[ST] Contos do Espaço Profundo

Só espero que essa nova geração não seja pacifista. Hahahahahahahaha

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XCIII
Preparativos

 Mesmo após a conclusão do ISS Behemoth, os estaleiros militares da Tecnocracia não pararam, pelo contrário. Dezenas de novas naves seguiam em construção, desde pequenas Corvetas até enormes Encouraçados.

 A construção constante pressionava tanto a produção de Ligas Metálicas quanto a geração de Créditos Energéticos, estes já no limite e várias vezes entrando em déficit.

 Para contrabalancear a situação, muitas colônias foram definidas como Mundos Geradores e milhões de cidadãos eram transportados a esses planetas, em um processo constante de equilibrar Energia, Bens de Consumo e Ligas Metálicas. Milhares de naves civis cruzavam o espaço entre os 47 planetas habitados pela Tecnocracia, todos praticamente “canteiros de obras”.

 Com a atenção da Diretoria voltada principalmente para esses assuntos, e apesar das dezenas de frotas de patrulha atuando incansavelmente, a pirataria espacial continuava presente. Tanto que um grupo criou coragem e atacou o sistema Ereness.

 O ISS Conquistador, Encouraçado Classe-Vengeance recém concluído no estaleiro espacial de Erdosca, iniciava viagem rumo à fronteira, se encontrando no sistema Yval, quando recebeu o pedido de socorro. Ativando seu gerador de Salto, deslocou-se imediatamente para Ereness.

 Mesmo com a maior parte de sua energia direcionada para o resfriamento do gerador de salto, o ISS Conquistador imediatamente entrou em combate com a frota pirata.

 Sua grande vantagem eram suas naves de ataque, lançadas incessantemente de seus hangares, que atraíam a maioria dos ataques enquanto fustigavam as naves inimigas a curta distância.

 O resultado foi a vitória contra os piratas, sem nenhum dano ao Encouraçado.

 Os Caravaneiros tornaram a abandonar uma antiga nave, desta vez no sistema Avior. Rapidamente recuperamos a nave, e a análise de seus bancos de dados trouxe informações valiosas sobre a produção padronizada de Destróieres.

 O Governador de Uiafladus Prime, Elgicroon, acabou falecendo aos 85 anos. O veterano Vox foi nomeado em seu lugar, iniciando a expansão de nossas forças militares terrestres para futuras campanhas.

 Nossas políticas de geração de empregos e bem-estar têm motivado cada vez mais nossos cidadãos, deixando claro a todos nossos esforços de que alcancemos, juntos, cada um fazendo sua parte, um bem maior para toda a Tecnocracia.

 O Departamento de Sociedade criou novos programas de Transmissões de Proclamação, novas campanhas de informação sobre os feitos da Tecnocracia para que todos tomem conhecimento das políticas terranas. Também formulou uma nova Teoria Psiônica, sobre como nossa mente é, praticamente, um microcosmo que reflete o próprio universo.

 O Departamento de Engenharia criou novos Padrões de Extração mineral, tornando possível aproveitarmos ainda melhor os depósitos minerais encontrados. Outro avanço foi a Padronização de Encouraçados, tornando sua construção mais rápida e com menos perda de recursos.

 O Departamento de Física melhorou o foco das matrizes de nossas armas energéticas, aperfeiçoando, assim, a cadência de tiro de nossas naves militares.

 O capitão da Alien Ship, Yan Cheng, acabou falecendo aos 93 anos de idade. Para sua posição foi indicado o imediato científico Rosh na-Sutar.

