[RTW-XGM] Siracusa, mais do que Siracusa

[center]10 de Abril de 2016, Siracusa, Sicília, Itália.[/align]

[justify]O historiador Alonzo Benedetti finalmente chega ao local onde irá apresentar seu novo livro Siracusa, mais do que Siracusa. Ao chegar ao local ele logo discursa:
-Este livro é formado pelos relatos encontrados em Siracusa, eles são contados por vários siracusanos sobre a verdadeira história dessa cidade-estado grega e sei que, este relato muda a história que sabemos hoje e aposto que as próximas gerações irão estudar algo na escola diferente do que sabemos hoje sobre isso.
Foram vendidas milhares de cópias do livro e três anos depois da apresentação do livro, Alonzo voltou a falar sobre este, só que agora irá lê-lo no edifício que foi dedicado a ele no centro da cidade.
[/align]
[center][glow=red]--------------------[/glow][/align]
Olá, sou Alexandre de Siracusa e estou a escrever este livro para as gerações futuras de siracusanos saberem da história de sua cidade-estado, sou ajudante do tirano Hiero, mais conhecido como Hiero de Siracusa e irei relatar sobre o gerenciamento do reino e combinei com meu filho de que ele irá relatar sobre as batalhas que ele terá que ele lutar sendo um soldado de Gelo de Siracusa, mas para começar a falar sobre a gloriosa Siracusa devo contar a história de sua fundação, certo?
Siracusa foi fundada por Árquias de Corinto, a comando do oráculo de Delfos Árquias, um heráclida, havia causado um tumulto que levou ao assassinato de Acteão (filho de Melisso), e, como os coríntios não puniram os assassinos Melisso se matou em protesto.
Para debelar a cólera de Poseidon, o glorioso deus do mar, dos terremotos e dos cavalos, Árquias foi para a Sicília e fundou Siracusa. A fundação de nossa gloriosa cidade foi em cerca de 734 a.c
Agora para começar a falar sobre ela atualmente, devo falar sobre Hiero, nosso glorioso tirano. Ele é um bom comandante, assim como um bom administrador e tem uma grande influência e isso o torna o nosso grande tirano que deve ser capaz de salvar a nós.

Sobre nossos inimigos, maldita seja Tróia por ter caído! Se não tivessem caído não existira Roma, se Roma não existisse só teríamos que nos preocupar apenas com os cartagineses, mas se os deuses quiseram tal coisa, há algum motivo…
Sobre o exército temos um grandioso exército que ameaça nossa economia, a melhor unidade que podemos treinar são os hoplitas siracusanos, nossa elite… E nossa armada naval é gloriosa, sendo formada por trirremes poderosos, que talvez possam nos defender dos indesejáveis bloqueios dos portos e dos desembarques…


A nossa economia está fraca, o exército está cada vez custando mais para a economia e nossa gloriosa cidade de Siracusa está com um saldo muito negativo, devemos então conquistar rapidamente novas terras, agora devo ir falar com o rei e logo depois irei dormir, mas em breve espero voltar a escrever aqui…
[center][glow=red]--------------------[/glow][/align]

Bom, primeira AAR então, peço que se encontrarem algum erro critiquem para que eu possa melhorar.
Informações:
[justify]Rome total war com o patch 1.5 e com o Extended Greek Mod, na campanha da cidade-estado grega Siracusa no M/M[/align]

Bem q eu estranhei ser Siracusa xD
Acompanhando :wink:

É, acho que vou ter dois turnos para conquistar outro território antes de ficar com saldo negativo :cansado
E continue acompanhando, vou ver se jogo hoje e já posto a parte 1

Muito Legal e pra primeira AAR ficou muito boa. Parabéns. :goodjob

[center]O grande cerco das lamentações, a morte do trio siracusano.[/align]

[justify]Chegaram-se notícias de que, por todo o reino a cultura dominante é Barbara.

[/align]

Logo preocupados com a economia enviamos Dymas de Messana, o espião que espie sua cidade natal, Messana e logo depois Gelo parte para conquista-la e inicia um cerco.



