Uma Guerra Pelo Povo

Total War: Three Kingdoms

Uma Guerra Pelo Povo

Apresentação:

O Jogo: Décimo terceiro jogo da série Total War, Three Kingdoms é ambientado na época imediatamente anterior ao período dos Três Reinos da China, durante o colapso da dinastia Han. Assumindo a posição de um dos diversos senhores da guerra desse período, o jogador deve enfrentar os adversários e reunificar a China, tornando-se Imperador. Para tal, ao mesmo tempo em que administra seus territórios, cidades e personagens em um modo de estratégia por turnos, comanda seus exércitos em combates em tempo real.

Objetivo: Superar os adversários e reunificar a China.

Atenção: Como todas sabem, a série Total War não é exatamente meu forte, e com pouco mais de 3h de jogo, vai ser praticamente um “learn by doing”. Em outras palavras, esperem burradas, ações impensadas, combates equivocados, e coisas do tipo. Estejam avisados!

Índice:




1 Curtida

Total War: Three Kingdoms

Uma Guerra Pelo Povo

Opções:

Versão do Jogo: 1.0.0

Facção: Liu Bei

Campanha: Romance

Dificuldade: Normal / Normal

Gráficos: Ultra

Tamanho da Unidade: Extrema

Estilo do AAR: Gameplay/Narrativo, seguindo, conforme possível, o modo Romance.

Total War: Three Kingdoms

Uma Guerra Pelo Povo

Capítulo I
Situação Inicial

 A história do período dos Três Reinos da China é relativamente conhecida, e um tanto longa, mas, em resumo, a dinastia Han já se encontrava em declínio devido a disputas políticas entre oficiais governamentais e os Eunucos, que de fato controlavam o poder. Em 184, após diversos desastres naturais, uma rebelião, conhecida por Turbantes Amarelos, irrompeu. Apesar de controlada, seus membros se refugiaram em montanhas e florestas, continuando a causar o caos e atraindo cada vez mais seguidores.

 Tentando combater o aumento no número de bandidos, em 188 o Imperador Ling concedeu poderes administrativos às províncias, mas isso apenas piorou a situação, pois os agora “independentes” senhores da guerra começaram a ignorar as ordens imperiais. Com a morte do Imperador, os Eunucos começaram a disputar o poder, através de indicações e assassinatos. O general Dong Zhuo, aproveitando a situação, depôs Liu Bian e colocou Liu Xie no trono. Contra isso, diversas facções levantaram armas contra Dong Zhuo, em busca de restaurar a dinastia Han no poder ou, mesmo, tomar o poder para si.

 Neste ponto, em 190, o jogo começa.

 Nascido em uma família pobre, Liu Bei possuía, entretanto, parentesco distante com a dinastia Liu, através do antigo Imperador Jiang. Tornando-se magistrado, Liu Bei, com os Turbantes Amarelos espalhando caos no país e a ascensão de Dong Zhuo, assumiu para si a responsabilidade de defender o povo da opressão que sofriam. Arregimentou, junto com seus irmãos de juramento Zhang Fei e Guan Yu, uma milícia entre os leais aos Han para enfrentar os inimigos que tentavam tomar o poder.

 Mal temos um exército organizado, e já somos aconselhados a enfrentar os Turbantes Amarelos e manter boas relações com Kong Rong e Tao Qian, ainda leais aos Han.

 E um exército dos Turbantes Amarelos é avistado, trazendo caos para a província. Temos que enfrentar Zhao Bo!

01%20(03a)

 As forças iniciais de Liu Bei são compostas, basicamente, por Milícias de Ji, com algumas Milícias de Sabre, Milícias de Arqueiros e Cavalarias de Sabre, além de uma unidade de Atiradores Yi. Além do próprio Liu Bei, seus irmãos de juramento, Zhang Fei e Guan Yu, comandam o exército.

 Sendo, apenas, um pequeno nobre, Liu Bei não conta com uma grande corte, sendo apoiado somente por seus irmãos e Jian Yong, um jovem Escriturário leal aos Han.

 Liu Bei também é solteiro, sem herdeiro ou com parentes diretos ainda vivos.

 O círculo de amizades de Liu Bei também não é muito vasto. Além de seus irmãos de juramento, possui amizade com Zhao Yun e Gongsun Zan.

 A situação diplomática também não é das melhores. Cercado por inimigos, apenas Tao Qian mantém boas relações com Liu Bei.

 Por fim, o Tesouro. Que também não está às mil maravilhas. Com o alto gasto com os membros da corte e as tropas, um pequeno déficit de moedas é esperado.

1 Curtida

Deveras interassante.

Total War: Three Kingdoms

Uma Guerra Pelo Povo

Capítulo II
Primeira Batalha

 Liu Bei encontra o exército de Zhao Bo, e todos começam a se posicionar para o combate.

 Prontos para o combate, Liu Bei insta a seus homens que lutem pela união e pela paz, contra a tirania que os inimigos querem impor ao povo. É o que precisavam para pôr quaisquer dúvidas por terra e ficarem prontos para a batalha.

 As tropas avançam contra o inimigo. Enquanto a infantaria avança pelo centro, a cavalaria é enviada pelo flanco direito e Liu Bei e seus irmãos seguem pelo flanco esquerdo.

 Antes mesmo que as tropas fiquem à distância de uma flecha, Zhao Bo desafia Guan Yu para um duelo! O Deus da Guerra aceita, com um sorriso no rosto, e acelera seu cavalo ao encontro do general inimigo.

