Táticas para Rome Total War

Consegui a proeza de sucumbir perante a um exercito que usou extremamente bem a seguinte tatica: Peltasts na frente, Archers atras e hoplitas atras…Tentei me aproximar com a cavalaria mas era so me mover e os hoplitas passavam a frente e eu tinha de dar meia volta…Tentei aproximar com meus peltasts e os arqueiros deles (que tem range maior que os peltasts me dizimaram) tentei sair numa corrida frenetica e corajosa com a infantaria mas os peltasts deles me detonaram…O que fazer??Se alguem não entendeu o que o AI estava fazendo de tatica eu explico melhor

Bom, eu nunca jogo sem 4 arqueiros com bom range nos meus exércitos.

Cavalaria hev e upgrada, no mínimo 2 + o general

E no mínimo 6 tropas de hev infantaria.

Com esta formação mínima sempre tenho uma vantagem tática ou igualada na formação em relação a qualquer formação do oponente.

Essa é a primeira dica. Sempre busque uma formação equilibrada bom boa vantagem ou igualdade. Para vc não ser surpreendido, como vc foi pelo maior range dos arqueiros deles.

No seu caso, vc ta na desvantagem. Eu procuraria fazer o seguinte:

Separar meu exército de infantaria da cavalaria. Mando a cavalaria bem distante nas costas do inimigo. Provavelmente a AI ficara receosa e irá procurar ir atras da suas cavalarias. Esse é o momento para vc atacar com tudo os hoplitas da AI com sua infantaria.

No momento que engajar a luta entre a sua infantaria e a do inimigo, vc utiliza a cavalaria para atacar as costas dos hoplitas inimigos. Deixe de lado os arqueiros e pestaltas da AI.

Após acabar com a infantaria vc vai com sua cavalaria na caça do resto.

Se vc não tiver acavalaria. Bom ai vc perde.

Vou tentar…Mas o problema é que eles marcham muito juntos…Com pouca distancia entre as tropas, pelo que entendi no momento que eu desgarrar minha cavalaria os archers e peltasts deles vão seguir a cavalaria e aí eu corro com a infantaria pra cima dos hoplitas é isso?

Isso vai depender muito da facção que voce esta jogando,essa tatica do Philipus com os romanos é boa.

Estou com os Gregos

Ichi cara ai voce ta meio na desvantagem A cavalaria grega é muito ruim,os gregos so tem infantaria boa por causa dos Hoplitas que fazem falange,mas os arqueiros deles são bons.A unica facção de falange que tem uma cavalaria boa é a Macedonia.Cara a cavalaria dela é um exemplo de cavalaria.

Depende da cavalaria,se for cavalaria de companheiros e dificil matar,mas tambem olha seus arqueiros,se nem precisa de infantaria desse jeito e as flechas de fogo matam mais mas a precisao e muito menos por isso eu prefiro usar flechas normais em campo aberto.
Agora que falaram em flechas de fogo:A CA esqueceu uma tatica muito usada por diversos estrategistas,que eu me lembre até Sun Tzu ja disse em seu livro que e o incendio florestal.

Galera vamos falar sobre taticas em campo nesse topico…Quais as preferidas…As melhores…As apelonas…As impossiveis…Fuçando na internet achei muita bagaça, então vamos falar aqui pq nos entendemos do tema…Quem quer começar?

