[TWR2] Meu dever

[center]Meu dever

Jogo: Rome 2 Total war
Objetivo: Irei contar a historia de Aristone, ate onde eu achar que esta bom.
Facção : Macedonia
Dificuldade: Dificio
Mods : Varios ( serio tem um monte )

indice:[/align]

[center]Cap 1:Nova cidade novos problemas[/align]

[center]Cap 2: Batalha[/align]

[center]Cap 3: Vida de Soldado[/align]
[center]Prologo[/align]

[center]Sou Aríston filho de Neleu, se me perguntassem o que tínhamos de diferente naquela época eu responderia que nada, éramos fazendeiros não os melhores mais conseguíamos viver com o que plantávamos gostamos de plantar azeitonas, também tínhamos duas vacas papai nunca nos deixou colocar nomes nelas pois dizia que não se pode dar nome a comida, tenho duas irmãs Herádia e halona , elas são dois anos mais novas que eu , quase esqueço de dizer tenho 14 anos, vivemos nos arredores de Pella a capital da Macedônia, vivemos uma vida boa sempre tivemos o que comer, e papai já me treina na arte da espada já que ele já foi a guerra contra os bárbaros duas vezes, sempre torcemos para que ele volte, esse ano já houve dois ataque e a macedônia esta reunindo dois exércitos e achamos que papai será convocado a batalhar de novo.
Meu pai sempre foi um dos favoritos do general Antigonos comandante do exercito As garras da harpia, apesar de ser apenas um soldado meu pai serve como na guarda pessoal do general e todos da nossa vila se orgulham disso, eu mais que outros pois assim posso jogar na cara das outras crianças, sempre estivemos em guerra contra os bárbaros, apesar deles saquearem nossas fronteiras nunca ousaram atacar nenhuma cidade macedônia, mais a boatos que um grande exercito esta sendo formado, mais enquanto eles não vem para ser derrotados nos vivemos nossas vidas.


Cidade de Pella

Dois meses depois.

Era um dia ensolarado, estava tão quente que nem as crianças estavam no lado de fora, ate os animais estavam atrás de sombras, a casa de Ariston ficava na entrada da vila de Atalonia, a muito longe se via um grupo de soldados se aproximando todos sabiam a quem eles serviam e qual mensagem seria dada, minha mãe já gritou para meu pai que estava treinando espada comigo, quando ouviu a noticia meu pai já se arrumou e foi para a frente da casa, os cavaleiros não estavam mais tão longe e quando olharam meu pai já lhe entregaram um pergaminho, minha mãe se aproximou e falou com meu pai enquanto os soldados desciam de suas montarias.

[left]Napeia - Neleu e o que eu estou pensando ?
Neleu - Sim, uma grande horda barbara esta se dirigindo a cidade de Pulpudeva, e o general Antigonos deseja minha presença em sua guarda.
Olhando para os soldados meu pai chamou o mais próximo.
Neleu - temos agua e pão , deixe com minha mulher e meu filho iremos dar agua aos cavalos.
Soldado - Muito obrigado Neleu foi uma viagem muito cansativa, já tínhamos avistados os bárbaros mais não pensávamos que eles marchariam tão rápido, metade das nossas defesas em pulpudeva não estão prontas, você não seria convocado já que não faz nem meio ano que voltou, mais a situação e critica.
Neleu - não se preocupem se o general esta me chamando estou honrado que ele lembre de mim.
Soldado - ora Neleu você e um dos queridinhos dele, depois que você salvou ele no campo de batalha, iremos avisar os outras na vila partiremos amanha cedo, esteja preparado, nos juntaremos a marcha que esta a caminho de Pulpudeva.
E assim os soldados se foram batendo de porta em porta, de uma vez ou outra se ouvia alguma mulher chorando pois seu marido ou filho foi convocado para a batalha, já em minha família essa era a terceira vez que papai servia ao exercito, naquela noite mamãe fez a comida favorita de papai galinha no mel, e para os soldados que estavam acampados na entrada da vila um pouco de vinho e um ensopado de pato, a refeição inteira foi silenciosa ate que papai resolveu falar.
Neleu - Irei mais uma vez combater os selvagens, Ariston você ficara encarregado de ajudar sua mãe e suas irmãs não esqueça que em minha ausência você será o homem da casa.[/align]
Mamãe me olhava seriamente, nunca tinha tido esse tipo de responsabilidade, mais resolvi aceitar corajosamente - Não se preocupem pai deixarei tudo em ordem ate o senhor voltar.[/align]
E assim se terminou a noite, apesar de ouvirmos nossos pais fazendo sexo, ate por que era comum nunca se sabe se vai voltar vivo da guerra nos tentamos apenas ignorar ate por que qualquer reclamação resultaria em um surra, no primeiro raiar do sol todos da vila já estavam acordados, algumas mulheres ainda choravam por seus maridos, mamãe tinha nas mãos uma bolsa com vinho e pães.

