[ST] Contos do Espaço Profundo

Sadly, somente com mods…

Atualmente, posso fazer 3… mas é escalonado de acordo com meu Naval Capacity, até um máximo de 20. Na realidade, Titãs são naves de suporte, devido à Aura que emitem, o ataque é extremamente lento.

Uma fortuita coincidência essa tech logo após ele concluir o AAR, eu diria :face_with_hand_over_mouth:

3 Curtidas

Achei que os galeões dos Fubralavs iam dar trabalho, mas foi uma boa campanha… A AI normalmente não aguenta encarar um ataque dessa magnitude. Talvez um Fallen Empire. Agora é conquistar o “vácuo” que eles deixaram e dominar três pontas da Galáxia.

Esse mascote é legal… Depois de uns 100 anos (eu acho?) ele assume uns 5k de fleet power. Uma admissão considerável para a Tecnocracia Terrana :+1:

Quando eu pesquisava essa tech no Stellaris, o sentimento era esse :rofl::

3 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXXXIII
Hora de… Colonizar!

 Com a ameaça Frubralav eliminada, a Tecnocracia se volta para os mundos habitáveis descobertos nos últimos anos. O constante crescimento populacional tem causado altos índices de superpopulação em muitos de nossos planetas, mesmo com a realocação de mão de obra ociosa para os planetas menos habitados.

 Desta forma, nada menos que 14 missões de colonização tiveram início, sendo 3 com bravos colonos terranos e 11 com nossos novos aliados Pyorun, dada sua habitabilidade elevada por terem vindo de um mundo Cemitério.

 Os novos Domos Paraísos projetados pelo Departamento de Sociedade são uma maravilha da Arquitetura Idílica terrana, muito mais avançados que os atuais complexos habitacionais existentes e capazes de fornecer moradia e confortos extras a um número ainda maior de habitantes.

 Com o sistema Scorpio finalmente sob nosso controle, Scorpio I torna-se o novo esforço de colonização para nossos amigos Pyorun.

 Outro avanço do Departamento de Sociedade inclui novas técnicas de metilação de DNA através de Gatilhos Epigenéticos. Com esse processo poderemos ser capazes de modificar geneticamente seres pré-sencientes que encontrarmos, concedendo-lhes características que poderão ser muito úteis quando sua espécie atingir a senciência completa.

 Nossa equipe de exploração, comandados por Rhizome of Green, chegaram a Durabbius Prime e avançaram pela mata até a estação espacial acidentada.

 Uma análise externa inicial revelou que ela deve possuir milênios de idade e era ocupada por, provavelmente, milhões de indivíduos. Corpos foram encontrados nas câmaras externas, provavelmente instantaneamente quando da queda da estação. Enquanto alguns corpos estavam junto ao que acreditamos serem armas, outros seguram – ainda, depois de milhares de anos – pequenos ídolos, evidenciando que sua população era, provavelmente, tanto militar quanto religiosa.

 Após praticamente uma década, a guerra entre a Entente e a Aliança terminou, com uma vitória esmagadora da Entente. Essa federação tem se fortalecido cada vez mais, ocupando praticamente um terço – se não mais - da galáxia. Com a maioria de seus membros sendo hostis a Tecnocracia, logo teremos que por um fim às suas ambições…

 “A lembrança presente de nossas conquistas passadas tem um efeito poderoso sobre nossas ambições para o futuro”, diz o novo estudo do Departamento de Sociedade sobre nossa evolução no decorrer da história. Seu novo projeto de Locais de Herança, enormes monumentos glorificando nossos grandes feitos do passado, deve manter nossos cidadãos focados em alcançarmos nosso destino futuro.

 Outro planeta do outro lado da galáxia – mais precisamente Cipux IIIa, uma lua tipo Continental - torna-se foco de nossa colonização dos territórios anteriormente conquistados pelos Frubralav.

