Pátio do Palácio


[center]Carruagem da Coroa Gesebiana, estacionada frente ao Palácio Nacional dos Marqueses[/align]

O Chanceler deixa o Palácio dos Marqueses e adentra a carruagem:

  • Boa tarde, caro Nero. Pelo visto tens urgência em falar comigo, sobre o que seria?

Nero ao ver Alexander adentrar a carruagem ordena ao cocheiro e a pequena escolta imperial que os seguia que se afastassem para que ambos pudessem conversar mais livremente.
Após pedir, todos se dirigem até o Palácio Nacional dos Marqueses, Nero e Alexander ficam sozinhos.

Nero diz: - Finalmente, AR Puro e liberdade sem olhos atentos do Palácio, Alexander sinto que lhe devo desculpas por lhe invitar até meu gabinete em outrora e não poder comparecer, devo afirmar que os trabalhos triplicaram desde que assumi a chefia dos assuntos da Monarquia e sim tenho assuntos urgentes a discutir com você que não devem e deveriam ser discutidos no Palácio, como sabes as paredes tem ouvidos.

  • Entendo perfeitamente, meu caro.
  • Alexander, como sabe desde que assumi a chefia de assuntos da Coroa estou tentando ao máximo que o Imperador bem como a Coroa em seu todo se aproxime mais de nosso Povo gesebiano, e já está rendendo frutos simbólicos entre as massas.
    Mas temos um problema comum que acreditava ter desaparecido de Gesébia desde a recente “Intentona Republicana” e seus líderes mortos ou presos.
    Creio que, nem todos que participaram em tais atos e promoveram a derrocada da Monarquia estão agindo dentre a Lei ou de meios legais para isso, e sim usando de meios brutais e conspiratórios para que tal seja ascendido novamente e cause mais problemas.
    Como já sabe a Monarquia na Pessoa do Imperador não reprime qualquer ato republicano Pacifico dentre o território, bem como seus assuntos são para com o Povo e unicamente ele, mas algo que venha a prejudicar a estabilidade nacional novamente e ferir os princípios éticos que todos estamos subjugados é algo impensável.

Logo após dizer tais, Nero abria seu Surrôvieur( Pequeno compartimento guardável de Whisky) e bebia um gole e oferecia ao Chanceler.

  • Certamente, certamente. - responde o Chanceler após tomar um gole da “água-de-fogo” oferecida - Atos pacíficos, desde que dentro da lei e que não comprometam a ordem não devem ser repreendidos, pois não agir assim não seria nada mais que cercear os direitos básicos do povo. Porém, como bem dissestes, atos que venham a prejudicar o povo e o Império… são um caso totalmente à parte.

[offtopic]Interativos devem ser locais de uso coletivo, a carruagem uma hora vai ter de se mexer[/offtopic]

Logo após ouvir o chanceler falar, Nero guarda seu Surrôvieur e diz: - Arghh, tenho que maneirar no Whisky vai acabar me matando. Dizia rindo.
Após, Nero continua: - Alexander, sim… mas nos últimos dias fui informado de funcionários no Palácio que estão maquinando com líderes revoltosos e descolando documentos pertencentes a Coroa.
Como percebeu em sua visita ao Palácio eu aumentei o patrulhamento dentre os muros e nos setores, para que evite-se ao máximo esse desvio de informações, Creio que alguém esteja por trás… de Estirpe.

[offtopic]Retirando, Steph… Obrigado.[/offtopic]

  • Isso é deveras… comprometedor… Conseguistes alguma informação de quem poderia estar atuando como espião?
  • Não, eu encubi 2 funcionários leais que agem dentre os outros para me conseguirem informações e de Fato conseguiram… Sobre o tal mandante das ações que estaria recolhendo tais papéis etc. no Porto de Dunord.
    Os 2 funcionários foram ao seu encontro como se fossem informantes e por precaução enviei 2 soldados aos seus encalços, Nenhum deles retornou e não obtive mais resposta.
    Creio que a situação já esteja ficando deveras preocupante, antes de eu assumir isso há havia sendo feito… logo após eu entrar creio que intensificaram a maneira de como conseguem os documentos furtivamente.
    Esses dias, estranhamente eu peguei 1 Funcionário que auxilia na cozinha nos aposentos do Imperador,quando o indaguei ele me disse: Que estava vendo se o Imperador desejava alguma coisa, sendo que o protocolo não foi seguido… mas não cheguei a suspeitar na hora, Algumas horas depois ao procurar um documento de construção na mesa interna do Imperador não encontre e logo presumi que tal havia pegado… ao mandar busca-lo já era tarde demais.
  • E o que podemos fazer quanto a isso?
  • Ainda não comuniquei o Imperador sobre tais acontecimentos até ter certeza de que haviam se acometendo.
    Creio que esteja na hora de o Governo investigar tais atos mais afundo com as ferramentas necessárias… antes que tais atos se desenvolvam para uma coisa mais perigosa.
    Estou de mãos atadas, o único meio viável para mim será despedir todos os funcionários pois como não sei quem é quem fica difícil encontrar os culpados, mas tala to geraria insatisfação extrema.
    Já estou muito preocupado e por isso lhe procurei… Se estão roubando arquivos e tem informantes dentre os muros do Palácio… oque não os impede de cometerem atos piores e brutais até mesmo contra o Imperador?
  • Bom, meu caro… creio que os empregados mais antigos possam ser descartados, apesar de não totalmente… Eu estaria mais interessado é saber a mando de quem eles estariam agindo…

Irei discutir isso com o Imperador, acerca da demissão dos funcionários mais velhos como sugere apesar de achar que ele não concordará.
Creio que estamos caminhando em uma prancha prestes a ser puxada em que nós cairemos diretamente a boca dos separatistas.
Também fui informado por alguns membros de minha inteligência que estão maquinando tramites maquiavélicos contra a ação do Imperador a respeito do Banco que tal tem parte.
Oque acha que a Coroa deve seguir? Tenho medos incomuns de tentarem algo a mais contra nós ou até mesmo contra a ordem pública. Como sabe coragem não os falta e creio que o mandante das ações tem um Capital bem renumerado para apoiar tais e até estender as ações.

  • Não não, eu quis dizer descartados como não-suspeitos, meu caro! Acho que por enquanto não há muito a ser feito exceto aumentarmos a segurança, embora de forma a não levantar suspeitas, bem como tentarmos conseguir mais informações sobre este complô…
  • Ah sim, caro Alexander… mais até os mais velhos podem estar maquinando com a estirpe separatista,Impossível prever nos dias atuais.
    De fato, peço que use vossos meios de saber algo sobre isso antes que algo mais se suceda, enquanto tento descobrir os “Informantes” dentre os muros do Palácio.
    Após dizer tais, Nero pega em sua maleta uma Edição da “Folha Imperial”, Alexander…meu caro ótimas edições dizia abrindo um sorriso levemente.
    Tenho interesse em usar alguns de meus dotes escribas para fornecer algumas edições e também um espaço a Coroa Gesebiana.
  • Verei o posso fazer, meu caro. Quanto à Folha… apesar de sua origem Liberal, a Folha está sempre à disposição da Coroa, do Imperador e do Império, e certamente uma pena a mais seria muito bem-vinda.
  • Ótimo, Caro Alexander… espero então boas novas muito brevemente e é claro pedirei para lhe enviarem alguns textos fabricados pelo Palácio para que possas adicioná-los a suas edições.
    Após dizer tais, Nero olhava para o cocheiro que lhe esperava nas escadarias inicias do Palácio Nacional dos Marqueses,fazendo que tal avisasse ao restante dos guardas que adentraram.
  • Alexander, creio que seja isso por hora, lembre-se que tal conversa não pode sair daqui.
  • Perfeitamente. Passar bem, caro amigo. - E com um leve aceno de cabeça como despedida, o Chanceler desembarca da carruagem e retorna para o Palácio.

Após ouvir tais palavras e ver o Chanceler desembarcar da carruagem , Nero solicita ao cocheiro que siga novamente para o palácio.
Então, a carruagem segue seu caminho rapidamente acompanhada por 4 cavaleiros da guarda imperial montados em seus respectivos cavalos.