[left]Napeia - se cuide Neleu, pegue essa bolsa.
Neleu - não se preocupem voltarem assim que tudo estiver resolvido.[/align]

Ele deu um longo beijo em cada um de nos, sempre admirei meu pai quando esta com armadura, não era das melhores mais era muito bonita junto com sua espada e seu escudo ele parecia um verdadeiro espartano, sei que esparta não e a melhores cidade mais seus guerreiros sempre não citados nas festas e seus feitos de como mataram tantos então eles devem ser mesmo fortes e assim eles se foram deixando apenas mulheres e crianças, mais estava certo que veria meu pai daqui a um ano ou dois por isso fui cuidar da horta.

Se passa três meses a horda barbara foi destruído pelo exercito As garras da harpia o qual meu pai servia mais em vez de voltar um segundo exercito macedônico foi convocado para auxiliar o general Antigonos, e eu estava pensando em seguir meu pai já que tinha completado 15 anos no mês passado e já estava pronto para servir o exercito eu e minha mãe estavamos tendo brigas constante pois ela era contra eu ir para o exercito ate meu pai voltar, e assim que começamos essa manha.


[left]Napeia - Ariston você e louco quem ira nos proteger se você for embora, e também o mundo e perigoso, não quero perder meu filho, já não basta seu pai não poder voltar ate essa guerra acabar.
Ariston - Mais mãe quando meu pai tinha minha idade.[/align]
Fui cortado por minha mãe que me olhava furiosamente . - Não me venha falar de seu pai, ele era e sempre foi um grande guerreiro e você também não esta pronto.

[left]Halona - mãe acho que Ariston esta certo se ele acha que esta pronto ele devia ir.
Napeia - AAAAhh Halona irei chegar em você e seu namoradinho, e ele acha que esta pronto eu acho que estou com fome, acho que estou com caganeira mais você não me vê comendo e cagando igual uma louco, você não vai para o exercito e ponto final.[/align]

Sai em fúria e fui para minha cama, e fiquei deitado ate o final do dia ate minha mãe vir a minha no final da noite.

[left]Napeia - Ariston sei que quer ser igual seu pai um grande guerreiro, mais tudo tem seu tempo filho, quando seu pai voltar irei falar com ele para leva-lo na próxima defesa, só tenha paciência filho.[/align]
E assim ela saiu indo se deitar, mais e claro que eu teria paciência na calada da noite quando todos estavam dormindo arrumei um pouco de comida e dinheiro que tinha guardado, e quando eu ia saindo senti um sussurro em minha orelha fiquei simplesmente aterrorizado pensando quer seria minha mãe FUDEO, mais quando olhei para traz era minha irmã Halona.

[left]Halona -Sei que você não tem muito tome um pouco de dinheiro.
Aristone - muito obrigado irmã um dia sei que irei recompensa-la, quando eu me tornar um grande general.
Halona - Va antes que mamãe se acorde irei falar que você foi ao bosque colher frutas isso vai engana-la por um tempo.[/align]

Antes de minha partida Halona me da um beijo a época na tinha entendido mais isso me traria muita dor de cabeça e assim tomei meu rumo a pella a capital macedônica querendo entrar para o exercito no qual meu pai servia e encontra-lo para ser um grande guerreiro como ele.[/align]

Ps : Segunda AAR depois de muito tempo pretendo fazer algo curto e isso ai espero que gostem. Caso alguma coisa esteja errada eu vou editando xD

Acompanharei!