 A paz não dura muito na galáxia, quando o Governo Lahtrepiano, mesmo saído de uma derrota descomunal para a Entente, declara guerra à Liga de Comércio Triech.

 Em Durabbius Prime, uma grande descoberta é realizada na estação espacial acidentada: os registros recuperados dão a entender que seus habitantes eram isolacionistas profundamente religiosos.

 Sua crença no destino divino guiava todos os aspectos de suas vidas, desde seu nascimento, profissão e romance, tomando-lhes a liberdade individual. Os que desafiavam o oráculo, aparentemente morriam misteriosamente pouco tempo depois…

 Poucos dias após completar 100 anos, Rhizome of Lavender faleceu. Para continuar seu grande trabalho governando o setor Choirtiz, escolhemos o jovem intelectual Huuregdhe.

4 Curtidas

Esses gostam de apanhar. Talvez a Tecnocracia possa se aproveitar e fazer uma rápida campanha militar sobre a Aliança, já prevendo a porrada com a Entente.

Observando o print da guia de planetas colonizáveis, é estranho como o jogo gera aleatoriamente uma quantidade considerável de slots de distritos produtivos (geradores, mineradores, agrícolas) em planetas pequenos, e outros planetas que são maiores possuem poucos distritos úteis.

Mas, por outro lado, talvez seja até bom… Até a versão 2.2 (antes da mudança no funcionamento de pops/squares), colonizar planetas pequenos me parecia meio desinteressante.

Acompanhando :+1:

3 Curtidas

Pois é, isso é algo meio… estranho… Já vi reclamações até no fórum da Paradox sobre isso… Ficou meio random mesmo, parece… em outros jogos (Master of Orion, principlamente) essa questão é atrelada, tipo planetas rochosos podem ter mais pops trabalhando em produção com menos penalidade, etc… Mas, enfim…

Talvez a Tecnocracia esteja meio… ocupada… nos próximos anos, mas eles estão na… er… “lista”, sim :face_with_hand_over_mouth:

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXXXIV
A Hora do Aglomerado-L?

 A morte da Diretora-Geral Vera Kirby aos 89 anos foi muito sentida, dada seu posicionamento firme quando da ameaça Frubralav. Logo a Diretoria se reunia para escolher um novo governante para guiar a Tecnocracia nos próximos anos.

 A escolha recaiu sobre Klaus Bergmeister, governador de Almach Prime. Embora sua Agenda focasse principalmente no comércio interplanetário, seu posicionamento quanto ao aspecto militar da Tecnocracia obteve grande apoio, levando à sua eleição como novo Diretor-Geral.

 Suas primeiras medidas incluíram a expansão de diversas bases estelares, a reformulação (e ampliação) das Forças de Patrulha para proteção contra a pirataria e a construção de novas naves militares.

 Para seu lugar à frente do Setor Almach, foi escolhida a veterana do exército Anja Neumann.

 O sistema Hojjam entra para o controle da Tecnocracia, e uma nova missão de colonização da lua Hojjam IIIa é iniciada.

 O Departamento de Física alcança novas melhorias no sistema de refrigeração de armas energéticas, permitindo maior eficiência de ataque com menores riscos de explosões.

 Um complexo sistema de vigilância foi encontrado por nossa equipe de exploração dentro das paredes da estação espacial em Durabbius Prime. A conclusão óbvia é que os discípulos eram monitorados todo o tempo, mas, a certa altura, essa vigilância foi descoberta e uma revolta teve início.

 A decisão de um departamento especializado em cooperação com a população não foi bem vista por alguns, mas logo essas novas equipes ganharam a confiança da população, auxiliando nossas forças de segurança no combate ao crime em nossos planetas.

 Juntando todas as peças do quebra-cabeça que são os Portões-L, o Departamento de Física conseguiu decifrar seu código de funcionamento.

