[ST] Contos do Espaço Profundo

@Hiryuu vale a pena combater os leviatas espaciais?

1 Curtida

Roleplay-wise? Bom, to fazendo mta coisa mantendo o roleplay que eu não faria, ou faria diferente; o resetlement de pops, por exemplo, é essencial pra acelerar o fortalecimento, mas tive que “achar” um motivo pra fazer isso no roleplay. Os leviatãs, sendo específico, são uma ameaça - mesmo que eu saiba que eles não deixam o sistema onde aparecem, no roleplay eu não teria como saber…
Gameplay-wise? Sim, todos trazem vantagens se derrotados - uns têm relíquias, ou guardam planetas especiais, ou fornecem techs raras e/ou bônus em produção/ataque depois de derrotados.

1 Curtida

Queria saber mecanicamente mesmo.

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LVII
Os Precursores Yuht

Construção

 Após o conserto das naves militares, todas foram enviadas para Wymos, onde iniciou-se a construção de novos Cruzadores e Destróieres para repor os perdidos em Ussaldon. Em Deomia novas Corvetas Classe-Lithe também tiveram a construção iniciada. Outras construções também foram iniciadas, entre elas uma Capital Planetária em Deomia I.

Pesquisa

 O Departamento de Engenharia concluiu o projeto de Sistema de Modelo de Máquinas e de novos Quiosques Replicadores para aumentar nossa produção de Bens de Consumo, e um novo projeto de maiores Refinarias de Gases Exóticos foi iniciado.

 Com a conclusão pelo Departamento de Engenharia, dois modelos de Robôs foram definidos: um especializado em Mineração e outro destinado a trabalhar em nossas Plantações.

 O Departamento de Física concluiu os Protocolos de Estação Autônoma para liberar nossos cientistas a se focarem nas pesquisas enquanto a maioria das trivialidades diárias é executada pelos computadores a bordo. Escudos mais avançados, batizados de Hiper Escudos, começaram a ser projetados.

 Novos Modelos de Construção Padrão foram adotados pela Tecnocracia. Com esses novos modelos o trabalho de construção nos planetas deve ser simplificado e exigir menos mão-de-obra para serem concluídos.

Colonização

 Ussaldon V começou a ser, novamente, colonizado pelos Terranos após a derrota do Dragão Espacial Estilhaço.

Líderes

 Com o falecimento de Fronds of Grey aos 91 anos, o destacado oficial Kareem Abboud foi promovido a Almirante e assumiu o comando da Strike Force Dragon.

 O Capitão da From Beyond também faleceu, aos 94 anos de idade. Para sua posição foi promovido o cientista Petals of Ebony.

Diplomacia

 A guerra entre a Entente Cevanti e a aliança Lahtrepiana-Rak’Thalak’Nak terminou com trocas de sistemas entre os dois lados, uma conclusão confusa, mas na qual os Lahtrepianos levaram vantagem.

 Outra civilização de mercenários foi encontrada aos explorarmos Gomeisa. Os Saqueadores Frubralav também ofereceram seus serviços à Tecnocracia, mas a aparente falta de equilíbrio dessa raça deixa mais dúvidas sobre tentarmos confiar neles…

 A Entente Cevanti segue se fortalecendo, com a adesão da União Dinástica Nuurlan à Federação. Com isso, seus quatro membros – Autoridade Cevanti, Regime Tumbator, Estado Gorf e União Dinástica Nuurlan – ocupam praticamente metade da galáxia. Com o constante atrito entre a Tecnocracia e seus membros, um conflito com a Entente poderia se estender por décadas e trazer incontáveis perdas a ambos os lados.

Exploração

 A PAN Kha Itnis fez uma descoberta preocupante em Obskyke: um covil de Entidades Cristalinas, com mais de uma centena desses seres de cristal e uma gigantesca construção que só pode ser a origem dessas criaturas espaciais. Além disso, mais dessas Entidades foram encontradas no sistema vizinho de Jurnast.

Os Precursores Yuht

 A From Beyond chegou ao sistema natal dos Yuht, Yuhtaan. Ao investigar Yuhtaan Majoris, uma descoberta aterradora: seu planeta foi destruído, com ataques orbitais tão massivos que lançaram quase um quinto da crosta ao espaço, deixando o próprio núcleo à mostra. Os textos anteriormente encontrados falam que a guerra entre os Yuht e os Jabbardeeni foi rápida, devastadora para ambos os lados, mas culminou na destruição total do Império Yuht. Que tipo de tecnologia capaz de quase partir um planeta ao meio os Jabbardeeni possuíam? O que aconteceu com eles? Será que um dia saberemos?

 Entre os destroços do planeta, uma Relíquia foi encontrada: um Núcleo Criogênico Yuht. Muito além de qualquer expectativa que nossos cientistas possam ter sobre a tecnologia de criogenia, um desses núcleos mantinha os Yuht congelados por milhares de anos, quanto colonizavam outros planetas. Por mais que essa tecnologia esteja milhares de anos à frente da nossa, talvez possamos utilizar parte do conhecimento dela em nossos próprios esforços de colonização.

