Regno di Sicilia

Capítulo I

- - O REINO - -

Ano de 1204, reina em Syracuse(por algum motivo, deve ser por que não tem Palermo no jogo) o Rei Federico da dinastia Hohenstaufen, de origem alemã. Com 18 anos ele já é casado com a Rainha Constanza, os dois possuem um filho de 1 ano chamado Enrico. Na questão territorial, o Reino possui 4 importantes regiões, as províncias de Naples, Taranto, Reggio e Syracuse, produtoras de sal e óleo de oliva, pulando para as relações comerciais, o Reino da Sicilia exporta grande parte de sua produção, e importa bastante vinho, a partir de suas várias relações comerciais, por conta da sua posição estratégica entre a parte Oeste e Leste do Mar Mediterrâneo. A República de Veneza, a República de Genova, a República de Pisa, o Reino da Croácia, o Sultanato Hafsida e o Império de Epirus são os principais parceiros comerciais.

20191214165805_1

- - O EXÉRCITO - -

O exército siciliano é dividido em dois, o Rei, Federico, lidera metade das tropas guarnecidas em Naples, composto em sua maioria pela infantaria local, dividida entre infantaria leve, media e pesada, com arqueiros e besteiros, o corpo da cavalaria é composta por nobres em sua maioria alemã, que tem migrado para o sul por conta da administração da dinastia Hohenstaufen e sua política de privilégios a nobres do norte, mais futuramente as relações dos nobres locais, nobres de origem normanda e recentemente alemã será discutida.

O segundo exército, ou a metade do exército siciliano, é comandada pelo General Gualterio a partir de Syracuse, em suma, menos numeroso, mas similarmente composto pela grande maioria de infantaria, divididas em infantaria leve e pesada, e outra parte em besteiros, e um pequeno contingente de nobres alemães. Enquanto isso, nos dois exércitos, está sendo no momento recrutado e treinado novos corpos para a infantaria media.

- - INFRAESTRUTURA - -

Começando pela cidade de Taranto, ela é caracterizada como uma cidade-forte, ou seja, um forte militar, com uma cidade pouco defendida em volta, além de ser importante para a região pela sua produção de trigo, um cais para embarcações distintas, e um importante centro religioso.

Já Reggio domina por ter a maior parte da produção de óleo de olivas em sua região, além do atual investimento em uma doca de comércio, ela é caracterizada como uma pequena cidade murada.

Em Naples existe o maior castelo do reino, com uma cidade bem protegida em seu arredor, diferentemente de Reggio, Naples já possui uma importante doca focada no comércio, além de possuir também uma alta produção de trigo.

Por ultimo Syracuse, a capital do reino, possui em seu centro um grande castelo, o maior da ilha, que bem protegido fornece ao mesmo tempo um lugar estável para o crescimento populacional e o desenvolvimento do comércio. Com docas comerciais, importantes para a comercialização da produção de suas minas de sal. Em seus arredores é onde se encontra bastante latifúndios de nobres, principalmente de alemães.

- - ESTADOS VIZINHOS - -

5 Curtidas

Acompanhando. Que mod interessante!

3 Curtidas

O mod é bem legal mesmo. Nosso parceiro, o Moacyr fez/faz umas campanhas dele no YT.

3 Curtidas

Capítulo 2

- - ESTRUTURA FEUDAL - -

A estrutura feudal do Reino da Sicilia entra de modo geral no modo de produção feudal comumente associado ao resto do continente, mas como em cada região, há suas peculiaridades. No Reino da Sicilia, herdado dos normandos, é comum a autoridade elevada da coroa sobre os outros nobres, existe também e manutenção de uma pequena nobreza, em detrimento de grandes nobres latifundiários, alguns existem além da própria família real. Tal situação faz com que burgueses e nobres sem terras, sejam bastante privilegiados no governo, poucos da alta nobreza latifundiária hereditária faz parte da corte real. Esse fenômeno ficou mais forte ainda com a subida da dinastia Hohenstaufen ao trono, vários nobres alemães vieram juntos, eram preferíveis para a burocracia em detrimento do povo local. Claramente isso gera bastante insatisfação entre os nobres, revoltas lideradas pela nobreza local não eram incomum.
Com a crescente insatisfação no começo do século XIII, o Rei Federico, de certa forma reformaria a ordem social no reino, daria mais poder ainda a pequena nobreza, mas não no governo central em Syracuse, e sim nas suas próprias regiões, Reggio e Taranto por exemplo estavam gozando de uma grande autonomia perante a coroa, que estava agüentando a baixa taxa de impostos coletados para o tesouro real nessas regiões, Naples e Syracuse estavam no centro da arrecadação de fundos da coroa.

