[INTERATIVO] Estação Ferroviária Stéffan I

[center]Dependências da Estação Ferroviária Stéffan I. No detalhe, ponte sobre o Rio Gardennay.[/align]

Utilizando a antiga sede da Kaiser F.L, a estação ferroviária em Gardignon é montada. Enfim a grande capital tinha sua estação que seria de muita importância para o Império, onde a mesma seria um ponto de ligação com o Norte do império.
A Estação Ferroviária de Gardignon que fora inaugurada algumas semanas após a morte do muy amado Imperador Stéffan I, fora batizado com o nome tão honrado e glorioso monarca, possuindo uma bela arquitetura e sendo considerada a maior estação de todo o Império, a Estação Stéffan I recebe centenas se não milhares de cidadão por dia, muitos vem a negócio mas outros vem a passeio, visitar o coração do Império, a joia da Coroa Imperial…

[center]Entrada da Estação Ferroviária Stéffan I.[/align]

Silvano e Pacífico chegam à Gardignon e ficam contentes em saber que fizeram parte da primeira viagem neste trecho.

O Kaiser chega à estação acompanhado de grande comitiva, de nobres, civis e militares, admirando as instalações da mais nova e moderna estação ferroviária de Gesébia, que batizada em nome do velho Imperador, sem hesitar o Kaiser aperta as mãos do Empreendedor e Jurista, Dr. Julio Cesar, parabenizando-o pela sua contribuição para com o Império.

[justify][size=150][font=fantasy][tab=30]Em alguns minutos o jovem casal que desembarcara há pouco no Cais Principal chegou à estação, atraindo cada vez mais olhares por onde passavam.

  • Firgen, para dois, primeira classe, por favor. - pediu o jovem à vendedora de passagens.
  • São G$s200, senhor. Mas só aceitamos dinheiro imperial.
  • Hai, sei bem disso. - responde o mesmo, pagando o preço pedido.
  • Bem… tenham uma boa viagem… - responde a vendedora, admirada com aqueles estranhos jovens.

[tab=30]Tiveram sorte, pois ficaram poucos minutos sentados esperando, logo um trem chegou à estação e o maquinista, descendo do mesmo, anunciou:

  • Áquila e Firgen, 21h! Áquila e Firgen, 21h!

[tab=30]Apresentando os bilhetes, o jovem casal foi acomodado na primeira classe, que contava com cerca de mais 10 pessoas naquele horário. Ao ter uma oportunidade, o jovem perguntou ao bilheteiro qual seria o horário programado para chegarem em Firgen, recebendo a resposta de que só chegariam na manhã seguinte.

  • Wareware wa subeki ikutsu ka no suimin o motte shiyou.
  • Hai. Motte iru sutekina kyūsoku, otōto.
  • Anata mo, ane.[/font][/size][/align]

Logo na aquela tarde, decido pegar o trem que vai trem para Aquila então compro o bilhete para primeira classe e em 15 trem chega logo embarco

Após ser chamado para ir à Firgen, arrumo minhas malas e vou até a Estação Ferroviária. Chegando lá, compro um bilhete para o próximo trem que vai para Firgen, e que chegará apenas as 21h.

Ao desembarca, pega as poucas malas que trouxe de Firgem e vai para casa rural

Após passar na Assessoria Contábil Midas, o Chanceler vai até a Estação ferroviária, no caminho ele é cumprimentado por muitos civis que aparentemente estão aprovando a sua política governamental, ao chegar na estação ele se encontra com quatro oficiais da Primeira Legião, juntos eles aguardam a chegada do Expresso do Piemonte.

Senhores relaxem, não vamos a uma parada militar, vejam o nosso trem está chegando.

  • Excelência dois de meus homens irão primeiro para verificar o local, todo cuidado é pouco hoje em dia.
    Tudo bem capitão eu irei aguardar, enquanto isso deixe me comprar uma edição da Tribuna.