 Uma nave científica de posse desses dados deve ser capaz de restaurar os sistemas do Portão-L em Urakhannon’s Maw, permitindo sua reativação. Entretanto, os dados sobre esse misterioso Aglomerado-L são poucos, de forma que é impossível sabermos o que poderemos encontrar nesse sistema.

 Assim, antes da reativação, todas as nossas frotas de ataque foram convocadas para estarem a postos quando a passagem for reaberta.

 O Governador do Setor Terra, Pugleesh, faleceu em decorrência de seus conhecidos problemas com substâncias psicoativas. O especialista agrário Pock, son of Reti, chefe do Ministério de Produção Alimentícia da Terra, foi promovido e assumiu a administração do setor.

 Os novos Algoritmos de Montagem desenvolvidos pelo Departamento de Engenharia devem otimizar ainda mais as construções em nossos planetas. Isso será muito importante agora, com a grande quantidade de novas colônias sendo estabelecidas por toda a galáxia.

 Falando em colônias, outro planeta, Withrilli C III, teve iniciado o processo de colonização.

 Investigando a rede de vigilância da estação, nossa equipe de exploração chegou a um complexo de templos de adoração ao “Oráculo” no centro da estação acidentada. A descoberta de que esse Oráculo era não uma entidade divina, mas, na realidade, um Nexo de Inteligência Artificial, foi inesperada. Em outras palavras, o Oráculo era um “computador profético”.

 Os sinais de combate encontrados pela estação dão a entender que essa descoberta levou muitos fiéis a se revoltarem, ao saberem que sua sociedade seguia os preceitos de uma máquina.

 Nossos cientistas decidiram tentar reativar o Nexo, como forma de descobrir mais sobre a civilização que habitava essa estação.

 A interceptação de comunicações do Estado Gorf levou a descoberta de que a facção Associação de Consciência Alienígena, de tendência Xenofílica, chegou ao poder prometendo maior abertura com outras civilizações. Deveríamos tentar nos aproximar deles?

 Na nova colônia de Zatar Prime, um grupo de exploração descobriu, próximo ao pólo norte do planeta, um cruzador de batalha no fundo do oceano. Um projeto para tentarmos resgatar essa nave teve início.

4 Curtidas

Agora que eu parei pra reparar em Setembro teremos 1 ano de AAR. Acho que nunca li uma tão longa por aqui. Continue, Corsário.

2 Curtidas

Bom, @Lord_Victor , a “campeã” é a minha de Sengoku… Se desconsiderarmos a que o Biller retomou, rsrs… Mas eu queria terminar antes de um ano… To doido pra jogar uma do Federations a sério :sweat_smile:

2 Curtidas

Por falar em Sengoku, sonho no dia em que a Paradox tomará vergonha na cara de fazer um Sengoku 2 no nível de CK - ou um CK na China.

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXXXV
O Oráculo

 A grande quantidade de novos planetas colonizados exigia uma nova organização para melhor administrar a Tecnocracia, cujo território já ultrapassava 150 sistemas estelares e 40 planetas colonizados. Para isso, novos setores foram criados:

 O Setor Zatar, com o arquiteto Andreas von Falkenstein como Governador;

 O Setor Athyr, administrado por Suna na-Kipler;

 O Setor Scheddi, administrado por Max Schäfer;

 E o Setor Scorpio, com o intelectual Qaarugm como Governador.

 O Cruzador alienígena descoberto no fundo do mar de Zatar Prime foi, após muito trabalho, trazido à superfície. Infelizmente, os danos sofridos impedem que a nave possa ser consertada, mas nossos cientistas conseguiram recuperar uma série de algoritmos de manobra do computador principal da nave, que devem propiciar melhor uso da energia gerada pelos reatores. Além de uma boa quantidade de minerais reciclados da carcaça da nave.