 Enquanto os exércitos continuam seu avanço e flechas começam a ser lançadas, o duelo inicia! O primeiro golpe de Guan Yu já derruba Zhao Bo do cavalo. Desmontando, o combate entre os dois é acirrado, até que o Deus da Guerra começa a ter vantagem.

 As infantarias finalmente se chocam, lanças e armas improvisadas se quebram, os primeiros feridos caem ao chão, agonizantes, e o caos se instaura no campo e batalha, enquanto flechas continuam a zunir sobre as tropas.

 Guan Yu não tem piedade de Zhao Bo. Dominando o duelo, imobiliza o general inimigo, sufocando-o até a morte. Ao verem o corpo sem vida de seu general caindo ao chão, as tropas próximas ficam abaladas e perdem a vontade de lutar. Guan Yu, sem comemorar, busca seu cavalo para partir ao encontro de seus irmãos.

 A cavalaria, após contornar o combate principal, avança sobre a retaguarda dos arqueiros inimigos, que ensaiam uma pífia reação, mas, logo, começam a debandar.

 Ao verem que os arqueiros foram atacados, os Turbantes Amarelos que ainda lutavam desistem do combate, e começam a correr por suas vidas.

“Aquele que se render, será poupado. Mas ninguém deve escapar!”

 Brada Liu Bei enquanto ele e seus irmãos avançam sobre os fugitivos. Nenhum que tentou escapar sobreviveu.

 Quando o último tomba, os homens comemoram, a primeira de muitas vitórias que se seguirão.

 Após o combate, aos inimigos capturados é oferecida a chance de se juntarem ao exército de Liu Bei. Como muitos eram camponeses que apenas procuravam se defender da tirania dos senhores da guerra, a maioria aceita. Ao restante, é permitido que retornem para suas terras.

 Os sobreviventes contam que a Mina de Ferro de Dong é utilizada como esconderijo pelos Turbantes Amarelos. Já sabemos o que devemos fazer para livrar a província desses salteadores.

 O corpo de Zhao Bo é trazido à presença dos três irmãos. Apesar de inimigos em batalha, recebe todos os respeitos devidos a quem lutou com honra por seus próprios ideais.

1 Curtida

Excelente! Estarei acompanhando!
Hiryuu, não dá pra deixar as imagens fora de spoiler? É meio cansativo abri-los toda hora hahahahaha

Total War: Three Kingdoms

Uma Guerra Pelo Povo

Capítulo III
Batalha pelo Ferro

 Tendo derrotado o exército de Zhao Bo, Liu Bei volta-se para o reduto dos Turbantes Amarelos, a mina de ferro de Dong.

 É a vez de Zhang Fei discursar para os homens. Apesar de sua fama, ele lembra que o importante é derrotar aqueles que têm trazido caos para a China, fazendo os soldados crerem que, não importa sua origem ou fama, o importante é sempre lutar pelo certo e pelos que necessitam.

 Os Turbantes Amarelos encontram-se entrincheirados na mina, no alto de uma colina, com poucas áreas de entrada. Não será simples vencer o terreno, mas os homens estão confiantes.

 Enquanto a maior parte do exército avança pelas entradas ao sul, a cavalaria e um pequeno grupo de Milícias de Ji segue pela entrada leste, obrigando os Turbantes Amarelos a dividirem suas forças. Mesmo assim, os arqueiros inimigos iniciam uma chuva de flechas contra o exército de Liu Bei.

 Mesmo com a resistência nas entradas, Liu Bei e seus irmãos forçam passagem, enquanto os soldados enfrentam os inimigos. Fazendo a volta pelos caminhos tortuosos da colina, atacam com fúria a retaguarda dos defensores.

 Logo as defesas são quebradas pela tenacidade do exército e o ataque inesperado dos generais. Os Turbantes Amarelos tentam correr, mas estão cercados e os que não se rendem são mortos sem piedade.

 Com a derrota dos Turbantes Amarelos, Dong é ocupada. Liu Bei ordena que o exército deixe em paz os habitantes, que recebem de braços abertos aqueles que os livraram dos salteadores.

 A experiência dos combates será necessária para manter o pequeno exército em pé de igualdade com seus inimigos.

 Mas Liu Bei sabe que precisará de mais homens para continuar lutando e, assim que os feridos forem tratados e os mortos receberem o devido cuidado, planeja iniciar o recrutamento de mais forças para o exército.

 Enquanto os preparativos são feitos, Liu Bei conversa com seus irmãos sobre os próximos passos. Mesmo com a mina sob controle, a capital da Superintendência ainda está sob domínio inimigo. Não dos Turbantes Amarelos, mas de Huang Shao. Outro inimigo que precisará ser combatido.

 Enquanto vistoria a mina e conversa com os habitantes, Liu Bei trata todos com consideração. Logo, o povo nota a diferença entre ele e os Turbantes Amarelos, a honra, a integridade, a ética, a Dignidade que deixa transparecer em seus modos simples e honestos. Tal modo de agir inspira ainda mais apoio à sua causa.

1 Curtida

Pela tua AAR estou bem interessado no jogo.
Depois tenho que aprender a editar minha AAR para continuá-la.

Idem. Na verdade, eu já estava, mas fiquei ainda mais.
Gostaria que eles futuramente lançassem um SA no Período dos Reinos Combatentes…

1 Curtida