Entaum, eu não sou o mais apropriado a falar sobre isso, principalmente pela minha pessima atuação no campeonato, mas eu tava pensando esse final de semana o óbivo, porem resolvi compartilhar com vcs. Para o melhor estratégia é um exercito equilibrado tentendo para o que seu exercito é forte ou para o seu estilo de jogo, o ideal seria combinar a facção com o seu estilo de jogo, bom entaum, onde eu quero chegar é que exercitos com demasia em algum tipo de tropa, a qual eu separo em tres: Cavalaria, infantaria e artilharia ou arqueiros (pessoas que jogam coisas nas outras :slight_smile: tem desvantagem contra exercitos equilibrados. Por exemplo: se vc tem um exercito onde a maior parte dele é infantaria como normalmente acontece em formações fechadas de falange os arqueiros teram vantagem sobre estes pois atacam e recuam, sendo eles mais rapidos que a infantaria, o problema é quando caba a munição, bom dai eu não sei o q fazer, mas continuando, exercitos com demasia de arqueiros e artilharia por sua vez tem fraqueza contra a cavalaria que é mais rapida e por isso ficam imunes aos seus atacas a distancia e a tatica de ataque e recuo, e por fim um exercito com cavalaria demasiada (cavalos, camelos e bigas ou carroagens) tem problemas em enfrentar uma infantaria compacta, pois essa impossibilita a sua movimentação e no combate corpo a corpo a infantaria tem alguma vantagem. Bom logo, podemos concluir que para formar uma boa tática seria ideal conhecer o inimigo e o exercito que ele irá usar? É em parte sim e em parte não, sim pois o quanto mais vc conhecer o teu adversário, mas facil será indentificar o seu ponto forte e o seu ponto fraco e dessa forma criar uma tatica em cima disto, mas como nem sempre isso é possivel o mais importante é conhecer o próprio exercito e como usa-lo.
Bom, li até não poder mais sobre Alexandre no topico sobre os generais que resolvi dar uma pesquisada na net sobre a suas táticas no campo de batalha, mas a verdade é que na suas ultimas batalhas ele aplica de certa forma isso que eu to dizendo. Primeiro contra Dariu o rei da pérsia em sua batalha, agora eu não lembro qual, onde em numero extramamente menor que o rei ele abre uma brecha no meio do exercito inimigo para poder encara o rei o qual, eu suponho, tinha medo de lutar diretamente contra Alexandre, e acaba fujindo juntamente com boa parte do seu exercito. Ele conhecia o adversário. E em segundo lugar contra o rei da india o qual ele não conhecia mas tinha certeza que se a sua infataria luta-se de frente contra o inimigo ela teria vantagem e que sua cavalaria era superior a do inimigo, entaum ele acabou forçando isso na batalha o que lhe resultou a vitória.

Bom, não sei se to falando um monte de abrobrinha mas ta ai o que eu acho.

Faz sentido sim oq vc disse…Equilibrar é o caminho sempre é claro, mas vamos ser mais incisivos…Vamos pensar em taticas mais sucintas…Por exemplo… Vc esta encarando uma coluna solida de legionários colunas cerradas, descansados, felizes e encorajados pela presença do General e com 3 onagros atras deles dando sustentação e aí? Entende?

Eu gostei daquela tatica usada pelo Hans no torneio do hexagono e abrindo na hr certa pra massacrar o Yan…o Problema é que eu não consegui faze-lo com a mesma eficacia utilizando hoplitas macedonios contra os romanos…Que são uma facção apeladora mesmo e que jogando no dificil fica mesmo complicado in field…

No Rome eu monto sempre meus exércitos com 6 cavalarias, 3 arqueros e o restante de infantaria. Acredito que essa seja a formação que mais se adaptou ao meu estilo de jogar e a que é mais versátil na maioria das situações. Sempre procuro me movimentar mantendo a formação. fazer caixas de hoplitas, na minha opinião é besteira, basta ter um exército equilibrado e concentar a infantaria em um ponto que o adversário será obrigrado a desmanchar sua formação ou será liquidado e, quando ele desmanchar você terá vantagem por estar com sua formação sólida e ainda poderá atacar com a cavalaria pelos flancos ou por trás. Naquela batalha em que o jogador que estava com Ponto e formou um hexágono, o jogador que estava com Seleucida perdeu na hora que escolheu as unidades. No Europa Barbarum as coisas são um pouco (leia-se bem mais) complicadas, dependendo do nível de dificuldade que estiver jogando as coisas ficam sem lógica.

A verdade é q agora é facil responder mas na hora do desespero tu não consegue raciocinar direito.
Bom ele tina uma parede humana na frente com 3 onagros atrás, sem cavalaria?
E tu, o q q tu tinha?