 Os Precursores Birnathi entraram em contato, acerca de sua “missão” de coletar exemplares de todas as formas de vida da galáxia. Insinuando que nossa civilização não sobreviveria mais que alguns séculos (que audácia!) eles “requisitaram” uma quantidade de terranos como “espécimes” para que nossa espécie seja “preservada”.

 O Diretor-Geral nem se dignou a responder a uma ofensa dessas.

 Um novo modelo de Disruptor de Fases foi desenvolvido pelo Departamento de Física, capaz de ignorar completamente escudos energéticos e causar danos à estrutura quântica de armaduras e cascos.

 Após muito trabalho, nossa equipe conseguiu reativar o Oráculo. Após uma análise inicial do sistema, contatamos essa inteligência artificial.

 O Oráculo nos deu as boas-vindas, mas não sem “reclamar” que seu sistema de defesa foi desativado. Questionado sobre o que ele seria, respondeu que é um software programado para prever o futuro com 74.999999% de precisão, para assim guiar os habitantes da estação em uma vida sem problemas.

 Quando questionado sobre os habitantes, informou que, tendo sido construído para manter uma sociedade sem sofrimento, quando um “erro” – e esse “erro” seria os habitantes pensarem por conta própria - ocorreu, seu protocolo exigia que ele terminasse o teste. Em outras palavras, quando suas ordens foram questionadas, o Oráculo matou todos a bordo da estação.

 Apesar dessa programação um tanto… egocêntrica… decidimos que utilizar o Oráculo para auxiliar na administração de nossas colônias pode ser bem útil. Desde que o deixemos longe dos sistemas de segurança…

 Um antigo acelerador de partículas, ainda funcional, foi descoberto quando limpamos uma área radioativa de Scorpio Prime. Por mais que seja uma construção antiga, os dados coletados podem auxiliar nossos cientistas.

 Outro planeta, Darep II, teve uma missão de colonização iniciada. Será o 47º planeta a ser habitado pela Tecnocracia.

 O Departamento de Sociedade desenvolveu novos Procedimentos de Gerenciamento de Frota, permitindo uma melhor comunicação entre nossas naves, otimizando a forma como mantemos a grande quantidade de naves militares.

 Aos 86 anos, a General Kald, Daughter of Sagg, faleceu. O Coronel Rosh na-Tukor foi promovido para o comando de nossas forças armadas terrestres.

5 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXXXVI
Além do Portão-L

 Fomos contatados no sistema Sauu pelos Empreendimentos Industriais Raquete, comerciantes da Coalizão Caravana Caravansária – não que já tivéssemos ouvido falar neles.

 Pelo que entendemos, são um grupo de comerciantes que viajam de civilização em civilização oferecendo “bons negócios”. Bem, como não temos nada a perder (esperamos) com isso, questionamos o que eles teriam para nos oferecer.

 Estranhamente, sua oferta foi de um Governador, muito inteligente, segundo eles… Uma oferta… estranha… mas aceitamos pagar a quantidade de Bens de Consumo pedida.

 Feti, son of Brock, realmente parece possuir boas habilidades administrativas, e demonstrou estar feliz por seu novo emprego… Não que estejamos necessitados de um novo governador agora, mas acreditamos que ele possa vir a ser útil. Esperamos…

 Os Caravaneiros também deixaram um… presente… antes de partirem do sistema, uma velha nave em órbita da estrela. Qual a razão disso, não sabemos, mas enviamos a ISS Creidhne para resgatá-la e examiná-la. Esperamos que a longa viagem desde o sistema Achemar valha a pena…

 Uma onda pacifista tem surgido em Scorpio Prime. Talvez motivada pela quantidade de ruínas causadas pelas guerras que devastaram o planeta e o transformaram em um Cemitério.

