[RTW-BI] O Renascer do Ocidente Romano

Império Romano do Ocidente
Barbarian Invasion 1.6
VH-VH


Salvete amici

Bom, pessoal, farei a loucura novamente de jogar o BI.
Mesmo tendo o M2TW, o encanto pelo período romano não desaparece e a jogabilidade do velho e bom Rome também não.

Tentei uma vez, a uns 2 anos atrás, jogar o BI com os Romanos Ocidentais, mas não teve como, perdi a parada. Não consegui.
Já venci o BI com os Francos e com os Romanos do Oriente. Notem que sempre jogo no VH-VH!

O período final da história romana é intrigante e fascinante. Os historiadores comentam que existem duas perguntas na história que são as mais fascinantes produzidas até então.

A primeira é: Como uma pequena aldeia às margens do Tibre se tornou em um dos maiores impérios do mundo?

A segunda é: Como tal império sucumbiu?

São duas pequenas perguntas que a primeira vista parecem simples, porém, não o são. Estas duas perguntas são, até hoje, motivo de discórdia entre os historiadores, não existindo consenso. São estas as perguntas mais debatidas e respondidas na história, as que demandam maior produção historiográfica e infindáveis discussões. Não há tema histórico com maior diversidade de teorias e o assunto chega às raias do mito, pois quase encerra em si próprio a epopéia da humanidade.

Para uma boa leitura do período tardo antigo de Roma, que abordaremos nesta campanha, indico as seguintes leituras.

ANDERSON, Perry. Passagens da Antiguidade ao Feudalismo. São Paulo: Brasiliense, 2000. (LIVRARIA)

BARK, W. Carroll. Origens da Idade Média. Rio de Janeiro: Zahar, 1962. (SEBO)

FERRILL, Arther. A Queda do Império Romano: A Explicação Militar. Rio de Janeiro: Zahar, 1989. (SEBO)

LOT, Ferdinand. O Fim do Mundo Antigo e o Princípio da Idade Média. Lisboa: Edições 70, 1968. (SEBO)

RUNCIMAN, Steven. A Civilização Bizantina. Rio de Janeiro: Zahar, 1961. (SEBO) Este é um bom livro sobre os Bizantinos e o primeiro capítulo aborda o fim do mundo romano ocidental a partir da fundação de constantinopla.

Para ilustrar, alguns mapas!

Neste mapa podemos ver a situação do império em 378 DC… observem a pressão de incontáveis povos bárbaros na fronteira romano ocidental.

A Divisão do Império após a morte de Teodósio I, 395 DC, sobreposta em fronteiras modernas.

O Império Romano do Ocidental em 395 DC.

Alguns sites para consulta!

Império Romano do Ocidente – Wikipédia

Baixo Império - Satrapa1

Exércitos Bizantinos

ROME AND ROMANIA, 27 BC-1453 AD

Online Encyclopedia of Roman

The Roman Empire

Diário de Campanha 01
Ano de 363 DC
Imperador Valentiniano

Introdução


![](upload://neP0UmLb6D9eVBZgEKTt1kAnmMH.gif)
[i][b][size=117]Senatus Populusque Romanus[/size][/b][/i]

Desde a morte de Constantino o Grande em 337 DC, o Império Romano foi dividido para todos os efeitos em duas metades desiguais e, ao menos no papel, cristãs. Outros homens tentaram governar tudo, porém seus esforços foram em vão. Juliano o Apóstata, o último que tentou, gastou muita energia em converter, novamente, o povo romano ao paganismo. Nisso ele fracassou
Agora o Império do ocidente é a parte mais débil do mundo romano. A Europa ocidental nunca foi tão rica como o extremo oriental do Mediterrâneo. Os ingressos por impostos e a população do Império não fizeram mais do que minguar e a manutenção do exército cada vez é mais difícil. Durante os últimos séculos, foi permitido que os bárbaros se estabelecessem nas províncias romanas. Também foi permitido que os bárbaros engrossassem as filas do exército de Roma, e agora o Império do Ocidente é vulnerável. Um Imperador forte poderia defender as fronteiras contra os bárbaros do norte e do leste. Um imperador assim poderia inclusive reunificar o império e governar o mundo desde Roma, porém será requerido um homem muito forte para levar o título de Augusto.