 Yuhtaan Minoris, a lua de Majoris, também guarda surpresas. Sinais de outra expedição exploratória foram encontrados, e antigos manuscritos, possivelmente desses exploradores.

 A tradução desses manuscritos foi demorada, mas revelou serem ensinamentos filosóficos de “Contissa, a Contadora de Contos”. Muitas considerações políticas podem ser retiradas desses ensinamentos e aplicadas a nossa sociedade atual.

 Yuhtaan II já foi um planeta coberto de água, mas ela acabou absorvida pela crosta basáltica e somente cânions cheios de salmoura restaram. Pelo menos, há grande potencial mineratório nesse planeta.

 Uma grande rede de colônias aeróstatas foi encontrada no gigante gasosos Yuhtaan IV. Com a finalidade original de minerar gases da atmosfera, mesmo semidestruídas ainda podem fornecer base para estudos de nossos cientistas.

 O sistema natal dos Yuht é uma jóia rara! Não apenas o estudo de Yuhtaan Majoris pode catapultar nosso conhecimento científico, Yuhtaan V é absurdamente rico em raríssimos Gases Exóticos e o cinturão de asteróides ao redor de P1-OR95 é repleto de minerais e Ligas Metálicas valiosas, além de outras fontes de minerais e energia no sistema. Devemos ocupá-lo o mais rápido possível.

4 Curtidas

Que achado! Vale a pena mesmo enfrentar alguns seres míticos.

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LVIII
Batalha por Fidhilam

Construção

 Os primeiros Robôs Ceifeiros começaram a ser testados nas fazendas da Terra, para avaliar seu desempenho e possíveis defeitos antes de serem enviados a outros planetas da Tecnocracia.

 A construção da base estelar no sistema Yuhtaan foi concluída, e a LSS Meristem iniciou as estações de mineração e pesquisa para explorarmos os vastos recursos desse sistema único. Enquanto isso, novas construções continuam a ser erigidas por todo o território da Tecnocracia.

Pesquisa

 O Departamento de Sociedade aperfeiçoou nosso sistema de Logística Interestelar, possibilitando apoiarmos mais efetivamente nossas frotas militares, bem como a divisão burocrática necessária para que nossa Burocracia Galáctica mantenha a eficiência conforme nossa civilização se espalha pelo espaço. Novas doutrinas voltadas às Guerras Interestelares começaram a ser estudadas pelo Departamento.

 O Departamento de Engenharia determinou os processos necessários ao Refino de Gases Exóticos, permitindo que produzamos esses raros (e cada vez mais necessários) gases a partir de minerais comuns, além de desenvolver novos Materiais Açoplásticos que podem fornecer uma armadura mais avançada para nossas naves militares. Estudos sobre Materiais Superfluidos começaram a ser realizados.

Exploração

 A ISS Gallant Dawn descobriu, no sistema Moscot, que o asteróideE44-233-D e seus arredores são originários de um antigo planeta, provavelmente destruído por algum cataclisma. Várias Ligas Metálicas valiosas foram detectadas no interior do asteróide.

 Um membro da tripulação da PAN Kha Itnis foi responsável pela descoberta de um rico depósito mineral na lua Enkef C IIa. Além de ser tomado como imediato do capitão Petals of White, o restante da tripulação sentiu-se mais motivada a pensar por conta própria, o que deve melhorar as operações da nave Científica.

 A ISS Gallant Dawn descobriu que a superfície de Eltheen Va é coberta por uma camada de nanites autorreplicantes, criados por alguma civilização antiga com propósitos incertos. O estudo desses nanites possibilitou avanços importantes sobre os misteriosos Portões-L, além de desenvolvermos novos Algoritmos de Montagem que devem otimizar os processos de construção.

 A ISS Wayfarer descobriu mais grupos de Entidades Cristalinas no sistema Olimar. É o terceiro sistema ocupado por esses seres espaciais. Antes de deixar o sistema, os sensores de longo alcance da nave Científica descobriram que essas Entidades guardam um dos raros planetas tipo Gaia. Certamente seria um prêmio valiosos por enfrentarmos esses seres hostis.

 Os restos de uma colônia aeróstata com várias espécies alienígenas foi descoberta pela PAN Kha Itnis acima da atmosfera de Tallasus II. Conseguimos recuperar parte dos dados e os adicionamos ao nosso sistema de pesquisa.

Líderes

 O Almirante Zhen Wu faleceu, aos 83 anos de idade. Para o comando da Strike Force Pegasus foi escolhido o inflexível Almirante Carax.

 O Governador do Setor Wymos Prime, Petals of Khaki, também faleceu. O engenheiro ambiental Stalk of Teal foi escolhido como novo responsável pelo setor.

Fluxos Estranhos

 A exploração de Soeyama I segue com seus problemas. Logo após descobrirem que a lava do planeta é formada principalmente por metal derretido, alguns arqueólogos começaram a discordar do capitão Stalk of Brown sobre como proceder a exploração nessas condições tão adversas.

batalha por Fidhilam

 O mês de Maio de 2313 já se aproximava do fim quando as frotas terranas chegaram ao sistema Fidhilam para enfrentar a Entidade Psiônica desse sistema isolado.