 O fato é que a quantidade de apoiadores da Coalizão de Estabilidade Nacional tem aumentado nos últimos anos, atingindo quase 9% de apoio dentro do sistema político. Bem, deixem que brinquem de utopia o quanto quiserem, desde que não interfiram na defesa de nossa civilização…

 Uma experiência do Departamento de Sociedade, utilizando nano-máquinas em vegetais, demonstrou ser totalmente viável Colheitas Nano Vitais, onde essas nano-máquinas ajudam a criar vegetais ultra resilientes a diversas condições adversas, podendo ainda serem reprogramados de acordo com a adversidade que as plantas enfrentarão.

 Os novos Emissores de Arco criados pelo Departamento de Física são armas poderosas, capazes de causar dano massivo tanto contra escudos energéticos quanto contra a armadura de naves espaciais.

 Sendo uma arma de tamanho extragrande, um novo modelo de Encouraçado, batizado de Classe-Demolisher, foi projetado para comportar essa arma destruidora. Certamente serão uma adição importante para nossas frotas.

 Um jovem capitão, Pash na-Karan, foi promovido pela Tecnocracia. A missão desse novo Almirante será comandar a reformulada Reserve Force, agora oficialmente a quarta frota de ataque da Tecnocracia, a Strike Force Werewolf.

 A lua Kergaros IIIa, em órbita de Kergaros Prime, parece ser feita de materiais de seu planeta, algo muito incomum. Após uma intensa investigação na lua e nos demais corpos celestes do sistema, descobrimos que um dos lados da lua, seu lado oculto, possui mais massa que o lado mais próximo. A conclusão dos cientistas é que o planeta original de Kergaros IIIa explodiu, provavelmente devido a experiências com Matéria Escura, e parte de seu material atingiu a lua, que foi lançada fora de sua órbita até ser atraída pela gravidade de Kergaros Prime.

 Com todas as nossas frotas de ataque posicionadas – e reforçadas com novos Destróieres e uma segunda Titã – a ISS Astute iniciou o procedimento para reativação do Portão-L.

 Durante alguns minutos, nada ocorreu. Mas, repentinamente, um surto sub-espacial gigantesco foi detectado. Basicamente, uma enorme força de ataque se encontra do outro lado do portal!

 Sem resposta às tentativas de comunicação, os dados coletados do surto dão conta de que essas naves são feitas de nanites, robôs microscópicos autorreplicantes e semi-sencientes.

 Mas, por mais que tenhamos fechado o portal, o surto foi detectado em outros locais da galáxia. Isso significa que essas naves inimigas podem viajar para outros dos Portões-L espalhados pela galáxia.

 Após muitas tentativas, uma fraca mensagem sub-espacial foi detectada vindo do Portão-L.

 Apesar de muito corrompida, conseguimos decifrar alguns fragmentos da mensagem… O que foi possível deduzir é que os criadores dos Portões-L foram também aqueles que os desativaram. Um de seus primeiros pedidos foi que os Portões-L não deveriam ser reativados, pois permitiriam que os Naar-Di-Shav atacassem o restante da galáxia. Essa “Tempestade Cinzenta” são os nanites que detectamos, que de alguma forma se rebelaram contra seus criadores.

 Descobrimos que uma instalação, em algum lugar do Aglomerado-L, é o centro de comando dessas máquinas, que poderão ser desativadas caso seja destruída. O que os criadores falharam em conseguir fazer.

 Parece não ter sido uma boa idéia reativar o Portão-L… Mas não poderíamos deixar uma descoberta sem ser realizada. Agora, nos resta derrotar essa crise que ameaça a galáxia… Outra vez…

 Uma frota dessa “Tempestade Cinzenta” surgiu no Portão-L de Ascension’s End. Nossa base espacial no sistema, apesar de completamente equipada para se defender, foi destruída em poucas horas.

 Enviamos a ISS Astute para identificar o que havia além do Portão. No que parece ser um Terminal de Regresso dos Portões-L, nada menos que quatro frotas inimigas nos aguardam…

 Nossas frotas avançam, para conter o inimigo e eliminar mais essa ameaça.