5 Curtidas

Cara, pior que esses últimos 10 anos é só eu movendo pops pra lá e pra k, fazendo construções, esperando naves ficarem prontas e movendo pra lá e pra k… a maior “animação” foram esses piratas aí :sweat_smile:

3 Curtidas

Esses piratas não tomam jeito mesmo… Vão lá e juntam uma frota, só para se deparar com um Encouraçado ou um Titã e acabar com todos. :roll_eyes:

Apesar de eu sempre achar estranho o “materialismo” como gatilho para a Teoria Psiônica, é interessante… Ainda mais que é meio caminho para a Psi Jump Drive… Boa :+1:

3 Curtidas

Acho q foi por causa daquele Raquete que eu “contratei”, ele tem trait psíquico :grin:

3 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XCIV
Total War

 Os anos seguiam e os esforços bélicos da Tecnocracia não cessavam. Novas naves continuavam a serem construídas, enquanto novos módulos de docagem eram erguidos para acomodar a crescente frota militar.

 Nos planetas terranos, milhões de jovens se juntavam à força de trabalho anualmente, exigindo cada vez mais esforços em moradias e trabalho. A superlotação ameaçava muitos planetas, e milhares de naves transportavam cidadãos de um planeta para outro incessantemente.

 O Governador Petals of Red acabou falecendo aos 86 anos, deixando a administração do Setor Wistral para o jovem arquiteto Rhizome of Ivory.

 O Departamento de Sociedade concluiu a elaboração de uma Equipe de Apoio do Almirantado, criando um suporte para ao Almirantes no comando de frotas cada vez maiores.

 O Departamento de Engenharia decidiu reelaborar um dos projetos para o Colosso, a Quebra de Núcleo planetário, uma arma térmica capaz de destruir mundos inteiros.

 O Governador do Setor Meryl, Liqeerudh, também faleceu, aos 91 anos. O novo administrador do setor é Rhizome of Silver, especialista agrário.

 Finalmente, em 1º de Abril de 2394, nossas cinco frotas de ataque estão completas e posicionadas. Reformuladas para contar com uma Titã, dez Encouraçados, dez Cruzadores, dez Destróieres e vinte Corvetas cada, nossas frotas se preparam para a guerra iminente.

 Após anos de insultos engolidos e intervenções indesejadas, a Tecnocracia resolve cobrar suas dívidas. Nosso Destino Manifesto deve ser conquistado e, com um Colosso à nossa disposição, podemos enfrentar qualquer um que se oponha a nós. Uma Guerra Total, onde apenas um dos lados pode ser considerado vencedor, é a única forma de provarmos nosso direito às estrelas. O Governo Lahtrepiano e a Comunalidade Unida Rak’Thalak’Nak serão os primeiros a se juntarem a Tecnocracia, por bem ou por mal.

 Com quatro de nossas frotas avançando através das fronteiras, a missão mais difícil recai sobre a Strike Force Scylla. Utilizando o Portão-L, ela salta diretamente para o coração Lahtrepiano, surgindo em Gindor Black Hole e destruindo a base espacial no sistema sem dificuldades.

 Outras civilizações continuam a sentir os efeitos da Tempestade Cinzenta, com rebeldes surgindo em Eurav Wass e adotando o nome de Participações Corporativas Zik-Mok, ocupando o antigo sistema da Liga de Comércio Triech.

 Em Zhoblar, a primeira oposição é encontrada, uma frota da Comunalidade. Porém, antes que a Strike Force Pegasus pudesse atacar, a frota inimiga acaba fugindo.

 A I Frota de Transporte desembarca em Furdest, sob comando do General Rosh na-Tukor, derrotando facilmente os exércitos inimigos e ocupando o primeiro planeta para a Tecnocracia nessa guerra.

 Logo após a conquista de Furdest, uma nova facção, a Liga de Prontidão Defensiva, de tendência isolacionista, acaba se formando sob o comando de Dika na-Iben. Procuram que evitemos nos envolver com outras civilizações, mas seu pequeno número não deve influenciar em nossas posições atuais.

 Outro grupo rebelde eclode na Liga de Comércio, ocupando o sistema Irriamun e assumindo a denominação Hierarquia Rak’Thalak’Nak.

 O primeiro combate real da guerra ocorre em Durascadon, quando nossas frotas enfrentam a Comunalidade. A vitória é alcançada sem dificuldades, afora a perda de três Corvetas no combate.