Já em nossa capital é ordenada a construção de barracas auxiliares.

Logo depois chega o relatório de nossa fraca economia e, depois da família real.Nosso diplomata oferece direitos de comércio com os cartagineses que prontamente aceitam

Mopsos de 17 anos oferece casamento a filha de nosso Tirano, Damarata e logo ela encantada com ele aceita e ele entra para o cerco de Messana, para o primeiro cerco… Mal sabia ele que a vida deste estava preste a ter um mau fim, um péssimo fim.

Recebemos a preocupante notícia de que Hanno, o grande de Cartago avança para nossas fronteiras e o primeiro cerco se inicia e, por sorte meu filho não participou desta, mas, um pintor ofereceu seus serviços e estava lá e deixo algumas pinturas, porém basicamente o exército entrou, Mopsos morreu, nós fugimos…



[center]soldados entrando a Messana[/align]

[center]A primeira e última batalha do pobre general de 17 anos[/align]
Logo, eles voltam para Siracusa e são retreinados, Heráclia –filha de nosso tirano- se casa com Phrixos e este, vai junto com Gelo para o cerco, porém antes disso Hiero me chama e diz.

Porém antes que ele pudesse encontra-los, eles haviam partido para o cerco, só que desta vez não foi necessário fazer o aríete, pois o espião havia aberto os portões e, eles fizeram um ataque noturno…


Narração de Dionísio, filho de Alexandre.
Gelo havia dito que atacaríamos a noite Messana, tenho vinte anos, porém já lutei diversas batalhas e nunca tive medo, mas nessa… Tive um sonho em que Athena pedia para que eu fala-se com Gelo, o herdeiro ao trono de tirano para cancelar o cerco, ou da família real apenas Hiero e suas filhas sobrarão… Logo fui até este e disse:

  • Senhor, Athena me deu uma visão, ela disse que não devemos atacar a cidade, ou você morrerá.
  • Olhe soldado, olhe para onde estamos – olhei por um minuto e pude notar, estávamos comendo uma comida que não damos nem para escravos, dormíamos na terra – você não deseja uma cama para dormir? Um porco para comer enquanto bebe um vinho? Isso só será possível se dominarmos a cidade e, além disso, Siracusa precisa disso para que não caia em dívidas e, se para isso eu tenha que morrer, isso acontecerá…
    Logo esperamos o anoitecer e atacamos, todas as falanges avançam e logo se inicia o primeiro combate, e era apenas eu e minha lança, logo com ela matei diversos deles, mas também via soldados da falange caídos, após a vitória avançamos e pudemos ver os mortos, a guerra realmente é horrível…


    Chegamos até perto da praça principal aonde vimos mais soldados, o segundo combate começou, porém estes eram a elite deles, se fossem convertidos para os romanos normais seriam os príncipes, e eram muitos… Mais morríamos do que matávamos e logo uma lança jogada por um deles acerta o pescoço de Phrixos, que agoniza e logo dá seu último grito e seu último golpe:

    -Só vou pro Hades se for comigo imbecil!
    Gelo após ver tal coisa, vem ao meu lado e diz:
  • É você estava certo, mas se vou morrer será de uma forma honrada, não fugindo…
    Logo olhei pra ele e sorri essa era uma atitude de um verdadeiro nobre e logo ele procura uma passagem para chegar por trás dos inimigos, a guarda do nosso general morto fez um ataque suicida por ter falhado em sua missão e enquanto isso repelimos o exército que nos atacou, agora só sobrou dois exércitos deles, os príncipes e os hastários (o que eles correspondem) então partimos para o ataque final, e começou o último combate, que eu denomino do combate das lágrimas.
    Nosso exército avançava mais e mais contra eles, até que chegamos à praça central onde vejo o capitão inimigo Aulus sozinho e logo grito:
  • Você! Você irá morrer agora!