Cuidado com o excesso de texto centralizado, isso acaba cansando a leitura. E corrigi o nome do jogo (é TWR2) para facilitar a identificação.

Vlw pela correção, dei uma ajeitada para nao deixar tao cansativo xD

Bem mais bonito! E a propósito, gostei da intro.

[center]Nova cidade e novos problemas

Apos sair de casa decidi que iria ruma a Pella onde estava tendo o recrutamento para o exercito dos Deuses da guerra comandada pelo general Kosmas que tinha um reputação de severo, mais já tinha saído de casa voltar agora seria reconhecer que não estava preparado então segui meu caminho evitando todo tipo de problema e acredite eram muitos desde de ladroes ate próprios soldados andavam saqueado viajantes, já chegando a pella depois de três dias de viajem tranquila resolvi que deveria tirar um cochilo em uma das estalagens, aluguei um quarto e me deitei para dormir já pela madrugada acordei e procurei minha mochila, e nada achei me revirei desesperado atras dela onde estava minha bolsa de ouro e algumas mudas de roupa, fui atras do dona da estalagem.

[left]Ariston - fui roubado e desejo meu pertences.
Estaleiro - Meu garoto pessoas entram toda hora aqui você acha que sei quem roubou você, vá procurar encrenca em outro lugar.[/align]

Não tinha como falar com ele pois de nada resolveria decidi que mesmo sem dinheiro ou roupas iria para pella, cheguei na cidade parecendo um mendigo e foi exatamente com isso que fui confundido logo na entrada, onde fui parado por dois guardas.

[left]Guarda - Ei garoto sem mais mendigos na cidade
Ariston - Não sou mendigo vim me juntar aos deuses da guerra[/align]

Os guardas se entre olharam e deram risada.

[left]Guarda -Eu não iria para o exercito de Kosmas nem que me torna-se rei, fiquei sabendo que ele matou um soldado pois não estuprou uma selvagem.
Guarda 2 -Ele odeia mesmo todo selvagem, você não e selvagem e?
Ariston - claro que não sou Macedónico, da vila de Atalonia a 4 dias daqui.
Guarda - Certo garoto pode entrar siga a rua ate o final la você encontrara alguns soldados eles irão te levar ate as barracas ou vão te dar uma surra, agora suma da minha frente antes que eu mude de ideia.[/align]

Entrei na cidade, era minha primeira vez em uma cidade tao grande minha pequena vila não se compararia nunca aquele grande movimento de pessoas eram vendedores, escravos , soldados era tanto movimento que só comecei a me mexer quando me empurram, segui a rua que parecia nunca acabar, ate comecei a duvidar do guarda, mais não demorou muito ate eu encontrar um grande volume de soldados, fui ate um que estava vestido com um capa, imaginei que seria algum oficial mais não imaginei que seria o próprio Kosmas, um homem velho com uma grande barba e algumas cicatrizes em seu rosto e suas mãos, ele olhou para mim como se fosse matar alguém suas voz era tao grave que fiquei imaginando se era verdade ou eu era extremamente azarado.

[left]Kosmas - Quem e você e o que você quer comigo Kosmas ?
Ariston - Ssssoooou um camponês e quero me alistar para os deuses da guerra.
Kosmas - E por que você acha que tem o necessário para servir ao meu exercito.
Ariston - treinei muito com meu pai que serve no garras da harpia , e sei lutar com uma espada .
Kosmas - acho que você e um mendigo, mas já que diz que sabe lutar, alguém de uma espada para ele eu mesmo irei ver se ele e bom para os deuses da guerra.[/align]

Um soldado me jogou uma espada não tive tempo nem de pensar pois Kosmas já vinha em minha direção defendendo rapidamente seu primeiro ataque, mas Kosmas era um verdadeira monstro onde o primeiro ataque acabava começava outro, caso eu tenta-se atacar com certeza iria levar a pior não apenas rápido mais também forte depois de seis golpes me vi no chão com uma espada em meu rosto e vários soldados rindo de mim.