Historicamente, o Império do Ocidente desapareceu em 476. Rômulo Augusto, o último Imperador, era tão irrelevante que se limitaram a depor-lo, permitindo a ele viver o resto de seus dias no retiro. Roma foi governada por uma sucessão de Reis bárbaros enquanto o saber se manteve vivo no Ocidente somente mediante a Igreja Católica Romana.

Diário de Campanha 02
Ano de 363 DC
Imperador Valentiniano


Ano de 363 DC

Em reunião do conselho o Augusto Valentiniano recebe seus conselheiros.

Conselheiro Militar.

Sábio Augusto, os informantes imperiais, além de nossas fronteiras, relatam que os povos Hunos e Vândalos, agrupados em hordas independentes e inimigas, estão em marcha no leste e sua direção provável é o ocidente.

A situação de nossas fronteiras é frágil. Temos poucas tropas e somente algumas são treinadas e armadas o suficiente para batalha.

Estamos em guerra aberta com os Alamanos, povo forte e bravo, mas indisciplinado. Na região temos em campo, com uma pequena força, o General Marco Flávio, Conde da Costa Saxônia.

Temos relatos de incidentes revoltosos em diversas cidades no império.

Conselheiro do Estado

Sábio Augusto, o Paganismo é a fé dominante entre as gentes, porém o governo é cristão, na pessoa do Imperador. A questão religiosa causa descontentamento entre o povo e se não for controlada poderá gerar revoltas.

Diversas cidades estão em estado de revolta.

Mantemos tratados de comércio, acesso militar e aliança com o Império Oriental.

Conselheiro das Finanças

Temos somente 1000 denários em caixa. A situação financeira do estado é caótica com poucos recursos e decréscimo da arrecadação pelo comércio e pelos impostos.

Augusto Valentiniano

A situação para nosso império não é boa. Guerra com os bárbaros, ameaça das hordas nas fronteiras, revoltas, dissidências religiosas e crise financeira.

Sem dinheiro não é possível manter um grande exército, treinar novas tropas ou contratar mercenários. Também não é possível aumentar a arrecadação com melhorias estruturais, pois não há dinheiro para obras públicas. A situação do império neste quesito esta péssima. Houve um decréscimo da população e da infra-estrutura de maneira geral, portos, minas, templos, estradas, quartéis, muralhas e outros. A infra-estrutura está comprometida e necessita de amplos investimentos. Existem cidades que outrora tinham grandes portos e estradas e agora não passam de vilas sem porto e com caminhos precários de terra.

A população urbana diminuiu e migrou para o campo deixando sumir incontáveis cidades.

Há muito que fazer, mas os recursos são inexistentes.

Que se envie nossos diplomatas aos 4 cantos do mundo conhecido para tecer tratados de paz, comércio e troca de mapas.

Determino que o General Marco Flávio inicie os preparativos para a invasão e completa anexação dos Alamanos e suas terras. Não podemos manter um inimigo tão perto de casa e necessitamos de novas províncias para aumentar a receita.

Que todas as unidades navais e terrestres desnecessárias no momento sejam dispensadas. Necessitamos poupar receitas de manutenção.

Que nosso senhor nos proteja e esperaremos o resultado da instabilidade no império. Nenhuma revolta será tolerada.

Diário de Campanha 03
Ano de 364 DC
Imperador Valentiniano


Na ante-sala imperial, enviados especiais de alguns conselheiros imperiais aguardam para cumprir com o protocolo. Ao chegarem diante de Augusto iniciam o relato dos recentes acontecimentos.

O enviado especial do Conselheiro do Estado adentra na sala imperial, após cumprir com o protocolo e relata;

Salve Imperador!

Diversas revoltas estouraram no Império e perdemos algumas cidades para romanos rebeldes, no entanto, retiramos nossos generais e guarnições das cidades mais descontentes antes que estas se revoltassem, mantendo assim, a lealdade destes generais para com o Império.

As embaixadas já foram enviadas aos povos vizinhos para fazer a paz, tecer tratados comerciais e trocar mapas. Logo, a receita proveniente do comércio será incrementada.