 Ao contrário do que se imaginava, a batalha foi rápida. Apenas 4 Corvetas foram destruídas até que o inimigo fosse neutralizado, permitindo assim a exploração desse incomum sistema estelar.

4 Curtidas

Tenho acompanhado o AAR desde o começo, anonimamente. Um belo trabalho!

Apesar do meu notebook ser da era 32-bits, não rodar muito além do mid-game e muito menos as expansões além da 2.3 (creio eu), acho essa parte da exploração inicial a mais interessante. do jogo. Eu fiquei meio frustrado com Stellaris em certos pontos, principalmente por um re-desenvolvimento até irritante da engine a cada nova expansão. Não sei se arrumaram a desgraça que o sistema de setores ficou. Mesmo as facções poderiam causar mais emoção na vida. As quests dos leviatãs são legais, mais muito curtas ao meu ver. Você vai lá, descobre o leviatã, atira nele, consegue umas techs raras e vida que segue praticamente…

Nesse caso poderia ter uma interação maior com os curadores, os precursores ou os impérios caídos… Um quest mais substancial como os dos precursores para cada guardião, [para mim] não seria mau. Afinal, vai que um Fallen Empire queira que o leviatã fique lá exatamente ele estava para servir a um propósito. Ou ao menos, você mata o bicho e recebe uma expedição punitiva do FE, inicia uma crise do mid-game… :grinning:. Enfim, para mim o “lore” é o mais importante, porque só batalha espacial não enche barriga.

Acompanhando! :+1:

5 Curtidas

Eu to mais perdido q cego em tiroteio, mudando o estilo toda hora pq eu sinceramente não consigo tocar a história sem explicar tudo q acontece :sweat_smile: mas um dia eu chego lá - espero :pray:

Isso é o pior… e vão mudar mais coisa ainda no patch do dia 15 :unamused:

Verdade, enquanto eles não “despertam” acho que os únicos mais ativos são os espiritualistas com relação aos Sacred Worlds…

Até que tem bastante, mas mto “diluído”… o Federations com suas Origens até q melhorou, algumas ele se estende quase até o end-game, mas nada do nível do lore do nível de Master of Orion ou Endless Space, sadly…

Enfim, valeu! :grin:

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LIX
Cofre, Curadores, Iluminismo e Saqueadores…

 A vitória sobre a Entidade Psiônica foi comemorada, mas a Diretora-Geral decidiu aguardar antes de atacar o Terror Dimensional em Vha’Zi Maelstrom, construindo novas Corvetas para substituir as destruídas e melhorar as naves como um todo.

 Mas, em meio a isso, uma gigantesca nave espacial surgiu no sistema Achemar, colocando-se em órbita de Carimal. Uma reunião de emergência foi realizada, e embora nenhum sinal de agressão fosse detectado da nave tubular, os militares solicitavam permissão para atacá-la. Entretanto, a posição dos cientistas foi vitoriosa. Os dados coletados da nave demonstram que ela não é nem inteiramente orgânica nem inteiramente metálica, e um estudo minucioso, porém não-invasivo, começou a ser realizado.

 Com o sucesso dos primeiros Robôs Ceifeiros, novas Fábricas de Montagem, em Deomia I e Carimal, começaram a ser construídas, dando início à Segunda Fase do Projeto de Especialização Colonial.

 E a exploração do novo setor da galáxia além do Buraco de Minhoca também prosseguiu. De Campos de Destroços em Imdar VIII a um grande núcleo de energia protegido por drones de mineração em 91F-DX-1, grandes descobertas foram feitas, mas nenhuma superou a Nave-Tanque Misteriosa em Fidhilam. Descobriu-se que era uma antiga nave de pesquisa médica, e encontrou-se dados sobre uma pesquisa de Engenharia de Tecido Neural que deverá ser muito útil se conseguirmos adaptá-la à fisiologia terrana.

 Quando o Regime Tumbator declarou guerra contra a Liga de Comércio Triech, ficou claro que a Entente não pretende parar. Teremos que intervir em algum momento, antes que sua sede de poder os torne poderosos demais…

 Foi em Outubro de 2316 que nossos esforços com os Czyrni deram frutos. Ao construírem sua primeira nave capaz de viajar pela Hiperestradas, nossos enviados deram-se por satisfeitos.

 Unindo-se sob a bandeira da Fundação de Dradim III, os Czyrni assumiram um governo semelhante ao nosso, uma Diretoria Científica com ênfase na exploração e pesquisa.

 Logo oferecemos um Tratado de Migração, para que ambas nossas civilizações possam prosperar em harmonia.

 Quando a pesquisa do Departamento de Física sobre os chamados Hiper-Escudos foi concluída, e os projetos de nossas naves foram atualizados com essa nova defesa energética e as fortes Armaduras Açoplásticas, além de novos armamentos mais avançados, teve início um enorme, e longo, processo de modernização de nossas frotas. Bilhões e bilhões de toneladas de Ligas Metálicas, Gases Exóticos e Cristais Raros seriam necessários, mas esse alto custo compensaria pelo fortalecimento de nosso poderio militar.