 Assim que deixaram o portal, nossas naves começaram a ser atacadas. Entrando em formação e atacando a longa distância, o combate começou.

 As frotas inimigas parecem ser compostas por uma grande nave-mãe e alguns cruzadores, equipados com poderosas armas contra escudos energéticos.

 Apesar do poderoso ataque das naves-mãe ser fatal para nossas naves, e da grande quantidade de naves-nanite lançadas, conseguimos vencer e liberar o sistema Terminal da presença inimiga. Mas esse enfrentamento inicial custou 9 Corvetas e 3 Cruzadores à Tecnocracia. Essas vidas perdidas serão o preço que pagaremos por termos ameaçado a segurança da galáxia.

 Após essa dolorosa vitória, nossa primeira ação será retomar Ascension’s End, antes que a Tempestade Cinzenta se espalhe para outros sistemas.

5 Curtidas

Encontramos uma AI que eliminou seus criadores… O que fazer? Bora colocar ela para controlar tudo :rofl:

Mas é inegavelmente útil até, apesar dos aliens não poderem dizer mais o mesmo :roll_eyes:

Tem chance de alcançar as alianças rivais? Quem sabe algum proveito para a Tecnocracia…

Acompanhando

2 Curtidas

Claro, o q pode sair errado? :thinking: :face_with_hand_over_mouth: :shushing_face:

A Tempestade Cinzenta (Grey Tempest) é um dos 4 possíveis outcomes do Portão-L mais chatos (e acho q talvez o mais comum, pelo peso que tem no rng). Pq? Segue no próximo cap, mas adianto q não vimos nada deles ainda :upside_down_face:

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXXXVII
Crise Galáctica

 Dada a gravidade dessa guerra contra a Tempestade Cinzenta, o Diretor-Geral autorizou a utilização de nossas reservas de recursos estratégicos no combate aos inimigos. O uso desses materiais raros pode fortalecer nossas naves em combate contra o inimigo, aumentando nossas chances em uma batalha desigual.

 Quando nossas frotas se aproximavam do Portão-L rumo a Ascension’s End, outra frota inimiga entrou no sistema. A Nanite Interdictor e a Werewolf iniciaram os procedimentos de combate, enquanto a Scylla e a Pegasus continuaram no curso para enfrentar o inimigo em nosso próprio território.

 Entretanto, ao chegarem a Ascension’s End, a frota inimiga já se encontrava em Najaga, e uma perseguição teve início.

 Enquanto isso, o combate em Terminal Egress prosseguia. Apesar das baixas, a vitória foi da Tecnocracia.

 Ao chegarmos em Najaga, descobrimos que o inimigo já se encontrava em Thaaram, então a perseguição continua.

 Entretanto, notícias preocupantes são captadas em sinais de transmissão de outras civilizações pela galáxia. Os inimigos não atacaram apenas Ascension’s End, mas avançaram através de todos os demais Portões-L por toda a galáxia!

 O Governo Lahtrepiano informa um ataque através de Gindor Black Hole. O Regime Tumbator acusa três inserções, em Suskal’s Maw, Eye of Bal e Huur Black Hole. A União Dinástica Nuurian foi atacada através de Miklor’s Vortex e Verrakas Black Hole.

 E estas são apenas as ocorrências que interceptamos, provavelmente deve haver outros focos de ataque. A liberação da Tempestade Cinzenta se torna uma verdadeira Crise Galáctica. Se não conseguirmos destruir logo a base dos nanites, que segundo os fragmentos identificados deverá desativar todos os atacantes, logo o inimigo destruirá a maior parte das civilizações conhecidas.

 Com nossos estaleiros espaciais produzindo a maior quantidade possível de naves de reserva para reforçar nossas frotas, outra frota inimiga surge em Terminal Egress. Novamente conseguimos conter os inimigos, mas a perda constante de naves é uma séria ameaça para nossas forças.

