[INTERATIVO] Ponte das Águias

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30] Construída no início de 1880 para substituir a antiga ponte, a Ponte Ramos, mais conhecida por Ponte das Águias devido ao grande número de esculturas de águias que adornam a sua cabeceira, é a única ligação entre o Reino da Romania e o Arquiducado da Dugardenha, devido a tal importância ela é vigiada 24hrs pela Carabinieri e pelo Exército Real.

[/size][/font]

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Soldados do 1º Batalhão de Engenharia realizam alguns reparos na ponte e na estrada.

[/size][/font]

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]O sol mal havia nascido e um contingente de 200 soldados do I Batalhão de Infantaria se aproximou da ponte.

[center]Soldados sob o comando do Capitão Pietro recebem a saudação romana na saída de Áquila.[/align]

[tab=30]O comandante do contingente, Capitão Pietro, se apresentou ao oficial do posto de fronteira e os dois conversaram durante alguns minutos, pouco depois os soldados montaram acampamento a alguns metros da ponte.

[tab=30]Por volta das 15: 25 o posto de fronteira recebeu um telegrama do QG, “fechem a ponte” dizia o telegrama, o oficial do posto apresenta o telegrama ao Capitão, ele dá o sinal e os soldados do posto fecham as cancelas. Os soldados do I Batalhão começam a cavar trincheiras, enquanto isso os soldados do posto posicionaram cercas de arame farpado na cabeceira da ponte.
[/size][/font]

[justify][size=150][font=Garamond Bold][tab=30]Aproximando-se, a cavalo, do meio da ponte, o mensageiro vindo da estação de Saint-Depoux é parado pelos soldados.

[tab=30]- Ninguém passa. Dê meia volta.
[tab=30]- Não quero passar. Tenho uma mensagem ao oficial em comando. - responde um dos soldados, que após ler o bilhete ordena que o mesmo seja entregue ao capitão.[/font][/size][/align]

[spoil][size=200][font=Bradley Hand ITC][justify][tab=30]Ao oficial em serviço,
[tab=30]Tendo em vista as boas relações diplomáticas entre a Dracônia e a Romania, solicita-se a liberação da passagem do trem contendo a comitiva draconiana, que está retornando para as Montanhas. Caso negativo, solicita-se audiência com o oficial em questão.[/align]

[right]Kim Drakengard
Secretária-Geral do Palácio dos Dragões[/align][/font][/size][/spoil]

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]O Capitão lê o bilhete e se vai ao encontro do mensageiro.

  • A Comitiva pode passar, mas precisaremos imspecionad o trem quando ele cruzar a fronteira.

[/size][/font]

[justify][size=150][font=Garamond Bold][tab=30]O trem atravessa lentamente a ponte, com o maquinista parando a locomotiva assim que os vagões estão totalmente em terra firme. Logo após a parada, Kim Drakengard desce de seu vagão e, sendo apresentada ao capitão, comenta:

[tab=30]- Capitão, fico feliz que tenhas tido consideração com meu pedido. Asseguro-lhe que apenas a comitiva encontra-se nos vagões, mas, caso queiras inspecionar pessoalmente, fique à vontade.[/font][/size][/align]

[font=Garamond Bold][size=150]

  • Sra. Drakengard, peço desculpas por todo esse transtorno, mas precisamos inspecionar o trem e ver os documentos de todos os passageiros.

[/size][/font]

[justify][tab=30]- Certamente, capitão. Entendo que estás apenas cumprindo suas ordens. - reponde Kim, sendo a primeira a entregar seus documentos ao oficial.[/align]

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Os soldados inspecionam o trem e verificam os documentos dos passageiros, todos são liberados.

[tab=30]O Capitão agradece a cooperação dos draconianos e o trem volta a se mover.

[/size][/font]

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Tendo chegado nas proximidades da fronteira, a I Legião montou acampamento a pouco mais de 1 km da mesma, as forças que até então estavam próximas a ponte se uniram as forças da Legião. A infantaria se entrincheirou enquanto a artilharia se preparou para uma ação defensiva, enquanto isso a cavalaria se posicionou nos flancos do acampamento, pequenas grupos de patrulha foram formados e despachados para verificar a fronteira.

[/size][/font]

Ao raiar do sol por entre as nuvens, dois homens avançam passo a passo sobre a ponte com as mãos erguidas, aguardando serem interpelados.

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Um dos guardas se aproxima dos dois homens e pergunta o que querem.

[/size][/font]

  • Sou Sir Caçador e este é o senhor Garnier da Draconia. Viemos fazer as negociações de paz.

[font=Garamond Bold][size=150]

  • Negociações? Contactarei a Capital e avisarei eles.

[/size][/font]

  • Aguardaremos.

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Enviado pelo Rei, o Secretário Rêmora conversou rapidamente com o General Atano e então foi ao encontro dos enviados do Governo Dugardenhano.

  • Boa tarde senhores, sou Fernado de Rêmora, Cavaleiro da Ordem da Romania e Secretário dos Negócios Estrangeiros de Sua Majestade, vamos começar?

[tab=30]Enquanto os diplomatas conversavam a I Legião recuou alguns quilômetros, se entrincheirando novamente e assumindo formação defensiva.

[/size][/font]

  • Pois bem estes são os termos Dugardenhanos. - diz Sir Caçador entregando um papel timbrado oficial da Dugardenha.

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]O Secretário lê aquilo e prontamente responde.

  • Os senhores devem estar brincando comigo, pedido de desculpas? Cancelamento de obras?

  • A Dugardenha é que precisa se desculpar, vossa Monarca fez sérias acusações contra o nosso povo e contra Sua Majestade, porém não apresentou provas algumas. Como nação soberana temos todo o direito de construir instalações militares onde desejarmos.

[/size][/font]

Sir Caçador vira-se para Garnier:

  • Estás vendo! Querem derramamento de sangue. Sequer possuem uma contraproposta. Bom, que Deus nos abençoem. - diz se virando as costas ao emissário.

[font=Garamond Bold][size=150]

  • Sr. Garnier, nenhuma nação aceitaria tal proposta e eu não tenho como levar a sério tal proposta, isso é um ultraje, a Romania fora ofendida diretamente pela Chefe de Estado Gardenhana, coisa que nenhuma autoridade Romaniana jamais fez aos gardenhanos, e agora a Dugardenha apresenta essas exigências?

  • Quem deseja guerra é a Dugardenha, eles iniciaram toda essa crise e agora querem que nós aceitemos essa humilhação? Jamais.

  • Aceitamos participar dessa negociação pois queremos a manutenção da paz, mas se a Dugardenha não apresentar uma nova proposta nos retiraremos.

[/size][/font]