 Mas esse não foi o único avanço científico nesses anos. O próprio Departamento de Física também concluiu pesquisas que permitirão uma Análise Multi-Dimensional em laboratórios específicos em nossas bases espaciais, permitindo novos ângulos possíveis em situações antes consideradas normais. E o Departamento de Sociedade terminou os novos protocolos para Doutrina de Guerras Interestelares, trazendo a público a necessidade de ampliação constante de nossas frotas militares. Também um novo, ou nem tão novo, pensamento tem tomado conta da sociedade terrana. Anteriormente vista com maus olhos por alguns, a Busca pelo Lucro voltou a ser considerada um fator preponderante nos esforços pessoais de qualquer cidadão, sendo apenas uma conseqüência natural do bom trabalho realizado.

 Enquanto nossas naves eram melhoradas, contatamos a Ordem dos Curadores, buscando informações sobre o Terror Dimensional. Eles próprios detectaram quando a criatura surgiu nesta dimensão, e suas pesquisas descobriram que, não fosse ela não ter conseguido passar totalmente pelo portal, certamente toda a vida na galáxia já teria sido destruída.

 Por uma… “ajuda financeira”… relativamente baixa eles concordaram em fornecer mais detalhes, especialmente sobre pontos fracos do Portal, que poderão ser utilizados para destruir a criatura. Eles acreditam que um ataque massivo de nossas frotas deve ser capaz de vencer um combate direto. Ao menos temos uma chance, agora.

 Mas tudo sempre parece conspirar contra a Tecnocracia. Nem um terço de nossas frotas haviam sido atualizadas ainda, quando os Cavaleiros do Vácuo Rethellianos entraram em contato. Exigindo outro “tributo”, e de um valor ainda maior desta vez. Totalmente ofendida, a Diretora-Geral Lorena Rodriguez respondeu da forma adequada, de que se quisessem algo da Tecnocracia teriam que vir tomar à força.

 A reunião da Diretoria foi incisiva. Dessa vez o ataque teria que ser repelido, a qualquer custo. Embora sem terem certeza de onde eles acabariam por atacar, um consenso foi estabelecido de que o alvo mais provável seria Drisk, novamente, por ser o sistema terrano habitado mais próximo dos Rethellianos. Um grande esforço de construção de Plataformas de Defesa se iniciou, além da ampliação da própria Base Estelar. Todas as frotas terranas, embora apenas parcialmente atualizadas, foram enviadas de imediato.

 Essa ação rápida mostrou-se fundamental, pois quando as últimas frotas chegavam ao sistema, os sensores de longo alcance detectaram os Rethellianos, a apenas três saltos de Hiperestrada de distância. Desta vez, estamos preparados.

3 Curtidas

Parece com “Encontro com Rama”

2 Curtidas

Se não me engano foi baseado no livro de C. Clarke sim… Agora q tu falou… Lembrei de Rama, um jogo q veio junto com meu primeiro PC… Rama 1996 PC

2 Curtidas

Ah, sim, foi brevemente discutido no tópico de musica, em dezembro:

3 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LX
Batalha em Drisk

 Mesmo com todas as atenções voltadas para Drisk, a Tecnocracia não parou.

 Com a Segunda Fase do Projeto de Especialização Colonial sendo colocado em prática, Turim Prime e Dimm Prime foram redefinidos como Mundos Mineradores, para suprir a alta demanda de Minerais que seriam necessários no futuro próximo. Novas Fábricas de Montagem de Robôs foram construídas nesses planetas, além de outras em Wymos Prime e Esmyke Prime. Novos esforços de recolonização de cidadãos desempregados também foram efetuados, com quase dois bilhões de pessoas sendo enviadas a Turim Prime.

 Avanços científicos também tiveram lugar nesse meio-tempo. O Departamento de Sociedade apresentou os estudos sobre Padrões de Pensamento Sintéticos, e, após a pressão da facção militarista da Marcha dos Bravos, liderada pela própria Diretora-Geral, que foi preponderante para que os novos esforços fossem focados em novas Tradições de Frotas Estelares. No Departamento de Engenharia, o uso de Superfluidos teve grandes avanços, e, com o premente aumento da necessidade de Minerais, novos processos de Purificação Mineral começaram a ser estudados.

 As frotas terranas já estavam posicionadas, quando os Rethellianos deixaram a Hiperestrada.

 Surpreendidas pela oposição encontrada, as naves inimigas logo começaram a ser atingidas pelos disparos das frotas terranas, que avançaram sobre o inimigo em formação de ataque.

 As Plataformas de Defesa construídas mostraram sua utilidade, disparando incessantemente em apoio às naves que começavam a envolver os inimigos.

 Os Rethellianos logo foram cercados, envolvidos pela superioridade terrana. Muitas naves que, em desespero, tentavam furar o furacão que as cercava logo se tornavam alvo dos Encouraçados e suas armas de longo alcance.

 Nove naves inimigas foram destruídas, e quase todas muito avariadas, antes que os Rethellianos conseguissem executar o salto emergencial e fugir da batalha. As oito Corvetas perdidas pela Tecnocracia foram um pequeno preço a pagarmos pelo recado enviado aos Rethellianos: não aceitaremos mais sua presença criminosa.