 A guerra, apesar dos grandes esforços envolvidos, traz à tona o desejo terrano de sobrepujarmos nosso destino, um Sonho Utópico pelo qual vale a pena lutar.

 O primeiro ano de guerra mostra um avanço considerável sobre nossos inimigos. Passamos de 176 sistemas estelares sob nosso controle para 203, uma conquista de 27 sistemas nesse período. Além da adição de nosso 48º mundo habitado, Furdest.

 Nossas frotas avançam inexoravelmente sobre o território inimigo, sem descanso.

5 Curtidas

Agora sim a porrada recomeça! Bora colocar esse colosso para trabalhar e garantir o futuro da Tecnocracia antes de alguma outra ameaça :+1:

Tenho duas curiosidades/dúvidas do in-game…

Uma é a questão de efetividade da manutenção de patrulhas contra a pirataria… Tomando o AAR como análise :face_with_hand_over_mouth: , a pirataria parece bem recorrente. Pelo que eu percebo, a capacidade de repressão das corvetas é baixa. Desde o 2.2 eu mantinha bastiões/hubs comerciais com pelo menos 2 slots de armas (hangares são melhores, com 10 de proteção/supressão). Cada slot de arma acrescenta +1 de range, então 2 slots de armas protegem até 2 sistemas para cada direção. Assim, sendo, o custo-benefício de manter patrulhas nunca compreendi. Mas pode ser uma impressão errada minha… E claro, ocupo slot que poderia ser de ancoragem ou outra coisa útil.

Outra dúvida é… Não sei se eu perdi na narrativa, Hiryuu, mas você chegou a transformar o mundo relíquia do Rubricador (ou outro) em Ecumenópolis? Porque população para encher umas duas ecumenópolis, vc tem de sobra… :slightly_smiling_face:

3 Curtidas

Tecnicamente, 1 slot de armamento e 1 de hangar seria a melhor opção, aumentando o alcance de defesa pra 2 invés do 1 padrão. Mas, como bem disse, ocuparia dois slots que podem acabar sendo bem mais úteis, ainda mais que as longas distâncias “quebram” essa estratégia - ao menos até a construção dos portais, já que o trade passaria por eles. Patrulhas não são realmente efetivas em números pequenos, fiz mais por narrativa mesmo :face_with_hand_over_mouth:

Nunca consegui juntar Ligas Metálicas suficiente pra isso :joy: Até juntei, mas daí foi tudo e mais um eito pras Titãs e o Colosso :grimacing: Mas como cheguei no limite da capacidade naval (por enquanto) acho q “logo” sai (espero).

3 Curtidas

É com os portais aí o jogo já muda nesse aspecto do comércio… Ainda não testei fazer vários portais por causa do comércio, cheguei a fazer pelas distâncias mesmo com o jump drive.

Realmente é um investimento grande, mas no Federations é 20k de Minerais na decisão “Restore Ecumenopolis”… Antes era 20k de Ligas? Em minerais até que não atrapalha muito na produção militar. E o boost de ligas e/ou de bens de consumos é fantástico.

3 Curtidas

Total War, assim que nós gostamos. Hora de engolir os vizinhos!

3 Curtidas

Tecnicamente, tô fazendo esse jogo quase só roleplay mesmo, se fosse fazer gameplay-wise eu já teria comido metade da galáxia :sweat_smile:

3 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XCV
Desgaste e Ocupação

 O avanço da Tecnocracia sobre a Comunalidade e os Lahtrepianos prosseguia de forma constante. A única oposição encontrada eram as bases estelares e uma ou outra pequena frota inimiga, nada capaz de oferecer uma ameaça real às frotas terranas.

 A guerra tornara-se uma guerra de desgaste, um avanço lento e decisivo sobre os sistemas estelares inimigos e a busca por suas frotas.

