única se manteve foi do tráfico de opio. Draconia com notícia da morte do líder da família sueca e a crise, o reino se manteve firme ao contrário da Dugardenha e na Romania, o exército e forças policiais já era extremamente corruptos e a ela já atingiam na política.

Em 1916 o índice de desemprego urbano das principais cidades era 60% e havia protestos nas principais cidades contra inercia da política. Na cidade de Piemonte, a situação se agravou quando uma revolta de cunho socialista tomou da cidade de Piemonte e toda região. As conseqüências desse conflito bélico quase se alastrou para toda ilha, em Dunord houve uma ocupação francesa por alto contingente armado, o pretexto era garantir a fuga de estrangeiros. A cidade de Aquila era incontrolável e havia entrado em caos, o grande material acadêmico e literário da cidade produzido por anos foi salvo na cidade de Piemonte por militares e simpatizantes de cunho socialista. O resto da romania e da dugardenha, viva em período de terror mas havia certa da ordem em razão de ser controlada por exércitos paramilitares controlados pelos grandes fundiários.

O auge do conflito foi quando os barões de papoula começaram a disputar as terras entre si, nesse contexto houve massacres de camponeses e infelizes casos de estrupo . Em 1919, o rei da Draconia teve que agir militarmente e única solução era grande acordo com representações do Império Britânico e Republica Francesa. O acordo foi o reconhecimento da Republica Popular de Piemonte, o estabelecimento de limites de terras entre grandes 20 senhorios e estipular uma quota da opio que poderia passar por Mryce com direção ao deserto.

Existe muitos pontos apagados da nossa historia e nunca poderão ser provados, pela infelicidade só passaram no máximo em teorias com certas provas. Mas o que sabe, é paz não vai dura e trafico vai ter um fim. Para finalizar, um lema do meu avô ’’Nunca duvide a capacidade de draconiano de lutar, nunca duvide de romaniano de criar e preserva a cultura e do talento de comércio do dugardenho’’

1 Curtida

Já que na China não deu mais :face_with_hand_over_mouth:

1 Curtida

Está muito sueco hahahahahaha
De maneira geral está legal, mas dá para trabalharmos mais.
Vamos simplificar o sistema, mas não significa que temos que simplificar a história.

1 Curtida

ainda, a mão invisível vai retirada por outra Mao da China rsrs

sim, sei que não tirei todos erros de pt e retira certas repetições

Por isso vou deixa a oportunidade de incremento para quem participou no passado, como do Hiryuu e como seria o governo do Rei Yama, do Victorrio Medeiros e outros que restaram

e para deixa claro

  • Republica Popular de Piemonte: depois da consolidação, não é propriamente socialista em sua maioria, mas é grande parte por social democrata e liberais.
    também um refugio da Romania governada por produtores de papoula quando eles começaram disputar a terras entre si.
  • Meu personagem principal (Hoken) foi morto pela traição de complô por generais draconianos do exercito III e membros da família sueca (quando falou familia, não quer dizer que seja a de sangue mas da organização)
  • Desmoralização e corrupção não reservei apenas para um nação ou duas, mas para a três. no caso do exercito exercito Draconiano, só aconteceu no norte porque no sul e no centro tinha liderança fortes para evitar. No caso Romaniano, existia uma minoria de militares que tinham e seguia valores, por isso se foram para Republica Popular de Piemonte.
1 Curtida

Só acho q precisa uma boa explicação pra Dracônia ter ficado na dela… Com o Alexander, de boa, mas o Yama tem “sanguinuzóiu” :stuck_out_tongue_closed_eyes:

Nada que muita diplomacia não resolva, não é mesmo? Rsrs

mas o Alexander não morreu antes de IG ir para IG 2.0?

Pois então, se ele fosse vivo acho q ficava na dele só vendo o circo pegar fogo (e quem sabe dando umas cutucadas com a Garra), mas o Yama nunca foi mto… diplomático… :face_with_hand_over_mouth:

Então se está referindo se Yama ia fica na dele na década de 90 ou no período do início do século 20 até começou da primeira guerra?

Por que no contexto, ele interveio no conflito quando havia uma guerra civil generalizada, tu acha que a intervenção foi muita branda ou pouca tardia?

1 Curtida

Ah, menos mal :upside_down_face:

1 Curtida

Como disse para o Werik, essa abordagem não é do meu agrado pessoal mas acho que pode render boas histórias e um bom RP.

A questão @Hiryuu é explicar o que cada um de nossos personagens estava fazendo. Por ex: Sir Caçador ficou na Sunéria, ajudando-a a proteger-se de algumas outras nações e a fundar o cristianismo por lá, embora teria havido certo sincretismo desta com a crença originária local.
A arquiduquesa Selma se refugiou, com sua família, em Londres e por lá ficou.
E o Pedro Vargas deve estar no meio do grupo que fundou a República de Piemonte.

Sobre os outros povos: O neto do Rei Suneriano da época de 1890 seria o novo governante de uma grande nação (Sunéria, Povos das Estepes e mais algumas outras regiões dos povos ao sul do continente). Talvez ainda teriam problemas com o Império Vermelho, ou o que sobrou dele. Além de que as grandes potências europeias poderiam ter portos ou regiões ao norte do continente sob seu domínio.