 Os destroços das naves inimigas logo começaram a ser estudados, em busca de alguma tecnologia útil que nos permita destruir esses saqueadores de uma vez por todas.

5 Curtidas

Morte aos piratas espaciais.

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXI
Piratas Espaciais

 A análise dos destroços em Drisk pela ISS Wanderer demonstraram que os Rethellianos são bem mais avançados que a Tecnocracia. Utilizando engenharia reversa nos componentes relativamente intactos, descobriu-se que possuem armas mais poderosas, propulsores mais eficientes e um casco regenerativo, além de computadores especializados em combate. Não foram muitos dados recuperados, mas podem possibilitar nossa pesquisa nesses campos.

 Pesquisa que, aliás, teve grandes avanços nos anos que se seguiram ao enfrentamento com os Rethellianos. O Departamento de Engenharia, por exemplo, terminou o projeto das novas Usinas de Purificação Mineral.

 Uma pesquisa um tanto polêmica, mas apoiada pela Diretora-Geral, foi a de uma forma avançada de robôs, os Dróides. Basicamente, isso implica em melhorias relacionadas à Inteligência Artificial e em sua capacidade laboral. Alguns se levantaram contra essa pesquisa, devido ao fato de que possibilita que robôs assumam outras funções além das para a qual foram criados, “tomando” o emprego de milhões de pessoas. Entretanto, as novas capacidades dos Dróides permitem que realizem trabalhos industriais e, mesmo, que colonizemos planetas praticamente inabitáveis para seres orgânicos.

 Além disso, uma nova Armadura para nossas naves militares, um novo composto batizado de Duraço, foi desenvolvido, e deve aumentar e muito a defesa de nossas frotas.

Avanços significativos também foram alcançados pelo Departamento de Sociedade. As novas

 Tradições de Frota Estelar vão permitir um melhor treinamento da tripulação de nossas naves militares, além de um aumento substancial na capacidade de ancoragem de nossas estações espaciais.

 A cedência de áreas de nossas bases espaciais para as novas Companhias de Comércio Sideral deve aumentar o comércio entre nossos sistemas estelares.

 Mas o maior avanço foi em novos métodos de Enriquecimento de Solo Estrangeiro, que permitirão a colonização de mundos que, hoje, tornariam a vida dos colonos um verdadeiro desafio.

 As novas Lanças de Partículas projetadas pelo Departamento de Física demonstraram serem armas extremamente poderosas. Uma única dessas armas possui o poder de destruição de várias Corvetas, ou mesmo de um Destróier. Seu tamanho gigantesco, entretanto, deve possibilitar seu uso apenas em Encouraçados.

 Outra arma criada pelo Departamento foram os novos Lançadores de Prótons, capazes de penetrar mesmo nos cascos mais resistentes.

 A exploração de sistemas estelares também continuou, com uma descoberta interessante em Ginigan IVa. Sua superfície escaldante, em conjunto com sua atmosfera ácida, faz com que compostos metálicos pesados evaporem e, ao alcançar certa altura, congelem, retornando como uma neve metálica ao solo.

 Outro fato comemorado foi a conclusão das operações em Soeyama I. Depois de anos com várias equipes enfrentando problemas, a causa das intensas flutuações magnéticas do planeta foi finalmente descoberta. Envolvendo a aproximação de uma estrela de nêutrons que derreteu os metais dentro da crosta do planeta, as flutuações atuais nada mais são que um resquício do que o planeta passou há milhões de anos. Um ponto, entretanto, permanece um mistério: como essa estrela de nêutrons se aproximou do planeta? E… onde ela está, agora?

 Em contraponto, a morte da Capitã Ting Zhao foi bastante sentida. A Arqueóloga Vera Kirby assumiu o comando da ISS Wanderer em seu lugar.

 Mas não foram apenas descobertas que ocorreram. Novas construções foram iniciadas, entre elas uma nova Nano-Fábrica de Ligas em Deomia I, Distritos Urbanos em Torell Prime e Parques Industriais Civis em Dimm Prime, além do início da remoção de grandes áreas de Selvas Densas em Carimal.

 O grande destaque, porém, foi a nova Campanha de Colonização iniciada. Um esforço conjunto de Terranos, Lavis e, principalmente, Czyrni, possibilitou o início da colonização de oito planetas em diversos sistemas estelares. Como a fisiologia Czyrni é adaptada ao seu mundo devastado por guerras nucleares, são extremamente adaptativos à maioria dos demais planetas habitáveis que encontramos.

 Mas nem só de boas notícias vive a Tecnocracia Terrana. Mesmo com a Diretoria ciente de que várias rotas comerciais sofriam com ataques ocasionais, uma incursão de Piratas Espaciais ao sistema Ksora era totalmente imprevista.

 Enquanto a base espacial se preparava para o ataque, a Strike Force Pegasus rapidamente deixava o sistema Zowod para defender Ksora.

5 Curtidas

Adivinhão! :face_with_hand_over_mouth:

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXII
Aliados, Aliados…

 Quando a frota pirata começava o ataque à Estação Ksora, após já haver destruído uma das estações de mineração, a Strike Force Pegasus chegou ao sistema.

