[INTERATIVO] Parque Coliseum

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Apesar da hora funcionários do Ministério da Propaganda colam alguns cartazes em vários pontos da praça e arredores.

[/size][/font]

Manifestações centradas no ainda monarca Valeyard são realizadas com uma leve vantagem aos descontentes.

Após um longo dia de combate, onde muito sangue jorrou, tanto draconiano quanto romaniano, os últimos rebeldes que ainda resistiam foram cercados no Parque. Após um ultimato, seguido de longos minutos de silêncio de ambos os lados, muitos dos rebeldes decidiram por se render, e os poucos sobreviventes foram finalmente capturados.

Após serem questionados, os líderes da rebelião foram apontados. Sendo o “Grande Líder” trazido à presença do Rei, este questionou:

  • Então vós sois aquele que está por trás de tudo isto?
  • Se assim queres ver, mestiço, sim, fui eu que planejei tudo.
  • Como se chamas?
  • Giuseppe Cozzini, ó Majestade!
  • Dizei-me, então, Giuseppe, qual a razão disso tudo?
  • Qual a razão? Qual? Ora… Vocês draconianos, e os dugardenhos também, sempre se aproveitaram da Romania. Nunca respeitaram nosso povo, nossa história! Sempre se acharam superiores!
  • Acreditas mesmo no que estás a dizer? Foram vós que iniciaram a Revolta, foram vós e vosso Rei que colocaram a Romania em guerra com a Dugardenha.
  • Sim, nós! Em nome de nossa liberdade!
  • Liberdade? Por Kami! Vocês já eram uma nação livre, livre e reconhecida tanto pela Dugardenha quanto pela Dracônia! Sempre vos tratamos como iguais, como irmãos!
  • Irmãos? Dizem isso mas tramam nossa queda pelas nossas costas!
  • Loucura! Vós que sempre tramastes contra todos, desde a época do Império. Mas, que seja. Se é o que desejas, continuais acreditando nestas fantasias. Apenas responda-me uma questão.
  • Faça, Majestade.
  • Por que meu pai tinha que morrer? Por que o ataque em Firgen?
  • Para mostrar que até os dragões são vulneráveis, é claro!
  • Responda, então - questiona Yama, a cabeça baixa, a pouco mais de um metro do líder rebeldes - Fostes vós que ordenastes o ataque? Por vossa ordem meu pai está morto?
  • Mas que pergunta! É claro que sim!

O líder rebelde mal fechara a boca, e Yama já havia sacado sua katana, a katana que fora de seu pai e de seu avô, e, em apenas um piscar de olhos, já a colocava novamente na saya. Ao completar o movimento, o corpo do líder rebelde tombou para trás, e sua cabeça saiu rolando, enquanto o sangue manchava o chão do Parque.

  • Nenhuma piedade para quem conspira contra seu próprio povo! Que todos os líderes rebeldes sejam fuzilados, imediatamente! Os demais, terão direito a um julgamento justo, na Dracônia.

Enquanto muitos dos rebeldes clamavam que apenas haviam seguido ordens, Yama continuou:

  • Aos demais romanianos, vós agora estão sob a proteção do Reino da Dracônia, e nada terão a temer. Manterão vossa autonomia, mas certas mudanças terão de ser realizadas, para que algo assim nunca mais ocorra.

Pronto para se retirar, Yama é interpelado por um mensageiro, vindo de Firgen. Lendo a mensagem de Kim, apenas murmura:

  • Gardignon? O que pode ser tão importante para requisitarem com tanta urgência minha presença na capital dugardenha?