[MTW2] Winter is Coming

[justify]Winter is Coming[/align]
[size=150]Irei iniciar uma ARR de Medieval Total War 2 com o mod Ice and Fire (junto com o submod Winds of Winter).

O MOD

Bem o mod é basicamente um compilado de outros mods de Game of Thrones feitos para medieval 2, ele é bastante estável, e muito divertido, entretanto está longe de ser acabado, é necessário balancear o sistema de recrutamento e de unidades.

SOBRE O AUTOR

Meu nome é Fábio, tenho 18 anos e estou de férias o que significa que terei muito tempo livre para escrever e espero que meu interesse e entusiasmo não declinem. Já li todos os 5 livros de Crônicas de Gelo e Fogo e assisti todas as temporadas da serie (mais de uma vez). Meu primeiro Total War foi o Medieval 2 e por isso tenho muito carinho por esse jogo, talvez ele seja o jogo que mais joguei na minha vida, mesmo que meu pc rode até o Atila Total War eu ainda sou apaixonado pelo Medieval e a nostalgia que ele me causa, claro, vejo como algumas mecânicas dele são datadas como só poder recuperar as unidades em castelos e cidade (o que será uma dificuldade com os Stark, porque só poderei recuperar a maior parte das tropas especificamente em Winterfell.

SOBRE A CAMPANHA

Jogarei com os Stark de Winterfell durante a Guerra dos Cinco Reis, meu foco principal será narrar a historia que quero contar através do jogo (se possível) e não jogar e ir narrando aleatoriamente o que acontece, ou seja, não esperem eu iniciar uma conquista do Oeste, pois isso não faz sentido, o que quero fazer e o que Rob queria fazer é uma guerra rápida, cortar a cabeça de Joffrey e dos principais Lannisters e claro a independência do Norte. Só mais um adendo, eu irei multiplicar por 10 o numero de tropas para parecer mais real, então se no jogo Rob liderar um exercito de 2000 homens irei narrar como se ele liderasse um exercito de 20 000, pois é proporcional.

Objetivos

1-Matar Joffrey e capturar Kingsland se ela for uma posse lannister e ele estiver lá.

2-Matar Tywin.

3-Matar Jaime.

4-Manter todas as terras do Norte e Tridente sobre meu comando ou dos Tully.
[/size]

[center]PROLOGO PARTE[/align]
Eu olhava para aquele caneco de cerveja e tentava me ver nele, mas com toda aquela fumaceira das velas e a bebedeira, era difícil de ver qualquer coisa, quem dirá meu reflexo, todos já estavam um pouco bêbados, até mesmo lorde Stark, não era incomum lorde Eddard jantar com a guarda, mas naquela noite era diferente.

Fazia poucos dias que o capitão da guarda, Poo tinha sido morto por Jaime Lannister, primeiro isso nos deixou furiosos, mas agora com um caneco de cerveja na mão e lembrando de suas incríveis façanhas… Como por exemplo a de sair pela janela de um bordel porque não se lembrou de levar o dinheiro para a puta […] só nos deixa com saudades, mesmo o lorde que é sempre moderado hoje exagerou na cerveja, não sei ao certo se é para parar a dor na perna ou esquecer-se da morte de seus homens. Com certeza ele já está acostumado com a morte de amigos e companheiros, ele lutou em duas guerras e alias nas duas meu velho pai participou.

Meu pai serviu lorde Rickard quase que a vida toda, até me deu o nome de seu lorde em homenagem a ele, meu pai viu Ned crescer e quando o rei louco fez aquela atrocidade com seu pai e seu irmão, ele seguiu Ned e todo o Norte na guerra da Rebelião de Robert, mas isso foi há muitos anos, hoje meu pai não serve mais como guarda do séquito dos Stark, esse é o meu dever agora.
Já faz um tempo que abandonamos a comida e ficamos só bebendo e brindando em homenagem a Poo e os outros que morreram no bordel, lorde Stark também quase foi morto lá, um dos lacaios lannister atravessou sua perna com uma lança, quando soubemos queríamos ir atrás do regicida, mas ele já havia partido.

Ouço alguém entrando no salão, é o irmão mais novo do rei, lorde Renly. Quando Ned o vê entrando rapidamente se levanta e toma uma postura digna, quem via Eddard naquele momento nem suspeitava que ele tivesse bebido tanto, a austeridade de um Stark é realmente sem igual.

