Republica Mercante

Bom, alguém poderia me explicar se compensa seguir por esse caminho? Joguei bastante com tribal/feudal) nunca consegui nada demais com eles, o mais próximo de algo grande que cheguei foi ter a irlanda em mãos e o reino de Gales, depois disso fail na campanha…

Bom… Dinheiro é algo q vem de monte… As eleições q são meio chatas pq tem q fazer “campanha” gastando dinheiro, mas depois q puder construir vários entrepostos comerciais, vão faltar mercs pra contratar…

Mas isso deixa o game mais fácil? sjdkflasssfafsdfa, sério estou passando mal no jogo, ou tendo má sorte…

Por falar nisso, e no teu canal, não pretende jogar esse game?

Ah, meu canal… Eu to tentando sequenciar as postagens, mas parece q sempre alguma coisa acontece :confused:
Até comecei um jogo no CK2, justamente com a República Mercante de Amalfi, mas acabei fazendo só 2 vídeos…
Sobre ser mais fácil… Depende, rsrs… Mas digamos q é um tanto diferente q jogar com monarquias, por causa da competição das outras famílias marcantes…

Entendi… eu tô é muito desanimado com esse game ajsdfskfasf, acho que irei parar de jogar, em média demoro 200 anos para formar um reino, meio fortinho, no meu ultimo, eu tinha a irlanda, meu neto iria herdar a escocia, dai o jogo simplesmente matou td mundo, meu filho, neto, dai perdi a escocia, foram tipo, uns 50 anos defendendo aquele reino pra no futuro ser meu e o jogo sla, me trolla ajsdmfkds

Bom… A Irlanda não é mto dificil, na verdade… Mas, claro, depende do andamento do resto do mundo, q pode variar mto cada jogo

Concordo contigo, e digo mais, e muito fácil, dá para dominar rápido todos as regiões da Irlanda, o problema é sair de lá, toda hora acontece alguma coisa, já aconteceu cmg do HRE pegar a escócia e a inglaterra do nada, tipo, morreu 2 caras, pronto HRE dominou td, daí eu desisti da campanha, pq n tinha como, 30k de tropas contra as minhas asjndjfmasf, bem triste, tentei umas 5 campanhas e sempre dá uma dessas

Eu aconselharia a não desistir tão facilmente. Na verdade, eu até gosto quando o jogo provoca uma reviravolta (tipo uma declaração de guerra inesperada por um país 50x mais forte). É algo que nos estimula a pensar bem em cada movimento e, a depender da situação, a usar da criatividade para sobreviver (haja vista que há certas casus belli que podem gerar gameover imediato pro derrotado).

Além do mais, sempre é possível reconstruir. Se você tiver um único ducado restando, já é o bastante para conquistar o mundo -basta uma década de preparo, farmando money em tempos de paz. Havendo ameaças externas, considere se entregar em vassalagem para alguém maior (principalmente HRE e ERE), de modo a ficar protegido.

Sobre as repúblicas mercantes: faz muito tempo que joguei com elas pela última vez. Acho mais interessante persistir feudal e conceder títulos para prefeitos, tornando-os senhores de grandes áreas litorâneas. Geram uma quantidade ridícula de impostos.

Muito obrigado pelas dicas, de fato, eu não tinha pensando em me entregar, acho que errei então… Eu tentarei outra kkk, obrigado também pela dica dos prefeitos, eu não sabia askfamsd