Pride of Nations: Dev Diary #5

No diário anterior, nós mostramos vários cenários de batalha históricos ques estarão no Pride of Nations. Os cenários tem uma característica em comum com a Grande Campanha: a “ordem de batalha” (order of battle, OOB) para quase todas as nações, tanto para forças terrestres quanto para navais.
É claro, algo como isso deveria ser obrigatório em qualquer jogo de estratégia “sério”. Mas esse não é sempre o caso, na maioria das vezes as OOB’s são imprecisas pois são baseadas em informações limitadas, e o que acaba se fazendo é algo que “pareceria” histórico.
Quando projetávamos o banco de dados base do Pride of Nations, uma das decisões-chave que tomamos foi sobre a escala que usaríamos para as várias unidades. Pelo fato desse jogo ser de grande estratégia em grande escala - o mundo inteiro por 70 anos - queríamos ter certeza não cairíamos na armadilha do microgerenciamento (micromanagement) por fazer unidades de tamanho muito pequeno.
Então, nos atemos a unidades de grande escala: esquadrões para barcos e brigada como a menor unidade terrestre, mas serão mais comuns divisões e corpos de exército. Porém, nossa engine, a AGE, foi concebida com uma característica interessante pois, independente do tamanho da unidade que temos no jogo, essa unidade é feita de “componentes”, que chamamos de modelos ou elementos. Nos primeiros estágios de desenvolvimento escolhemos o regimento como sendo o elemento básico para unidades terrestres, (exceto artilharia, que é uma bateria), e o navio individual para unidades navais.

Para esse fim, nós criamos 2 bancos de dados. Um é o banco de Models (modelos), que descreve cada elemento que forma as unidades do jogo. O outro banco é o de Units (unidades), que lista, para cada unidade, quantos elementos e em qual medida eles estão dentro de tal unidade.

Falando de modelos, cada regimento disponível tem um nome único, bem como seus vários recursos e características, os quais detalharemos em outro diário. Como resultado, mesmo que uma nação tenha centenas de regimentos (ou dezenas de navios individuais), cada uma poderá ser visto com seu próprio nome. A interface tem uma janela específica para mostrar isso.

Falando de unidades, é basicamente a mesma coisa, mas existe uma característica adicional, chamado zona de recrutamento (ou construção). Isso garante que unidade “x” só pode ser construída em sua área adequada. Por exemplo, tropas do Exército da Índia Britânica não aparecem no UK ou nas Américas; ele só podem ser construídos na Índia. Similar a isso, tropas coloniais Negras Francesas aparecerão na África, e somente lá. Mas o recrutamento não é apenas etnicamente específico, pois também se restringe ao local físico dentre outros fatores.

Por exemplo, tropas Alpinas podem ser criadas em áreas de montanha, e seus Fuzileiros Navais (Marines) não vão estar disponíveis no meio do país, longe de um porto. E no que se trata de navios, vão precisar de estaleiros para serem construídos, embora você não precise de estaleiros para construir canhoneiras colonais de rios.
A idéia por trás dessa aparentemente complexa (e realmente ENORME base de dados com centenas de nomes) é oferecer aos jogadores uma verdadeira sensação de imersão na atmosfera da época.

Para imergir ainda mais os jogadores, os nomes não são a única coisa que dão “sabor” para as OOB’s. Temos também quase 1.000 uniformes diferentes (e dezenas de modelos de navios) da época, então suas unidades não apenas terão nomes diferentes, mas também aparências diferentes. Aprendemos com nossos jogos anteriores que os jogadores adoram ver até mesmo os menores detalhes em suas unidades.

Em mais um exemplo, se você está jogando com a Grã-Bretanha, poderá ver as tropas Britânicas comuns (cujos uniformes variam bastante entre 1850 e 1920), mas também outras unidades como Escoceses (Scot Highlanders), Sipais da Companhia das Índias Orientais (East India Company Sepoys), Gurkhas, King’s African Rifles, Real Polícia Montada do Canadá (Royal Canadian Mounted Police), Reais Fuzileiros Navais (Royal Marines), Marinheiros, e Camel Corps no Egito.
No mar, a gloriosa Marinha Real Britânica (Royal Navy) tem mais de 25 diferentes tipos de navios.
E esse nível de variedade é encontrada em qualquer outra grande nação jogável, bem como em muitas das nações menores e também as nativas, que você vai encontrar durante seu desafio de conquista mundial de mais de meio século.
Fiquem ligados.

Philippe Thibaut
(h)*