Os outros enviados relatam…

Salve Imperador!

O Conselheiro Militar relata que medidas para que sejam mantidas, sob cerco, as cidades rebeladas com exércitos locais, já foram tomadas. No entanto, especificamente na hispania, temos três províncias rebeladas e nenhuma de suas leais guarnições conseguem, isoladamente, fazer frente aos rebeldes.

Salve Imperador!

O conselheiro das Finanças relata que o estado amarga uma dívida de mais de 11 mil denários.

Augusto Valentiniano
Senhores…

Levem aos conselheiros minhas saudações e determinações.

Mantenham a insvestida diplomática a fim de melhorar nossas relações políticas e comerciais no exterior.

Mantenham os cercos as cidades rebeladas, pois quem sabe o tempo fará seu macabro serviço antes que as espadas se cruzem.
Na hispania juntem as três guarnições restantes em uma única força e tomem devolta as cidades rebeladas.

Os augúrios não são bons para os tempos futuros, porém, com a confiança em Nosso Senhor, os verdadeiros romanos sairão vitoriosos.

Sairei em campanha com um exército na direção da cidade de Aquinco, na fronteira norte. Fixarei meus esforços pessoalmente naquela região a fim de afastar a ameaça das hordas e controlar os rebeldes.

Devido à pressão nas fronteiras, constantes invasões de nosso território pelos bárbaros e a grande proliferação de bandos armados sem lei, determino que capital do Império seja trocada para Ravena, devido a sua posição geográfica mais defensável e centralizada. Tal medida incrementará o controle fiscal e administrativo do império bem como facilitará o deslocamento da corte imperial.

Força romanos!

Diário de Campanha 04
Ano de 364 DC
Imperador Valentiniano


O General Marco, diante da tropa, escolhe as palavras…
O frio e a incerteza do futuro é um veneno em seu espírito…
Ele afasta os pensamentos e inicia;

Homens!
Sob ordem do Augusto Valentiniano iniciaremos uma campanha contra os Alamanos, povo bárbaro que vive na fronteira norte do império e a leste do Reno. Muitas histórias já foram contadas sobre este bárbaro povo, mas nenhuma delas se igualará a história de nossa vitória!

A tropa ruge como uma besta furiosa e o brandir de espadas e lanças é ensurdecedor.

Apesar do Augusto Octavio, há muito tempo, ter determinado o limes romano do norte no Reno, os tempos mudaram e necessitamos de novas e produtivas províncias para incrementarmos nossa arrecadação.

[i]Aos alamanos levaremos as armas romanas, para sua extinção e anexação.
Somos homens, bestas do exército imperial romano!
Nossa tarefa é sangue e nosso dever é a glória!

Vitória![/i]

A tropa ruge… os corneteiros dão o toque de marcha e o gigante avança para as terras alamanas!

Quando do deslocamento do exército para a Campanha Alamana, sob o comando do General Marco, ao entrarmos em território bárbaro nossas legiões percebem que o território esta desprotegido e a capital encontra-se livre para cerco.

Os relatos são de um general e o próprio Rei Suomar no comando da guarnição. Por ordem de Marco Flávio, um assassino é enviado para dar cabo do general inimigo e obtém êxito. Resta assim no comando da guarnição alamana da capital somente o Rei em pessoa.

O cerco inicia-se!

Diário de Campanha 05
Ano de 364 DC
Imperador Valentiniano


Um emissário enviado pelo General Marco, diante do Imperador, entrega uma carta.

Escudeiro!
Meu senhor…
Leve este homem para descansar e comer.

O Imperador saúda o soldado e entra em sua tenda de campanha para abrigar-se do frio e ler a correspondência.

[b][i]Augusto!

Iniciamos a batalha em vantagem numérica.[/i]

[i]A batalha foi dura e a vitória saborosa abriu o país dos bárbaros para sua anexação total por Roma! Sitiamos a capital inimiga para a construção das armas de cerco e de pronto já iniciamos o ataque.