[left]Kosmas - Como pode ver garoto, não esta em meu nível, mais irei deixa-lo entrar em meu exercito, mais devo admitir foi muito bom em se defender de meu ataques, espero que seja tão eficiente contra os bárbaros.
Ariston - muito obrigado senhor prometo que não irei decepcioná-lo.[/align]

Apos caminhar um pouco ate a uma das saídas da cidade vi ainda mais soldados, fora da cidade devia ser onde os deuses da guerra estavam acampados, Kosmas me deu uma espada e um escudo, deve disser não eram como eu esperam uma espada surrada e um escudo já com varias rachaduras, mais decidi não reclamar, não tinha tenda nem comida então me sentei ao lado de uma arvore esperando a hora da refeição do exercito, mais me parece que os deuses agem de forma boa comigo um rapaz alto e musculoso de cabelos escuros e com uma boa armadura veio e me jogou três maças, eu olhei desconfiado para ele.

[left]Euclides - Ola sou Euclides, sou meio novato aqui e sei como e difícil começar no exercito. ainda mais com fome.
Ariston - Bem obrigado pelas maças
Euclides - Se eu não estiver enganado você e o rapaz que lutou com Kosmas certo?
Ariston - Sim , não diria que foi uma luta mais consegui me virar por pouco tempo.
Euclides - Sabe amanha cedo iremos marchar para encontrar as garras da harpia , pois mais um horda barbara se aproxima de pulpudeva então esteja preparado .
Ariston - Por que esta sendo gentil comigo a muitos outros novatos , por que comigo?
Euclides - Bem pode se dizer que achei você bonito.[/align]

Euclides sai na mesma velocidade que chegou, espero que ele achei que pode ter uma nova mulher comigo mais agradeci pelas maças, finalmente irei ver meu pai, e peguei no sono ali mesmo em baixo da arvore, quando acordei minhas duas maças que eu tinha guardado haviam e mais uma vez fui roubado, felizmente minha espada e escudo estava la ainda, os veteranos estavam acordando os calouros pois a marcha iria começar, tentei me posicionar bem longe de Euclides por razoes obvias, nunca uma caminhada foi tao chata ate que no segundo dia me encontrei com helena uma prostituta que viajava com o exercito.

[left]Helena - vejam o que temos aqui um rapaz tao jovem, pode ate se dizer que eu um garoto.
Ariston - Não sou garoto já sou muito homem.
Helena - coitadinho esta perdido, iremos achar sua mãe, qual o nome da puta?
Ariston - minha mãe não e puta exijo respeito.
Helena - vá com calma garoto, de onde você e?
Ariston - Sou de uma vila perto de Pella e você puta?
Helena - Eu sou irmã de Kosmas[/align]

Ariston ficou gelado com o que ela disse e saiu em disparada para a frente da fileira antes de arrumar problemas por chamar a irmã do general de puta, nem tive tempo de pensar quando um cavaleiro passou pro nos gritando.

[left]Cavaleiro - O exercito do general Antigonos derrotou a segunda horda barbara, eles estão correndo para nossa direção então se preparem para a batalha.[/align]


Minha primeira batalha e tao cedo, uma movimentação começou soldados caroças para todo os lados fui para a linha da frente pois queria mostrar meu valor, quando fui interditado por um soldado.

[left]Soldado - Va para traz rapaz a linha da frente e destinada aos veteranos
Ariston - Mais eu sei lutar me deixe ir.
Soldado - E uma ordem soldado vá para as linhas de traz antes que eu te mate antes dos bárbaros.[/align]


Ainda relutante fui para as linhas de traz mais ainda tentando ficar o mais próximo das linhas da frente, de longe conseguia ver Euclides, ele era um veterano então podia ir na linha de frente contra os bárbaros que já podiam ser avistados no topo da colina, mesmo em fuga eles avançaram contra nossas tropas com uma fúria sem igual, toda a frente foi atingida por uma onda barbara eu via Euclides lutar contra dois bárbaros ao mesmo tempo, desferindo golpes atras de golpes ele podia ter um gosto estranho para parceiros mais lutava muito bem, quando um dos bárbaros tentou atacá-lo ele o empurrou com seu escudo e matou o segundo tao rapidamente que não pude nem ver qual foi o movimento mais sei que o atingiu na garganta pois pude ver o sangue borrifando para todo o lado matando o segundo que ainda estava no chão , a linha de frente venceu sem problemas ainda mais depois que a cavalaria do general Antigonos chegou nas costas dos bárbaros essa foi minha primeira batalha onde não matei ninguém.[/align]