 A Strike Force Scylla e a Strike Force Pegasus finalmente alcançam o inimigo no sistema Thaaram, conseguindo destruir o adversário após um combate exaustivo. Logo as frotas iniciam o retorno para Terminal Egress, manter esse sistema se torna primordial para termos uma chance contra o inimigo.

 O avanço do inimigo sem encontrar resistência das outras civilizações se torna mais evidente quando recebemos a notícia de que uma das estações da Trupe Artesã, teoricamente sob a proteção do Governo Lahtrepiano, foi destruída pela Tempestade Cinzenta.

 A investigação da nave abandonada pelos Caravaneiros em Sauu revelou ser uma nave de transporte civil, sem nada muito importante além de um registro de um armamento conhecido como Mísseis Enxame. Repassamos a descoberta ao Departamento de Engenharia.

 Novamente uma frota pirata ataca um de nossos sistemas, Endirlang desta vez. A Titã Classe-Goliath ISS Immortal, que se encontrava próxima ao seguir para a frente de batalha, recebeu ordens de enfrentar o inimigo. Frente ao poderio da gigantesca nave, os piratas foram destruídos sem problemas.

 Quando nossas quatro frotas de ataque finalmente se reagruparam, outra incursão inimiga no sistema Terminal Egress interrompe qualquer tentativa de prosseguirmos para outro sistema.

5 Curtidas

Situação crítica na galáxia… Pelo jeito a Tecnocracia será o remédio para a crise iniciada por ela mesma :face_with_hand_over_mouth:

Agora é correr contra o tempo para eliminar a ameaça nanite…

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo LXXXVIII
Defensor da Galáxia

 Novamente conseguimos repelir o ataque da Tempestade Cinzenta, mas a um alto custo: perdemos o ISS Valiant Dawn, um Encouraçado Classe-Vengeance. Nem mesmo o fabuloso Casco Regenerativo consegue manter nossas naves em bom estado devido aos constantes ataques inimigos…

Mal haviam se passado 15 dias após a última batalha quando outra frota inimiga surge no sistema. Novamente nossas frotas vencem o combate, mas outra baixa afeta nossa moral: o Cruzador alienígena Nanite Interdictor não suporta o ataque e acaba destruído. Reforços estão a caminho, precisamos deles o quanto antes…

Petals of Khaki, o corajoso capitão da ISS Astute, que tenta explorar o sistema apesar dos constantes ataques, morre aos 84 anos. Seu suboficial, Sir James Pritchard, assume o comando da nave científica.

A descoberta da Rede Sentinela em Teae levou o Departamento de Engenharia a desenvolver novos protocolos para construção e restauração dessas estruturas gigantescas. Devido à grande quantidade de matérias-primas necessárias para tais obras de Mega-Engenharia, um projeto de ampliação de nossos silos de armazenagem também foi concluído em paralelo.

Após uma suspeita pausa de meio ano nos ataques – suficiente para a chegada de algumas Corvetas e Destróieres de reforço e o conserto da maioria de nossas naves – enfrentamos outra frota da Tempestade Cinzenta. Repelimos mais esse ataque, mas até quando ficaremos apenas nos defendendo?

Uma nova versão dos Emissores de Arcos foi criada pelo Departamento de Física. Seria uma grande vantagem contra o inimigo, mas a constante construção de naves de reforço não nos permite os recursos – e o tempo - necessários para que essas naves sejam construídas e venham ao fronte de batalha.

O Departamento de Sociedade, por sua vez, apresenta um novo processo de Replicação de Nutrientes, usando materiais descartados para sintetizar comida. Isso nos permitirá focar nossa mão de obra em outros campos mais necessários no momento.

A Titã ISS Gorgon finalmente chega ao sistema Terminal, reforçando ainda mais nossas forças. Bem a tempo, pois poucos dias depois somos novamente atacados, batalha essa onde mais um de nossos Cruzadores acaba sendo destruído.