20191215000326_1

20191215000441_1

- - RELAÇÕES DIPLOMATICAS AO LESTE - -

Em 1214, um impasse na diplomacia vira o grande tema de debate na corte, o Rei Federico herdava uma diplomacia amigável com os estados sucessores do Império dos Gregos ao Leste, enquanto isso, enfurece o Principado de Achaea. O Império de Epirus era um inimigo declarado aos estados cruzados na Grécia, liderados pelo Imperador Latino em Constantinopla, mas era mais o Principado de Achaea que via essa diplomacia siciliana como um ultraje a fé apostólica romana, por conta de motivos seculares de uma boa relação com os ortodoxos.

- - A QUINTA CRUZADA - -

O Quarto Concílio Laterano, foi convocado pelo Papa Innocent III em 1215, proclamando uma nova cruzada para libertar a Terra Santa dos sarracenos. Varios lideres católicos serão logo chamados para se juntar a Cruzada, mas seu alvo ainda não é precisamente sabido. Um grande sentimento de fé cai sobre o Rei Federico, com a notícia recebida em Naples, ele logo reorganiza seu exército e parte para Taranto no inverno, do lado mais ao Leste do seu reino.

- - QUESTÃO DIPLOMATICA CONTROVERSA - -

Michael, Basileus de Epirus, manda a Taranto um diplomata, no qual chegava com um pedido do próprio Michael, o fortalecimento da relação entre seus dois estados, por meio de um pacto de não-agressão, no qual o Reino da Sicília pagaria 100 em quantia de dinheiro. Tal ação diplomática prejudica ainda mais a relação com os estados católicos na Grécia, que pelo jeito terão muito pouco ou nenhum apoio do Reino da Sicília contra os gregos que constantemente tentam reconquistar suas terras.

20191215005742_1

- - INFRAESTRUTURA - -

Em Reggio, é terminado a construção de um leprosário, isso deve diminuir um pouco o problema de saneamento da região, um problema atual para no Reino da Sicília. Os monges garantem que pelo menos os doentes passarão para o outro lado do caminho espiritual tão pacificamente quanto suas doenças permitirem, um avanço na região.

- - CRUZADA PELO CAIRO - -

O Papa finalmente declarou o alvo da cruzada em 1217, o alvo seria nas terras dos muçulmanos no Egito, para tentar reaver terras perdidas a muito tempo para os sarracenos. Se o Cairo for tomado, certamente o resto do Egito rapidamente cairia também, seria um bom lugar de apoio para a retomada de Jerusalém. Para o Rei Federico, esta uma ótima oportunidade para a Sicilia e para os cristãos em geral, os preparativos começam, enquanto isso ele ainda decidira se partira para a Cruzada, ou ficara em seu reino, o protegendo das ameaças internas, logo elas que estão difíceis de controlar neste momento, se o rei cair no Cairo, pode significar o fim de sua família no poder, pode também significar o fim de anos e anos de paz e prosperidade ao Reino da Sicília.

4 Curtidas

Problemas na Grécia virão, pelo jeito…
Tenho lido bastante gente reclamando de bugs em batalhas de cerco… confere?

1 Curtida

@Hiryuu de que tipo de bug? até agora não vi nenhum, apenas sei dos bugs no siege do 1220 Mod, que tem construções customizadas e armas de cercos novas ou algo assim.

2 Curtidas

AH, @LyROBERT, no grupo do TWBrasil no Face tavam reclamando q às x os arqueiros não atacavam, só ficavam pra lá e pra k… Um cara falou q perdeu 6 unidades de arqueiros pra 2 de slingers q tavam defendendo :sweat_smile:

1 Curtida

@Hiryuu isso ai ainda eu não vi.

1 Curtida

Capítulo 3

- - O MAR - -

Inverno de 1219, os dois exércitos sicilianos partem para o Egito, após a declaração formal do Rei Federico em Taranto de se juntar a Cruzada pelo Cairo, seu exército confiante então se coloca em barcos, e partem pelo mar. A marinha já estava na costa da Ilha de Creta, quando notícias perturbadoras chegam ao ouvido do Rei Federico.

Em 1222, os exércitos sicilianos chegam a costa do Egito, e vislumbram de seus barcos a cidade de Mersa Matruh, o Rei Federico então decide começar dela o seu avanço na Cruzada.

- - O CERCO A MERSA MATRUH - -

As hostilidades começam, com o cerco a Mersa Matruh, as armas de cerco começam a serem construídas, o Rei Federico pretende fazer sua história no Egito, o Sultão Ayyubida em Mersa Matruh corre bastante perigo.