Ps : Falem se estao gostando, qualquer erro posso consertar, E o indice quando eu descobrir eu coloco xD

Opa, estou gostando, e aliais, estou acompanhando (sempre me atraso, so venho la pro cap 2 ou 3, mas sempre estarei aqui)

[center]A batalha

Apos o termino da batalha, fui feita uma reunião com os dois generais, como meu pai era guarda costas do general Antigonos decidi que iria procura-lo, perguntei a alguns soldados sobre meu pai mais nenhuma demonstrou interesse em conversar comigo, por isso fui a única pessoa que conhecia Euclides, ele estava lustrando sua armadura e limpando sua espada, ele já tinha sua própria tenda e um ótimo equipamento, me aproximei devagar pois ainda era meio receoso sobre ele, mais fui em frente.

[left]Ariston - Ola Euclides, você foi muito bom na batalha, devo admitir você e uma ótimo lutador.
Euclides -Ora, ora se não e Euclides, deve ter vindo aqui por que o capitão lhe avisou que estou precisando de soldados.
Ariston - Você e algum tipo de comandante ?
Euclides - Claro comando dez homens, e a partir de hoje você se um deles.
Ariston -Mais eu nunca quis fazer parte do seu esquadrão.
Euclides - Sabe Ariston gosto muito de você mais aqui não e sua casa, caso tenha algum problema com meu comando me desafie para uma luta se ganhar ira assumir meu posto caso não queira me desafia te aconselho a seguir cada ordem minha estamos entendidos ?
Ariston - Sim senhor.
Euclides - Agora vá para a tenda que esta ali na frente, você ira dividir ela com um companheiro.
Ariston - Já ia me esquecendo estou procurando um soldado o nome dele e Neleu ele e guarda costas do general Antigonos você conhece algum que possa me ajudar.
Euclides - Rapaz vou te dar um conselho se mantenha longe do exercito de Atigonos eles não são muito receptivos connosco digamos que já roubamos algumas glorias e eles são ressentidos ate hoje.
Ariston - Mais estou procurando meu pai.
Euclides - Não estou falando como seu capitão mais como um amigo podia estar a mando do próprio Zeus eu não entraria la, se não quiser sair sem as pernas.[/align]
Sai meio desnorteado iria servir ao um homem que poderia me estuprar a noite, e nunca poderia ver meu pai mesmo estando ao meu lado, nunca imaginei que o exercito fosse tao complicado, fui em direção a minha tendo encontrar meu suposto colega, quando cheguei era um tenda extremamente limpa e organizada, um homem de barba bastante avantajada, parecia estar perto dos trinta anos de idade cabelos escuros como um sombra mais seus olhos era de um azul tao claro que parecia o próprio céu, decidi me apresentar primeiro para evitar confusão.

[left]Ariston - Ola sou Ariston, Euclides falou que sou seu novo parceiro de tenda.
Arkantos - Sou Arkantos dono dessa tenda, e já vou lhe dizer algumas regras, não suje, roube, queime, mate ou transe dentro da minha tenda se conseguir seguir isso nos manteremos muito bem.
Ariston - Entendi.[/align]
Arkantos não me pareceu muito de conversa por isso fui me deitar um pouco para descansar, era difícil dormir com tantas pessoas passando no lado da sua barraca, decidi me levantar e conversar com Euclides tentar entender como funcionava o sistema do exercito.

[left]Ariston - Euclides poderia me explicar como funciona a hierarquia do exercito macedónico?
Euclides - Mais e claro Ariston, temos os Ennea comanda dez soldados como eu, Saranta comanda cinquenta soldados, Eneninda comanda cem soldados, triakossa comanda quinhentos soldados e pensakossa comanda mil soldados, os cargos de general são apenas para família real ou com grande influencia.
Ariston - Por que esta no exercito?
Euclides -Posso fazer a mesma pergunta para você, mas parece que não teremos esse tempo, prepare suas coisas iremos marchar.[/align]

