[VE] Ministério das Forças Armadas

[hr]

[center]MINISTÉRIO DAS FORÇAS ARMADAS[/align]

[hr]

[size=150][font=Microsoft Sans Serif]O ministério das Forças Armadas distingue-se dos demais, na fachada é possível ver um imponente brasão militar tricolor.

Atualmente carece de um ministro, todavia, quem se responsabilizar pelo ministério carregará uma árdua missão. A população Paraguaia é sabidamente enxuta, o crescimento contingencial militar incerto, já os recursos financeiros escassos.[/font][/size]

[hr]

Ministro: Jordi Caballero.

Próxima eleição: 1840.

Candidatos:

Humildemente me ofereço para ocupar esta posição de prestígio mas também de grande responsabilidade. Se escolhido for, me comprometo a honrar o exército Paraguaio e proteger a honra e o orgulho da nação.

Eu tenho que o ministro das forças armadas pois eu sou o unico senador com experiencia militar. Irei incentivar os setores de Heavy e Light ARMAMENT e melhorar Liderança pois um Exercito Forte precisa de comandantes fortes.

Quero me candidatar a este grande cargo, que é muito importante como todo para o Paraguai eu proponho o desenvolvimento da tecnologia de:

Muzzle-Loaded Rifles
Iron-Muzzle Loaded Artillery
Army Professionalism

Esta tecnologia na minha opnião deve ser pesquisada para conseguir superioridade nas demais nações para assim garantir a expansão do Paraguai a novos territórios.

[tab=30]O senador Balbuena brada no meio dos outros senadores que disputavam uma vaga.

  • Não acho que o mais importante seja termos um grande exército AGORA. Contudo, sim, temos que ter capacidade para um exército bem treinado num futuro próximo. Contudo vejo que os candidatos do Partido Reacionário não sabem sequer apresentar propostas quanto mais terão a capacidade em gerenciar um dos mais importantes Ministérios? O único que chegou perto disso foi o senador Larraya. Os demais sequer aparentam saber o que estão fazendo aqui. Ora digam-nos quais serão vossas prioridades à frente deste Ministério ou recolham-se aos vossos assentos.

concordo com o senhor que não devemos focar no exército agora por isso me candidatei ao Ministério da Economia por na minha opnião esta é a prioridade que a economia esteja aquecida para assim podermos focar na expansão territorial.

Nós sabemos que a economia está um caos. Porem o exercito deve ter pioridade pois naçoes como o Brasil revindica parte integral do Paraguai. Devemos ter um exercito forte para enfrentar as ameaças externas.

Enfrentar uma grande potência por uma pequeníssima região do Paraguai, com uma pequeníssima população? Caso eles declarem guerra delhem esse território na mesma hora, ora devemos focar na economia para depois conseguir um bom exército assim que tiver um Exército superior ao do Brasil não pega apenas a região de Iguatemi e sim tomar o Mato Grosso inteiro.

Indepedente do tamanho é um territorio paraguaio com maioria da população paraguaia e deve ser da nação paraguaia e não de paises imperialistas.

  • Pelo jeito o senador Larraya quer chachinar nosso povo! Se lutarmos contra o Brasil ou contra a Argentina estaremos perdidos. Temos que tê-los como aliados e não como inimigos. Sigo a opinião de meu colega senador Alegrete, pois sem uma economia forte não temos como sustentar um bom exército no futuro. Este homem, apesar de Reacionário, não parece residir no hospício como o senhor Larraya faz.

ótimo senador Balbuena devemos antes de atacar ter com que atacar ou para defender ter com que se defender.

Eu concordo em partes porem o exercito nao deve estar em segundo plano agora. Os diplomatas devem fazer aliancas com o maximo de paises posiveis porem o Brasil revindica abertamente e não está interresado em uma aliança e se declarar guerra devemos resistir até o ultimo homem. Se cedemos Iguatemi hoje, daqui á alguns anos cederão o Paraguai inteiro.

se acabar com todo nosso exército agora por Iguatemi, como podemos resistir a outras invasões?

  • Por isso afirmo que nesta legislatura devemos nos preocupar com a economia e com a educação e, depois, na próxima legislatura, poderemos focar em nossa força militar.

Eu no momento sucumbo que esse ministerio não deva ser pioridade. Porem ainda desejo o ministerio pois quem é do exercito deve cuidar do exercito.

eu discordo com vc a prioridade deve ser o comércio para ganharmos dinheiro, assim depois investiremos em militares e educação, mas não devemos sacrificar nossa economia pela educação nem pelo exército.

  • Vejamos como será o orçamento mas penso que a proporção deve ficar em torno de 30/30/25/10/5 porcento para, respectivamente, os Ministérios da Economia, Desenvolvimento Industrial, Cultura, Exército e Naval.

Eu discordo deve ser
40% Economia
20% Cultura
20% Exercito
17% Industria
3% Marinha

50-Economia
20-Cultura
20-Industria
10-Exército
0-Marinha

Por equanto nos próximos anos mudar alguma porcentagem da economia para o Exército, e a marinha só quando tivermos ligação ao mar.

  • O senhor tem duplo ânimo Senador Larraya! Diz que este Ministério não deve ser prioridade mas o põe acima do Desenvolvimento Industrial. Queres ter soldados que não possuam munições para suas armas? Já de outra maneira concordo com a proposta do sensato Senador Alegrete.