Na batalha, os dois exércitos divididos dos sicilianos dividem também as armas de cerco, mas Gualterio comandando na parte Oeste da cidade, de surpresa toma suas muralhas, enquanto que a guarnição da cidade estava no lado Leste, para combater a parte do exército comandado pelo Rei Federico.

Gualterio tem sucesso em colocar seu exército dentro da cidade, com o tempo eles chegam na praça central, as escaramuças começam, o próprio Sultão, Isa, luta pela sua vida. Na parte Leste, Rei Federico não organiza um ataque, pelo contrário, fica estacionado com suas tropas, para tirar a atenção da guarnição. O Sultão acaba morrendo, antes disso seu guarda consegue aniquilar cerca de 170 soldados sicilianos. Com a tomada da cidade, o resto da guarnição se rende, e são presos. Primeira vitória cristã sobre os infiéis na Quinta Cruzada.

4 Curtidas

Dividir e conquistar :face_with_hand_over_mouth:

1 Curtida

Morte aos sarracenos!
Só me faz desejar mais um Medieval III!

3 Curtidas

@Hiryuu difícil é fazer de novo.
@Lord_Victor tomara que seja o próximo! Mas se vier ruim, a central da CA vai queimar!

2 Curtidas

Capítulo IV

- - SITUAÇÃO INTERNA - -

Com o passar dos anos, com o exército siciliano e seu rei em terras estrangeiras, a situação na capital pioraria, tuberculose avassalaria por anos a capital, a minoria não-cristã aproveitou esse tempo para causar mais problemas ainda, enquanto a situação fora da ilha é estável, o governo de Stefano não fora eficiente o suficiente, então foi necessário a criação de um novo exército, comandado pelo General Livio, na capital, feito com o propósito de combater revoltas que possam dar as caras. A tuberculose se espalharia longe, chegaria até Veneza.

20191215232035_1

20191215232036_1

- - A QUINTA CRUZADA - -

No geral(por alguma razão a cruzada foi perdida, não sei se isso é escriptado para acabar em derrota, mas não vi nenhum outro estado europeu no Egito, talvez o certo seria ir direto para o Cairo, não sei). Mesmo com a vitória em Mersa Matruh, o impasse chegaria, e um tratado de paz seria organizado com os Ayyubidas e seu novo Sultão, Da’ud. O Rei Federico, já com seus O Rei Federico, já com seus 34 anos, se prepara para voltar para o seu reino, ele deixa Gualterio no comando de metade do exército, na região egípcia recém conquistada.

- - A REBELIÃO - -

A rebelião em Syracuse se inicia no ano de 1230, os rebeldes causam grandes estragos a capital, roubam o tesouro nacional na cidade, Livio e sua guarda pessoal conseguem expulsar os rebeldes da cidade, mas o tesouro real já havia sido roubado, inclusive com sérios danos as construções na cidade. Enquanto no Egito, Gualterio encerra a primeira rebelião infiel em Mersa Matruh. A rebelião do pretendente Innocenzo acaba no campo de batalha, o Rei Federico e seu exército, que perdeu muitos homens no mar o derrotam facilmente, Livio é então retirado de seu posto de General, não seria mais necessário. Syracuse estava então segura, mas a instabilidade continua.

- - ANOS DE PAZ - -

Nos anos seguintes após a Cruzada e a Rebelião em Sicília, os tão esperados anos de paz chegam, a prosperidade geral do reino aumenta consideravelmente, um leprosário na capital é construída, grandes latifúndios de nobres são formados nos arredores de Syracuse, comércio com o Império de Nicaea é estabelecido, inclusive os mercadores sicilianos conseguem aprovação do Império de Epirus que reconquistaria Constantinopla em 1237, uma especial oportunidade de terem para si um quarteirão próprio. Em 1238, é iniciado a construção de um convento católico em Mersa Matruh, onde Gualterio ainda permanece.
Os anos pacíficos acabam em 1242, quando o Rei Federico, e seu exército se juntam ao General Gualterio e iniciam o cerco a Alexandria, o Rei Federico esta confiante desta invasão, enquanto que o Reino de Jerusalém esta em guerra com o Sultanato Ayyubida, mas ao mesmo tempo o Rei se torna uma pessoa diferente, ele não tem misericórdia com os infiéis do Egito, sua política deixa ainda mais insatisfeita a população de Mersa Matruh, enquanto seu próprio exército vê ele como um líder injusto, o Rei pode correr perigo.