Nossa estratégia foi atrair tropas isoladas dos Alamanos para o portão, onde podíamos encurralá-los com nossa infantaria e utilizarmos de nossos arqueiros. O inimigo estava em minoria e não mostrou nada além de força e bravura. Sob o comando da disciplina e estratégia romana tais soldados poderiam oferecer tropas excelentes em campo.[/i]

Após a morte do Rei Suomar nada mais restava ao inimigo e a vitória foi rápida deste ponto em diante. A população foi arrasada para eliminar os mais fortes e possíveis revoltosos.

[i]Vila Alamana já é parte do império.
Permanecerei aqui para implantar a ordem e fazer as reformas necessárias.
Aguardo novas ordens!

Salve Imperador!
Marco Flávio[/i][/b]

[i]Escriba!
Relate o que descreverei e envie isso para todas as partes do império.

A Vitória na Campanha Alamana foi total e merecedora dos mais altos escritos nos anais da história romana, pois, finalmente, dominamos um enclave ao leste do Reno.

É uma contundente e importante vitória para os romanos. Um raio de esperança para nossos súditos diante destes tempos difíceis e um aviso para outros povos e possíveis usurpadores. Agora, os Alamanos são parte de Roma![/i]

[i]Um triunfo deve ser outorgado ao General Marco assim que este possa comparecer em Roma.

Embaixadas devem ser enviadas a todos os povos para difundir as boas novas e tecer tratados comerciais, paz, aliança e troca de mapas.

O cerco às cidades rebeldes deve continuar.[/i]


Considerações financeiras

Nossa dívida já soma mais de 30000 denários.
Os credores do estado começam ficar inquietos.

Diário de Campanha 06
Ano de 367 DC
Imperador Valentiniano


Ano de 365 DC

Considerações Militares

A cidade de Lepcis Magna foi retomada dos rebeldes com uma grande vitória em batalha do General Tito Flavio.

Ano de 366 DC

A cidade de Aquinco revoltou-se, no entanto a lealdade do General Espúrio Flavio foi mantida e o mesmo já se encontra sitiando os revoltosos.

A cidade de Salamántica foi retomada dos rebeldes com uma grande vitória em batalha do General Marcelo Flavio.

A cidade de Carnunto foi retomada dos rebeldes com uma grande vitória em batalha do Imperador Valentiniano.

Inverno de 366 DC

A cidade de Aquinco foi retomada dos rebeldes com uma grande vitória em batalha do Imperador Valentiniano.

Ano de 367 DC

Uma missão diplomática na terra dos Sármatas relata que a capital deste povo esta sitiada pela horda dos Vândalos, liderados por Visimar.

Em uma encarniçada batalha a cidade de Avarico foi retomada dos rebeldes com uma grande vitória em batalha do Capitão Asinio.

Sob os cuidados do Augusto Valentiniano o Império começa ser restabelecido!

Considerações de Estado

Todas as populações rebeldes, das cidades retomadas, foram dizimadas. O saque serviu para acalmar a fúria dos credores do Estado e nossas dívidas foram parcialmente amenizadas.

A arrecadação melhorou nas cidades retomadas dos rebeldes. Com a lei e ordem restabelecidas pelo aço das espadas tais cidades estão rendendo alguns denários.

Por ordem de Augusto a cidade de Saloma, em constante revolta, esta sendo abandonada. Aquela região, Ilírico e Dalmácia, encontram-se sob os olhares gananciosos do Império Romano Oriental e também encontram-se longe tornando difícil sua defesa. Esperamos que rebeldes tomem o controle e assim dificultem os planos da parte oriental. Todos os prédios da cidade foram arrasados.

Diário de Campanha 07
Ano de 368 DC
Imperador Leoncio


Ano de 367 DC

Chega ao fim à vida do Augusto Valentiniano.
Os romanos lamentam a ida do seu senhor…

Bons auspícios e vida longa ao novo Imperador, Augusto Leoncio!

Sob pesadas baixas em uma batalha difícil a cidade de Corduba foi retomada dos rebeldes com uma grande vitória em batalha do General Servio.

Ano de 368 DC

As mazelas do mundo não param e a loucura tomou conta do Império Oriental. Em um ato selvagem e bárbaro fomos traídos e atacados por nossos irmãos. Uma aliança que pelos deuses deveria de ser indissolúvel foi desfeita pifiamente.

