[INTERATIVO] Estado das Highlands

[justify][size=150][font=fantasy][tab=30]Como forma de melhor administrar o Ducado, e promover o crescimento das regiões de acordo com suas potencialidades, aprovou-se a divisão do mesmo em Estados Administrativos.

[tab=30]O Estado das Highlands localiza-se no limite norte do Império com o Deserto da Perdição. Sua posição estratégica é destacada pela existência da Cidade de Myrce, onde localiza-se a base da 3ª Companhia da Patrulha Draconiana.

[tab=30]Apesar do foco militar, outras atividades comuns incluem a mineração, a pesca de subsistência e a extração de madeira.

[tab=30]Fazem parte do Estado as Cidades de Myrce, Norþ Rodor, Norþ Særima e Hrimceald, e a Vila de Caernarvon. Pelo censo de 03/1891, Highlands conta com uma população de 939.385 habitantes.

Administrador-Geral: Hoken Lokisson av Göteborg[/font][/size][/align]

[justify][tab=30]Apesar do sumiço do Administrador-Geral da região, essa conta com a sede da 3ª Companhia da Patrulha Draconiana, possibilitando-se uma parceria entre a Patrulha e a Gendarmeria. Assim, Myrce (e Caernarvon em menor escala) é basicamente protegida e policiada pela Patrulha; enquanto as demais cidades são protegidas pelos gendarmes.

[tab=30]De maneira hercúlea os gendarmes conseguem coibir o cometimento de crimes violentos mas carecem de maior efetivo para combaterem a grande quantidade de contrabando que chega ao Império, bem como de exportação irregular (sem pagamento de tributos), que ocorrem nas cidades de Norþ Særima e Hrimceald.[/align]

[size=120] Chegando a uma cidade, parou e seguranças vão ao meu lado.

-Chegamos?

-Sim, tomaremos muita vodka e uísque depois de tudo.

Estava na cidade quando uns do segurança falam.

-Acho que não estamos em Myrce.

-Irei confirma - vejo cidadão na sua carroça com lona pergunto no mesmo instante. -Aqui é Mryce? Pera- olhou para lado e vejo mar do norte da Gésebia, ‘‘Não acredito que chegamos ate aqui’’. -Aqui é Hrimceald? Responde com cabeça dizendo que sim.

Depois de cavalga pouco, vou ate pequena loja e comprou outro mapa, seguida vou pousada e pagou minha hospedagem e dos seguranças, claro, quarto para cada um.[/size]

[size=120] Em uma patrulha de 10 homens, porem, diferente das outras, porque o comandante estava presente e sendo realizada a pé apenas 3 utilizando cavalos, e ainda outro detalhe era que comandante estava usando dois cães da raça norueguesa Elkhound que era pertencente ao comandante desde da época que morava na Escandinávia.

[center][/align]

Patrulha foi tranquila, aproveitamos para abater um urso que mais tarde ir ser mandado para Firgem para escalpelar e ser usado como tapete para mansão.[/size]

[justify][size=150][font=fantasy][tab=30]A Vila de Norþ Særima amanheceu em polvorosa.

[tab=30]Alguns pescadores locais, que saíam diariamente antes do sol raiar, retornaram muito antes do esperado. Alguns deles feridos, felizmente nenhum com gravidade.

[tab=30]Segundo eles, foram atacados por um barco desconhecido, que os abordou. Os tripulantes falavam uma língua desconhecida, mas acredita-se que procuravam por objetos de valor, pois revistaram todo o barco e agrediram os pescadores, quando não encontraram nada que pudessem levar.

[tab=30]Um artista local fez um esboço do barco “pirata”, que alguns cidadãos mais viajados disseram ser semelhante a um “smack”.

[tab=30]As pessoas estão preocupadas, pois boa parte de sua alimentação provém da pesca.[/font][/size][/align]

Após telegramas correrem de um lado para outro, senhor Ferguson foi encontrado na Vila de Norþ Særima, ele e Bohannon se tornaram grandes amigos após o termino da malha ferroviária.

