[INTERATIVO] Sede do Comitê Nacional dos Trabalhadores

[center]COMITÊ NACIONAL DOS TRABALHADORES [/align]

Com a falta de um movimento unido que representasse e desse voz para os operários da Gardenha, William Carter, Pierrè d’Vignon, Joseph Brickwill e mais outros vinte e tantos trabalhadores, fundaram, em 3 de Outubro de 1891, a União dos Operários Gesebianos. O edifício que acomoda a União é localizado na Pequena Sicília, e fora reformado pelas próprias lideranças do movimento. Atualmente qualquer trabalhador do Império é bem-vindo a participar da União.
Em 1893, Alexandre Larraya de Vigo assume o poder e muda o nome de união dos operários gesebianos para Comitê Nacional dos Trabalhadores

[hr]

[size=150][font=Palatino Linotype]Ideais e Defesas da União:

[spoil]- A valorização do empregado frente ao empregador;

  • O diálogo e a manifestação pacífica como meio para resolver divergências;
  • Melhores condições de trabalho;
  • Manutenção e aplicação da Constituição Gesebiana na área trabalhista;[/spoil]

Líder(es) da União: Alexandre Larraya de Vigo
Número de Membros: 453

Arquivos:

[spoil]N/A[/spoil][/font][/size]

[offtopic]Não, não é para criar o caos. É só para melhorar o RP da área empresarial, regular e até, de certa forma, “atacar” os empresários gesebianos que não dão as devidas atenções aos trabalhadores. :stuck_out_tongue:[/offtopic]

Um jovem operário romaniano que estava na cidade visitando amigos ouve falar sobre a tal União, ele decide saber mais sobre ela e vai até a sua sede, ao chegar ele questiona os ideais da mesma e fica fascinado com as propostas defendidas por ela, ele pega uma ficha de inscrição e se une ao grupo.

Alguns pescadores que aproveitavam a manhã de domingo para passear ficam intrigados com a movimentação no edifício. Perguntando o que estava a ocorrer, é explicado a eles a razão e os ideais do movimento. Após um pequeno debate entre eles, decidem aderir à União.

[font=Times New Roman][size=150][i]Alguns funcionários das grandes madeireiras da região de Dunnord ouvem falar de uma tal união de trabalhadores e vão até a capital para saber um pouco mais sobre esta união e passarem a reivindicar, juntamente com operários de outras áreas, melhores condições de serviço.

[offtopic]Vish, to vendo que terei que criar um exército particular para lutar contra os revolucionários ¬¬| ótima iniciativa kk![/offtopic][/i][/size][/font]

[tab=30]Ao final do expediente de trabalho, muitos cidadãos lentamente se reuniam frente à Sede da União. William Carter, que era o melhor de discurso, levantava o ânimo dos presentes para voltarem-se contra àqueles que concentravam os lucros. Muitas vezes seus parágrafos encerravam numa citação do pensador Karl Marx, e outras retomava que a melhor maneira de lutar contra as classes dominantes era a força de grupo. Seu exaltado e eloquente discurso arrancou aplausos da multidão, mesmo sendo que muitos não compreenderam em totalidade os termos que o orador jogava contra eles.
[tab=30]Pierrè d’Vignon subiu em seu palanque improvisado, uma caixa de enlatados, para orientar ao público presente a assinar seus nomes na lista de membros da União. Falava que qualquer irregularidade nas condições de trabalho deveria ser apontada, afim de que a União utilizasse sua força para pressionar os responsáveis. Esperavam que pelo menos mais 500 cidadãos aderissem à União somente naquela noite.

[font=Garamond][size=150]Pietro Favaroni estava com alguns colegas e se dirigiu a fila de inscrição, no caminho eles conversaram sobre a qualidade do local de trabalho deles.

Boa noite, me chamo Pietro Favaroni, trabalho na Corporação Valeyard… e eu queria fazer uma queixa… o nosso chefe está nos obrigando a trabalhar de segunda a segunda, ele disse que se não o fizermos seremos demitidos.
[/size][/font]

[font=Palatino Linotype][size=150]Joseph Brickwill, que coordenava as inscrições, cumprimentara Pietro. Ao escutá-lo, indagou:

  • Mais colegas também estão sujeitos à essa rotina absurda, my sir? - falava com um ligeiro sotaque inglês - O ideal é termos o máximo possível de colegas a aderirem à União. Permites-me a pergunta? Como é a procura de emprego onde trabalhas? É fácil para contratar mais empregados? Pois o que eu sugeriria era um boicote geral no próximo final de semana, afim de mostrar que o descanso deve ser respeitado, mas nunca se sabe com esses bourgeois.[/size][/font]

Formei-me na IUMB e existem poucas pessoas com as qualificações que eu possuo. Já no caso dos meus colegas aqui a história é outra, eles fazem o transporte de algumas cargas e várias pessoas já se candidataram para esses trabalhos.

- A situação é complicada… se conheces outras soluções ou tens ideia de algo, fale. Aqui todos tem a voz. Combinaremos uma manifestação em frente a empresa para mostrar o descaso do empresário. Sabes a empresa específica que isso ocorre?

[font=Garamond][size=150]Com certo receio o jovem acaba tomando coragem e responde.

Devemos mostrar a eles que não temos medo, a única solução é uma manifestação. Trabalhamos na sede da Corporação Valeyard, ela fica na Avenida Pompeii, em Romulus. Eu e meus amigos participaremos da manifestação, falarei com outros funcionários para que eles nos ajudem. [/size][/font]

[justify]Três homens, os três com um emblema, o do Conselho dos Trabalhadores da Romania, trouxeram uma caixa à sede da União dos Operários Gesebianos. O novo, e primeiro, folheto de esquerda em Gesébia começara sua publicação e era essencial que se espalhasse o máximo possível. Para agilizar a propagação em curto espaço de tempo, o Secretário-Geral do CTR enviara o texto do jornal para filiados do Conselho que viajaram até Gardignon, e eles mesmos imprimiram. Os homens entregaram as impressões à voluntários da UOG.[/align]

Mesmo combalido, a União continua ativa e realiza vários debates sobre o fim do Império e uma possível mudança a um governo socialista ou algum outro tipo de governo mais adequado aos trabalhadores do que o vigente. Um ou outro Praetoria participa esporadicamente das reuniões para discretamente vigiar os participantes.

Um dos homens que dembarcara na Estação pede para falar con a diretoria do sindicato.

  • Senhor, faz tempo que os diretores sumiram e nos abandonaram, apenas ficamos alguns poucos operários. O assunto seria somente com os diretores eleitos ou pode ser algum diretor na prática?

Os parcos operários que ainda frequentam a sede pensam em abandoná-la, visto que não possuem qualquer apelo popular aos seus ideias.

Alguns membros mais fanáticos começam a se armar e buscam algum apoio para a criação de uma milícia.

[font=Garamond Bold][size=150]
[tab=30]Dois agentes da CIR, usando roupas de operários e com alguma graxa no rosto, se filiam ao grupo e buscam estabelecer contato com alguns dos membros.

[/size][/font]

Apos descobrir a existência da UOG, Alexandre decide-se espalhar as ideias do grupo

Na manhã do 1º de maio fora realizada uma manifestação por melhores condições de trabalho.