Covardes e ladrões sem dignidade e honra nos atacaram em um momento de fraqueza.

Este ato manchou a história romana e sem dúvida não será esquecido por nós, verdadeiros romanos. Um dia a capital voltará a ser Roma, um dia o império voltará a ser controlado pelo Imperador a partir de Roma, um dia Constantinopla não será nada mais que uma cidade do Império.

O ataque dos romanos orientais foi rechaçado, no entanto a província entrou em ebulição e a facção rebelde tomou o seu controle.


Observações militares!

As tropas do império de maneira geral estão fracas. Unidades como os limitanei não são eficazes em campo de batalha.

![](upload://C2ZtDLDmAeGCI6RzGffXnaPJsc.gif)

Os comitatenses são bons, não se equivalem aos antigos legionários ou pretorianos, no entanto, bem apoiados podem aniquilar qualquer unidade que ataque sua linha.

Na imagem abaixo podemos observar um típico legionário romano do ocidente do Séc. I e II DC, totalmente equipado e protegido com a famosa lorica segmentada.

Diário de Campanha 08
Ano de 373 DC
Imperador Leoncio


Boas Novas

A rebelião esta sob controle.
Para os rebeldes perdemos um bravo general, Herio Flavio, morto em batalha, quando do ataque a cidade de Tarraco, que foi perdida, sendo logo após retomada dos rebeldes.

Todas as cidades foram recuperadas, menos a abandonada Saloma e a rebelada Aquinco.

O império oriental não mais nos atacou… acreditamos que estes estejam ocupados com as hordas bárbaras. Missões espiãs estão adentrando os territórios orientais para avaliar a situação do inimigo e das hordas.

Forças militares estão sendo preparadas e enviadas para a fronteira com o oriente a fim de retomar Saloma e Aquinco, bem como dar uma lição aos romanos orientais.

Situação financeira e de estado

Já estamos com uma renda anual em torno de 8000 denários e diversas melhorias estão sendo implementadas no Império, como portos, estradas, templos e igrejas, mercados, quartéis…

Estamos aliados com os Saxões e Sassânidas. Troca de mapas e tratados comerciais foram estabelecidos com a maioria dos povos.

Considerações militares

O exército esta passando por uma profunda reformulação. Os limitanei estão sendo retirados de campo e enviados para as cidades no intuito de utilizá-los como guardas no policiamento. Novos exércitos de campanha estão sendo treinados e enviados para as fronteiras. Abandonaremos a estratégia do limes e defesa em profundidade e adotaremos novamente a estratégia da defesa impeditiva que tanto fez a glória de Roma.

A partir de Cartago Nova estamos organizando uma força militar para a invasão e anexação da África. Aquelas antigas terras romanas permaneceram por tempo demais nas mãos dos Berberes…

Ano de 373 DC

Considerações militares

Fomos atacados pelos Francos de maneira totalmente inesperada, mas estamos repelindo os ataques.


Cansado da longa viagem o Conselheiro de Estado chega diante do Imperador…

[i]Meu senhor…
Venho relatar uma prática incomum que se iniciou quando do governo do Augusto Valentiniano! Algumas cidades do Império estão sendo abandonadas por suas guarnições e a calamidade toma conta deste lugares até que os mesmos se rebelem… Após, a guarnição retoma o controle da cidade e dizima a população rebelada… alguém esta enriquecendo com o saque… meu senhor… já tentei reunir-me com os generais mas…

Silencio eu ordeno!
O que te relatarei não deve sair desta sala sob pena de MORTE!
Foi por ordem de meu antecessor que as cidades estão sendo abandonadas, sendo, logo após, retomadas e saqueadas.
Os cofres do Estado estão vazios! Algumas cidades dão prejuízos na ordem dos milhares… são enclaves revoltosos e mal agradecidos. Por isso tal estratégia esta sendo adotada. Matamos os rebeldes ocultos, restabelecemos a ordem, o comércio local e saldamos as dívidas.

Os tempos são difíceis e tenho que pensar na manutenção do Império. Algumas vidas terão de pagar o preço pelo bem maior de Roma, ou… sucumbiremos aos bárbaros.

