[IMAGENS&VIDEOS]Mostrem vosso império no CKII

Tópico destinado ao compartilhamento dos jogos feitos pelos membros do fórum.

Joguei duas campanhas: uma com a Inglaterra normanda recém-conquistada, e não aguentei os nobres ingleses e um papa que sempre me excomungava, além de que todo rei que subia ao trono botava o reino numa guerra civil. Enfim, desisti mesmo.

a segunda campanha, essa bem legal, foi com a Polônia. Comecei pelo básico, conquistando territórios pagãos, e passei um sufuco quando três tribos pagães me atacaram de uma só vez, mas consegui vencer com tropas mercenárias. Então, a dinamarca começa a conquistar tudo que é território, e me emprego na árdua tarefa de expulsá-la da Prússia(consegui) e mandá-la de volta pra seu territorio original(não consegui). A Noruega foi engolida pela Escócia, a Suécia pagã foi exterminada pela Dinamarca e Noruega/Escócia com a ajuda dos teutônicos, Inglaterra deixou de existir(nem o pc aguenta cara, é surreal), a França conquistou parte da África e Espanha, os reinos espanhóis cairam pros mouros, a primeira cruzada demorou mais de 100 anos para dar certo e só deu certo quando eu fui com um exército de quase 200 mil homens(detalhe, sem atrito XD) pra cima deles que me aparecerem por um evento que me deu uns 7000 de din din. Agora estou em 1242, meu rei é herdeiro de um claim pelo reino da Croácia, tenho o exército sem atrito com uns 100 mil homens ainda e to pensando se vale a pena debandar esse exército ou não(alias, paradox isso foi uma péssima idéia, meu jogo ficou muito fácil depois disso).

E aí, como vocês estão indo?

Eu to na espera por uma promoção… hahaha

Muito caro o jogo. :confused:

Torresmo, até porque não vale a pena comprar agora não. Eles precisam dar uma arrumadinha no jogo, porque como todo jogo da paradox, sempre passa alguns erros bobos(do tipo, como não viram isso no beta), entre eles:

  • declaram guerra pra depor o rei, o rei morre e a guerra continua(que retardado isso!)
    -os seus vassalos não fazem nada quando surgem rebeldes, mas se deixar eles selecionam a tropa deles toda hora pra entrar em guerras idiotas.
    -a excomunhão é algo muito apelão, do tipo eu pago o papa pra ele me absolver, dá duas semanas no jogo e ele me excomunga de novo, além do fato que mesmo eu sendo um rei os duques conseguem ter moral com o papa pra me excomungar.
    -as rebeliões de vassalos são muito aleatórios: eles podem ter +100 de opinião sobre você que se tiverem escolhido um plot de te derrubar, eles vão fazê-lo, e em meu jogo aconteceu do regente do meu rei declarar guerra ao rei pra diminuir a autoridade real(outra imbecilidade, visto que o regente é a autoridade lreal naquela situação).
    -não tem nenhuma vantagem em ser parte do conselho do reino ou até mesmo regente(o poder dele é bem limitado, e issso destrói muito o roleplay, visto que se você joga com o personagem e o rei é um bebê de meses, seu poder sobre o reino deveria ser compatível com a situação).

Enfim, esses são só alguns detalhes bobos que percebi durante o jogo e que diminuem a jogabilidade e até a a imersão histórica em aguns casos.

Bah…

O negócio é esperar uma promo e patchs antes de investir a jogar.

No meu caso, claro.

Também to guardando dinheiro pra isso, até porque tem uns adicionais pagos que deixam o jogo mais legal. Mas cara, eu nunca vi um jogo lançado pela paradox ser tão bom quanto CKII, então a tendência é só melhorar e virar um jogo-chave pra PI mesmo.

Esse eu não resisti e comprei no lançamento pelo preço alto mesmo.

Mas ainda tô no comecinho do meu primeiro jogo, jogando de Galicia. Consegui uns casamentos bons para fortalecer as alianças com as outras cortes cristãs da Península Ibérica, agora tô para começar a reconquista!