 O ataque foi rápido, e devastador. As naves piratas foram destruídas sem a menor dificuldade. Um recado claro a quaisquer outros que pensem em seguir pelo mesmo caminho.

 A análise dos destroços da batalha demonstrou que os piratas utilizavam armamentos simples, mas efetivos contra naves civis e alvos sem proteção.

 Uma análise das rotas comerciais da Tecnocracia revelou que, mesmo com o comércio representando cerca de 1/5 da nossa arrecadação, boa parte é perdida devido às atividades piratas ao longo das diversas rotas. Algo deverá ser feito, tanto para ampliar quanto para defender essas rotas.

 Uma nova Usina de Purificação Mineral foi construída no Mundo Minerador de Ashyke Lunaris, como parte da necessidade de aumento de nossa capacidade mineratória.

 O Departamento de Engenharia projetou novos Raios de Corte de Minerais, específicos para facilitar a extração de minerais no espaço, e uma nova versão do Canhão Eletromagnético, tornando essa arma cinética ainda mais mortal.

 O Departamento de Física conclui os novos Aceleradores de Plasma, mais avançados e precisos que os antigos Lançadores.

 O Departamento de Sociedade concluiu um Planejamento de Defesas Terrestres, como protocolo de defesa para o caso de que nossos planetas sejam invadidos no futuro.

 Com a expressiva participação do comércio em nossa arrecadação, novas Franquias Interestelares devem permitir que mais negócios entre planetas sejam estabelecidos, o que deve aumentar ainda mais nosso comércio.

 Com a grande quantidade de Artefatos Yuht recuperados nos últimos anos, um grande projeto de estudo desses artefatos foi realizado. Após a extensiva pesquisa, descobrimos mais sobre o Processo de Limpeza que os Yuht utilizavam nos planetas que colonizavam. Embora a biosfera seja razoavelmente danificada no processo, após sua recuperação o planeta se torna menos hostil às formas de vida, tornando possível a colonização de planetas antes considerados inabitáveis.

 Com a constante promoção de oficiais e cientistas a postos de comando devido às suas ações passadas, a Diretora-Geral Lorena Rodriguez propôs à Diretoria uma Reforma Governamental que tornasse a Meritocracia lei. Após uma votação rápida e unânime, ficou definido que, sempre que uma posição de comando for vacante, deverá ser preenchida por aqueles mais bem qualificados e talentosos para o cargo. Isso também deverá, paralelamente, fazer com que nossos cidadãos se esforcem mais em seus cargos, visto que terão a perspectiva de ascender em suas carreiras através de seu esforço pessoal e não mais apenas através de seus possíveis contatos.

 Com os projetos de armamentos sendo continuamente atualizados, assim também nossas naves devem ser, reequipando nossas frotas com o que de mais moderno nossa tecnologia tem a oferecer. Além disso, com a nova classe de “Armas Extra Grandes”, um novo modelo de Encouraçado, batizado de Devastator, foi projetado utilizando as novas Lanças de Partículas, além das mais avançadas versões de outras armas, tornando essa Classe de nave mais lenta, mas devastadora em combate. Três desse gigantes começariam a ser construídos assim que as melhorias nas naves atuais fossem concluídas.

 Porém, antes mesmo que todas as nossas frotas recebessem as melhorias programadas, nossos aliados da Consciência Norillga entraram em contato. Cansados dos constantes abusos e humilhações causados pela Comunalidade Unida Rak’Thalak’Nak, eles solicitam nosso apoio contra eles.

 Embora uma guerra não estivesse nos planos imediatos da Tecnocracia, não iríamos abandonar nossos aliados moluscóides, e aceitamos o chamado às armas.

 Com a Strike Force Pegasus ainda nos estaleiros espaciais de Bregglar III, a Nanite Interdictor segue para o território do Governo Lahtrepiano, aliados da Comunalidade, enquanto a Strike Force Scylla e a Strike Force Dragon avançam sobre o alvo inicial da guerra.

5 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXIII
O Grande Khan

 A guerra mal havia começado quando chegou a notícia da morte do General Fronds of Black. Kald, Filha de Sagg, sua segundo-em-comando, conhecida por sempre tomar a frente das batalhas junto com os demais soldados, foi promovida para o comando. Além disso, uma nova tropa, composta inteiramente por Robôs, começou a ser montada em Wymos Prime.

 Com o aviso de naves Rak’Thalak’Nak adentrando o sistema Uthan, a frota mais próxima é ordenada a interceptar o ataque.

 Notícias chegam dos Frubralav. Trazendo união ao que antes era um emaranhado de facções que disputavam o poder, Vvafad uvi-Waddiv foi aclamado Grande Khan, prometendo trazer glória e honra às tradições à Grande Horda.

 As naves de pesquisa próximas detectaram um grande número de naves militares, centenas ou mesmo milhares, ultrapassando em muito nosso atual poderio militar. Preocupante.

 Novos Encouraçados começaram a ser construídos, caso seja necessário…

 A boa notícia é que a construção do ISS Vehement, primeiro Encouraçado Classe-Devastator, foi concluída, logo seguido pelos ISS Avatar e ISS Conqueror. As novas naves logo seguiram se unir às frotas já em combate.

