[INTERATIVO] Via Appia - Trecho do Município Neutro

[center]Via Appia[/align]

A única estrada que liga a cidade Aquila a Gardignon, construída ainda na época em que Gardignon era parte da colonia romana da Romania, a Via Appia é a única estrada romana que sobrevivera ao passar dos anos.
Desde a construção da linha ferroviária que liga Gardignon a Aquila, a estrada teve uma grande queda no número de transeuntes, mas ainda é frequentemente utilizada por camponeses e alguns moradores das vilas e cidades próximas a capital.

Durante a tarde, muitos trabalhadores chegarão ao local, alguns vindos de Aquila, outros de Dunord e até alguns draconianos de Firgen, após algumas horas, um funcionário do governo chega ao local, aparentemente aquele era o responsável pelo grande projeto do sistema de esgotamento da cidade.

Senhores, hoje vamos dar inicio a uma etapa muito importante desta grande empreitada que a nossa nação está fazendo, criar um sistema de saneamento em nossa capital não será nada fácil, como parte fundamental disso, iremos começar a construção de galerias subterrâneas por toda a cidade, alguns grupos já começaram a construir tais galerias mas a principal será está, a da Via Appia, como essa estrada se estende até o centro da Cidade, ela é considerada a principal e por isso teremos um grande trabalho, o transito será severamente afetado devido a nossas obras mas o Governo já entrou em contato com a Gendarmeria para garantir o fluir do transito.
Dividirei os senhores em dois grupos, um será encarregado da escavação e o outro será encarregado da retirada dos detritos, todo o detrito deverá ser levado para o campo de obras que fica a poucos quilômetros da cidade, sigam este esquema, as galerias devem convergir em direção ao campo de obras.

[center]A Via Appia é fechada para a construção das galerias.[/align]

Após passar no Palácio D’Luris, o Chanceler vai ao canteiro de obras da Via Appia, surpresos com a visita do mesmo, logo alguns trabalhadores param e começam a olhar e saudar o Chanceler que começa a conversar com o responsável pelas obras.

  • Boa Noite Excelência, o que o traz ao nosso simplório local de trabalho?
    Boa Noite meu caro, esse projeto é de suma importância para a nação, mas me diga, como vai a construção das galerias?
  • Mais rápido do que o esperado, tivemos um pequeno com um dos túneis, durante a escavação nos deparamos com uma nascente mas conseguimos contornar esse problema.
    Ótimo, muito bem, continue assim.
  • Excelência, em poucos dias terminaremos as obras da Via Appia e iremos concluir as outras galerias da cidade.
    Assim que terminarem na cidade, eu quero que se dirijam ao Campo de Obras principal para auxiliar na conclusão do mesmo.
  • Sim senhor.

Após terminar a sua conversa com o Mestre de Obras, o Chanceler começa a caminhar pelo centro da cidade e vai para a sua casa.

Após irem na estação ferroviária e virem que não teria nenhum trem para Piemonte até o dia de amanhã, conseguem pagar para irem com carroças para Piemonte. Neste grupo estava um padre brasileiro; um francês e uma polonesa, marido e mulher; um jovem adulto ítalo-americano, um outro francês, um velho alemão e uma senhora britânica, alguns com suas famílias, outros não.

A comitiva com o Comissário, os estrangeiros convidados dele e alguns presos que já haviam sido condenados, que estavam sendo transferidos da Gendarmeria para a Prisão, vai em direção a Áquila, depois iriam até Padova (onde passarão a noite) e tomariam o caminho para Cisalpe.

[justify][tab=30]Com a economia gesebiana em plena expansão, o movimento na via torna-se cada vez mais intenso e em alguns lugares há lentidão no tráfego.[/align]

Com a criação da primeira Companhia Telephonica, a ambição por tornar esta tecnologia acessível a todos faz com os planos sejam expandidos. Pela tarde, homens passam a fazer a intalação de postes com a linhas telefônicas, para interligar as demais províncias do Império.

A instalação de postes continua a todo vapor. Foi criado o turno da noite, e os homens noturnos fizeram grande progressos na instalação dos portes. Em breve, chegaram ao Condado de Saint-Depoux e estarão perto de Áquila.

[font=Palatino Linotype][size=150][justify]Dois pelotões com setenta soldados da II Tropa dos Caçadores Gardenhos passaram a controlar o acesso da Via Appia e parte dos caminhos paralelos, com o objetivo de evitar tumultos e o fluxo de pessoas que deixavam a Capital Imperial em direção a Saint-Depoux e cidades da Romania.
Não impediam a circulação, mas estavam tranquilizando os transeuntes e a grande maioria desistia do intento de sair da Capital. Passaram a registrar aqueles que estavam deixando a região, o porquê estavam fazendo e para onde iriam.

Obviamente a presença de militares e bloqueios na Via Appia não era das mais tranquilizantes. Detinham 10 metralhadoras Willer Death Gun .12, algo que não era ignorável naquela situação.[/align][/size][/font]

[justify]No quinto dia de controle na Via Appia, as forças dos Caçadores Gardenhos começaram a se deslocar rumo à suas bases.[/align]

[font=Garamond][size=150]No inicio da manhã cerca de 50 operários enviados pelo Governo Imperial chegaram no inicio do trecho gardenhano da Via Appia, a via estava praticamente intransitável, devido a idade e ao grande fluxo de transeuntes ela sofrera grandes danos.

O chefe do grupo analisou a situação e deu algumas ordens, logo em seguida todos pegaram pás, enxadas, picaretas e começaram a desobstruir a via, por volta do meio dia eles já haviam feito algum progresso, mas levará dias para desobstruírem a via completamente, por isso enviaram um pedido ao Palácio Nacional para que enviassem mais homens.
[/size][/font]

Com muita dificuldade, em plena madrugada, nos deslocamos através da Via Appia. O sismo havia afetado fortemente a unica ligação terrestre entre a Capital e Áquila. No entanto, graças ao trabalho que já vinha sendo realizado por homens do governo, para desobstruir completamente a estrada, e também graças a habilidade dos cocheiros, conseguimos lentamente transitar pelo referido trecho.

[font=Palatino Linotype][size=150][justify]Após mais de uma semana de trabalhos intensos, as equipes da EGCT, da CEDR e voluntários começavam a realizar novo cabeamento dos setores danificados das linhas elétricas e telegráficas. Diferente do trabalho urbano, o trabalho nas rotas de acesso era imensamente facilitado pela contiguidade das fiações.

Acreditava-se que em dois dias, a comunicação entre Áquila e Gardignon estaria totalmente restabelecida, quando as equipes ao norte e ao sul se encontrassem.[/align][/size][/font]

Um grupo de operários enviados pelo Governo Imperial chega no local, eles avaliam a integridade das estruturas da região e verificam o sistema de saneamento. Eles ficam algumas horas e cumprem com o seu objetivo.

Um corpo desfalecido de um Sarraceno e encontrado dentro de um saco no meio da estrada, o Corpo fora esquartejado e uma palavra estava escrita no peitoral do falecido: “Cruz”.

Acompanhado pelo seu mordomo-mor, o Sr. Graystone, e uma pequena escolta de legionários, o Chanceler parte para Áquila em seu automóvel.

Na região fronteiriça do Arquiducado, todas carroças e pessoas são revistadas para que, assim, impeça-se contrabandos.

Gendarmes fiscalizam constantemente a via.

Embora o movimento da via tenha diminuído, as patrulhas de Caçadores e Gendarmes ainda persistem.

Com o julgamento de Salvatore quase todos os romanianos são revistados, o que gera algum descontentamento nestes.