Vá em paz… tal prática logo cessará![/i]

Diário de Campanha 09
Ano de 373 DC
Imperador Leoncio


Relatórios das missões espiãs relatam que a horda Sármata adentrou o território romano e ataca a facção rebelde romana ocidental.

Os olhos do Império se voltam para aquela região e por fim… os Sármatas nos atacam. Algumas batalhas foram travadas sendo que sempre obtivemos a vitória. A horda esta desgastada e não representa mais um real perigo…

Ano de 382 DC
Imperador Apiano Flavio

Por fim, os Sármatas, nossos antigos amigos que foram expulsos pela horda Huna de suas terras adentraram nosso território e a guerra estalou entre nossos povos.

Vários embates foram travados, todos com vitória para nosso glorioso exército imperial.
Por fim reduzimos a horda bárbara a um pequeno povo bárbaro de vagabundos e os expulsamos de nossas terras.

Os Sármatas já não são mais um perigo para a glória de Roma!

Diário de Campanha 10
Ano de 386 DC
Apiano Flavio


Após duras e longas batalhas contra o povo Berbere, por fim, Roma controla totalmente a África!

Glória aos romanos!!!


Considerações Religiosas

A religião crista começa dominar os corações de nossos generais e governadores. Muitos novos membros do governo são agora cristãos!

Em vista disso o governo inicia o processo de conversão religiosa gradual das cidades imperiais para a fé de Cristo.

Diário de Campanha 11
Ano de 388 DC
Apiano Flavio


Depois de uma incursão no território Franco para retaliar recentes ataques, obtivemos uma significativa vitória. Quatro generais francos foram mortos em batalha, inclusive o líder da facção.

Quando os exércitos imperiais retornavam da batalha encontramos os restos da horda Vândala. Uma rápida batalha foi travada e as legiões de Roma riscaram do mapa a existência Vândala.

Os inimigos diminuem e a vitória sorri mais uma vez para os romanos.

Ano de 388 DC

Cada vez mais os corações dos romanos se entregam a fé de cristo e apesar de muitos compartilharem tal fé no mundo… alguns são hereges!

Fomos atacados pelos Godos… Hereges arianos!

Sob o comando do general Nepotiano Flavio obtivemos significativas vitórias e arrasamos a Horda Goda… poucos bárbaros sobreviveram após os seguidos embates.

Diário de Campanha 12
Ano de 395 DC
Apiano Flavio


A cristianização do reino continua!

Por todo o império pode-se observar um processo de crescimento econômico e desenvolvimento urbano em todos os sentidos.

Podemos encontrar, com freqüência, revoltas internas, mas os exércitos imperiais se encontrão preparados e de pronto anulam a resistência.

Os godos, ao fim, liderados por Atalarico, finalmente foram totalmente aniquilados em uma ultima batalha pelo general Nepotiano Flavio.

Uma pequena incursão ao norte do império pelos Sármatas resultou em seu total aniquilamento pelas armas romanas.

Ano de 398 DC

Nossa guerra com os Francos chega a um ponto critico e estando eles desgastados, o sábio Augusto ordenou sua completa destruição!

Ao mesmo tempo a guerra com os celtas nas ilhas britânicas intensifica-se e o exército romano marcha para a completa anexação da região.

Ano de 399 DC

Atacamos com força os francos e após tomar sua capital o povo franco, não aceitando a ordem e lei romanas, fugiram em uma grande horda para o leste.

Enviaremos missões espiãs para averiguar os caminhos que a horda franca irá tomar. Rezamos ao bom Deus dos cristãos para que o caminho seja para cima de nossos inimigos.

Ano de 404 DC

Após violentos embates por fim exterminamos a ameaça celta e tomamos o controle de toda Britania.

O povo saúda em festa o Dux Britannium, que foi o General responsável por esta grande vitória, estando à frente dos exércitos imperiais durante todas as batalhas.

Por fim abandonaremos a segurança, um tanto vergonhosa, da muralha do Augusto Adriano e dominaremos todas aquelas terras.

