O sul é o meu país?

Caros colegas de fórum… Gostaria de compartilhar uma de minhas angústias recentes com senhores.

A vários anos que o discurso separatista tem ressoado aqui nas terras do sul. Eu como bom brasileiro e curitibano antipático, ignorava o assunto considerando como uma besteira baseada em um sentimento preconceituoso de superioridade. No entanto devido aos recentes acontecimentos políticos em nossa amada nação, mais e mais pessoas estão considerando a ideia de “separação”.

Embora o termo império tenha caído de moda e tomado uma conotação negativa em nossos dias devemos reconhecer que nosso país é sim um Império. Somos uma mistura de povos e abrigamos dentro de nossas fronteiras uma incrível variedade de costumes e cores (sem falar em nossos 16 dialetos do português) assim que em reposta as ideias sulista de separação, proponho algo mais ambicioso… A EXPANSÃO.

Proponho redesenharmos nossas fronteiras e recuperarmos a província da Cisplatina. Iria mais longe ainda. Anexação de parte do Paraguai e um trecho da Argentina baseado no traçado da bacia do rio Paraná.

A proposta é utilizar os Rios Paraguai e Paraná como limites naturais:

Assim criaríamos 4 novos estados:

  • Cisplatina
  • Guaraniaçu
  • Missões
  • Pampas

E assim seria nosso País:

O Brasil é um país pacífico e não acredito que esses países aceitariam serem anexados diplomaticamente.

“Integrados” é uma palavra melhor…

Vontade de jogar um HoI ou ViC que deu agora kkk

Saudações companheiros,

Tive a oportunidade de visitar recentemente a província Argentina de Missiones e uma coisa me chamou muito a atenção: O quanto nossa cultura influencia nossos vizinhos e como a influencia contrária é pequena… Por exemplo quantos artistas argentinos conhecemos? Quantos cantores paraguaios ou uruguaios tocam em nossas rádios? Porque não assistimos novelas ou falamos termos em espanhol em nosso dia-a-dia? O contrário ocorre. As rádios Argentinas tocam musicas da Anitta e do Michel Teló o dia inteiro (sinceramente não entendo nem mesmo um brasileiro que escute isso o que dirá um estrangeiro…), na TV aberta deles estão transmitindo a novela Avenida Brasil.
Nossa cultura está abrasileirando nossos vizinhos. Estamos impondo nossos costumes.

Produtos brasileiros invadem as prateleiras dos supermercados. Nossas empresas de engenharia constroem a maior parte das obras de infraestrutura.

Mas é claro que não haveria forma de conseguirmos esses territórios sem quebrar o pau contra nossos vizinhos e teríamos que trabalhar muitas décadas para conseguirmos unidade nacional e criarmos uma identidade panbrasiliense.

Tivemos um caso recente de “expansão” envolvendo a Russia e a Ucrânia em relação a Crimeia. A União Soviética teve a inteligentíssima sacada de transferir de forma massiva os povos que habitavam aquela região para o “coração do império” e enviar para as fronteiras a bons russos com suas família. Como resultado disso, hoje, muito anos depois da disolvissão da URSS, os habitantes daquela região iniciaram uma guerra para que a Crimeia volte a ser parte da mãe Russia.

Em relação aos países integrados poderíamos utilizar os seguintes argumentos:

  • Uruguai já foi parte do Brasil e perdemos essa província em uma guerra. Estaríamos apenas reconquistando parte de nosso território.
  • Paraguay é um país com pouca representatividade internacional, mau administrado e com uma grande quantidade de brasileiros e brasiguaios residindo dentro de suas fronteiras. Anexaríamos a região oriental do país que está em nossa esfera de influência e devolveríamos a região do Chaco a Bolívia.
  • Quanto a Argentina possuímos uma rivalidade profunda. Nenhum outro país fora da Europa teve tanta simpatia e entusiasmo com os ideais nazistas quanto nossos vizinhos porteños, assim que, como mostra de superioridade e assumindo que o Rio Paraná demarca nossas fronteiras reais, anexaríamos as províncias de Missiones, Corrientes e Entrerios.