-Meu lorde, o rei sofreu um acidente na caçada, está muito ferido. Renly parece verdadeiramente preocupado, embora Rickard não tenha a pericia necessária para reconhecer as jogadas e mentiras dos lordes.

-Me leve até ele.

Eu e Jack o seguimos já que naquele dia a guarda do lorde era nossa responsabilidade.
O rei estava no quarto real, eu e Jack ficamos do lado de fora do quarto junto com um guarda lannister e sir Barristan Selmy. Após algum tempo todos saíram menos lorde Stark e o rei, quando finalmente saiu o rosto de Eddard estava perplexo e começou a se dirigir de volta a Torre da Mão até sermos abordados por Lorde Renly novamente. A conversa foi rápida e distante de mim e de Jack, mas não precisamos ser nobres para ver claramente que eles jogavam o jogo dos lordes, o jogo dos tronos.[/size]

[center]PROLOGO PARTE-II[/align]
[justify]Quando terminaram parecia que o senhor de Baratheon não tinha gostado do que ouviu, voltamos a nos aproximar do senhor Eddard, ele nos olhou severamente.

Já faz algumas semanas que lorde Stark mandou que eu e Jack levássemos suas filhas de volta para Winterfell, seguimos a risca suas instruções, saímos imediatamente, sem ostentar o símbolo do lobo e com sobretudos desgastados e em nenhum momento permitimos que a senhora Sansa ficasse sem o capuz em publico, seu cabelo ruivo dos Tully eram incomum e bastante característico, aquela altura Rickard já tinha percebido que as coisas não estavam certas, a muito eles estavam nas Terras Fluviais em direção do Gargalo, os senhores dos rios tinham se mobilizado, pelo que ele ouviu enquanto comprava comida próximo à Kingroad.

O cunhado do lorde Stark, Edmund Tully tinha convocado os senhores do Tridente, expulsado o Montanha e agora se preparavam para a verdadeira guerra contra o Oeste, Jack relatou que ouviu algo sobre lady Stark, de alguma forma ela tinha sequestrado o Duende, filho do Guardião do Oeste. Ao que parece o leão e a truta logo dançarão
na fronteira oeste. Pergunto-me o que aconteceu com lorde Eddard e o que o filho dele fará caso seu tio seja atacado.

A verdade é que, Rob Stark poderia vim a se torna um ótimo lorde, mas naquele momento era um garoto de 16 anos, Rickard também era jovem, tinha 25 dias do seu nome, mas achava que existia um mar de diferença entre um homem de 25 e uma criança de 16. Mas se a guerra realmente viesse quem iria liderar o Norte?

-Veja Jack, é uma estalagem!

-Não deveríamos parar, podemos ter saído das Terras da Cora, mas até estarmos no Norte não é seguro.

-Sei que não deveríamos, mas não é prudente avançar tanto sem ao menos saber do que se passa, pode ser que o rei tenha se recuperado e tudo esteja bem.

-Duvido muito, o javali tinha aberto sua barriga de uma ponta a outra, mas está bem, faremos o seguinte você vai, faz as perguntas que deseja fazer e eu espero com as senhoras do lado de fora, mas seja rápido.

A senhora Aria não gostou nada de ficar esperando do lado de fora, mas não era seguro andar com elas em lugares movimentados até saberem que perigos enfrentam. Rapidamente alcançamos a estalagem, ainda era dia, então tinha pouco movimento. Antes de entrar tentei esconder a espada debaixo da capa e o punhal, não sabia o que poderia encontrar, mas queria estar preparado.
Assim que entrei a estalajadeira ficou a me olhar e finalmente falou:

-Não queremos confusão, a guerra ainda não chegou aqui e quero que continue assim.

-Guerra? Não sei de nada, mulher. Estou na estrada há semanas, quem está guerreando?

-Você estava na estrada ou debaixo de uma pedra, rapaz?

-O rei morreu e a Mão foi presa, agora Tywin Lannister quer invadir o Tridente e o Norte.

O coração de Rickard quase saiu pela boca quando ouviu que lorde Stark tinha sido feito prisioneiro.

-Quem comanda Kingsland?

-A viúva do rei, a puta loira.