Diário de Campanha 13
Ano de 407 DC
Apiano Flavio


No ano de nosso senhor de 407 a fé cristã se torna predominante no império. Resta somente Aquinco, cidade fronteiriça com os bárbaros do leste, que ainda professa a fé dos pagãos. Nosso último general pagão, com 74 anos foi enviado para governar a cidade até o fim dos seus dias…

Os ventos de um novo tempo surgem e Roma ainda resiste. Será assim pela eternidade?
Sim, Roma é eterna e jamais desaparecerá da mente das gentes. Adaptaremos-nos ao moderno e preservaremos o bom do antigo… e… por séculos e séculos seremos Roma!

Ano de 410 DC

Um novo povo em horda surge no leste. Eslavos!!!

Os relatos espiões chegaram e confirmaram a guerra entre a horda Franca e o povo dos Burgundios. Nossas preces foram ouvidas…

Em uma incursão do povo Huno nos arredores de Ravena empreendemos uma esmagadora derrota a este bárbaros. Mais de 2300 mortos do lado dos unos contra menos de 250 baixas romanas. Resta pouco desta horda…

Ano de 417 DC

O povo saxão foi completamente derrotado e anexado aos domínios de Roma. Durante os embates com os saxões não houve maiores dificuldades para lhes impor a derrota, no entanto a conclusão definitiva da questão em favor de Roma levou várias décadas.

Ano de 422 DC

Após inúmeras batalhas em território romano os Francos foram totalmente subjugados pelas armas e pela fé romana.


Considerações

A economia voltou a crescer e a rebelião interna foi controlada. Muitas obras públicas estão sendo realizadas em todo império e os níveis socioeconômicos e culturais estão aumentando muito.

O novo imperador, Ricimero Flavio empreende planos para a conquista da metade oriental do Império… A estratégia já esta em curso!!!

Diário de Campanha 14
Ano de 425 DC
Ricimero Flavio


A guerra contra a Horda Eslava esta acirrada e cada vez mais os exércitos imperiais impõem uma avassaladora derrota a este povo.

Ano de 433 DC

Iniciamos uma ofensiva contra os romanos orientais e retomamos a cidade de Salona.

Ao mesmo tempo atacamos com força os burgundios e lombardos e tomamos suas terras ancestrais.

Os exércitos imperiais de Roma contam agora com 6 fortes legiões nas fronteiras orientais e a guerra contra os romanos orientais, lombardos e burgundios pende a favor do nosso lado.

Ano de 436 DC

Após uma mal acabada invasão da Itália pelos restos da Horda Huna acabamos por exterminar aquele povo.

Ano de 433 DC

Um novo Augusto está no poder.

Imperador Sagrio, grande general dos exércitos de Roma e líder pessoal das forças romanas em guerra contra os romanos orientais.

Diário de Campanha 15
Ano de 446 DC
Imperador Sagrio


Os anos de dificuldades e turbulência vão ficando no passado…

A sucessão de bons imperadores tornou o governo eficiente, trouxe coesão interna e reestruturou o poder imperial. Os exércitos de Roma já avançam com força por todos os lados e temos o controle de toda vastidão territorial do ocidente.

A horda eslava esta quase acabada, restando pouco mais de 60 soldados em fuga desesperada.

Sob o forte comando do Augusto Sagrio estamos impondo uma contundente derrota aos romanos orientais.

Além da retomada de Saloma também retomamos Aquinco e conquistamos Sirmio e Tessalonica.

Ano de 447 DC

Após derrotarmos totalmente as forças lombardas e capturarmos sua última cidade, o povo lombardo debandou em uma grande horda a qual os exércitos imperiais já estão dando combate.

Os planos para a captura de Constantinopla já estão prontos e a ordem para o ataque já foi dada…

Diário de Campanha 16
Ano de 447 DC
Imperador Sagrio


Atacamos com força total o povo lombardo. Todas as forças locais foram deslocadas para uma rápida campanha, no intuito de exterminar a horda lombarda e afastar tal ameaça.

As vitórias se sucederam… muitas…
Os relatos de bravura em campo de batalha existem… para ambos os lados, mas a superioridade de treinamento, moral e tática romana é insuperável. Os bárbaros foram severamente derrotados e em 448 a horda foi destruída por completo.

Apenas dois anos foram necessários para que os exércitos imperiais dessem conta dos lombardos.