A trombeta soava avisando que em poucos minutos iriamos nos por a marcha o exercito do general Kosmas ia separado do exercito do general Antigonos, estávamos a caminho da fronteira imaginávamos que seria apenas mais um exercito bárbaro querendo nos invadir mais quando começamos a entrar em território bárbaro nos demos conta que não iriamos expulsar os bárbaros mais sim dominar suas cidades, o exercito do general Antigonos ia na frente e vimos fumaça de vilas sendo queimadas, fora os gritos das pessoas sendo mortas mesmo sendo guerra sei que pode parecer estranho mais nunca gostei de destruir e matar pessoas mesmo estando no exercito, mais aproveitamos as oportunidade que a vida nos da , se matar inocentes foi o que os deuses decidiram então iria fazer com orgulho mesmo não gostando, apos cinco dias caminhando destruindo, saqueando, matando e estuprando chegamos em um rio, apos ele estava a capital dos bárbaros se conseguirmos conquista-la os ataques bárbaros iria césar, era assim que pensávamos.


[left]Euclides - Os bárbaros tem um forte na frente iremos dar a volta e conquistar a cidade, enquanto Antigonos ira impedir que os soldados no forte nos sigam.[/align]

Mais assim que começamos a dar a volta os bárbaros saíram do forte em nossa direção, foi ordenado que entrássemos em posição de batalha, eu estava na primeira fila com Euclides a minha esquerda e arkantos a minha direita apesar de não conhece-los tao bem me senti confiante e protegido de ter eles ao meu lado, a horda vinha em minha direção preparei minha lança, vinha correndo um gigante contra mim era louro e vinha gritando com toda sua fúria, tentei mirar minha lança para para-lo mais ele simplesmente ignorou minhas lança e veio para cima de mim, tentei sacar minha espada mais não conseguia força para desferir um golpe contra ele, me defendi com meu escudo enquanto ele gritava e batia em meu escudo, não consegui pensar em mais nada a não ser em como eu ia morrer em minha primeira batalha real, foi quando Arkantos degolou um bárbaro ao meu lado fazendo espirar sangue para todo lado ate em meu rosto, olhei para baixo para não espirar sangue em meu olho foi quando vi os pés do bárbaro e tomei um decisão que iria mudar minha vida, chutei seu joelho esquerdo fazendo ele ficar mais nervoso me lembrei das aulas com meu pai, ele estava dando apenas golpes longos tentando quebrar minha defesa, foi onde surgiu minha chance apos um golpe longo seguei firme minha espada e ergui meu escudo pude ver os olhos do bárbaro de terror ele tentou recuar mais tinham outros na suas costas o empurrando para frente minha espada foi em encontro com sua testa atravessando sua cabeça, minha espada ficou presa foi quando Euclides me empurrou para a fileira de traz, apos eu ser empurrado não demorou muito para os bárbaros começarem a fugir já que Antigonos e sua cavalaria estavam em suas costas e seu exercito estava chegando para nos dar auxilio, e foi assim que a batalha acabou Euclides veio falar comigo.


[left]Euclides - Se saiu ate que bem para um novato a maioria morre no primeiro choque, as tropas de Antigonos irão conquistar a cidade de Antheia capital dos bárbaros, nos voltaremos para a pulpudeva para proteger a cidade de uma horda barbara que vem pelo norte esteja preparado amanha cedo iremos marchar.
Aristone - Obrigado por me empurrar para traz não sei se conseguiria matar outro bárbaro, aquele foi a primeira pessoa que matei.
Euclides - Que e isso sou seu Ennea e meu dever evitar que vocês morram, agora vá descansar irei reportar ao meu Saranta que morreram dois do meu grupo.[/align]

E assim acabou minha primeira batalha, matei uma pessoa e no final não pude encontrar meu pai, mais ainda não desisti de encontra-lo, ate la irei subir na hierarquia ate onde der, assim ficara mais facio arrumar ajuda para encontra-lo.[/align]

Páei Makedón!