-E como vai essa guerra?

-Prestes a começar, lorde Edmund acampou próximo ao Golden Thooth, ao que parece o filhote de leão está lá.

-Qual filhote? O Regicida?

-Esse mesmo.

-Você tem alguma noticia do Norte?

-Nenhuma. Por que, você é de lá?

-Não.

Apenas dei de costas e sai.

-E então, Rickard?

-Depois conversamos agora precisamos nos apressar.

Quando a noite caiu já estávamos próximos as Gêmeas, esperei até as meninas dormirem para falar com Jack.

-As Terras Fluviais estão em guerra, e lorde Stark foi preso pela rainha.

-Desgraçada, ele devia ter vindo com a gente.

-Eddard Stark é a Mão do Rei, você sabe tão bem quanto eu que ele não fugiria do seu dever.

-É verdade, espero que sua honra não custe a sua vida.

-Enquanto ao filho dele?

-Não sei a mulher não sabia.

-Espero que Rob não seja imprudente, ele é um garoto, não entende de guerra.

0][/size][/size][/align]

PROLOGO PARTE III

  • Finalmente. Fosso Cailin - proclamou Jack.

  • Agora a viagem será mais segura e poderemos descansar mais, tenho certeza que alguns homens do Fosso irão conosco até Winterfell.

  • Rickard! Olha aquilo, é o símbolo da casa Bolton, aquele é dos Glover, Mormont, parece que todos os vassalos da casa Stark estão na fortaleza.

  • Jack, isso é um exercito!

  • Então o Norte também vai à guerra.

Sansa transtornada com o que ouviu pergunta.

  • À guerra? Como assim à guerra o que vocês querem dizer com isso? O que aconteceu com meu pai?

  • Lady, creio que é melhor sua família falar com você sobre isso, agora vamos nos apressar.
    Mesmo depois de dias Rob ainda examinava a carta enviada pela coroa e pensava se tinha tomado à decisão certa. A carta dizia “Venha à Kingsland e ajoelhe-se perante ao rei Joffrey e jure lealdade”. Meu avô certa fez foi se ajoelhar ao rei de Kingsland e acabou sendo queimado vivo, meu pai foi preso por um. Não, eu não tomei a decisão errada. Rob falou para que Theon ouvisse, “eu irei à Kingsland, mas não sozinho, levarei o Norte comigo!”.

  • Quando iremos partir?- perguntou Theon sem esconder a ansiedade de um garoto brincando de guerra.

  • Em breve, meu pai é prisioneiro na Fortaleza Vermelha, devo ir o mais rápido possível, mas antes a honra e a estratégia me obrigam a ajudar meu tio em Riverun, não posso avançar e deixar os Lannisters nas minhas costas.

Um guarda entra na sala, faz uma reverencia e fala ao seu lorde.

  • Meu lorde, avistamos dois homens acompanhando uma garota alta de cabelos vermelhos e outra garota menor de cabelos escuros.
    Rob nem ao menos respondeu, apenas correu para as ameias para ver se eram suas irmãs. Desde o ataque ao seu pai ele não recebeu mais nenhuma noticia de suas irmãs, temia que elas fossem prisioneiras ou estivessem mortas.

Eram elas! Sem duvida, eram elas! O cabelo inconfundível de Sansa não deixava duvidas e a medida que eles foram se aproximando Rob conseguiu ver quem eram os homens, eram Jack e Rickard, ele os conhecia muito bem, pois crescera treinando e caçando com eles em Winterfell.

  • Abrão os portões- Rob fez soar sua ordem de maneira firme e objetiva, não desejava que sua voz aparatasse que ele estava emocionado, embora estivesse.
    Assim que sua mãe foi informada ela correu para os portões, ela tinha chegado há pouco tempo do Vale.

  • São realmente elas? – perguntou Catelyn, ao seu filho.

  • Eu vi das ameias, não há duvida.

Finalmente os portões se abriram e a comitiva entrou. Agora as garotas vinham na frente os dois homens vinham atrás tomando uma posição de guarda, mesmo que toda essa segurança não fosse mais necessária, eles estavam no Norte agora, estavam e casa.