Diário de Campanha 17
Ano de 448 DC
Imperador Sagrio


Após uma curta batalha, onde nada mais restava do povo eslavo, a não ser seu último líder, a horda eslava foi derrotada.

Honra e glória para o povo e os exércitos do Império Romano. Os dias de glória estão restaurados e a civilização prospera!

A marcha para Constantinopla esta em curso…

Diário de Campanha 18
Ano de 448 DC
Imperador Sagrio


A ofensiva contra os romanos orientais foi retomada após a derrota dos lombardos. Todas as forças imperiais seguem avançando contra o oriente.

Foi capturada, em 448, a cidade de Colônia Dacia dos romanos orientais.

A revolta é grande no império do oriente e uma facção rebelde surge com força novamente.

Ano de 449 DC

Capturamos a cidade de Atenas, berço da cultura grega… O caminho para Constantinopla encontra-se livre!!!

Nosso império, o verdadeiro império romano é agora o maior, mais rico e desenvolvido da face da terra. A ordem foi restabelecida!

Glória ao nosso Senhor Jesus Cristo… uma nova era da humanidade surge cheia de vitalidade e Roma é o centro!

Novamente Roma é a capital do mundo!

Ano de 450 DC

A orgulhosa Constantinopla foi cercada por uma força romano ocidental muito maior! O que era antes o grande império romano do oriente se mostrou um punhado de fracos e covardes.

Em uma rápida batalha derrotamos as forças orientais e capturamos Constantinopla. Agora esta cidade se soma a glória de Roma como mais uma província.

Vitória!
(Lembrando… VH-VH sem cheat)

Seguiremos as ofensivas pelo oriente até conquistar todo território romano oriental, pois nossos espiões relatam que nossos antigos aliados do reino Sassanida foram totalmente derrotados e anexados pelos nossos inimigos.

Final


No dia em que o Augusto Valentiniano Flavio fora investido na púrpura imperial no ocidente, no ano de 363 DC, o império ocidental sofria de todo tipo de calamidades.

Corrupção, doença, guerra, fome… os cofres do estado estavam vazios, o comercio estava em colapso, o governo estava desagregado, o exército estava em frangalhos.

Mesmo assim, tínhamos que enfrentar as revoltas, hordas bárbaras e quando estávamos mais enfraquecidos fomos indignamente atacados de surpresa por nossos irmãos orientais.

Foi um golpe duro e tivemos que amargar profundas derrotas. Retiramo-nos das regiões invadidas pelos romanos orientais…

Mas Valentiniano tinha um plano que deu certo. Unir o povo em torno da religião de cristo, fortificar o governo central, dinamizar o comércio, aparelhar o exército e derrubar a rebelião. Por fim expulsar os bárbaros e unir o mundo romano uma vez mais sobre o governo de Roma.

Não eram tarefas fáceis, mas os bons imperadores o sucederam e vencemos todos os obstáculos.

Em 472 DC o ultimo povo bárbaro inimigo de Roma foi exterminado. Os Burgundios agora estavam sob a lei romana.

Todos os esforços do império estavam concentrados em destruir o governo oriental e unificar o mundo romano novamente.

Em 478 DC, após invadirmos a ultima cidade oriental os rebeldes do oriente tomaram o controle do estado se declarando os sucessores orientais e independentes de Roma.

Mas o ultraje imposto a Roma, pelo oriente, jamais fora esquecido e não permitiríamos a existência de um segundo governo romano no oriente.

Por Fim destruímos o governo oriental e Roma novamente era a única senhora do mundo!!!

“Os impérios romanos do oriente e ocidente se uniram em uma poderosa força, tornando em realidade um sonho largamente acalentado por todo imperador dês de Constantino. Agora todos os romanos podem dirigir seus olhos a um poderoso protetor e saber que o império esta seguro em suas mãos.”

Somente permitimos a existência independente do povo Roxolano, ja que eles foram nossos aliados em momentos difíceis e jamais voltaram suas armas para Roma. Viverão em paz, em suas terras ancestrais sob a proteção de Roma e servirão como lição para qualquer um que se mantenha fiel em sua paz com Roma.