Um misterioso Codex de Cristal foi descoberto em Tao-Fun-Vi. Pesquisando mais a fundo seus registros holográficos, descobrem-se documentos tratando de um acordo trilateral entre três antigos e poderosos impérios espaciais.

Os constantes ataques e a impossibilidade de avanço contra a Tempestade Cinzenta têm causado um profundo impacto na moral dos cidadãos terranos. Um novo programa de motivação foi criado pelo governo para melhorar o ânimo de nossos trabalhadores.

No comunicado em que informou a criação desse programa, o Diretor-Geral também pontuou que

“Mesmo nesse momento de incerteza, em que a ameaça nanite corrói as outras civilizações, nós nos mantemos firmes. Repelimos seus ataques, retomamos os sistemas que conquistaram, marcamos nossa posição e não permitimos que avançassem ainda mais. Nós, que outras vezes já salvamos a galáxia de ameaças imensuráveis. A Tecnocracia Terrana prova, mais uma vez, que somos os verdadeiros Defensores da Galáxia. O inimigo não triunfará; NÓS TRIUNFAREMOS!”

Poucos dias após uma pequena frota de reforço composta por Corvetas, Destróieres e Cruzadores chegar ao sistema Terminal, outro ataque inimigo é repelido.

O Governador do Setor Roolan, Myrna Lucas, acaba falecendo aos 86 anos. O raquete Feti, son of Brok, libertado dos Caravaneiros, tem a chance de mostrar seu valor assumindo a administração.

Uma notícia preocupante chega de Takhvan: o Portal nesse sistema foi reativado pelo Governo Lahtrepiano. Não sabemos que intenções eles podem possuir ao haverem consertado o Portal em Grunthirst, mas devemos ficar atentos. Nossos cientistas se preparam para decodificarem os sistemas do Portal, de forma que nós também possamos abri-los caso seja necessário…

A Titã Classe-Goliath ISS Immortal finalmente chega ao sistema Terminal. Com ela, cada uma de nossas frotas de ataque conta com uma poderosa Titã, trazendo mais esperança contra a Tempestade Cinzenta.

Coincidentemente, a chegada a quarta Titã ocorre em paralelo com a construção de uma base espacial no sistema, deixando claro para toda a galáxia que o Aglomerado-L acabará, cedo ou tarde, fazendo parte da Tecnocracia.

A ISS Astute e a Other Science Ship são enviadas para investigar os sistemas adjacentes. Os capitães sabem do perigo que correm, mas não relutam um momento sequer.

Chega de apenas nos defendermos. É hora de a Tecnocracia contra-atacar.

5 Curtidas

Adendo: Sim, eu sei que Aglomerado-L não é uma “Crise”, menos ainda de Late Game, mas dentro do RP, pelos acontecimentos, me pareceu o mais lógico :grin:

3 Curtidas

Tem problema não, tá valendo a crise e ficou bem feita na narração.

3 Curtidas

Agora é hora da virada da Tecnocracia… Pelo jeito os outros impérios tão só apanhando.

Muito “boa” (podemos chamar uma ameaça galáctica de boa? :thinking: ) essa crise com a Gray Tempest. A primeira vez que joguei eu fui bem empolgado para abrir os L-Gate com uns 80 anos de jogo e só foi a carnificina. Fora isso, o lag no notebook antigo me fazia dar um rage quit e nunca passei do mid-game… :upside_down_face:

Mas com uma distribuição randômica dos L-Gate na galáxia, nas devidas proporções, a Gray Tempest me parece causar mais ameaça que as crises do end-game (principalmente a dos unbidden), que me parece se expandirem linearmente a partir de alguma parte da galáxia. Mas nunca cheguei ao fim de jogo, então posso estar equivocado.

3 Curtidas

Os cinzentos aí são mais “crise” do que as demais que já se passaram nessa AAR.

3 Curtidas