Po pelo que vi no meu jogo os mouros são muito apelões, eles exterminaram os reinos cristãos na peninsula ibérica. Sério, acho que isso é complexo de jogo da PI, no qual ou um reino se torna overpower e sai chutando todo mundo ou o reino se torna um lixo e é engolido em poucos anos.

Mais detalhes: fiz umas guerras santas e comecei a doar os terrenos para as ordens religiosas, só que como não tinha conseguido usurpar os ducados das provincias que conquistei porque os seus donos estavam em guerra, doei só os condados pras ordens, resultado: o ordem teutônica virou vassala da golden horde e a ordem dos hospitalares virou vassalo dos islâmicos. Depois dessa até broxei pra jogar, sério cara, isso foi o cumulo do sem noção!

Joguei com a Inglaterra e fui bem, ate salvar outro jogo em cima sem querer. Herdei metade da França e tomei Gales e Bretanha. Ela é muito instavel até 1152 por ai, nesse ano mais da metade da inglaterra deixa de ter cultura saxonica para ter a cultura inglesa, nessa epoca por ai é que os nobres começam a virar ingleses, tive meu ultimo rei normando nesse período Roscelin I.

E como fizeste pra lidar com o papa? Aceitou o pedido de investidura papal? E as sucessões, também era guerra civil toda vez? Se eu tiver tempo, tentarei num futuro pegar Inglaterra com o primeiro monarca Plantagenet(seria interessante se você pudesse criar troncos de uma dinastia principal como ocorreu em vários ducados alemães e franceses).

Aceitei a investidura papal e mandei meu Court Chapelain para roma melhorar relações com ele. Sim, mas era complicado por que eu dei muitas terras e pessoas diferentes da minha dinastia, quando um declarava guerra todos viam junto, mas ai aprendi e consegui amenizar as revoltas para um, ou dois duques(conde) no máximo, as vezes eu distribuía uns presentes e títulos e amenizava a situação, tudo é jogo de cintura.

Estou jogando com Leão, já por volta de 1150. Os mouros deram um trabalhinho, mas não muito. Já estou com os reinos de Castela e Aragão, além do meu inicial. Mouros completamente expulsos. Só faltam os reinos de galícia, portugal e navarra para a unificação total da península, o que deve demorar bastante.

Não tive muitos problemas de sucessão, até o momento qeu tive um herdeiro homossexual. Pra piorar ele pegou várias traits vermelhas e teve 4 filhas, nenhum filho. Tive que manter meus duques constantemente presos durante uqase todo o longo reinado para manter a unidade. Com a filha dele assumindo os problemas até aumentaram. Excomungação, guerra com o próprio herdeiro (neto), guerra com outros reinios sendo chamados pelos duques. Com muito custo tá dando pra segurar.

Já sobrevivi em algumas guerras contra a França.

Peguei o duque de Lothian em 1066 pra testar o patch 1.03b e fui até 1100. Nesse meio tempo meu duque fez muitas crueldades para garantir que sua família subisse ao trono escocês como matar dois de seus filhos, ter 4 filhos fora do casamento, se casar três vezes e matar duas das esposas, além da amante, banir um conde, executar outro, retirar o condado do meu filho mais filho(que depois foi morto) e através de um claim da minha amante, declarar guerra ao Rei que era marido de sua filha mais velha e pai da neta que estava em Lothian sob cuidados de meu duque. Enfim, era odiado por muitos porém temido por todos, e a família dele conseguiu tomar o reino da escócia, mesmo que pra isso muitas pessoas tivessem que morrer.

O.o

Q doidera meu!

