Jogos da XXXII Olimpíada

Chegou a Olimpíada, festival dos esportes, desta vez com um ano de atraso. Ainda bem que foi o Japão que teve que lidar com essa bucha.
Dezenove dias de eventos, 339 medalhas de ouro a serem distribuídas.
Como os jogos são do outro lado do mundo, os eventos serão de madrugada.
Vou me esforçar para acompanhar ao vivo o Atletismo, futebol, volei, ginastica, judo (e outras lutas). Quem sabe alguma outra modalidade
A abertura é na sexta, mas por causa do calendário estreito, futebol já tem na quarta.
Projeção para o Brasil seria de queda dramática no desempenho nas medalhas, todo o investimento anterior cortado; quem sabe alguma coisa permaneça.

Meu guia de acompanhamento será a wikipedia, alguém sugere algo melhor?

5 Curtidas

É, também acredito que vai ser sofrível o desempenho dos atletas do Brasil, com um dos períodos mais extensos longe da rotina de treinamento em função da má gestão da Covid-19 por aqui… Fora o baixo investimento em esportes mesmo.

1 Curtida

Sinceramente, não to dando nem bola. Vou fazer o mesmo que fiz com a Copa América e Eurocopa e só seguir pela Wiki.

1 Curtida

Caramba, que inflação de medalhas. Pensei que eram menos.

Eu gosto de ver competições olimpicas, até de esportes que não entendo. Esgrima, luta greco-romana, equitação, corridas diversas, tudo esta valendo se for divertido. Iatismo é meio chato, no entanto.
No futebol, duas vitorias tranquilas. Futebol feminino é na alta madrugada, dai é impossivel, mas assisti ao masaculino, parcialmente.

Um site chamado “gracenote” previu estatisticamente a quantidade de medalhas; achei meio furado, com o Brasil até melhorando razoavelmente desde 2016. Veremos.

3 Curtidas

Esse suposição deles, na verdade, põe o Brasil numa posição à frente no quadro de medalhas se comparada a 2016 mas se comparasse os dois anos o Brasil de 2016 estaria à frente.

O mais provável é que o Brasil piore se comparado a 2016 pois os anfitriões sempre conseguem mais medalhas que o padrão (com raras exceções na história).

Acredito que ficaremos num meio termo entre 2012 e 2016. Assim suponho que teremos em torno de 5 medalhas de ouro, umas 5 de prata e um pouco mais de 10 de bronze.

1 Curtida

Acho q tem a ver com o maior número de esportes…

1 Curtida

Brasil valoriza muito pouco seus atletas, principalmente a mídia. O destaque foram a garota do skate (desculpem, sou péssimo com nomes) e a ginasta que conseguiu o primeiro ouro na modalidade. Mas pesquisando um pouco, temos uma lutadora de judô, um canoísta e um arremessador de peso que mantiveram (como pouquíssimos) a excelência de desempenho, se mantendo no pódio ou próximo a ele. Ganhar sempre é bom, mas aprendi que o esporte é o desempenho, sempre. Quanto aos “investimentos” sou contra. Pq? Vivi por muito tempo ao lado de um campo de várzea próximo a condomínios de “luxo”. A população se virava para conseguir patrocínio seja com alguma loja de petshop ou o açougue do bairro. Raríssimas vezes vi alguém do tal “condomínio” vir assistir os jogos com a gente ou apenas prestigiar o esforço dos “atletas de final de semana”. “Investimentos” no esporte, vejo com muito mais clareza hoje, apenas outro “ciclo” vicioso de dinheiro público com a “manutenção” de “confederações”, “sindicatos” que precisam divulgar editais e convocações na “mídia” para cumprir a “lei”. Parabéns a todos os atletas, mas principalmente aqueles que mantiveram a excelência dos seus desempenhos.

2 Curtidas

Único esporte que possui mídia e público no Brasil é futebol masculino. O resto é praticamente apenas “suportado”. Isso é fato. Tivemos a febre do basquete, do tênis, do vôlei, mas passageiras. É da nossa cultura, infelizmente, aliada à superexposição do futebol. Quem sabe no futuro?

1 Curtida