Sala do Café

Um lugar aconchegante, onde os filiados se encontram para uma boa xícara de café e alguns petiscos, enquanto aguardam o começo das reuniões partidárias. Varias decisões e debates são iniciados aqui.

Existe rumores que algumas garrafas de vinho e whisky ficam liberadas aos filiados.

[tab=30]Ao passar pela sala o Comendador comenta: - Opa!!! Acho que com esse espaço e conforto teremos que abrir uma cafeteria aqui. Hahahaha. … Mas digo-te que, esse conforto e esse espaço que nos foi cedido e remodelado de nada servirá se não fizermos algo contra as ideias venenosas difundidas pelo pseudo-jornal que é a Gazeta Imperial.

Recuperando-se prossegue: - Mas a senhora não tem que me ouvir divagando, desculpe-me. Só peço que, se algum partidário chegar aqui avise-o que amanhã de tarde, preferencialmente logo após o almoço, estarei fazendo um manifesto oral na praça Hans.

  • Sim senhor, com certeza farei isso!

  • Pois bem, tenha um bom dia! E qualquer coisa estarei em meu gabinete na Gendarmeria!

  • Obrigada e passar bem Comendador!

O Grao duque Odin adentra ao recinto para apreciar um bom café e conversar sobre a política imperial.

Uma secretária vem trazer o café para o Duque Odin: - Como estás Vossa Senhoria, ficastes sabendo do debate que tivemos na praça Hans ontem ao anoitecer?

Não soube de nada, podes contar-me mais sobre isso?

  • O Comendador Caçador foi para Praça Hans fazer um contra-manifesto sobre o Manifesto do Chanceler publicado pela Gazeta Imperial! Neste manifesto - e alcança o jornal - o Chanceler defende o nacionalismo mas para isso condena as liberdades individuais, economicas, a livre iniciativa e, principalmente a democracia! Após começou o Chanceler apareceu e começaram um debate de ideias! Que esquentou com a participação de outras pessoas inclusive o ex-presidente do senado Henry. Pelo que foi visto a população está dividida, não havendo predominância de nenhum dos lados.

Entao a chancelaria está mostrando sua verdadeira face ditatorial…

  • Realmente! Os temores iniciais para com o Chanceler de algumas pessoas estão se confirmando!!

Voce sabe por onde anda o Barão Julio Cesar?

  • Não, infelizmente não sei onde o Barão está! Sei apenas que ele tinha ido para Dunord com a frota mas que já havia retornado! Contudo o Comendador Caçador deixou algumas propostas para votação.

[justify][tab=30]Alguns jovens debatem a situação da política nacional, entre eles há três rapazes que estão quase totalmente vestidos de preto e dois deles estão com singelos símbolos de um olho e um ouvido.[/align]

Ao chegar ao partido, enquanto sou servido pela copeira ela me relato os rumos que o PD tomou, me relata da desfiliação de Alexander Di Draconi e que a liderança do partido esta nas mão do senhor caçador.

  • Otimo, o partido está em boas mãos.

Ela não soube me relatar a quantas anda a política do império, mas disse que grande discussão ocorre no senado, onde decido ir para verificar a pauta e as leis já aprovadas.

Algumas bebidas, alcoólicas e não alcóolicas, além de vários petiscos começam a ser arrumados e organizados para a reunião, que ocorrerá na sala do café, um lugar mais informal e mais leve para as conversas que em breve ocorrerão.

Adentro a sala do café e olho os presentes, ainda não havia nenhum partidário ainda, mas já havia sido informado sobre a presença do presidente Richard que estava em seu gabinete.

Pego uma dose de scoth e me sento aguardando a chegada dos demais.

O Comissário sai de seu gabinete e fica na sala do café, conversa com alguns jovens e algumas senhoras que, hoje, deixaram de suas atividades rotineiras para auxiliar o partido. Logo vê o Barão de Morais:

  • Como estás? Como foi esse seu período “fugido” de Gesébia?
  • Grande amigo Caçador, a quanto não nos falamos heim. Pois é meu amigo, precisei me ausentar as pressas. Minha mãe veio a adoecer em sua terra Natal a Itália e eu precisei sair as pressas sem oportunidade de nenhuma comunicação. Ela não resistiu, precisei tomar conta de algumas coisas por lá, mas foi boa minha estada no velho continente, tive contato com um pessoal de uma doutrina muito proveitosa, baseada em alguns ensinamentos escritos por Allan Kardec. Mas e por aqui, o que me conta de novo? Vejo que o império passou por grandes mudanças em minha ausencia.

Após um forte abraço, respondo:

  • Lamento por sua mãe. Aqui houve várias novidades, um grande progresso empresarial, vários imigrantes chegam diariamente ao Império. Estamos nos tornando realmente um Império e, brevemente, seremos respeitados pelos países europeus. Quanto à política o Chanceler Valeyard transformou os progressitas em um bando de mancebos recém desmamados que ficam em êxtase quando ele menciona a militarização do Império. Chamam-se de gesebianistas mas o nome correto é nacionalistas e nada fazem de diferente do que os antigos políticos gesebianos.
  • Tenho percebido essa militarização, não tive muito contato com o atual chanceler, tinha muita amizade com o pai do mesmo, mas era de se esperar eu mesmo vindo de um breve passagem no velho continente vim com uma cabeça mudada, imagina esses herdeiros que foram criados lá. Mas me conte mais sobre esse sentimento nacionalista que eles vem pregando.
  • Eles acreditam que as liberdades e a democracia devam ser restingidas e que só com uma presença militar forte é que o verdadeiro poder do povo poderá ser exercido. No início falavam contra as liberdades individuais mas depois viram que isso não enganava ninguém e calaram-se. Inclusive eles possuem um grupo de jovens chamado de Punhos Nacionais, vários são exemplares mas alguns são arruaceiros que adoram o fim de liberdades pregado pelos nacionalistas. Mas eu escutei vários boatos de que sua esposa saiu de Gesébia grávida, é verdade?
  • Não, não, segundo as contas do Dr. esse foi produzido em território Europeu, mas nascerá em terras Gesebianas como o pai. Mas caçador, será que algum ainda aparecerá, sabe quantos correligionários o partido ainda possui?