 Uma descoberta estranha foi feita na colônia de Meryl Prime. Enterrado em uma cadeia de montanhas, um antigo cofre gigantesco foi descoberto. Nossa melhor teoria é de que seja um abrigo nuclear construído antes da guerra nuclear devastar esse planeta.

 Em Turim Secundus, um tipo de portal dimensional foi descoberto numa área selvagem do planeta. Devemos estudar essa anomalia mais a fundo?

 Enquanto isso, o Departamento de Engenharia criou novos protocolos para Padronização Entre Modelos de robôs, o que deve permitir que os especializemos ainda mais, agora que os novos Dróides podem executar tarefas mais complexas.

 Os avisos do Grande Khan se mostraram verdadeiros. Antes confinados ao seu setor com apenas três sistemas estelares, os Frubralav começaram a se expandir, iniciando a construção de uma base estelar em Uxfriri…

 A Strike Force Scylla finalmente chegou a Pavagh, no exato momento em que as naves Rak’Thalak’Nak deixavam a Hiperestrada. A guerra oficialmente começou.

 A batalha ainda se desenrolava, quando o ISS Vehement chegou a Pavagh. Pela primeira vez pudemos ver o ataque devastador da Lança de Partículas em ação. Embora de recarga lenta, um único ataque dessa arma foi capaz de obliterar uma nave inimiga em segundos.

 O resultado foi a primeira vitória nessa guerra que ainda estaria longe de terminar.

 Os mundos cemitério recentemente colonizados não param de nos surpreender, com heranças encontradas das civilizações anteriores, de antes de se destruírem em guerras nucleares.

 Em Almach Prime, um antigo Acelerador de Partículas, ao mesmo tempo primitivo e mais avançado que nossa tecnologia atual, foi descoberto em meio a uma antiga zona de guerra radioativa.

 Decidiu-se por estudar o Portal Dimensional encontrado em Turim Secundus. A descoberta de uma dimensão de “Vazio Nulo”, onde a maior parte da energia existente é negativa, foi recebida com um misto de incredulidade e animação por nossos cientistas. Além de podermos extrair Matéria Escura desse portal, os dados coletados dessa outra dimensão também levaram nossos cientistas a propor uma forma de utilizarmos esse “Vazio Nulo” como arma.

 O antigo cofre de Meryl Prime foi finalmente aberto. Antes nunca o tivéssemos encontrado! Uma horda do que apenas podemos descrever como Horrores Mutantes, certamente causados pela infiltração de radiação no abrigo, emergiu do abrigo e começou a massacrar nossos colonos.

 Nossa última cidade foi fortificada e os colonos pegaram nas armas existentes na colônia para se defenderem das criaturas. A Diretoria, comunicada do ocorrido, rapidamente enviou nossos exércitos para tentar conter essa horda.

 Más notícias continuam a chegar. Mesmo sem nenhum comportamento agressivo, ao contrário, a nave cientifica PAN Kha Itnis foi atacada e destruída por uma frota do Grande Khan, enquanto tentava deixar essa área da galáxia!

 Uma demonstração de que, apesar das palavras bonitas sobre honra e tradição, os Frubralav pretendem continuar seu histórico de saqueadores e criminosos!

 No comunicado em que informou à população a Tecnocracia do ocorrido, a Diretora-Geral deixou claro que esse ataque covarde a uma nave desarmada não ficará impune, e as mortes ocorridas serão vingadas, assim que possível.

 Meryl Prime caiu. Apesar dos heróicos esforços de nossos colonos, não conseguiram conter o constante ataque dos horrores mutantes. Relatos de grupos de sobreviventes, escondidos em áreas selvagens, chegam através de fracos sinais de comunicação recebidos do planeta…

 E a guerra tem avançado. Após caçar uma pequena frota desgarrada em Belvares Maelstrom, a Strike Force Scylla ataca o coração dos Rak’Thalak’Nak, destruindo várias naves e colocando a capital inimiga sob bloqueio.

 No outro front de batalha, a Nanite Interdictor tem avançado sem problemas, embora informes cheguem de frotas Lahtrepianas atacando bases isoladas nos confins de nosso território…

5 Curtidas

Agora sim, treta e mais treta. Parabéns.

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXIV
Problemas a Menos, Problemas a Mais…

 Não bastasse a tomada de Meryl Prime pelos mutantes, análises da órbita do planeta detectaram uma infinidade de destroços espaciais. Certamente detritos da época anterior à devastação nuclear do planeta, restos de milhares de satélites colocados em órbita pela anterior civilização local.

 Um novo tipo de projéteis energéticos, mais poderosos que os antigos Lançadores de Prótons, foi desenvolvido pelo Departamento de Física, que continua foca em aumentar nosso poderio militar frente à nova ameaça do Grande Khan.

 A Nanite Interdictor finalmente encontra cera “oposição” em território Lahtrepiano, embora tenha derrotado sem dificuldades a fortificada base estelar e duas frotas de transporte no sistema Pherkad.