 O atual líder da Entente Cevanti, o Regime Tumbator, convidou as Participações Corporativas Zik-Mok para a Federação. Parece estarem querendo se fortalecer ainda mais…

[/font]

 O Departamento de Engenharia desenvolveu uma versão ainda mais poderosa do Giga Canhão, capaz de atravessar escudos energéticos e causar ainda mais dano à armadura e casco de naves inimigas.

 O Departamento de Física estudou os conceitos de Supercondutividade Aplicada para desenvolver sistemas de transmissão de energia mais eficientes e diminuir as perdas causadas por distância ou condições climáticas.

 Tillie’s Topaz, um mundo Minerador Lahtrepiano, é ocupado pelos exércitos comandados pelo General Roah na-Tukor após uma desgastante batalha de trincheiras. A resistência sobrenatural dos Lahtrepianos, superior mesmo aos nossos exércitos robóticos, será um grande desafio para a conquista dos planetas inimigos.

 Outro planeta dos Lahtrepianos a ser ocupado foi o mundo urbano de Charion’s Crystal, desta vez pelo II Exército comandado pelo General Zax.

 A conquista de Charion’s Crystal e a integração de seus habitantes provocou a formação de uma nova facção na política da Tecnocracia. O Conclave da Fé e Valores, de tendência tradicionalista e espiritualista, procura combater o uso de robôs e inserir a religião no governo.

 Três mortes em poucos meses abalaram a Tecnocracia. O Governador do Setor Fidhilam, Neeraj Poojary, faleceu aos 95 anos, sendo indicado para sua posição o ambientalista Petals of Burgundy. O Almirante Seedkugh faleceu aos 85 anos, e seu engenheiro Pela na-Ilben assumiu o comando da Strike Force Scylla. E, aos 90 anos, o Cientista-Chefe do Departamento de Sociedade, Zidiaxi; sendo promovido Petals of Teal para essa posição.

 Três mundos agrícolas foram apaziguados por nossas forças terrestres em seqüência: Rorien’s Grove, no sistema Yultup; Choirtiz, capital da Comunalidade, no sistema Romsir; e Nagrim, no sistema Sceptrum.

5 Curtidas

Guerra tranquila e sem emoções.

3 Curtidas

Depois da surra da Tempestade Cinzenta e anos de guerras, não tem como esses inimigos resistirem… Quem dera a AI fosse versátil, e não tenha capacidade para algum tipo de estratégia de desgate, como aperfeiçoar mais os bastiões e ter um foco em corvetas/destroiers após grandes derrotas a essa altura do jogo.

Acompanhando o massacre :+1:

2 Curtidas

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XCVI
O Escavador

 Sem resistência, o mundo minerador de Vilcot’s Pursuit foi ocupado pelo exército do General Zax.

 As Participações Corporativas Zik-Mok, em um movimento diplomático duvidoso, solicitou vassalagem ao Estado Gorf. Certamente influenciados por sua posição entre a fronteira Gorf e da Liga de Comércio Triech.

 Zicash, nova capital provisória da Comunalidade Unida, foi ocupada pelo exército do General Rosh na-Sutar, após o que se tornou um mundo gerador para a Tecnocracia.

 A Tecnocracia adquiriu um satélite Extrator de Energia dos Raquete, por uma bagatela em bens de consumo. Poderemos recuperar o investimento em alguns meses.

 O Departamento de Sociedade reestruturou o sistema de comunicação entre nossos planetas núcleo, melhorando nossa Eficiência Administrativa com isso.

 O Exército do General Zax continua o processo de ocupação dos planetas inimigos, desta vez desembarcando no mundo agrícola de Ultan e, após uma encarniçada luta de trincheiras, eliminando as tropas inimigas.

 A anexação de Ultan incentivou a formação de uma nova facção política. O Movimento de Unidade Imperial acredita que um maior nível de autoridade governamental deve ser empregado para guiar a Tecnocracia a um futuro promissor.

