[INTERATIVO] Porto Militar de Leyden

[center]Porto Militar de Logromo[/align]

[center][/align]

[justify][tab=30][tab=30]O Porto Militar de Leyden foi construído ao final do ano de 1892, para servir, estrategicamente, de base avançada em uma eventual guerra contra os povos do oeste, especialmente contra o Império Vermelho.[/align]

A cidade passa por um crescimento em vista da mudança dos familiares de vários marinheiros.

[tab=30]Após o recebimento de algumas ordens, por via telegráfica, o pessoal do Porto inicia os preparativos determinados.

Após a aproximação das frotas dugardenhana e suneriana, mensagens são enviadas para Gardignon, especialmente para o Ministério de Defesa.

A resposta vinda de Gardignon surpreende o comando da Frota: “A guerra com a Romania eclodiu. Retenha qualquer embarcação até segunda ordem. Se insistirem em continuar o caminho os escolte mas antes confisque provisoriamente qualquer arma, seja canhões ou armas de uso pessoal. Uma arma branca por indivíduo será aceito.”

A mensagem rapidamente é obedecida e é levada ao conhecimento do governador Tech Khan.

Como não houve objeção dos sunerianos, a frota suneriana fica atracada no porto. Os sunerianos tem permissão de andarem pela cidade, inclusive as pousadas. Alguns marinheiros ficam em vigília sobre qualquer movimentação na frota suneriana.

[justify][tab=30]O 2° Sargento Henrique Dousseau, que era um dos vigilantes da embarcação capitania da frota suneriana, visto saber draconiano antigo, escuta dois marinheiros discutindo em suneriano sobre o plano de matar a Arquiduquesa e sua aliança com a Romania.

[tab=30]Depois de levar a informação ao seu superior um plano é elaborado pelo Comando do Porto, visando prender todos os homens sunerianos - visto que vários deles estavam na cidade bebendo.

[tab=30]A ação foi rápida. Imediatamnete o Khan fora rendido, contudo, o mesmo escondia uma arma no antebraço, a qual usou para atirar contra o soldado Henrique, deixando-o gravemente ferido. Em resposta, o comandante dugardenhano puxou sua pistola e desferiu dois tiros contra o covarde líder suneriano. Levando-o a óbito ali mesmo. Outros marinheiros sunerianos tentaram reagir mas foram rapidamente dominados, bem como o restante da embarcação.

[tab=30]E enquanto, toda a tripulação suneriana era subjugada, Dousseau morria sendo consoldado por seu comandante e pai…[/align]

A IV Frota intercala reparos no porto militar e patrulhas no mar do norte.

O Porto Militar volta a ficar em alerta visto que foi observado duas embarcações sunerianas a certa distância da zona de patrulha.