 Vista com alívio por alguns, e certo pesar pelos cientistas de Carimal, a súbita partida do “Cofre Enigmático” deixou no ar a questão de qual era seu objetivo. Estaríamos sendo estudados por alguma espécie alienígena ainda desconhecida?

 Em meio a tantos acontecimentos recentes, foi com pesar que Petals of Khaki assumiu o comando da ISS Astute, após a morte repentina do Capitão Stalk of Brown.

 Em órbita da lua Roolan, uma antiga estação espacial foi inspecionada por uma equipe da colônia. Os corpos da tripulação, preservados devido ao ambiente espacial, bem como a análise das últimas comunicações realizadas, indicam que eles foram as testemunhas do fim nuclear que se abateu sobre sua civilização, antes deles também perecerem pela falta de suprimentos. Um acontecimento triste, mas com várias descobertas significativas sobre uma civilização que estava começando a dar os primeiros passos rumo ao espaço.

 O que é a vida? Como ela surge? São questões que a sociedade terrana se faz desde os primórdios. Embora sem uma resposta definitiva, o que deve ser impossível, o Departamento de Sociedade apresentou o maior trabalho já realizado sobre os Segredos da Vida, seu surgimento e suas variáveis na história terrana. O que deixa em aberto o fato de que ainda temos muitos o que aprender…

 A recente ameaça dos Frubralav criou um cisma dentro da Diretoria Científica. Enquanto parte defendia a manutenção da atual teoria militar, de grandes naus capitâneas liderando uma esquadra completa e variada, adaptável a quaisquer ameaças que venham a ser encontradas, outra parte defendia que deveríamos investir nossos recursos materiais e de mão-de-obra apenas em novos Encouraçados e menos em naves de apoio, argumentando que o poderio militar desses gigantes seria mais decisivo em um combate.

 Longos debates ocorreram, com argumentos convincentes de ambas as partes dificultando uma decisão final. Embora pesasse a recente demonstração da nova Classe-Devastator na utilização de armamento pesado em combate, ficou evidente que uma frota composta inteiramente por Encouraçados perderia as vantagens de uma frota multifunção, como atração de fogo, dispersão inimiga e especializações, tornando-se gigantescos (e lentos) alvos para os ataques inimigos.

 Ficou decidido, então, que uma reformulação seria levada a cabo, em uma ação conjunta dos diversos Departamentos e do Comando Militar, mas sem comprometer os trabalhos atuais. Enquanto isso, mais Encouraçados eram encomendados aos estaleiros espaciais da Tecnocracia, para continuarmos nos fortalecendo frente às ameaças que nos cercam.

 Procurando terminar essa guerra o mais rápido possível, o cerco a Rak’Thalak’Nak foi abandonado, e um novo combate de desenrolou no sistema Grumium. A caçada a frotas inimigas e a tomada de sistemas estelares foram definidos como prioridade como forma de quebrar a moral inimiga e forçar uma rendição.

 Nossos exércitos finalmente começaram a desembarcar em Meryl Prime, cercando os Horrores Mutantes e avançando na retomada do planeta.

 Milhares de soldados morreram, mas a ameaça mutante foi erradicada. Com a retomada do planeta, os sobreviventes começaram a retornar, deixando claro os números terríveis de milhões de mortos que tivemos. Choremos pelos que se foram, mas que isso nos fortaleça e nos inspire na reconstrução.

 Grupos pacifistas têm chamado a atenção em Fidhilam Prime. Clamando à população contra os constantes investimentos militares realizados pela Tecnocracia, esses grupos têm conseguido um apoio considerável, ao ponto de representantes influentes do planeta aderirem à sua facção. Bem, eles são livres para seguirem o caminho que preferirem, desde que não venham a se arrepender de suas escolhas depois…

 Enquanto a Strike Force Pegasus finalmente chegava a Gorim, a Strike Force Scylla travava mais um combate em Saidainope, forçando as forças da Comunalidade Unida a recuarem cada vez mais para o interior de seu território.

 Como se já não tivéssemos problemas suficientes, Roolan Prime têm sofrido com várias decisões administrativas catastróficas. Grandes áreas têm sido negligenciadas pelo governo local, causando sérios problemas de infraestrutura e serviços básicos. Uma intervenção administrativa será necessária, e ainda assim muito terá que ser feito para melhorar a vida dos cidadãos do planeta.

 Com o auxílio do Czyrni, o Departamento de Sociedade pode aprender muito sobre os Mundos Tumba. Novas tecnologias e métodos de colonização desses planetas radioativos devem permitir que outras espécies possam viver, ainda que com certa dificuldade, nesses resquícios de guerras nucleares.

 A tomada de três sistemas, praticamente simultaneamente, deixou claro que a aliança Rak’Thalak ’Nak-Lathrepianos não teria condições de resistir ao nosso avanço, forçando a rendição inimiga após 3 anos de guerra.

 Entretanto, o final da guerra não significa o final dos problemas. As frotas do Grande Khan têm avançado sem parar dentro do território Norillga, destruindo todas as bases espaciais e estações que encontra pelo caminho.

 Nesse ritmo, a própria existência de nossos aliados está em jogo. Mas… seremos capazes de ajudá-los?

5 Curtidas