Micronacionalismo?

A tempos venho pensando em criar esse tópico mas sempre me sentia receoso em como este seria aceito, pois bem aqui estou e ele até pode servir para explicar minha diminuição junto ao portal.

Pois bem creio a melhor maneira de começar seja com um breve texto tirado do http://www.micronacionalismo.org/

[i]Bem vindo(a) ao Micronacionalismo !

Você sempre acreditou que é um bom estrategista?

Sente que dentro de você mora um grande estadista?

Acha que seria capaz de trabalhar como se fosse um diplomata?

Parece que sempre soube que o jornalismo seria seu destaque?

E agora você acredita que o Micronacionalismo é como um RPG onde você deve alcançar um objetivo determinado?

Bem, não chegou nem perto! Prepare-se para conhecer um hobbie que há décadas é razão de discussão no chamado mundo micro (aqui na Internet) e no macro (o mundo “real”). Uma atividade sofisticada que alia estratégia, política, diplomacia, cultura e entretenimento e que - nos perdoem os aficcionados - faz o RPG uma brincadeira de criança.

Não, o Micronacionalismo NÃO é uma brincadeira, é um hobbie em que milhares de pessoas em todo o mundo buscam dar forma às suas idéias sobre como deveria ser um país e encontram nesta atividade o ambiente ideal para experimentar.

No micronacionalismo você pode ser qualquer coisa, tudo depende da sua vontade e, claro, da sua habilidade. Sente-se capaz? Então desafie-se e participe.

Porém não pense que será simples, o micronacionalismo não é um hobbie de ocasião, é uma prática única que parece tomar de assalto todos aqueles que dela participam. Ser um micronacionalista é estar pronto para inventar, sempre. É perceber as diferenças não como ameaça mas como possibilidade. É saber circular entre Nações diferentes, pessoas diferentes e, com habilidade, colocar-se como um grande micronacionalista.[/i]

No portal e na winkipedia poderá ser encontrado mais informações sobre micronacionalismo, creio não seria muito util inundar aqui com texto falando sobre o que é micronacionalismo, na pratica ele vai muito além dos conceitos e acho que o ideal seria eu (um rpgista do IG) demonstrar as diferenças e mostrar como é gostoso participar desse hobbie. Então vamos lá;

PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE MACROMUNDO (VIDA REAL) E MICROMUNDO (VIRTUAL).

Acredito que a principal diferença que o aspirante ao micronacionalismo precisa entender é quanto as necessidades.

Micronacionalismo é uma comunidade, sociedade organizada em forma de governo, até aqui tudo bem parecido com o macromundo mas a diferença é que seu território e sua organização é dentro do mundo virtual (sites, lista de e-mails e ademais).

Entendendo isso podemos entender a diferença das necessidades, exemplo no mundo virtual não precisamos de roupa então criar uma empresa que venda roupas pode não se sair muito bem no micromundo por não se possuir a necessidade delas.

Outro exemplo e mais pratico, imaginamos o mundo virtual (sites), você pode estar em um lugar e em um clique estar em outro, ou seja você pode estar em uma cidade dentro de uma nação e em um clique estar em outra cidade dessa mesma nação ou mesmo em uma outra nação, se é possível fazer isso tão simples da pra se entender que não existe a necessidade de usar carro ou aviões.

O aspirante precisa entender sobre o que é necessário dentro de um mundo virtual, onde não se encontram a necessidade de se alimentar, beber, dormir, se locomover etc…

Outra diferença interessante em se observar é a quebra da lei da física, no micromundo você pode estar em dois lugares ao mesmo tempo, o ambiente virtual proporciona isso, exemplo; você pode estar na Itália e fazendo turismo na França.

DIFERENÇA DE RPs (IG) PARA O MICRONACIONALISMO

Entendendo a diferença acima é fácil perceber algumas diferenças de um RP para o Micronacionalismo, uma das mais nitidas é que você não vai interpretar um personagem, você será você, com outro nome mas ainda assim será você, sem interpretar um personagem.

Diante disso você já consegue eliminar a parte do RP que no micronacionalismo chamamos de virtualismo, você não vai precisar realizar aquela interpretação teatral narrando suas ações como;

Adentrei o gabinete do Senador, o cumprimentei e pus-me a questionar…

Ou

Servi-lhe um copo de bebida e assim começamos a conversar…

No micronacionalismo você vai abrir o topico do gabinete e vai simplesmente escrever, perguntar e conversar sem cerimônias ou interpretações. Assim já vemos a inutilidade dos famosos NPs.

Outra boa diferença a se observar e sobre o sistema de RPGs, ondem o personagem que vivemos precisa obter tal informação in-game, no micronacionalismo se você user leu algo que esta publicado pronto já se encontra sobre sue poder aquela informação, não precisa falar que alguém comentou ou etc. Ou seja é pratico.

As regras são as próprias leis da nação, se não está previsto nas leis pode se fazer.

Bom então se não tem lei falando que não posso abrir uma loja de carros em uma nação eu posso abrir? Pode, mas se vai ter atividade ai é outra historia.

Então não existe no micromundo empresas? Existe mas a maioria é de prestação de serviço (Jornais, Escolas, Faculdades, Escritorios de Contabilidade e Advogacia, Empresa que cria sites, de midias, de publicidade, ou seja tudo que se é necessario ao mundo virtual).

Mas pera você mencionou escolas e faculdade mas ai não teria um RP ou virtualismo? Não, pois é como se fosse um Estudo a Distancia (EAD), a pessoa acessa a faculdade le as aulas e aprende.