 Os Empreendimentos Industriais Raquete novamente nos “oferecem” um grupo de “indesejáveis” por uma quantidade razoável de Ligas Metálicas. Poderemos ter bom uso de nossos novos cidadãos, dando uma nova oportunidade para eles.

 O Governador Feti, son of Brok, faleceu com apenas 72 anos de idade. Para administrar o Setor Roolan, a Diretoria escolheu o arquiteto Ganak Inik.

 Enquanto seguia entre os sistemas Lahtrepianos, a Strike Force Werewolf adentrou o sistema Chox, um verdadeiro cemitério estelar com destroços de milhares de naves alienígenas. Vigiando esse sistema, uma gigantesca nave – maior mesmo que nossos Titãs –, que parece estar escavando os destroços, avança sobre nossa frota assim que saiu da Hiperestrada. O Almirante Pash na-Karan ordena manobras evasivas enquanto as naves se preparam para o combate.

 O Escavador é extremamente resistente, seus escudos e armadura não se comparam a nada que já enfrentamos. Seu armamento, apesar de razoavelmente fácil de ser evadido, causa danos massivos aos alvos atingidos.

 A batalha é longa, várias corvetas que se aproximaram sem o devido cuidado foram abatidas sem a menor chance. Nossas naves maiores aproveitam a distração para atacar a longa distância, tentando penetrar a poderosa defesa inimiga. Quando os primeiros danos ao casco são percebidos, a ordem é para atacar com o máximo de velocidade e precisão possíveis.

 Com a maior parte das naves danificadas e sete corvetas destruídas, finalmente a Strike Force Werewolf consegue destruir a gigantesca nave inimiga.

 Um sistema complexo de materiais reestruturados em padrões cuja única explicação é a adição constante de materiais de naves abatidas fica exposto ao se examinar o colosso protetor de Chox.

 Os sensores da frota detectam dois setores menos danificados da nave, e ao se aproximarem conseguem recuperar parte da tecnologia utilizada pelo Escavador.

 Um raríssimo Sistema de Reparo que utiliza Nanites para consertar armaduras e cascos, ainda mais avançado que o já milagroso Casco Regenerativo; e um avançado sistema de lançamento de Mísseis Rastreadores equipados com uma IA de rastreamento de alvos. Um belo prêmio pela dura batalha no sistema Chox.

5 Curtidas

Interessante essa tecnologia da Escavadora.

1 Curtida

Pela quantidade de pops migrando, logo logo os raquetes serão os diretores da Tecnocracia Terrana :face_with_hand_over_mouth:

Boa briga com o Escavador :+1:

1 Curtida

Stellaris

Contos do Espaço Profundo

Capítulo XCVII
A Longa Espera

 Enquanto as Strike Force Scylla e Werewolf avançam pelo território Lahtrepiano, a missão das Nanite Interdictor, Pegasus e Medusa é mais complicada: conquistar os sistemas inimigos enclavados dentro do território do Regime Cevanti.

 Mesmo após meses de tratativas diplomáticas, o Regime rejeita qualquer acordo para permitir a passagem de nossas naves, chegando ao ponto de ignorar completamente nossos emissários.

 Sem opção, nossos almirantes apelam para o poderoso Propulsor de Salto, porém o período de resfriamento e concentração da energia necessária para o próximo salto torna a conquista desses enclaves uma longa espera para as três frotas…

 Os novos Mercados Galácticos projetados pelo Departamento de Sociedade deverão permitir um comércio ainda mais livre entre nossos planetas, fortalecendo nossa economia.

 Uma pequena frota Lahtrepiana se esgueira através de nosso território até atacar o sistema Myrum. A base espacial resiste bravamente por um longo período, mas acaba sendo ocupada. Ainda levaria meses até que a Strike Force Werewolf conseguisse chegar ao sistema, destruir as naves inimigas e retomá-lo para a Tecnocracia.