E com minha lança já quebrada saco minha espada e desfiro um golpe contra seu cavalo e, quando ele cai sua cabeça é cortada, e fincada em uma estaca de madeira e o avanço continua cada vez mais.


Gelo cargava várias vezes contra as costas deles, até que numa destas cargas ele voa de seu cavalo e cai na lança de um de nosso hoplitas, este pelo qual foi executado, mesmo não sendo sua culpa e então destruímos todos eles querendo vingança.


Logo após a morte destes todos os soldados saqueiam todas as casas, e matam ¾ da população sendo que a que sobra era siracusana, após contarmos os mortos descobrimos que os rebeldes mataram 892 bravos siracusanos, sendo que matamos 1593 soldados deles e 2625 civis, a mulher do capitão Aulus, a mais bonita das mulheres dessa cidade é feita como minha escrava para diversão, e sua armadura também é enviada para mim, assim como sua casa… E o governador provisório daqui começa as obras e manda que seja feita uma estrada, após a batalha separamos os corpos e os gregos têm um enterro digno e suas mulheres e filhos ganham propriedades na cidade de Messana, enquanto os rebeldes são levados para um campo onde os abutres fazem a festa. É a guerra é horrível…

Você deveria usar menos seus generais, vai acabar matando a família real toda! É muito importante manter generais vivos para melhorar o comércio, parte mais que vital do jogo…
Acompanhando

Eu n entendi, pq diabos na primeira batalha vc só usou um ariete?
Agora o melhor é construir um porto e fazer tratados com os romanos.
Nunca joguei o mod, mas vc está com um único general cercado por dois gigantes, n me parece ma boa situação.

Eu tbém normalmente uso só um aríete xD, mais duas escadas, quase sempre… às vezes, só escada, dependendo da defesa…

A morte dos generais foi friamente calculada u.u E eles tinham muralhas de madeira, não de pedra.
Agora vou esperar o filho do Gelo crescer e fazer todos os capitães entrarem pra família xD

Próximo episódio: Os tempos de trevas e problemas púnicos.

Vou baixar o MOD, ver se é bom, estava querendo um MOD, agora que minha campanha com os Espanhóis ficou chata no vanilla…
vamos ver…

PS: seria legal você deixar um link para o MOD no primeiro post :wink:

Tá bom, eu só vi algumas coisas estranhas, mas nada que atrapalhe. Parece muito interessante essa AAR :wink:

Interessante… vamos ver, realmente cara batalhas não são seu forte. Como tu me deixa morrer dois generais em uma batalha vencida por vc?

Edit. reduz o numero de soldados, é muito phoda jogar SP com esse numero alto de tropas por unidade, pra atrvaessar uma ponte ou portão é um verdadeiro parto, além do que é um prato cheio pra projeteis e arqueiros… eu devo ser o unico que gosta da escala no normal.

Uhtred o RS 2.5 tem essa facção bem mais detalhada e com um fundo historico muito bom, recomendo, as facções Helenas no RS são show!

Então, eu meio que planejei isso pra deixar um pouco mais emocionante, menos a morte de Gelo… mas isso é um contratempo e realmente em cercos sou horrível.

Reparei nisso, mas tem como mudar no meio do jogo?

Eu acho que tem, só ir nas opções e ver o que pode se fazer :wink:

Tem é só ir em options (opções), marque a caixa Advanced optinos (opções avançadas) e vá em unit-scale e selecione o tamanho desejado.

É eu sei, mas não sei se funciona em jogo salvo

E o pc que o jogo estava vou ter que formatar, mas fiz backup do save e to baixando o jogo aqui

É eu sei, mas não sei se funciona em jogo salvo

E o pc que o jogo estava vou ter que formatar, mas fiz backup do save e to baixando o jogo aqui

Edit: Já joguei, to editando e a noite eu posto…

Eu espero não ser muito dificil essa AAR

[center]Capítulo 2-Tempos Negros e ameaças Púnicas[/align]

[center][fade]Narração de Alexandre, ajudante do Tirano[/fade][/align]
[font=Kristen]Tempos negros se aproximam, após a morte do trio siracusano sobrou apenas nosso tirano e o filho de Gelo de dois anos, porém o mais extraordinário é algo que tenho certeza que nunca mais verei, Hiero chorou… [/font]

[right][fade]‘’ porém o mais extraordinário é algo que tenho certeza que nunca mais verei, Hiero chorou… ‘’[/fade][/align]
[size=150] Fora ordenado que fosse construído barracas auxiliares em Siracusa e para recrutar os nobres de Siracusa, ou como são chamados os Hoplitas de Siracusa.