[center] Vida de soldado [/align]

[center]Quando entrei para o exercito nunca pensei que a vida seria da ordinária, apenas passando a vida marchando de dia e treinando a noite, fizemos isso por 3 meses, já conhecia a maioria do nosso Enna e também o nosso Saranta um soldados chamado Philipus já era veterano e muito bom com a lança e também muito rígido não tolerava falhas, nos últimos meses ouvi boatos que Atenas e esparta tinham formado uma aliança, e havia muita movimentação de tropas gregas, por isso estávamos em território bárbaro onde finalmente daríamos um fim aos bárbaros da thracia, o plano era construirmos um forte que impedisse que reforço chegasse na cidade de Odessos capital barbara na região enquanto as tropas do general Antigonos dominavam a cidade, e claro Kosmas não estava nem um pouco satisfeito em não poder saquear a cidade barbara então ele não estava em seus dias mais felizes fora que a semanas vários bárbaros vem perto do forte para nos zombar, mais enquanto não nos atacarem estaremos bem.


Na manha seguinte apos treinar e comer, a trombeta de alarme foi soada, um grupo maior de bárbaros veio em direção ao forte, mas diferente do dias anteriores vieram três grupos um em cada entrada do forte não zombaram de nos parecia que estavam nos analisando de longe, quando um deles soou um grito extremamente alto, e dessa vez falo serio era um horda barbara nunca vi tanta gente responder a um grito , Kosmas já estava gritando para todos entrarem em posição de defesa, Euclides estava agrupando seus soldados e eu fui correndo atrás dele, ficamos posicionados na estrada a oeste, conseguia ouvir gritos de todo tipo bárbaros e macedónicos, algumas vezes olhava para trás mas só conseguia ver uma grande nuvem de poeira crescendo atras de mim, ate que senti a terra tremer não imaginava o que seria as outras frente todas estavam sobre ataque menos a minha, quando um soldado gritou para nos.
[/align]

[left]Soldado - Entrada oeste cavalaria inimiga a caminho,
Euclides - Ariston esteja preparado lutar contra um cavalaria e bem diferente de um soldado a pe[/align]



[center][font=Helvetica]Na entrada oeste o comandante era Philipus que tinha acabado de ser promovido a Eneninda( Comanda 100) ele era considerado um dos melhores guerreiros na tática de defesa, a cavalaria barbara veio de forma devastadora mas estávamos preparados nossas lanças cravaram, na maioria dos cavalos, os que não morreram pelas nossas lanças foram pisoteados pelos seus companheiros. Eu mesmo cravei uma lança em um garanhão preto derrubando seu cavaleiro depois disso não o vi mais, eu estava posicionado na terceira fila mas mesmo assim devo ter derrubado pelo menos um cinco cavalos, nas outras frentes de batalha quase não se ouvia gritos, mais sei que os arqueiros estavam acabados de tao cansados, nunca vi tanta flecha crava no chão, vencemos a batalha e Kosmas estava mais feliz e depois de cuidar dos feridos fomos marchar novamente, o general não cremou ninguém nem nossos soldados muito reclamaram mais depois de chicotear um comandante que discutiu com ele sobre isso resolvemos ficar calados.

Todos estavam felizes por finalmente estarem em um cidade macedónica de novo, mas passamos direto por ela e fomos em direção a fronteira com Atenas na cidade de Navissos, nos últimos meses o rei da macedónia firmou um acordo de comercio com os bárbaros mais ao norte os deixando mais calmos, e a cidade devido ao ataques deles contra a cidade ateniense as tropas na cidade estavam desgastadas, atacamos mais quando chegamos perto da cidade ele se renderam, o general Kosmas falou que era estritamente proibido saquear a cidade, mais em troca e enforcou o antigo governante da cidade por ser fraco e se render tao facilmente não foi nenhuma coisa agradável de se ver, mas os soldados obedeceram suas ordens ate por que ninguém queria acabar na forca, ficamos na cidade por algum tempo finalmente desço para meus pés que estavam cansados de marchar, andando pelas ruas encontrei Helena sentada na entrada do templo de Atena.[/font][/align]

[left]Ariston - Esta tudo bem com você?
Helena - Ola Ariston, já perdeu o medo do meu irmão ?
Ariston - Ainda estou tentando.[/align]

[center]Tentei deixar um sorriso no rosto mais não sou muito bom em sorrir ela me olhou de lado e voltou a abaixar a cabeça.[/align]

