[INTERATIVO] Cidade de Rennes

[center]Cidade de Rennes[/align]

[size=140][font=Times New Roman][justify][tab=30]A região de Rennes teria sido inicialmente uma vila fundada em meio à expansão do antigo Principado da Gardennia. Exploradores gardennianos teriam se aproveitado das vastas formações florestais para extrair a madeira necessária para todo o tipo de uso nas terras ao sul.
[tab=30]A Floresta Lunos, a maior floresta em extensão do Continente, proveu recursos diversos para estas povoações que se propagavam. Mas o verdadeiro crescimento se deu com a instalação das grandes madeireiras em Dunnord, que construíram instalações de extração desde Rennes até a capital do Ducado.
[tab=30]A cidade dispõe de estalagens e diversos estábulos para os viajantes que, até a inauguração das primeiras linhas férreas da região, tinham de viajar à cavalo entre a Capital Imperial e Porto Dunnord.

Prédios Públicos:

  • Escola Técnica
  • Escola de Educação Básica
  • Posto de Atendimento Médico
  • Sistema de Saneamento Básico
  • III Quartel do Exército Arquiducal

Efetivos Policiais e Militares:

  • Gendarmeria: 75 Soldados
  • Exército Arquiducal: 1.100 Soldados / 250 Cavaleiros[/align][/font][/size]

[justify][tab=30]A cidade de Rennes passa por uma época de prosperidade e segurança. A criação dos Caçadores da Gardenha, com uma das sedes nesta cidade, proporciona grande segurança para seus habitantes e para a região próxima, o que mantém um fluxo constante de comerciantes.[/align]

Dois homens estavam andando e conversando, ambos então param em frente a um prédio abandonado e um deles diz:

  • Este e o Prédio que eu te disse, aqui seria um bom local para uma filial…não achas?

  • Sim, mas antes precisamos falar com nosso superiores.

Ambos dão um leve sorriso um ao outro e voltam a andar e conversar.

No início da noite, um grupo de um pouco mais de 30 pessoas do movimento “Liberdade para Todos” começa um pequeno protesto e panfletagem na Praça da Cidade com os mesmos motivos do protesto na Capital de Dunnord, mas nesse realizado em Rennes tinha outra reivindicação a mais, maiores direitos e salários para os trabalhadores das madeireiras locais. O Protesto irá se manter Pacífico e continuará até as 21:00, quando irá ser disperso.

Jose e Pedro que tinham descansado um pouco na cidade, voltam a cavalgar rapidamente em direção a Dunnord, em sua busca por informações de João.

[justify][size=150][font=fantasy][tab=30]O dia estava próximo de clarear quando duas grandes explosões acordaram os moradores da cidade. Ainda atordoados pelo sono, e pelos recentes acontecimentos causados pelo terremoto, todos saíram às ruas, e se depararam com dois prédios do centro em chamas.

[tab=30]Alguns moradores relatam terem visto dois homens usando capas partirem a cavalo do centro em direção a Ghent, mas com a comoção em apagar o fogo e procurar sobreviventes, e com os Caçadores espalhados por diversas cidades da região para auxiliar os feridos e desabrigados, logo se perdeu a trilha dos fugitivos.[/font][/size][/align]

[center]Alguns gendarmes, que não foram realocados, fazem uma rápida investigação e concluem se tratar de um atentado, e que, aparentemente, o alvo foi escolhido aleatoriamente. Prontamente é informado o comandante dos Caçadores e enviado uma carta ao Comissário, inclusive informando que os criminosos teriam fugido por um dos afluentes do rio Luno, onde perdera-se os rastros mas que se tentaria perseguir os mesmos.[/align]

[justify][tab=30]Então, pela manhã tudo estava pronto. As várias malas-postais já haviam sido lacradas, contendo cartazes de propaganda, livros-registro e instruções para aqueles que ficariam responsáveis pelo processo de registro do alistados. Além das capitais regionais e da Capital Imperial, a maioria do material foi destinado ao interior para que assim fosse facilitado a realização da conscrição. Dentre as principais orientações a que mais chamava a atenção, sem dúvida era a de que seria permitido apenas o registro de homens brancos e com registro no cartório nacional. Um observação escrita dizia que era “terminantemente vedado o registro de negros e sunerianos”. A ordem procedia, obviamente, do Comando da Legião.[/align]

[offtopic]Elaboração do post de autoria do Lukas e alterado por mim.[/offtopic]

Cinco velhos comerciantes, dentre eles um barão, conversam na residência de um deles:

  • Mas essa ideia é uma loucura! Nunca conseguiríamos pô-la em prática…

  • Ninguém imaginou que o Império deixaria de existir e que, hoje, estaríamos sendo governados por uma mulher. Tudo o que precisamos é fomentar esse sentimento e o debate entre a população, especialmente os grandes homens e todos os que podem influenciar nessa decisão de alguma maneira.

  • E os Praetoria? - pergunta um terceiro homem.

  • Eles saberão disso com toda certeza. Temos que demonstrar que isso será feito para legitimar o poder da Condessa, já que ela não tem sangue nobre. Além disso, soube que Caçador retornou à Gesébia e em breve estará em Gardignon. Conversaremos com ele e, bem provavelmente teremos seu apoio.

E assim a conversa continuou até o jantar.

Alguns operários chegam à cidade, bem como alguns oficiais militares.

A escola técnica da cidade é concluída e a inauguração é preparada para amanhã.

A escola técnica já começa a fazer seleção para seus primeiros alunos.

  • Olha meu filho como a cidade mudou desde que você foi para a Europa! Estamos caminhando a passos largos para o progresso. - falou o senhor com farta barba e bigode.

  • Sim, meu pai! - respondeu o mancebo - Aqui em Rennes está realmente muito mais próspero, ao contrário de Gardignon.

  • Isso é verdade. Com a divisão do Império, cada nação passou a cuidar de seus próprios interesses e não a prestarem discussões infrutíferas em Gardignon. Contudo essa preocupação com o interior começou com o Conde Biller mas só tomou forma realmente com a Condessa Santini.

  • E isso é impressionante vindo de alguém que só fora investigadora e Comissária da Gendarmeria. Agora, se a Gardenha, digo, Dugardenha é um Arquiducado não deveria ser governado por um arquiduque?

  • No caso dizes uma Arquiduquesa, não é?

  • Sim, sim.

  • Aparentemente a Condessa Santini tem relutância em assumir um título de rainha ou similar.

Um jovem mancebo, a pouco vindo da Europa, desfruta de uma vida de prazeres boemios e do amor das jovens moças da cidade. Embora uma conversa com seus novos amigos lhe traz curiosidade.

[center]Uma grande tempestade atinge toda a Ilha, causando muita destruição e transtornos e deixando várias cidades e locais incomunicáveis por quatro dias.

[/align]

[tab=30]A cidade consolida-se como a segunda maior do Ducado, contudo, buscam-se investimentos para que se torne maior que Belle Nord.

[size=140][font=Times New Roman][justify][tab=30]Em razão da Estação Ferroviária de Puy ter sido edificada, a locomotiva destinada a transportar a 4º Regimento de Engenharia de Combate precisou encostar nos arredores da cidade.

[tab=30]Durante a marcha entre o III Quartel e o local de embarque, a tropa fora saudada pela população rennense que, ainda sem saber ao certo do que se tratava, exceto por rumores e informações desencontradas sobre o ocorrido na fronteira, apenas desejava ver seus pais, filhos e irmãos retornarem a salvo para casa, no mais breve possível.[/align][/font][/size]