[tab=30]O filho de Gelo havia sido sequestrado e os sequestradores queriam que fossem lhes dado uma quantidade muito grandiosa de denarios, porém um homem se pôs a procurar por este por dias e noites e quando o encontrou, matou todos os sequestradores e resgatou o menino e logo o levou até os guardas do palácio do tirano, este logo ordenou que ele entra-se e passando pelo belo palácio chegou até a sala de Hiero que disse:

  • Como posso lhe agradecer, fiel guerreiro?
  • Meu FuhrerMeu tirano, gostaria de servir a minha nação como um general, e que meus descendentes se tornem generais, e que os descentes destes também se tornem para a glória de Siracusa.
    -Ok, meu jovem… qual vosso nome?
  • Aristófanes, e espero que seja Aristófanes de Siracusa caso eu seja aceito.
    -Pois então eu declaro que você agora é meu filho, Aristófanes de Siracusa.

[tab=30]E logo ele se retirou, no outro dia chegou a minhas mãos que com a conquista de Messana a economia finalmente se estabilizou, fui dar a notícia a Hiero que ao olhar pro papel sorriu, tenho certeza que ele estava se lembrando do sacrifício de seu filho e os maridos de suas filhas.

[tab=30]Em Messana após o término da construção das ruas fora ordenada a construção de um centro de comércio, ou como é chamado comerciante.


Chegaram também notícia de que Kyrios conseguiu uma aliança com os romanos, direitos comerciais e informações do mapa romano em troca de míseros 430 denários que tivemos que pagar. Também fora formada um tratado de direitos comerciais com a cidade-estado grega de Epíros e com os rebeldes de Roma.

Agora fora terminado o recrutamento dos hoplitas siracusanos e recebemos também a noticia de que a economia continua bem.

[tab=30]E recebemos a notícia de que o grande exército cartaginês que tanto temíamos tinha embarcado em uma frota de 241 trirremes, vimos uma oportunidade da tão sonhada conquista da Sícilia e logo enviamos o Almirante Lysandros, que tinha o controle dos 241 trirremes de Siracusa para destruir a armada cartaginesa fora uma grande batalha onde grande parte da frota cartaginesa fora destruída, porém graças a inexperiência de nosso almirante perdemos a batalha, e perdemos todos os trirremes… o nome do almirante cartaginês jamais seria esquecido, Thero… você será destruído.


[tab=30] Para continuarmos a guerra em Siracusa é ordenada a construção de 241 novos trirremes e seis meses depois, os primeiros 81 foram construídos e em Messana e em Siracusa foram terminadas as construções e recebemos a notícia de que tivemos uma dívida de um pouco mais de 1000 denários…




[center][fade]Narração de personagem desconhecido, 2016[/fade][/align]
[/size]
[tab=30] Alonzo para de ler por um tempo e parte para sua casa, o caminho é tranquilo porem quando ele sai de seu carro para abrir o portão, vê um tiro ser acertado em seu portão, logo se vira é vê um homem encapuzado e corre na direção deste que foge, porém o historiador sendo mais rápido consegue derruba-lo e liga pra polícia onde ele admite ser enviado pelo presidente da Itália e logo a declaração é transmitida para toda a Sícilia que se rebela, é fundada a República de Siracusa, sendo liderada por Alonzo de Siracusa

Terminei de ler desde do primeiro capitulo =), tá bom demais ansioso para a continuação.