[VE] Biblioteca Nacional Diego Alvaréz

[hr]

[center]BIBLIOTECA NACIONAL DIEGO ALVARÉZ[/align]

[hr]

[size=150][font=Century Gothic]A histórica biblioteca de Alexandria não equivale-se à de Assunción…

Bem, aqui é onde os mais bem instruídos Paraguaios frequentam. Um acervo monumental de obras literárias, dos mais variados gêneros, café e bom atendimento.

Geralmente é onde os políticos encontram-se para confrontar seus ideais fora do Senado Imperial. Enquanto fazem isso, a massa populacional se entorpece de trabalhar… arduamente![/font][/size]

[hr]


[center]Na biblioteca nacional você será bem-vindo, seja liberal ao reacionário. Enriqueça culturalmente![/align]

[hr]

O jovem José soma alguns passos em meio ao grandioso salão, junto de mais três, além do robusto livro embaixo do braço. Seu semblante transparecia certo carisma, já que o seu rosto evidenciava jovialidade e inevitável ingenuidade. Ao se aproximar de um grupo de senadores, dentre um coagido sorriso, limitou-se a dizer:

- Bom dia. Os espero no senado.

Em seguida desconstruiu o riso, notadamente introvertido, caminhou para saída da biblioteca, rumo ao senado.

[tab=30]Gustavo Balbuena, único senador não pertencente ao Partido Reacionário, permanecia quieto, parcamente falava uma outra frase com seus iguais. Quando o Imperador se aproxima e os convoca ao Senado, este é o primeiro a segui-lo.

Frantiesco Alegrete ao mesmo tempo que estava entusiástico estava preocupado devido não saber no posicionamento político do Imperador, Mas devido a grande maioria de Senadores do Partido Reacionário em que ele estava presente, acha que seus ideais serão maioria no senado e que um único Liberal não terá força no Senado.

Jordi Caballero estava tranquilo em uma mesa afastada dos demais lendo a “Ilíada” e aguardando a hora de se dirigir ao senado.

Alexandre Larraya estava vendo o novo senador liberal pensando porque ele seguia aquela ideologia no ponto de vista dele “subversiva a tradição parguaia”

Murilo estava afastado, procurando numa estante um livro para passar o tempo até o momento de entrar no Senado.

[font=French Script MT][size=150]Após o término do período crítico de eleições, a Biblioteca Nacional enchia-se rapidamente, afinal era lá onde os congressistas praticamente habitavam (quando não no senado).

O imperador comumente frequentava o lugar, e logo após o fechamento do senado, resolveu ir para lá. No terceiro andar, o jovem monarca cavava dentre as estantes um exemplar que muito lhe convinha.[/size][/font]

Alexandre estava lá lendo o Manifesto Reacionario