- - CERCO A ALEXANDRIA - -

Usando a mesma tática ao tomar Mersa Matruh, um exército do lado Oeste e o outro do lado Leste, menos guarnecido, entrou na cidade facilmente, mas em certo momento sofreu contratempos, obrigando um assalto total do exército na parte Oeste, causou a perda de muitos soldados, principalmente os comandados pelo General Gualterio, mas Alexandria acabou caindo, cada vez mais perto do Cairo, os sicilianos estão, agora não é mais uma questão de Cruzada, e sim uma incursão diretamente organizada pelo Rei Federico.

20191216020915_1

4 Curtidas

Ótimas screenshots. Algo me diz que haverão mais rebeliões no caminho…

3 Curtidas

Seja em TW vanilla ou mod, Cruzadas nunca dão certo mesmo :face_with_hand_over_mouth:
Pelo Egito!
(Acho q esse rei não dura mto mais não…)

2 Curtidas

Capítulo V

- - O SINAI - -

No outono de 1246, o General Gualterio ultrapassa o Rio Nilo e chega ao Sinai, ele passa alguns dias com seu exército por ali, perto de Aqaba, apenas para inspecionar o território inimigo, logo ele volta novamente para a parte Oeste do Rio Nilo, já que eficientemente ele descobre um exército maior que o que Gualterio comanda, comandado pelo General Jaffar.

- - UM NOVO PODER SURGE NA REGIÃO - -

Ao Sul do Egito, o Sultanato Mamluk emerge a partir de Aydhab, logo eles conquistam em 1246 o Cairo, isso pode ter feito com que o avanço siciliano no Egito tenha parado. Aparentemente o Rei Federico não planeja entrar em guerra com outro estado muçulmano na região, sem antes mesmo assegurar os territórios já conquistados.

- - INFIÉIS AVANÇANDO - -

Por mais que o Sultanato Ayyubida tenha perdido quase todo seu território no Egito, - que interessantemente proporcionou ao Reino Siciliano a abertura de várias outras rotas comerciais com seus vizinhos – mesmo assim os infiéis avançam sobre Acre, ultimo reduto do Reino de Jerusalém na Terra Santa, o Principado de Antioquia também pode estar correndo perigo. O Rei Federico reluta em ajudar os amigos cristãos no Oriente. O Rei acaba escolhendo outra estratégia, ele avança com seu exército sobre a cidade de Barca, ultimo ponto seguro ayyubida no Egito.

- - NOVAS RELAÇÕES MILITARES - -

Em 1250 e 1251, alianças militares com o Principado de Antioquia e o Reino de Jerusalém são firmadas, após a perda de Acre para os cristãos. O Sultanato Ayyubida parece estar ficando cada vez mais forte na região, e ainda assim, com o Rei Federico em incursões militares na região de Barca, o resto do exército siciliano no Egito respeita as ordens de manter a ordem em Alexandria e Mersa Mutrah, em vez de atacar território inimigo pelo Sinai.

- - INFRAESTRUTURA - -

A coroa reforça ainda mais sua presença no Egito, ela inicia uma série de construções novas nos territórios conquistados, desde um Monastério e um Quartel de Milícia em Mersa Mutrah, até projetos de uma igreja latina e um campo de treinamento em Alexandria, e em 1252, o inicio da construção de um Palazzio Del Podesta em Alexandria.

- - FIM DE UMA ERA - -

O Rei Federico, já cansado de guerras, pretendia tomar Barca e depois rumar de volta para Syracuse, ma no acampamento de seu exército, ele adoece e morre alguns dias depois aos 59 anos naturalmente. Seu filho mais velho, Enrico, se torna Rei da Sicília aos 43 anos. Ele começa seu governo com poder demasiadamente nas mãos dos outros nobres, para conseguir mais apoio, ele passa a liderar as tropas antigamente lideradas por seu pai, logo ele irá pela primeira vez comandar tropas no campo de batalha. O Rei Federico ao morrer deixou mais 4 filhos além de Enrico, um deles é Jacopo, comandante das tropas sicilianas em Mersa Mutrah, depois Felice, governador em Naples, e mais dois garotos chamados Tommaso e Severo, de 8 e 6 anos respectivamente.

5 Curtidas

Rei morto rei posto. Esperando as batalhas.

2 Curtidas

Falei q ele não durava mto :face_with_hand_over_mouth:

1 Curtida

Muito bacana! História muito boa, narrativa, imagens… vou acompanhar.

2 Curtidas

Deus Vult!
Aguardemos para ver se a cruzada será a salvação ou a perdição do pequeno reino da Sicília.

2 Curtidas