Após alguns minutos os Legionários descem do vagão da primeira-classe e informam que está tudo certo.

-Vossa Graça, já podeis entrar.
Ótimo capitão, vamos pois iremos dar um grande passo para o futuro do Império, a educação e a preservação da cultura devem ser a base de nossa nação.

Enquanto o Chanceler subia no vagão, alguns jornalistas faziam anotações e tiravam fotos, era a primeira vez que o Chanceler deixava a capital desde que assumira o cargo.

[center]Chanceler Valeyard momentos antes de adentrar ao Expresso do Piemonte.[/align]

Após a bem sucedida inauguração da Imperial Universidade, o Chanceler volta para a Capital juntamente de sua guarda, rapidamente ele desce do vagão e sobe em sua carruagem que já lhe aguardava, em seguida ele se dirige para o Palácio dos Marqueses.

Aproveitando o atraso do mesmo, decido pegar o trem que vai trem para Firgem então compro o bilhete para primeira classe

Um pouco atrapalhado pela mala, Divilly desce do trem e contempla a admirável estação, assim como as ruas tumultuadas que lhe convidam para conhecer o núcleo de Gesébia. Vai até um funcionário baixinho que está encostado na amurada, diz a ele que vem de Firgen e que não sabe onde fica o local que está procurando. Tão cedo quanto descobre a informação, parte agilmente para a sede do Partido Liberal.

Logo apos saida de Divilly, pego minha pasta que trazido de Firgem vou ate carruagem que estava na aquele momento parada perante a esquina, adentro na carruagem e logo falou.

-Por Favor, senado.

-Tudo bem.

[font=Palatino Linotype][size=150][justify]Saindo às pressas do Palácio D’Iuris, René von Biller corre para a Estação Ferrovária Stéffan I. Ainda não havia tomado nenhum dos trens que passaram a circular no novíssimo sistema ferroviário.

O trem já estava se preparando para zarpar da estação. Era o expresso de Firgen. Quando o Governador-Geral da Gardenha entrou no átrio principal da estação, um funcionário já correu até a locomotiva e pediu para que os devidos atrasos fossem feitos, caso necessário.

Contudo, Von Biller ainda teve tempo de pagar a sua passagem e, juntamente a alguns oficiais de governo, embarcou sem demora no trem. A viagem levaria seis horas e, enquanto isso, assinaria alguns documentos rotineiros.[/align][/size][/font]

Acompanhado por cinco oficiais da Primeira Legião, o Chanceler chega a estação, se dirige ao vagão da primeira do trem que estava de partida para Aquila, sentado com ele estava o Capitão dos oficiais que acompanhariam o Chanceler, nos bancos próximos estavam os outros membros da guarda.
No vagão se encontravam muitos empresários e burocratas, membros da aristocracia gesebiana em geral, o Chanceler retira de seu terno um charuto belga e após o ascender pede um copo de whisky com gelo a tripulante.

O Barão chegou a Estação Stéffan I, comprou um bilhete para o vagão da nobreza e ficou à esperar pelo trem da meia-noite que partiria para Firgen.

[tab=30]O Barão adentra na estação, compra uma passagem para Piemonte e aguarda o trem enquanto lê um jornal. “Creio que todas as cartas já foram despachadas, ótimo”, pensa, “se todos aparecerem será uma maravilha”. Alguns minutos mais tarde, o trem para na estação e o Barão entra. O trem parte e o Barão fica a observar as nuanças na paisagem.

[offtopic]Finjam que eu embarquei no horário correto :stuck_out_tongue:[/offtopic]

Interessado na recente obra do Império, a I.U.M.B, Divilly toma um trem para Piemonte, declarando “assuntos intelectuais” como motivo de ausência do Senado.

Richard chega à estação e vê que o horário do trem é para amanhã ao meio-dia. Então compra uma passagem e retorna para sua casa.

Richard consegue embarcar para Piemonte antes do trem partir.

Aproveitando o atraso do trem que ia para Piemonte embarca no trem.