Catelyn foi a primeira a abraçar as filhas. Naquela altura todos os seus lordes já estavam presentes, então Rob achou por bem não abraça-las. Após algumas palavras a mãe e as filhas seguiram para o quarto enquanto Jack e Rickard permaneceram com Rob, eles contaram tudo o que aconteceu ao filho de Ned Stark.

  • Estou em divida com vocês, se não tivessem sido leais a minha casa minhas irmãs estariam sobe posse da rainha nesse momento, receberão uma recompensa em moedas e servirão na minha companhia de guarda nas batalhas. - O que é uma grande honra, geralmente só os fidalgos protegem o general durante as batalhas.
    Rob fora se encontrar com suas irmãs e mãe onde finalmente pudera ser franco.

  • Os Lannister têm nosso pai e nossa situação não é favorável, pretendo marchar sobre Kingsland e salvar nosso pai, mas preciso da ajuda de vocês, muita coisa está em jogo, preciso que se comprometam a fazer tudo o que é necessário para que nossa casa sobreviva, incluísse casamento se for preciso.

  • Elas ainda são muito novas, Rob – retrucou sua mãe.

  • Eu sei, mas um prometimento já é o suficiente para formar alianças e precisaremos de apoio, mas não há necessidade de pensarem nisso agora, descasem, falaremos disso outra oura.

O exercito do Norte estava na fronteira, mas agora era necessário definir os próximos passos, Rob observava os mapas das Rivelands em seu quarto quando finalmente deu uma ordem.

  • Theon, convoque o conselho de guerra para essa noite, marchamos ao amanhecer.
    [/size][/align][/align][/size]

Bota a Tag do jogo no título, no caso [M2TW]

Long live the King in the North!
Acompanhando! (finalmente…)

Desculpe, tinha esquecido:)

Pretendo postar a parte 1 ainda hoje, tive que fazer esse prólogo pq na campanha Aria é Sansa são princesas, ou seja, não estão presas.

[left]Capitulo I[/align]
[size=150][justify]O salão do conselho de Fosso Cailin era espaçoso, o Fosso foi construído para ser o portão do Norte, a barreira que manteria os exércitos estrangeiros fora do Norte. Faltavam muitas coisas que um castelo normal tinha, salões para festas e banquetes, jardins, septos… Todos os comodo da fortaleza foi pensado para a guerra. Rob e seus vassalos estavam em um naquele momento.

Rob sabia que seus lordes estavam o testando, vendo se aquele menino do verão tinha o necessário para resistir ao inverno que se aproximava. O lorde de Winterfell se encontrava na cabeceira da mesa sentado em uma enorme cadeira de madeira enquanto seus vassalos estavam dispostos dos lados, sentados em cadeiras menores.
Tinha comida e vinho na mesa, além é claro, de mapas e peças em forma de lobos, trutas e leões.

  • Os nortenhos defenderam o Norte a partir do Fosso Cailin durante eras e sobre desvantagens numéricas esmagadoras – disse lorde Cewyn.

  • Meu lorde, nossa guerra está no sul, precisamos ajudar meu tio na guerra contra os Lannister e depois marchar sobre Kingsland – retrucou Rob.

Grande Jon levantou da cadeira e falou – então levaremos a batalha até Tywin Lannister, não a mais o que discutir.

Com uma voz de quase desinteresse lorde Rosse Bolton falou – ainda precisamos discutir algumas coisas, segundo o corvo que chegou a pouco, Edmund Tully foi derrotado na batalha de Gold Tooth, ele voltou para Riverun, mas tem apenas 10000 homens, é provável que Jaime Lannister esteja se preparando para por Riverun em cerco.

  • E Tywin Lannister? - perguntou lorde Karstark.

  • Ao sul de Willow Hood, com um exercito tão grande quanto o do regicida – falou Rosse.

  • Devemos dividir nossas forças, eu irei com metade pela margem ocidental do Ramo Vermelho e lorde Bolton irá liderar a outra metade na margem oriental. Ainda não é claro se Tywin pretende reforçar as forças de seu filho em Riverun ou assediar Harrenhal. Meus lordes para determos a invasão lannister devemos manter Riverun e Harrenhal, esses são os bastiões do Tridente, se eles caírem os lordes do rio quebrarão.

    [/align][/size]

Ansioso pelas batalhas :wink:

Estão vindo, amigo, estão vindo :pirata

Também. :amor