[left]Ariston -Desde que te encontrei tive um pergunta por que você sempre esta com o exercito pensei que era proibido mulheres seguirem nossa tropa.
Helena - Eu e meu irmão nunca tivemos pais ate ele entrar no exercito e se tornar o melhor amido do antigo general Hiryuu.
Ariston - Hiryuu, não parece um nome grego.
Helena - Ela era estrangeiro mais muito rico e competente no que fazia, apesar de toda hora feder a vinho, quando ele deixou o cargo passou para meu irmão, já eu não tenho nada, estava pedindo a Atena para me mostrar um caminho .
Ariston - Você pode ter a mim.
Helena - Vejo que você não gosta mesmo da sua vida, mais ate que você e bonitinho, quem sabe.[/align]

[center]Ela se levantou e saiu andando com dois guardas que estavam chegando, fui ate minha tenda onde encontrei Euclides e Philipus me esperando.[/align]

[left]Philipus - Euclides você a partir de agora e um Saranta ( 50 ) e você Aristone e um Ennea ( 10 ).
Ariston - Senhor só tenho um ano de serviço acha mesmo que estou pronto?
Philipus - Espero que esteja pois Euclides me falou muito sobre você ter futuro no exercito, acho que o único futuro que você tem e a morte, caso falhe como Ennea eu mesmo lhe mato então comande bem ou sera punido estamos entendidos?
Ariston - Sim senhor.[/align]

[center]E assim ele saiu da tenda, enquanto eu olhava incrédulo para Euclides ele sempre me ajudou mais nunca pensei que ele poderia me favorecer assim, eu já não temia ser sua mulher pois a alguns meses ele encontrou um rapaz que correspondia seus sentimentos então eu já estava mais tranquilo.[/align]

[left]Ariton - Euclides por que me fez Ennea ?
Euclides - Como Philipus falou acho que você tem futuro e um bom lutador e já te vi matando bárbaros, como eu acho que posso fazer de você um líder, e claro se você me favorecer também.
Ariston - Então esta me propondo um acordo.
Euclides - Não seria um acordo e mais como uma ajuda mutua, não precisa me responder agora.[/align]

[center]Fiquei meio confuso mais isso pode ate ser bom crescer no exercito quem sabe um dia eu não viro general igual a Kosmas ,resolvi ir tomar um pouco de vinho já que o dia estava extremamente quente, fiquei sabendo que houve alguns tumultos na cidade contra nossa exercito, mais resolvi sair sozinho mesmo assim, me sentei em uma mesa para beber meu vinho, quando dois homem se aproximaram de mim.[/align]

[left]Cidadão - Voce e do exercito de Kosmas ?
Aristones - Sim em que posso ajuda-lo ?[/align]

[center]Os dois homem começaram a me esfaquear tentei pegar minha espada mais já era tarde demais outros quatro já tinham se juntado a ele, e foi assim que minha vida se foi, não consegui uma mulher, não tive minha família e nem pude ver meu pai pela ultima vez.[/align]

Ps : Como eu disse e um AAr curta, sendo esse o capitulo final serviu mais como teste para AARs futuras, espero que tenham gostado mesmo sendo curtinha xD

MAs como assim já acabou?

Comecei a ler, e quando cheguei nesse capitulo li o final e tu escreveu que tinha terminando o AAR, como assim? :angry:

Enfim, em síntese ta boa, contudo tem alguns erros de pontuação e gramaticais, mas são sutis… no mais posso destacar as Imagens que estão incríveis, contudo vc poderia ter se esmerado mais, por exemplo, utilizando os recursos que o fórum disponibiliza, tipo os estilos de fonte e do texto. Mas como vc disse tmbm que essa seria só uma AAR teste, aguardemos o que pode vir por ai

:goodjob

Valew crusader, então e mesmo um teste que eu estava querendo fazer a muito tempo, a proxima pretendo escrever tudo e depois postar de uma vez so xD
E tambem quero fazer de algum jogo que eu goste mais, medieval 2 gostei muito de fazer, ja rome 2 acho muito chato escrever em cima dele, quem sabe um CK2 xD
Consegui testar muita coisa tipo Indice que eu nao sabia xD

Blz mestre

ficaremos no aguardo então ;/