 Os Raquete oferecem um negócio tentados: uma pequena carga de Bens de Consumo em troca de Sagu, daughter of Larb, uma jovem e habilidosa governadora. Será útil no futuro.

 O Cartel Estelar Canthari é vassalizado pela Liga de Comércio Triech. Um movimento de fortalecimento frente aos inimigos que o cercam?

 Recebemos outra oferta tentadora dos Raquete, algumas toneladas de Cristais Raros em troca de dois bilhões de toneladas de Ligas Metálicas. Aceitamos prontamente o negócio.

 O altamente defendido planeta Umikandra é invadido pela força combinada de três de nossos exércitos. O combate dura meses, as baixas são consideráveis, incluindo o General Rosh na-Tukor, mas no final conquistamos o mundo Gerador.

 No sistema Kildatha, a Strike Force Scylla enfrenta a mais poderosa base espacial inimiga que encontramos até hoje. O combate é longo, mas a vitória é alcançada com poucos danos à frota.

 Graftch, um raro mundo Relíquia dos antigos Precursores, é ocupado pelo exército de Rosh na-Sutor.

 A Hierarquia Rak’Thalak’Nak, um dos muitos sistemas que se rebelaram nos últimos anos, aceitou ser vassalizado pelo Estado Gorf.

 O mundo rural de Caldan’s First é ocupado por nossos exércitos após um longo combate que se estendeu das cidades até as minas que cobrem o planeta.

 Novas formas de Compressão de Matéria desenvolvidas pelo Departamento de Engenharia tornam nossas armaduras ainda mais resistentes aos ataques inimigos. O próximo projeto do Departamento são Refinarias do raro mineral Bethariano, capazes de extrair imensas quantidades de energia desse mineral.

 Zoirch, no sistema Meskeban, é o último enclave da Comunalidade Unida, mas os sensores detectaram uma enorme quantidade de exércitos no solo. Com o restante de nossos exércitos a meia galáxia de distância, levaria meses, senão anos, até que chegassem ao sistema.

 Devido a isso, a Nanite Interdictor inicia um intenso bombardeio do planeta, preparando o terreno para a invasão futura.

 Ainda assim, as forças do General Rosh- na-Sutar enfrentam uma obstinada resistência inimiga, através das cidades devastadas pelo bombardeio.

 O mundo Urbano de Charion’s Crystal é conquistado sem grandes dificuldades, considerando-se sua posição central no Governo Lahtrepiano.

 O Departamento de Física aperfeiçoa ainda mais as Matrizes de nossas armas energéticas, possibilitando torná-las ainda mais destrutivas. Já o Departamento de Engenharia apresenta novos modelos de Mísseis Quânticos, utilizando a poderosa energia de ponto zero em suas ogivas.

 Em 11 de Abril de 2402, após uma longa invasão que durou meses, nossos exércitos capturaram os últimos inimigos em meio aos escombros de Zoirch. Essa conquista marca o fim da Comunalidade Unida Rak’Thalak’Nak, após séculos de escaramuças e conflitos diplomáticos.

 Com essa conquista, nossa região da galáxia encontra-se livre de quaisquer inimigos. Entretanto, o Governo Lahtrepiano ainda persiste em suas colônias, distantes milhares de anos-luz.

 Diversos buracos de minhoca estáveis foram encontrados nos sistemas inimigos, aguardando sua exploração por nossas naves científicas. Um deles deverá nos levar para o outro lado da galáxia, para pormos um fim definitivo nessa guerra.

5 Curtidas

Essa Diretoria Terrana ainda está muito benevolente… Uma testada no Colosso caía bem :face_with_hand_over_mouth:

Apesar que dá até dó de destruir tanto pop de uma única vez, enquanto poderiam encher vários mundos. Acompanhando :+1:

3 Curtidas

Tb achei que seria testado o Colosso.

@Hiryuu por um cálculo rápido a Tecnocracia Terrana está com 25% da galáxia sob seu domínio. Tem como confirmar isso?

3 Curtidas