  • Claro que sei onde ele se encontra, se retirou para a alta montanha, ficou meio traumatizado após a guerra Romania. Vamos até lá busca-lo

Assim Ferguson de dirigi até o chalé improvisado de Bohannon, ao se aproximar já avistavam Bohhanon.

  • Ferguson, a quanto tempo não nos vemos… - Diz Bohhanon ao ve-lo

  • Vai lavar essa cara e fazer a barba, compramos roupas novas em Firgen. Barão de Morais nos requisita, novas obras irão se iniciar e ele precisa da gente.

  • Mais trilhos a serem fixados? Julio realmente honra o apelido de Barão Ferroviário ou aquele mesmo como era que os operários chamavam ele?

  • O Senhor dos trilhos.

  • Esse mesmo.

  • Ele está em Firgen nos aguardando, o fresco do Olivie chegará em breve lá também.

  • Então vamos logo.

Após barba feita, os dois partem rumo a Firgen.

[size=125]Nicholas Matthews, chegando na vila de Saemina ao anoitecer.

[center][/align]

Vai na casa de uns pescador que foi atacado, chegando no casebre, bate na porta três vezes, ate que pescador atende e pede para Mathews adentra, era visivel a humidade do mesmo e toda casa, em seguida o mesmo foi convidado para sentar perto da lareira.

-Me descu… coff… Coff…desculpe pela casa.

-Não, não, nasci assim, humilde, meu pai é pescador tambem. Mas me diga, o ataque dos … pira… piratas, quantos eram? os possuíam algum canhão ou algo parecido, tambem tinham posse pistolas?[/size]

[justify][tab=30]- B-bem… canhões eu não posso afirmar, mas três ou quatro possuíam mosquetes ou algo do tipo… os demais estavam armado com espadas… eu contei oito ou nove, mas deviam haver mais… invadiram nosso barco, revistaram tudo e, não achando nada de valor, praguejaram - ou assim pareceu, não pude entender uma palavra do que disseram - e voltaram ao barco, partindo rumo ao oeste. Achamos que fossem nos matar quando não encontram nada de valor…[/align]

-huum, a embarcaçâo que os possuim, poderia descreve ela?

[justify][tab=30]- Bem… o desenho que o Gennaro fez descreve ela melhor que eu poderia em palavras.[/align]

-Ótimo, foi mais de um ataque? esta sendo frequente?

Passando pelo local e ouvindo dos outros moradores sobre a presença do senhor Matthews e sobre o que esse desejava saber, o pescador Arnold Hartmann, se intromete:

  • Vocês tão falando dos ataques?

[justify][tab=30]- Hartmann! Senhor Mathews, Hartman foi quem nos recebeu quando voltamos e ajudou a cuidar dos feridos.[/align]

  • Prazer! - diz Hartmann ao cumprimentar Matthews, com um evidente sotaque germânico. - Realmente, graças a Deus - diz isso fazendo o sinal da cruz - ninguém morreu. Mas fico preocupado com essa situação porque um barco cheio de mercadorias vindo de Hrimceald foi saqueado e depois posto a pique. A tri pulação acha que só estão vivos por terem pulado no mar quando perceberam o ataque.

-interessante, ainda tenho muitas perguntas, os ataques estão sendo frequentes?

  • Que saiba, teve uns cinco ataques. Três deles foram num intervalo de quatro dias.

[justify]- Felizmente sem nenhum ferido grave… ainda.[/align]

-Ótimo, os piratas estão realizando os ataques em uma embarcação ou é uma frota?

[justify][tab=30]- Mas como vamos saber disso? Que diferença faz? Se a Armada não se fizer presente, de que adianta essa conversa?[/align]

-Adiantar muito, precisamos de toda informação para realizar alguma operação mesmo sendo da Patrulha ou da Armada, acredite.