Não separaremos o sul do resto do Brasil… Lhe expandiremos :pirata

*Considerações: Todas as hipóteses aqui expressadas são apenas histórias de ficção e não um sentimento expansionista e belicista dos brasileiros ou do próprio autor… Y Viva la Republica Uruguaya, la Paraguaya y Argentina
:hehe


[center]“Non ducor, duco”

“La prudenza non è mai troppa”

“Con la moral corregimos los errores de nuestros instintos, y con el amor los errores de nuestra moral.” - Jóse Ortega y Gasset[/align]

[center]“Tudo que acontece uma vez, pode que nunca mais aconteça, mas tudo o que acontece duas vezes, acontecerá certamente uma terceira.” - Proverbio Árabe[/align]

[center]“As vezes penso que a melhor prova de que existe vida inteligente em outros lugares do Universo é que nenhuma tentou nos contactar” Calvin & Hobbes[/align]

Hahaha, parece tudo ficção mesmo. E mal administrado por mal administrado, acho que os paraguaios vão preferir o que já estão acostumados… kkkk

Putz sério, vou jogar um HoI ou ViC e dar DOW na AL inteira de novo aff, me meteu a maior pilha! hauHAUhauAH

Ultimamente, a idéia tem realmente ganho apoio, e o principal argumento não é a “superioridade racial e/ou cultural”, mas o fato de que a nossa República Federativa não é realmente uma federação, mas uma república excessivamente centralizada e unitária. A estrutura do Estado é muito grande, quando poderia ser simplificada; recursos são arrecadados, enviados para Brasília, e não voltam; leis elaboradas de longe e são impostas em ambito nacional; o livre comércio tem barreiras demais contra o exterior etc.

Exatamente!

Mas e como podemos reverter isso sem dar poder “demais” as províncias e correr o risco de uma onda separatista ainda mais forte?
Temos o exemplo da Espanha onde as regiões tem muito mais autonomia e a bancada separatista da Cataluña ganha força a cada ano.
São Paulo tem a maior industrialização. Minas, Rio de Janeiro e os estados do Sul vem em seguida. A agricultura é muuuito forte em Mato Grosso, Goiais e Mato Grosso do Sul. Não quero ser preconceituoso mais desde o ponto de vista do PIB e do IDH* o Norte e Nordeste tem uma produção menor, aí como fazer para os outros estados/regiões contribuírem para o crescimento do país e não apenas deles mesmos?

(pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_ … il_por_IDH)
(pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_ … per_capita)

O discurso separatista está ganhando força no sul e a cadela da Xenofobia anda no Cio por essas terras.

Caso um dia precisarmos entrar em guerra, eu como um bom Brasileiro e como alguém que ama nosso país, lutaria pela expansão… jamais pela ruptura.

Bem simples: alguns impostos já ficariam no próprio estado/cidade e não seriam “enviados” ao Distrito Federal para depois retornarem (cof, cof, cof) como se fossem favores. Uma alternativa simples é repartir 25/25/50 dos impostos para, respectivamente, cidade/estado/União. E tem muito mais coisa a alterar, mas daí acaba a mamata central.

Pelo que eu entendi do movimento “Sul é meu país”, a proposta é acabar com a esfera estadual e fazer uma federação de municípios, e a esfera federal seria algo limitada, com relações exteriores, defesa etc. É uma idéia intrigante. Houve até uma tentativa de plebiscito informal.
Já ouvi falar de outros movimentos, Nordeste livre, Sampadeus.
Mas não creio que mude nada em 50 anos.

Sim teve plebiscito e votei não. Não acho que a divisão seja a melhor forma.

Sobre anexação da Cisplatina, digo, Uruguai.

[BBvideo 640,400]http://www.youtube.com/watch?v=fjfTVT6hNaw[/BBvideo]

Isso me lembro o famoso senhor adolfo(menino bom), e suas vontades incessantes de conquista a Áustria, para nos meros tupiniquins a área do sul e a nossa famosa Áustria brasileira…

kkkkkkkkkk Espero que a comparação com o famoso senhor adolfo (menino bom), não esteja dirigida a minha pessoa :hehe