[INTERATIVO] Agência Real de Investigação

[font=Palatino Linotype][center]AGÊNCIA REAL DE INVESTIGAÇÃO[/align]

[center]Sede da Agência Real de Investigação[/align]

[size=150][justify]Instituído em 1892 após a formação do Reino da Dracônia, a Agência Real de Investigação é a força de segurança designada para o serviço de investigações e segurança interna do Reino da Dracônia.[/align]

[center]Lema
Fidelidade, Bravura e Integridade

Missão
Servir e defender o Reino da Dracônia[/align]

[justify]A Agência Real de Investigação (ARI) é uma força de segurança destinada ao serviço dos interesses, investigação e dos assuntos e segurança interna. É dever da Agência Real de Investigação fornecer serviços eficientes, honestos e discretos na aplicação de seu trabalho, para promover um ambiente seguro e livre de ameças internas dentro das dependências do Reino da Dracônia. É seu objetivo promover de forma consistente, preservar e fornecer a mais alta qualidade de serviços investigativos e de segurança interna possíveis para todo o Reino.

Anteriormente, durante o Império, a Sede da Agência Real de Investigação servia como Quinta Delegacia da Gendarmeria Imperial, e após o dissolvimento do Império, foi reformada e ampliada para dar lugar como Sede da ARI.

A Agência Real de Investigação é subordinada ao Ministério da Justiça do Governo Real e tem John Ellar Houston como seu Diretor.[/align][/size]

[center]Foto do Diretor J. Ellar Houston[/align]

[justify]A Sede da Agência Real da Investigação é localizada no bairro central de Ponte do Imperador, Cidade de Windhelm, Condado da Cisalpínia - Reino da Dracônia.[/align][/font]

[justify][tab=30]Vários bandidos e criminosos estavam detidos na delegacia aguardando seus julgamentos. Eram tantos que quase não havia mais espaços nas celas. As táticas e estratégias utilizadas pela Gendarmeria mostraram seus resultados e agora era hora de contabilizar os pontos fortes e remodelar os pontos fracos desta nova forma de agir, e como será aplicada nas outras regiões do Império.[/align]

Relatórios sobre os crimes na região são despachados para a sede da Gendarmeria.

A Delegacia encontra-se calma e poucos crimes são notificados pela população, a criminalidade em Cisalpe, que uma vez foi alta, agora era ínfima.

Como de praxe, a Gendarmeria recebe um comunicado da Patrulha sobre todos as pessoas que são detidas. Entre os comunicados há um telegrama informando sobre alguém alegando ser o Conde Biller. O delegado telegrafa uma mensagem ao Comissário e, logo após, dirige-se até Mediolano para verificar a situação.

O edital é fixado na frente da Delegacia:

Após dois dias de trabalho conjunto, os técnicos da EGCT, da CEDR e outros voluntários agregados continuavam a realizar a restauração do sistema elétrico e telegráphico da cidade. Após concluírem os entornos da Praça da Vitória, uma das equipes trabalhavam para religar as instalações da Delegacia da Gendarmeria. A segunda avançava pelas ruas em direção à zona portuária. Religa-los às estações de energia e transmissão telegráphica eram fundamentais para a própria segurança do Império e para a coordenação dos esforços entre as regiões do País.

Alguns delinquentes foram presos por terem se aproveitado do maremoto para furtarem alguns bens móveis, inclusive públicos, não havendo maiores problemas quanto à segurança de Cisalpe.

[tab=30]Com a criação do polícia regional, há alguma confusão quanto a investigação de alguns crimes, visto que alguns gendarmes pensam não serem mais responsáveis por algumas espécies de crimes; enquanto outros acham que devem responder somente a ordens da Gendarmeria.

[center]A criminalidade em Cisalpe é a menor de todas as regiões, mesmo tendo vários refugiados sunerianos.[/align]

[justify][tab=30]Então, pela manhã tudo estava pronto. As várias malas-postais já haviam sido lacradas, contendo cartazes de propaganda, livros-registro e instruções para aqueles que ficariam responsáveis pelo processo de registro do alistados. Além das capitais regionais e da Capital Imperial, a maioria do material foi destinado ao interior para que assim fosse facilitado a realização da conscrição. Dentre as principais orientações a que mais chamava a atenção, sem dúvida era a de que seria permitido apenas o registro de homens brancos e com registro no cartório nacional. Um observação escrita dizia que era “terminantemente vedado o registro de negros e sunerianos”. A ordem procedia, obviamente, do Comando da Legião.[/align]

[offtopic]Elaboração do post de autoria do Lukas e alterado por mim.[/offtopic]

Durante a manhã do sábado, gendarmes deixaram a delegacia a fim de espalhar os cartazes referentes a concrição para a Legião Estrangeira, avisando a todos que o alistamento começaria a ocorrer a partir das 7h30 da manhã de segunda feira.

Assim como nas outras capitais regionais, a manhã foi muito movimentada na Capital Cisalpina, no que concerne ao alistamento para a Legião Estrangeira Gesebiana, já que, como é sabido, dentre todas as regiões do Império, cabia ao Cisalpe a tradição militar. Assim sendo, filas se formaram em frente a 5ª Delegacia, para que todos os homens pudessem realizar seu registro junto a Delegacia.
[tab=30]Após a tomada dos dados pessoais dos voluntários, através de seu registro cartorial, passando pelas medições corporais, os homens conscritos eram ordenados a proferirem o juramento sobre o Código de Honra do Legionário.

Os trabalhos de investigação dos crimes da Mão Decepada foram, temporariamente, parados, até que se concluísse a investigação do atentado à Patrulha em Mediolano.

Mesmo privado de comida e sono, o eslavo preso não presta nenhuma informação relevante, forçando a investigação a tomar outro rumo.

[justify][size=150][font=Garamond Bold][tab=30]Após intensos trabalhos, a ampliação da Delegacia é concluída pela Construtora Montanha de Ferro.

[tab=30]Tendo em vista o papel que terá no combate à criminalidade, não apenas na Cisalpínia mas agora em todo o Reino, a Delegacia foi modernizada de forma a suprir as necessidades que o novo Setor de Investigações terá.[/font][/size][/align]

Pela tarde, o Conde de Windhelm e a comitiva que o acompanhou verificou as novas instalações da sede da Agência Real de Investigação e testou o moderníssimo elevador elétrico que as instalações possuem. Inovação, vista e utilizada pela primeira vez em toda a Gesébia. Após a visita, o Conde seguiu para a Praça da Vitória.

Pela manhã, o Conde de Windhelm e seu irmão chegaram a sede da ARI e, por meio do elevador elétrico, se dirigiram ao gabinete do Diretor Houston.