Comecei a jogar com Glamorgan, um condado minúsculo de Gales. Passei os primeiros anos só fazendo casamentos, feiras, banquetes e caçadas, além de melhorar minha cidade economicamente. Meu primeiro personagem morreu antes do herdeiro completar 16 anos, então tive um período de regência em que dois nobres próximos tentaram me conquistar, em vão (Graças ao meu Marshall consegui um bom exército.)
A essa altura a Inglaterra estava um caos. William de Normandie já tinha caído e começou uma sucessão de reis muito estranhas. A vantagem para mim foi que o Ducado de York se tornou independente e cresceu bastante, se tornando uma força respeitável na ilha britânica, e eu tinha conseguido um casamento com a filha do Duque para meu herdeiro um pouco antes disso.
Com a aliança com York e algum trabalho do meu diplomata consegui reinvindicar e conquistar um condado de Gwent e com isso Usurpar o título de Duque de Deheuberth. Continuei melhorando as relações com o Ducado de York, e tendo 50% do reino de Gales pude tomar o trono de Rei assim que juntei o dinheiro o suficiente. A essa altura meu personagem já tinha 50 anos e o título de Arthurius the Great of Wales. Declarei guerra ao Ducado de Gwynned ao norte para dominar Gales inteira.

Parei o jogo com três filhas e um filho. A mais velha é Rainha da Inglaterra, a do meio Duquesa de York, a mais nova Princesa da França (Esposa do herdeiro) e o meu filho e herdeiro é Principe-Consorte da Rainha da Dinamarca (Não fiz casamento Matrilineal, esperava que ele fosse virar Rei ou pelo menos herdeiro do trono, já que a velha não tem filhos). Devo voltar atrás com esse último casamento já que meu personagem está quase batendo as botas e não sei como vai funcionar quando ele morrer.

A Inglaterra só tem as terras do Sul e o norte da Normandia. York está muito forte (Bate na Escócia sozinho), e os demais ducados (Cornwall, Oxford, Norfolk) conquistam e perdem independência constantemente, e são presas fáceis para mim. Assim que meu herdeiro assumir o trono, começarei a conquista da Inglaterra (Tenho o terceiro manpower da Ilha, agora, e o segundo é meu aliado e não gosta nada dos normandos)

EDIT: Alguns acontecimentos estranhos que você acha só em jogos da Paradox, mas que mesmo assim não perdem um toque de “Podia ter acontecido”:

  • Meu primeiro personagem noivou com uma garota lésbica de 12 anos. Quando ela cresceu e se casaram, se apaixonaram e tiveram 8 filhos (!!!), mas ela nunca perdeu o trait “Homossexual”.
    -A irmã do meu atual personagem já foi casada com os herdeiros dos tronos da Noruega, Escócia e Bretanha, mas todos morreram antes de assumir e agora ela é casada com um qualquer da corte francesa.
    -Todos os meus filhos já tentaram se matar, nos dois personagens.
    -Meu irmão tem 100 de opinion quanto a mim mas ainda quer me matar.

Apollo, isso tudo faz sentido, daê. Se pensar bem, a mulher podia ser bissexual (agora o lance de 8 filhos… a mulher andava com as pernas abertas), filhos de um ducado tem mais razão pra se matar do que filhos de um rei por exemplo, e vai ver seu irmão é um psicopata ou louco que, embora te valorize, deseja o trono (uma coisa menos pessoal e mais ambiciosa).

Só o caso de todos os herdeiros morrerem que é o foda mesmo. Vai ver foi a Peste Bubônica.

Mas enfim, cada história nesse tópico… A Paradox fugiu um pouco da noção de possível. ahuhauhau

Jogando de Rostov, já tenho vários titulos de Duque, mas algumas decadas atras cometi a bobeira de conceder o ducado de Moscov á um filho. Eu deixei lá com ele. O engraçado é ver um decadozinho de nada com 3 condados, dando “Claim War” em mim hauehuheuahu, só o meu exército real era de 9k de homens, fora os dos meus vassalos.

Esse ai ganhou a trait " Mad as Hell "

Fui jogar CK ,dei uma olhada nas abas,no mapa e tals…Pensei:E eu pensando que entendia alguma coisa dos jogos da Paradox…

ta aí…meu primeiro jogo

Oi Jack

Quando vc utilizar o imageshack, não poder colocar o link da imagem do álbum.
Vc precisa colocar o link “Direto” da imagem…

Este é um, dentre os vários motivos que o Photobucket é um melhor host de imagens, na minha opinião.

[code]EX:

ERRADO:

CERTO: [/code]

O resultado então fica assim: