[Perfil de Aeronave] Douglas A-26C

[center]Douglas A-26C em camuflagem metálica criada por Pacifica| download![/align]

A-26C no War Thunder

Com até 4000 lb de capacidade para bombas (1814 kg; 20x 100lb, 8x 500lb, 4x 1000lb, ou 2x 2000lb) o A-26 fará um trabalho rápido sobre qualquer alvo terrestre, e as suas 6 metralhadoras nas asas de calibre .50 (12.7 mm) e duas torres de cobertura hemisféricas são asas à sua designação de ‘‘Attacker’’, ou avião de ataque!

A sua reputação como um bom avião é quase verdade, com uma velocidade nivelada de cerca de 249 mph (400 km/h), mas num mergulho leve pode chegar à velocidade máxima de quase quebrar as asas de 441 mph (710 km/h). A sua manobrabilidade é surpreendente para o seu tamanho, um avião inimigo descuidado pode tornar-se numa presa fácil. Por esta razões o seu elevado BR em batalhas arcada é de 5.7, e em realistas e simulação de 6.0, o que o coloca ao alcance dos jatos, perdendo a vantagem da velocidade; no entanto não é nenhum ‘‘pato’’!


[center]A-26C em visão de Raio-X[/align]

Dada a rara chance de atacar, você não vai conseguir evitar os seus artilheiros, pelo que deve atacar depressa; o seu ponto fraco é o dano na cauda. Um A-26 em arcada com recarregamento aéreo tem uma boa chance de ganhar o encontro via destruição da base, mas noutros modos o carregamento de bombas não é tão decisivo.

Conhecendo a sua desvantagem, vale a pena perseguir este exclusivo avião de ataque à próxima vez que for oferecido (apenas 3 vezes até agora)? Absolutamente! É um avião muito potente, divertido de jogar e tem truques na manga, o prestigio de ter o mais exclusivo avião do jogo é um esforço merecido!

A-26C na História

Seguindo o bem sucedido mas rapidamente obsoleto DB-7 / A-20 Douglas e colocando-o num programa de reconstrução do corpo, o Engenheiro Mestre Edward (Ed) Heinemann juntamente com Ted R. Smith do programa A-20, mais Robert Donovan e A.M.O. Smith (especialista de aerodinâmica) escolheram um inovativo aerofólio laminar NACA 65-215 que prometia melhores velocidades, acoplado com dois poderosos motores de 2000 hp (1,500 kW) Pratt & Whitney R-2800-27 “Double Wasp”.

[center]Estação de artilheiro do A-26 com periscópios (objetos triangulares no topo da foto). Foto de David D. Jackson[/align]

Embora tendo uma envergadura maior que o anterior DB-7, era um ainda avião de um único piloto, mais típico de bombardeiros europeus que americanos. Tal como o seu irmão, o nariz podia rapidamente ser trocado por um nariz sólido para bombardeamento de altitude, oferecendo ainda mais combinações de armamento que o B-25 podia, incluindo um canhão de 75 mm. O compartimento das bombas era agora mais longo e largo permitindo uma mais ampla seleção de armamento.

O aerofólio laminar das asas permitiu o avião pesado voar muito rápido até a uma máxima velocidade de 355 mph (570 km/h), mas a desvantagem era uma muito elevada velocidade de perda, ou stall, comparado com os correntes perfis de aerofólio. Os flaps inovadores ‘‘double-slotted Fowler’’ foram incorporados para reduzir a velocidade de aterrissagem, não usual para a altura mas comum em aviões civis de hoje.

Um radicalmente novo sistema de torre defensiva foi idealizado ao colocar o artilheiro numa estação de controlo permitindo um baixo perfil, com torres de baixo perfil e cobertura hemisférica no topo e em baixo num sistema que oferecia um comando totalmente esférico a um simples artilheiro, embora a visão fora das janelas e periscópio fosse constrangida.

[center]A-26 “Fire Eater” N4818E usado no filme “Always”. Foto de Joe Kudrna[/align]

A 10 de julho de 1942 o novo bombardeiro faz o seu voo inaugural e os pilotos de testes prezaram o seu comportamento. Em agosto de 1943 a empresa Douglas começou a entregar os A-26B ‘‘Solid nose’’ numa tépida recessão no Pacífico, mas após as primeiras missões da Europa naquele setembro, foi entusiasticamente aceite e numa grande demanda.

A reorganização pós-guerra redesignou os A-26 de B-26 (causando confusão com o B-26 Marauder). O conflito coreano viu os A/B-26 enfrentando um novo desafio, quando se desempenharam de uma forma admirável no era dos jatos. Ficou envolvido no Vietname com os franceses, eventualmente sendo usados por muitas diferentes forças. Do outro lado do mundo em Cuba, foi usado na insurgência na Baía dos Porcos; ironicamente, as forças cubanas também operaram os A-26C contra eles! Entretanto a empresa americana ‘‘On Mark’’ criou versões de transporte executivo fortemente personalizadas.

Finalmente retirado após mais de 33 anos de uso militar, foi ainda empregado pelo governo americano para difetentes tipos de ‘‘bombardeamento’’, largando retardantes em fogos florestais, uma missão onde os A-26 se tornaram uma estrela, imortalizado no filme ‘‘Alwyas’’.

Autor: Joe “Pony51” Kudrna

Fonte: warthunder.com/pt

[center]Numa das futuras atualizações iremos introduzir ao War Thunder os decalques The Wench e The Reaper usado pelo 13th Bomb Squadron:[/align]

[center]Decalque feito por Branislav “InkaL” Mirkov[/align]

[BBvideo 640,400]http://www.youtube.com/watch?v=mmWcX9P6aHo[/BBvideo]

[center]Você já tem o Douglas A-26C?
Qual é a experiência com este avião?
Deixe a sua opinião nos comentários!
[/align]