[INTERATIVO] Terminal Ferroviário de Rovigo

[center]TERMINAL FERROVIÁRIO DE ROVIGO[/align]

[font=Times New Roman][size=150][i]

[tab=30]Após vários dias de construção, o Terminal Ferroviário de Rovigo finalmente é concluído, sendo o ponto de ligação entre as ferrovias da Companhia Ferroviária Romaniana. Composto por cinco plataformas de embarque e desembarque, o Terminal será capas de possuir até dez trens em suas plataformas, sem atrapalhar o fluxo dos mesmos e causar transtornos aos passageiros.

Dados de Construção[/i][/size][/font]
[spoil][i][size=150][font=Times New Roman][justify][tab=30]Tendo chegado à Rovigo no início da tarde, os operários da Nova Roma Infraestrutura iniciaram a demarcação do lote, assim como a alocação de materiais, preparando o solo para receber as estruturas do alicerce. Estimava-se que o tempo de construção seria rápido, estando a obra concluída nos próximos 5 dias.

[/align][/font][/size][/i][/spoil]


[tab=30]Com o surgimento de novas empresas por todos os lados, famílias começam a se mudar, buscando melhores condições de vida e um emprego certo que lhes possa propiciar tal desejo.


[tab=30]Pequenos comércios são abertos dentro das estações, oferecendo aos passageiros várias opções de alimentação e aquisição de artigos de consumo.


[tab=30]A segurança do terminal é redobrada para evitarem qualquer atividade anti-romaniana.


[tab=30]Mesmo com uma pequena queda nas tensões diplomáticas, a segurança nas dependências do terminal permanecem em alta.


[tab=30]Tendo em vista os recentes acontecimentos, cidadãos começam campanhas para arrecadação de fundos com o intuito de auxiliar no esforço de guerra. Todo ouro, prata e moedas são arrecadados e serão utilizados no financiamento de compra de armas e outros equipamentos. Enquanto isso, homens com pistolas, rifles e qualquer tipo de arma de fogo reúnem-se na estação de trem da cidade para rumarem até o centro dos combates, no norte do país.


[tab=30]As primeiras peças de artilharia e metralhadoras são embarcadas nos trens rumo à Bolzano. Enquanto isso, populares carregam diversos caixotes com armas, munições, vestuários e alimentos, para utilização dos soldados em todas as frentes de combate, embarcando-as também em tais trens.