Então não existe nada que não seja prestação de serviço? Até existe mas de uma forma diferente, exemplo uma biblioteca não vende livros mas apresenta criticas e sugestões sobre livros. Um cinema a mesma coisa.

Acredito que no mais a vivencia do micronacionalismo vai nos moldando.

Daqui do IG já fomos para lá eu, Tarbram e Lukas e lá ja fomos;

Lukas: ministro da educação, coordenador de museu.

Tarbram: Ministro da Imigração, Presidente de Partido, proprietário de um jornal, poeta.

Julio Cesar: Governador de uma comuna (cidade), Ministro da Comunicação, Diretor da Agencia de noticias e atualmente candidato a senador, coordenador de um centro espirita e socio de uma faculdade, Embaixador Italiano no Reino da Escócia .

Se interessou mas ainda tem duvidas? Poste aqui e ficarei contente em lhe responder (E Tarbram e Lukas se puderem me ajudem).

Em linhas gerais é isso, decidi por colocar aqui na política por se tratar de algo que possa interessar a usuários além do IG.

Abaixo comentarei sobre algumas nações;

Existem varias micronações, mas me aterei a 3 que tem praticamente estrutura semelhante a usada aqui, segue;

Reino da Escócia: http://www.escocia.top/

  • O Reino da Escócia é um reino aparentemente novo, com poucos cidadãos e começando a formar sua estrutura de governo.

Prós: Maior facilidade de crescimento.

Contras: Diante da baixa quantidade de súditos sua atividade é pequena, pode ficar dias sem que aconteça algo.

Reino da França: http://www.reinodafranca.org/

  • O Reino da França é um reino antigo com mais de 10 anos, possui uma boa quantidade de cidadãos e com sua estrutura de governo já montada.

Prós: Grande quantidade de atividade.

Contras: Como tem muita gente, tem muita gente ocupando cargos e mais, mas isso não impede de batalhar e conquistar seu espaço.

Reino da Itália: http://www.reinodaitalia.org/

  • O Reino da Italia é o reino mais antigo dos 3, possui uma quantidade razoável de cidadãos e com sua estrutura de governo já montada mas ainda com muitos cargos a serem ocupados.

Prós: Grande quantidade de atividade e facilidade de crescimento.

Contras: Cultura pouco conservadora o que dificulta algumas inserções de ideias.

Eu o Tarbram e o Lukas fazemos parte do Reino da Itália, caso queiram conhecer nos procurem lá. Mas também estou como embaixador na Escócia e se forem lá também me encontram, na França sempre estou por lá também pois junto com o Centro Espírita de lá estamos formando uma associação.

Mas ai se eu for pra lá não posso participar do IG? Claro que pode, eu mesmo estou fazendo isso, da pra participar dos dois sem problemas.

Venham conhecer uma maneira diferente de se divertir.

Aguardo comentários e visitas.

Fique à vontade. :wink:
Eu já adianto que não participarei pois prefiro o sistema de RPG mesmo.

Eu dei umas olhadas no Reino da Itália há algum tempo atrás, a convite do JC. Mas cheguei a uma conclusão que até relatei pra ele em resposta: o virtualismo é o perfume do negócio. Sem as marcações narrativas fica tudo muito abstrato. Chega a parecer um fórum comum, onde as pessoas discutem coisas variadas. Talvez no início, com o assentamento das bases institucionais da micronação, seja diferente. Eu penso que, se vou engajar numa vida paralela, devo buscar novas experiências, ambientes, modos e histórias, não simplesmente estender a minha participação online.

Bem, vamos desenterrar este tópico, que não está bem morto.

Há 17 anos atrás descobri Nova Roma (http://www.novaroma.org) que era uma espécie de clube-micronação com o tema de Roma Antiga, da época republicana; quem quisesse fazer parte, devia escolher seu nome com base na trinomínia romana (Gaius Iulius Caesar = prenome - nome - cognome), o calendáio usado era o romano (estamos no ano MMLCCDXX AUC, ou 2770 da Fundação de Roma).

Haviam dois co-presidentes, que eram os Consules; dois co-vice-presidentes, que eram os Pretores; dois co-secretarios que eram os Censores (entre outros magistrados); um conselho de membros veteranos, que era o Senatus; aonde haviam membros pelo mundo, eram criadas provincias e escolhidos governadores locais, os Propraetores; as eleições eram anuais e se realizavam segundo os costumes romanos, através de Centurias e Tribos eleitorais, com mandato em tempo real.

Os que se interessassem pela religião romana podiam participar do Colegium Pontificum, e até se candidatar a Pontifex, Augur etc.; os costumes romanos eram estimulados através des Sodalitas; era possível recriar a cozinha romana com a elaboração de bolos e temperos como o Garum; havia a simulação de jogos virtuais administrados pelos Edis; haviam encontros locais, e os membros vestiam togas de magistrados, roupas civis, religiosas ou militares.

Tinha curiosidade sobre tudo isso, e nos foruns de mensagens havia discussão sobre os melhores livros, filmes etc. Aprendi bastante no período.

De vez em quando havia discórdia e confusões diversas sobre aonde aplicar o dinheiro do tesouro público, o valor da colaboração anual, antipatia pessoal, e membros iam embora. NR parecia estagnada e deixei de participar em 2011. Hoje parece que as eleições deixaram de ser realizadas. Vamos ver por quanto tempo continurá existindo.