Isso foi o que pensei. Por isso temos que desenvolver o esboço feito pelo Werik e aparar arestas para ficar uma boa história, com cada um completando uma parte. Se lógico, houver interesse nesse plot.

1 Curtida

Eu achei interessante o plot, mas você disse que não foi muito do seu agrado, Rick. Teria alguma ideia a desenvolver? Desde que ninguém queira tocar na minha Cisalpínia, estou tranquilo hahahahahaha

vamos ao pontos, só para frisar, o esboço não estar completo por esta razão coloquei para ser trabalhado em conjunto.

  • Victor, sobre a Cisalpínia durante o governo do personagem (Victorrio), ela fica incorruptível, já é suficiente? fará sentindo logico ele criar guardar draconianas para estar na fronteiras draconianas?
    o herdeiro do Victtorio, estaria no contingente da intervenção draconiana na guerra civil generalizada?
  • Pensei na narração no game, para vocês, é melhor em volume único no formato de revista da época ou em varias volumes no jornais? (outro detalhe, acho importante ter narração para aumentar a imersão in game)
  • Em Dunord, durante a ocupação francesa daquela região, ali pode ter surgido um governo constitucional liberal para ser refugio da civilização dugardenha, tendo nesse processo miliciais sendo treinadas por oficiais franceses. Mas no acordo de 1919, uns do pontos colocados, foi a ocupação draconiana nas cidades de Nordingen, Ronen e Brest com intuito de evitar invasão de dugardenhos do sul mas o real motivo é para evitar que papoula não seja processada em Mryce, esse acréscimo é uma boa?
  • Rich, o que tem mente, o Sir caçador poderia volta a Firgem? ele poderia combater a venda de opio no deserto?
1 Curtida

Uma dúvida… A DracÔnia ainda estava em guerra na Sunéria, portanto com a “re-Imperialização” e o apaziguamento interno é certo que o máximo de soldados seria enviado pro deserto (provavelmente muitos romanianos e/ou descontentes…)… Isso influenciounas conquistas sunerianas posteriores?
Anyway… Sim, é possível que Yama tenha tentado intervir quando do início dessa questão do ópio, sendo talvez acusado de extremismo e, com isso e sendo aconselhado a se conter, tenha decidido “lavar as mãos” sobre a questão fora da Dracônia… Mas em Highlands precisaria de uma razão forte para ele deixar a coisa andar… interferência estrangeira?

Lembrando que a Cisalpina adquiriu mais uma provincia. A provincia romana que fazia divisa foi dada como pagamento pelos custos de guerra que a Dracônia teve com a Terceira Guerra Civil Romaniana.

@werik Não entendi esse papo de narração. Seria como fazíamos antigamente com os jornais?

Por Dunord concordo. E sugiro que Imperia, que era romaniana e passou a ser dugardeniana seja passada à Dracônia, se o seu representante assim quiser.

Estou decidindo ainda se volto com Sir Caçador ou não, mas provavelmente sim. E, se caso for, ele voltará aos ofícios de Inspetor, deixando seus filhos cuidando dos assuntos sunerianos.

@Hiryuu tínhamos terminado com a guerra na Sunéria do Sul (na verdade, só faltava a tomada da capital). E iniciou-se uma guerra civil no Império Vermelho e na Sunéria do Norte, provavelmente seria necessário soldados para estabilizar a região e até tentar uma retomada dos territórios nortistas.

E creio que na Dracônia deveríamos pensar em algo mais camuflado, por baixo dos panos mesmo, pois nem todos poderiam ser leais ao “Imperador mestiço”.

1 Curtida
  • Sobre a troca de províncias e anexações, não vejo sentindo sendo que tudo ia torna Império novamente e passar um território para outro reino poderia gerar um desagradado

  • about Jornais, meio que sim para torna a imersão maior mas to em duvida se lança in game em varias partes ou volume único como fosse pequeno livro

  • Hiryuu, pensei nas possibilidades de inicialmente ser uma atividade legal ou ilegal, a primeira teria sentindo porque na época porque era moralmente aceitável. Na segunda teria mais sentindo, o Hoken poderia manter o monopólio da atividade já que ele era general do exercito draconiano, com isso poderia colocar manter a atividade em segredo por um tempo e também desmantelar a concorrência rs. Alem, não vejo motivos para Yama impedir a atividade já que era beneficia para Draconia.

A troca de provincias já ocorreu Werik. A questão é como ficaria a parte da Dugardenha.

Prefiro jornais no estilo de jornais e não de livro.

me passa o link das trocas províncias

Achar o link é complicado. Ainda não aprendi a fazer isso no novo fórum.

Mas as imagens estão aqui:

Se precisar de mais imagens é só pedir.

vou elaborar um novo esboço 1.1 rs, dessa vez um pouco maior. Mas, RIch, tu tem certeza que vai volta com mesmo personagem do Caçador? provavelmente vai estar com 60 anos rs

1 Curtida